As 25 assistências de Rajon Rondo

As 25 assistências de Rajon Rondo

Não faz nem um ano que fizemos uma longa análise de Rajon Rondo. Na época ele estava passando por uma disputa com seu então técnico, Fred Hoiberg, e estava relegado ao banco de reservas como punição. Não era uma situação nova: Rondo teve desavenças com seu técnico de escola, seu técnico na universidade de Kentucky, quase saiu na mão com Doc Rivers no Celtics, foi colocado na lista de contundidos pelo técnico Rick Carlisle no Mavericks e punido pelo técnico George Karl nos tempos de Kings, ao lado de DeMarcus Cousins. O padrão é sempre o mesmo: Rondo vê uma coisa que os técnicos não percebem, desobedece as instruções táticas e passa a sofrer represálias. Ninguém quer lidar com sua rebeldia, mas todo mundo quer se aproveitar de sua visão de jogo exemplar – como se uma coisa pudesse existir sem a outra. Muitas vezes nos esquecemos que aquilo que é considerado um “defeito” é parte fundamental da estrutura de uma outra coisa que é considerada sua maior “qualidade”. Rajon Rondo tem uma visão de jogo fora de série e usa essa visão para melhorar seus times JUSTAMENTE porque é um rebelde, alguém que faz as coisas do próprio jeito e não enxerga o jogo da maneira tradicional. Não dá para se ter uma coisa sem a outra. É o que a gente defende há anos sobre Russell Westbrook: não dá pra querer a agressividade dele no contra-ataque e também querer que ele cometa menos desperdícios de bola ou tenha melhor aproveitamento nos arremessos; uma coisa está diretamente relacionada com a outra.

Um fio de esperança em Chicago

Um fio de esperança em Chicago

São sempre fascinantes as histórias de reconstrução na NBA. Para quem não está muito familiarizado com os esportes americanos, é alienígena pensar que grandes times trocam bons jogadores por caras piores, às vezes pirralhos, só para poder PERDER DE PROPÓSITO e assim dar início a um processo de remodelagem que deverá dar resultado só em alguns anos. Alguém imagina os presidentes de Corinthians ou Palmeiras dando uma entrevista coletiva avisando que o plano é ser bom lá em 2021? A paz acobaria lá mesmo.

Não na NBA. O que vimos nas últimas semanas é uma série de pessoas preocupadas que a sequência de SETE VITÓRIAS do Chicago Bulls poderia arruinar o plano deles de ter DeAndre Ayton, Luka Doncic ou Michael Porter no próximo ano. Afinal, vencer assim é boa ou má notícia? Apesar do PROCESSO estar aí prestes a dominar o mundo com Joel Embiid e Ben Simmons após anos de estratégicas derrotas propositais, vou tentar defender aqui de que não tem problema se eles não forem tão ruins quanto o planejado.

Podcast Bola Presa #142 – Kuuuuzma

Podcast Bola Presa #142 – Kuuuuzma

Bem amigos do Bola Presa, mais um podcast no ar!

Nesta edição deixamos o CLUBISMO aflorar e falamos do Clássico Bola Presa entre LA Lakers e Houston Rockets, onde Kyle Kuzma mostrou porque será o MVP de 2021 e marcou 38 pontos para acabar com a sequência de vitórias do rival. Foi uma oportunidade para apontar os raros defeitos do Rockets e das intermitentes qualidades do time de Los Angeles. Também falamos da sequência de SETE VITÓRIAS do Chicago Bulls e sobre como ela tinha data certa para acabar. Por fim, damos os nossos palpites para a aguardada Rodada de Natal!

No Both Teams Played Hard respondemos uma pergunta sobre procrastinação, demissão, tentamos curar um odiador do estilo run-and-gun, especulamos sobre o que motiva os ex-jogadores da NBA quando eles enfrentam a aposentadoria e ajudamos um leitor a MANDAR A RELA para os pais.

Entre o cansaço e a repetição

Entre o cansaço e a repetição

Em uma conversa com o Zach Lowe, da ESPN, num podcast recente, o técnico e comentarista Jeff Van Gundy relembrou de uma história de quando Tom Thibodeau era seu assistente no Houston Rockets. Ele conta que estavam vencendo um jogo por CINQUENETA E TRÊS pontos de vantagem, a partida estava em seus minutos finais e todos já estavam só pensando em acabar logo com aquilo e ir para casa. Foi quando o time fez uma bobagem na defesa, a vantagem caiu para míseros CINQUENTA E UM PONTOS e Thibs saltou do banco para dar seu já tradicional BERRO ROUCO na beira da quadra. Era uma bronca bem dada, para todos ouvirem, em um jogo já ganho. O que é certo, é certo.

Podcast Bola Presa #141 – Mais que arrumadinho

Podcast Bola Presa #141 – Mais que arrumadinho

Bem amigos do Bola Presa, mais um podcast no ar!

Nesta semana FALAMOS O NÚMERO CERTO DO EPISÓDIO e SUBIMOS O ARQUIVO CERTO no sistema! E também aproveitamos o embalo do último post do Danilo para aprofundar a discussão sobre o desempenho acima do esperado do Indiana Pacers e em especial de Victor Oladipo, que renasceu nesta temporada. Também falamos um pouco do OKC Thunder, que bateu o Pacers mas ainda sofre para embalar, e de Dwight Howard, que vive uma situação parecida com a dos últimos anos: está jogando bem, mas seu time não vai bem quando ele está em quadra.

No Both Teams Played Hard respondemos perguntas sobre calvície e torcida incentivada por CADERNOS, explicamos o “golpe Jeff Green”, tomamos bronca de um fisioterapeuta e tentamos ajudar um cara muito desejado pelas mulheres, coitado.

Ah, e também anunciamos algumas novidades: neste mês teremos a volta das CAMISETAS DO BOLA PRESA e no ano que vem vai, finalmente, sair o primeiro LIVRO do Bola Presa! =)