Draft de Força Nominal 2016

Draft de Força Nominal 2016

Não é com qualquer orgulho que digo que o post mais esperado do Bola Presa, ao menos entre os regulares, é o ÚNICO que não sai de nossas mentes. Na hora de falar do CONCEITO de Força Nominal e de eleger os principais nomes (mesmo) que entrarão no mundo da NBA nós nos viramos para nosso leitor, amigo e burocrata Sbub.

Para quem quer analisar sua vida e obra, podem consultar os Drafts de Força Nominal de 2009 (DeMar DeRozan), 2010 (Quincy Pondexter), 2011 (Bismack Biyombo), 2012 (Michael Kidd-Gilchrist) e 2014 (Dante Exum). O ano passado foi nosso momento triste sem Força  Nominal, mas querem saber de 2013? Ah, esse ano teve uma lista com os MELHORES NOMES (Myck Kabongo) e um com os PIORES (Peyton Siva).

A partir de agora, tudo o que está nesse post não é culpa nossa!

Entenda o sorteio do Draft da NBA

Entenda o sorteio do Draft da NBA

O Draft da NBA começa hoje. Mas calma, você não dormiu tempo demais, os Playoffs ainda estão rolando e a noite de gala onde jogadores jovens demais usam ternos descolados demais ainda irá demorar mais de um mês pra chegar. Mas esta terça-feira (17) nos reserva um evento importantíssimo: é hoje que saberemos a ORDEM das escolhas! Às 21h tem Draft Lottery!

Para os novatos de plantão, explico como funciona a brincadeira. Todo ano a NBA realiza o Draft, um evento onde todos os times tem a oportunidade de selecionar jovens jogadores que ainda não estão na liga, sejam eles atletas universitários ou gringos que atuam em diversas ligas do mundo.

Mas como é definida a ordem das escolhas? Quem é o primeiro a escolher que novato trazer para o mundo dos profissionais? É aí que entra o evento de hoje. O Draft Lottery é o sorteio que decide quem escolhe primeiro, quem escolhe depois, é um daqueles dias que define a vida de muita franquia. Como está hoje o universo paralelo onde o Lakers conseguiu a primeira posição do ano passado para ter Karl-Anthony Towns? Não sei, mas queria viver lá!

O que é ser um bom armador?

O que é ser um bom armador?

A chegada de Jason Kidd no Nets em 2001 foi um dos momentos mais impressionantes da história do basquete. A equipe foi de fracasso completo ao título do Leste em apenas uma temporada com Kidd comandando a armação. Na temporada seguinte, pra provar que não tinha sido mero acaso, lá estava o Nets de Kidd campeão do Leste outra vez. Infelizmente não levaram o anel de campeão da NBA em nenhuma das duas vezes e Kidd bateu na trave na disputa pelo prêmio de MVP, criando o risco de que essa história de sucesso seja esquecida pela ausência de títulos. Mas isso não tira o assombro do impacto que Kidd teve naquele grupo de uma hora para outra: logo na primeira temporada já foram médias de 15 pontos, 10 assistências, 7 rebotes e 2 roubos para o armador, que botou para correr um elenco confuso composto por novatos cheirando a fralda, veteranos descartados e jogadores secundários pra tapar buraco. Todo mundo parecia alcançar seu melhor basquete quando estava ao seu redor, e jogadores medianos ganharam contratos monstruosos graças a essas duas temporadas mágicas. Todas as jogadas passavam pelas mãos de Kidd e criou-se uma narrativa na NBA de que o papel dos armadores era tornar seus companheiros melhores, soltar a bola e forçar contra-ataques, não precisando saber arremessar já que esse era o ponto fraco de Kidd. Jovens armadores com boa visão de jogo e grande velocidade começaram a ser muito cobiçados por todo elenco medíocre da NBA que queria mudar sua própria história.

Apoie o Bola Presa

Apoie o Bola Presa

O Bola Presa completou 8 anos de vida – até comemoramos o evento com uma retrospectiva com nossos principais momentos entre 2007 e 2012. Nesse tempo, mantivemos nossa proposta de uma análise profunda da NBA, abusando de análises táticas e estatísticas, mas sempre tentando não alienar quem está começando e não esquecer do bom humor. Ajudamos velhos fãs de basquete a analisar o esporte por diferentes ângulos, e mostramos aos fãs novos os motivos da NBA ser tão fascinante. Durante esses anos todos conseguimos milhares de leitores e parcerias com algumas grandes marcas e importantes veículos de comunicação. No entanto, o blog nunca tornou-se financeiramente viável: todo o material que produzimos até hoje foi sempre escrito de graça, pelas beiradas, sempre em nome de nossa enorme paixão pelo basquete. Após oito temporadas, muita coisa mudou: nossos textos se transformaram, agregamos outros interesses ao mundo do basquete, os posts ficaram maiores e mais rigorosos, e o Bola Presa passou a exigir um tempo que, infelizmente, não condiz com a vida que precisamos levar para arcar com nossas responsabilidades pessoais.

Decidimos, então, que o melhor modo de podermos nos dedicar ao Bola Presa seria pedir o apoio de todos vocês. Só assim o Bola Presa poderá se manter vivo, produzindo conteúdo com a qualidade que sempre exigimos por aqui. Com a ajuda de vocês, não apenas o Bola Presa poderá continuar com sua cobertura da atual temporada da NBA mas também poderá manter posts diários, com conteúdo EXCLUSIVO para aqueles que estiverem nos apoiando financeiramente.

Com um apoio de 9 reais por mês, você terá acesso a um post especial por semana, como nossa análise do modelo de organização do Spurs e as mudanças no teto salarial da Liga, além de um “Filtro Bola Presasemanal, um post que trará as informações mais importantes da NBA na semana com os comentários do Bola Presa. Com um apoio de 14 reais por mês, além das recompensas anteriores, você terá acesso a um podcast extra especial por mês, com uma análise profunda de algum tema decidido anteriormente. E com um apoio de 20 reais por mês, você terá além de tudo isso acesso a um grupo fechado no Facebook em que receberá notícias dos bastidores do blog e ajudará a decidir pautas dos posts e do podcast mensal especial.

Prêmios Alternativos do Bola Presa – 14/15

Os Prêmios Alternativos do Bola Presa datam do longínquo ano de 2008, quando o mundo ainda era um lugar habitado por espécies estranhas como Matt Harpring, Chucky Atkins, Ike Diogu, Troy Murphy e Daniel “Boobie” Gibson. Os tempos mudaram, a NBA mudou, mas os prêmios seguem nem tão firmes e fortes.

A tradição nasceu como resposta aos enfadonhos prêmios de fim da temporada que rendem tantas discussões infrutíferas na internet. Se é pra dar prêmio que não vale nada, se é pra gerar discussões vazias e premiar coisas aleatórias, vamos fazer do jeito certo!

Abaixo os links para os vencedores dos anos anteriores. Divirtam-se!

Prêmios Alternativos 07/08

Prêmios Alternativos 08/09

Prêmios Alternativos 09/10 

Prêmios Alternativos 10/11

Prêmios Alternativos 11/12

Prêmios Alternativos 12/13

Prêmios Alternativos 13/14

1 2 3 4 9