🔒Os arremessos errados

🔒Os arremessos errados

O Cleveland Cavaliers teve sua melhor atuação nesta Final no Jogo 3. Atuando em casa, o time errou menos na defesa, viu Kevin Love marcar bem e a dupla Kyrie Irving e LeBron James combinar para 77 pontos, como fizeram nos jogos decisivos da Grande Virada de 2016. O time também teve a torcida barulhenta a seu favor, conseguiram liderar por boa parte do segundo tempo e em alguns momentos a equipe até fez o Golden State Warriors  errar e se desesperar.

🔒Mais Amor, por favor

🔒Mais Amor, por favor

Por cerca de 5 minutos durante o primeiro quarto do Jogo 2, o Cavs esteve à frente do placar. A vantagem durou pouco, no entanto: o Cavs ficou atrás no marcador durante todo o restante da partida, terminando o primeiro tempo com uma defasagem de 3 pontos e por fim perdendo o jogo por uma diferença de 19 pontos. Ainda assim, por alguns poucos minutos não apenas o jogo esteve parelho como o Cavs conseguiu impor seu plano de jogo e ser o melhor time em quadra. O que esses curtos minutos do primeiro quarto tiveram de tão diferente do restante da partida? A estranha resposta: Kevin Love. Abaixo, vamos assistir e comentar alguns momentos selecionados do começo da partida para ver como Love foi fundamental para o bom começo da equipe, apontar alguns erros e acertos e tentar encontrar um caminho para que ele seja ainda mais efetivo nos próximos jogos.

🔒 Como o Warriors se preparou para LeBron e Kyrie

🔒 Como o Warriors se preparou para LeBron e Kyrie

Na decisão da última temporada, o Cleveland Cavaliers achou uma fórmula nem tão secreta para derrotar o poderosíssimo Golden State Warriors. Ela parecia tão perfeita que conseguia, ao mesmo tempo, com pouco esforço, atacar tudo o que incomoda o adversário: desgastava Steph Curry fisicamente enquanto tirava proveito do fato dele não ser o melhor defensor do time; forçava a cobertura defensiva do Warriors, abrindo espaço para rebotes de ataque; e ainda é um estilo de jogo lento, normalmente à prova de turnovers, que impede o adversário de adotar a sua costumeira e mortal correira de contra-ataques.

🔒 LeBron James, o arremessador

🔒 LeBron James, o arremessador

Quando chegou em Cleveland, o veterano Kyle Korver admitiu estar inteiramente chocado com a atenção que LeBron James dedicava à academia. Com ambos na décima quarta temporada de suas carreiras, seria completamente compreensível se apenas colhessem os frutos dos anos de trabalho e de suas posições já estabelecidas na elite da NBA. Ao contrário, Korver disse que LeBron levantava pesos duas vezes por dia mesmo sem nenhuma orientação da comissão técnica a respeito. Mais assustador ainda: segundo relatos de Korver, após uma partida de 33 pontos e 10 rebotes em que jogou 38 minutos, LeBron foi o primeiro a estar na academia na manhã seguinte, cuidando de seu condicionamento numa máquina conhecida como “Versa Climber”.

🔒Para entender o fenômeno Isaiah Thomas

🔒Para entender o fenômeno Isaiah Thomas

No Jogo 2 da série entre Boston Celtics e Washington Wizards, o armador Isaiah Thomas salvou seu time com incríveis 53 pontos, sendo 29 deles no quarto período e na prorrogação. O número fica mais assustador quando lembramos o quanto é difícil marcar tantos pontos em disputados jogos de Playoffs: esta foi a maior pontuação de um jogador na pós-temporada desde os 55 pontos de Allen Iverson contra o New Orleans Hornets em 2003.

1 2 3 4 5 22