O paradoxo dos pivôs

O paradoxo dos pivôs

Por tanto tempo ouvimos Dirk Nowitzki ser acusado de ser um jogador sem porte físico, fracote, “soft”, daqueles que não aguenta nenhum impacto tanto no ataque quanto na defesa. Sua capacidade ofensiva sempre encontrou brechas para isso, com seu arremesso por cima da marcação numa perna só que lhe cria o espaço necessário sem ter que ficar dando ombradas ou correndo de um corta-luz para o outro. Na defesa, alvo maior de críticas, Nowitzki demorou um pouco mais para encontrar soluções. Tornou-se um bom marcador por zona sem ter que trombar com corpos, aprendeu a cobrir seus companheiros e fez parte de uma fantástica defesa coletiva – mesmo sem muitos talentos defensivos individuais – naquele Mavs campeão em 2011. Nowitzki provou que seu talento era maior do que quaisquer limitações físicas que pudessem lhe apontar e subitamente a percepção dele foi completamente alterada, como mostramos num dos nossos clássicos infográficos da época:

🔒Filtro Bola Presa #14

🔒Filtro Bola Presa #14

Na semana passada tivemos o anúncio dos reservas do All-Star Game. Muito legal, mas nem de longe é a melhor história sobre o fim de semana festivo de Toronto. Uma delas diz respeito ao grande filme dos anos 90: Pulp Fiction? Lixo. Titanic? Zzzzzz. Um Sonho de Liberdade? Tédio. Estamos falando de Space Jam!

O Festival Internacional de Cinema de Toronto, o TIFF, organizou, para o fim de semana do All-Star Game, um ‘Live Read’ do roteiro de Space Jam. Melhor do que explicar o que é um Live Read é ver um. Do Bob Esponja.

🔒Filtro Bola Presa #7

🔒Filtro Bola Presa #7

O bom e velho Dirk Nowitzki é isso mesmo: bom e velho. E como todo senhor de idade, ele está todo chato com o que deve comer, não aceita essas bobagens que a molecada come hoje em dia e prefere resolver tudo ele mesmo. Por isso Dirk leva, todo santo jogo, um pratinho com comida de casa, embrulhado no papel alumínio, para comer depois das partidas. Fofo.

🔒Filtro Bola Presa #6

🔒Filtro Bola Presa #6

Boas histórias sobre Kobe Bryant vão pipocar ao longo da temporada. É seu último ano e ele vai dar um gazilhão de entrevistas e todos os jogadores vão ser peguntados sobre ele. Temos algumas para compartilhar nessa semana, mas aguarde porque isso tem tudo para ser uma seção quase fixa. É o nosso processo de luto, respeitem por favor. =(

Resumo da Rodada – 24/4

O Mavericks mostrou até agora na série contra o Rockets que não faz a menor ideia de como tornar esse confronto competitivo. Em geral vemos no Oeste ajustes táticos sendo feitos partida após partida que arrumam um problema na quadra apenas para que o adversário descubra outro, num eterno cobertor curto acontecendo nas pranchetas. Mas o Mavericks foi destruído no primeiro jogo por não criar espaço para o Nowitzki, não encontrar infiltrações, não conseguir marcar o Harden e não dominar o garrafão; e no segundo jogo, NENHUM desses problemas deu qualquer sinal de ser solucionado. Terceiro jogo em Dallas o Mavericks precisava de soluções desesperadas, mas é difícil acreditar que algo efetivo surgiria do nada quando o elenco não mostrou progresso até agora.

1 2 3 4 5