?O que significa ter LeBron James

?O que significa ter LeBron James

Jogando em Boston, primeira partida com quatro novos companheiros de equipe (Jordan Clarkson, Larry Nance Jr., Rodney Hood e George Hill), LeBron James parecia eufórico. A situação parecia verdadeiramente adversa: um ginásio abarrotado de torcedores rivais, numa noite comemorativa em homenagem à aposentadoria da camisa de Paul Pierce, em rede nacional, enfrentando o primeiro colocado da Conferência Leste e melhor defesa da NBA, duelando com seu agora desafeto Kyrie Irving e tendo que encarar tudo isso com um elenco completamente remodelado que não teve uma chance sequer de treinar antes da partida. Quem em sã consciência estaria confortável em enfrentar o Celtics nessas circunstâncias? E ainda assim LeBron James era todo sorrisos, todo abraços, todo empolgação.

?Filtro Bola Presa #56

?Filtro Bola Presa #56

Técnicos inventando maneiras de motivar seus jogadores, recordes dos times mais quentes da NBA, jogadores apaixonados por vinhos, monociclos roubados, Shaquille O’Neal dançando e (de novo) o pior jogo da velha da história. Recomendo que você seja nosso assinante para ler este belo Filtro Bola Presa!

Traumatizados e cautelosos

Traumatizados e cautelosos

A excitação do último dia de trocas já passou para vocês? Para mim ainda não, embora tenha sido levemente substituído pelo choque de ver como o Cleveland Cavaliers ATROPELOU o Boston Celtics na estreia do quarteto de Jordan Clarkson, Larry Nance Jr, Rodney Hood e George Hill. Claro que há a chance de ter sido só um DESABAFO PERFORMÁTICO de um monte de gente que estava insatisfeita ou ansiosa por uma nova oportunidade, mas foi bem impressionante. O tempo irá, eventualmente, mostrar as dificuldades de montar um time novo no último quarto de temporada.

Por enquanto vou tentar me focar ainda nas trocas que aconteceram na última quinta-feira e o que elas significam para a NBA. Se você perdeu a lista completa é só clicar aqui!

Podcast Bola Presa #149 – O Cavs sumiu

Podcast Bola Presa #149 – O Cavs sumiu

Bem amigos do Bola Presa, mais um podcast no ar!

Nesta edição falamos única e exclusivamente sobre a Trade Deadline, o último dia de trocas que aconteceu nesta última quinta-feira e movimentou a NBA. Ou pelo menos movimentou CLEVELAND! Dedicamos um tempo especial apenas para falar do Cleveland Cavaliers, que trocou simplesmente Isaiah Thomas, Jae Crowder, Dwyane Wade, Channing Frye, Iman Shumpert, Derrick Rose e mais escolhas de Draft. UFA! Afinal, o que restou desse time e ainda há tempo para salvação? Como irão se adaptar George Hill, Rodney Hood e as novas peças?

Também falamos do Los Angeles Lakers, que mandou Jordan Clarkson e Larry Nance para Cleveland e do destino dos armadores-que-não-sabem-arremessar Emmanuel Mudiay e Elfrid Payton, que mudaram de time a preço de banana. Por fim falamos dos não-negócios: DeAndre Jordan, Kemba Walker e o Atlanta Hawks.

Sem tempo para o Both Teams Played Hard, que volta na semana que vem =)

Nesta Edição:
Jabá- 2:55
Basquete- 6:45

Draft de Força Nominal 2017 (?!)

Draft de Força Nominal 2017 (?!)

O Bola Presa não é lá muito conhecido por sua regularidade e pontualidade, mas estamos fazendo um bom trabalho neste ano, não? Até temos um calendário! Esta sexta-feira (9) não vai ter podcast, é verdade, mas AVISAMOS ISSO HÁ UMA SEMANA e já vamos lançá-lo no fim de semana para comentar a trade deadline. É tanto profissionalismo que tô quase abrindo o EXCEL aqui. De qualquer forma, estávamos devendo uma coisa desde o longínquo JUNHO DE 2017, o Draft de Força Nominal.

Este é o momento em que, sem saber qual o futuro dos meninos que irão tomar conta da NBA, nós definimos quem serão os melhores baseados apenas na CIÊNCIA da força de seus nomes. Afinal, tem gente que tem nome de advogado, de dentista, de domador de leões e outros de craque do basquete.

Essa é uma tradição que existe no Bola Presa desde 2008 e só não havia acontecido em 2015. O ano de 2017 se encaminhava para ser mais uma mancha no nosso histórico quando Rafael Mafra, outrora conhecido como Sbub, apareceu para nos salvar. O Rafael, agora famoso podcaster, é nosso leitor de longa data e responsável por cunhar o termo FORÇA NOMINAL e nos educar nesta área. Segundo seu e-mail, ele não havia mandado a edição de 2017 porque tinha achado ruim, mas agora releu e achou engraçado. Por mim tudo bem.