🔒 LeBron James, o arremessador

🔒 LeBron James, o arremessador

Quando chegou em Cleveland, o veterano Kyle Korver admitiu estar inteiramente chocado com a atenção que LeBron James dedicava à academia. Com ambos na décima quarta temporada de suas carreiras, seria completamente compreensível se apenas colhessem os frutos dos anos de trabalho e de suas posições já estabelecidas na elite da NBA. Ao contrário, Korver disse que LeBron levantava pesos duas vezes por dia mesmo sem nenhuma orientação da comissão técnica a respeito. Mais assustador ainda: segundo relatos de Korver, após uma partida de 33 pontos e 10 rebotes em que jogou 38 minutos, LeBron foi o primeiro a estar na academia na manhã seguinte, cuidando de seu condicionamento numa máquina conhecida como “Versa Climber”.

🔒Para entender o fenômeno Isaiah Thomas

🔒Para entender o fenômeno Isaiah Thomas

No Jogo 2 da série entre Boston Celtics e Washington Wizards, o armador Isaiah Thomas salvou seu time com incríveis 53 pontos, sendo 29 deles no quarto período e na prorrogação. O número fica mais assustador quando lembramos o quanto é difícil marcar tantos pontos em disputados jogos de Playoffs: esta foi a maior pontuação de um jogador na pós-temporada desde os 55 pontos de Allen Iverson contra o New Orleans Hornets em 2003.

🔒 Nenê contra a invisibilidade

🔒 Nenê contra a invisibilidade

No Jogo 3 contra o Oklahoma City Thunder, Nenê acertou todos os 12 arremessos que tentou em quadra e empatou o recorde de mais arremessos sem errar num jogo dos Playoffs, em vigor desde 1975. Em apenas 25 minutos, Nenê conseguiu 28 pontos e 10 rebotes, além de garantir a vitória num jogo que, de outra maneira, teria sido verdadeiramente complicado para o Rockets. Foi uma atuação verdadeiramente memorável .

🔒 Tentando parar Paul George

🔒 Tentando parar Paul George

Dez segundos para o final do Jogo 1, Pacers perdendo em Cleveland por apenas um ponto mas com a posse de bola. Quem deve tentar o arremesso decisivo? Certamente Paul George, cestinha da equipe, naquele momento com 29 pontos, 5 rebotes e 7 assistências na partida. Por que, então, quem tentou a bola decisiva foi CJ Miles, reserva da equipe, com apenas 5 pontos na partida, num arremesso desequilibrado que deixou Paul George visivelmente frustrado? A resposta simples seria culpabilizar CJ Miles e sua vontade individual de decidir a partida, mas a verdade é que a última jogada foi simplesmente um resumo da defesa que Paul George recebeu do Cavs ao longo do jogo inteiro – uma defesa que o forçou a passar a bola para CJ Miles sem qualquer chance de recebê-la de volta. Vamos dar uma olhada nesse arremesso fatídico:

🔒Filtro Bola Presa #42 (season finale)

🔒Filtro Bola Presa #42 (season finale)

Mais uma temporada chegou ao fim, e com ela os seus causos, seus recordes, os memes e as jogadas infames. Acompanhamos tudo o de nem-tão-importante aqui no Filtro, seção que agora descansa nos Playoffs e na offseason e que irá voltar com tudo na loucura da temporada 2017-18. Agradecemos ao apoio dos nossos assinantes, que no lugar do Filtro terão análises táticas bem bacanas e exclusivas ao longo da pós-temporada.

1 2 3 4 20