🔒 Bolas de três sob suspeita

🔒 Bolas de três sob suspeita

Quando as bolas de três pontos surgiram na temporada 1979-80, eram vistas como uma aberração. Técnicos e dirigentes achavam que a mudança nas regras não passava de desespero por parte de uma NBA que perdia mais e mais audiência. A imprensa acreditou que o arremesso só seria usado como último recurso, em momentos de total desespero ou então nos segundos finais dos quartos. Para muitos, só veríamos bolas de três pontos em arremessos de quadra inteira no estouro do cronômetro. Os próprios jogadores acharam a adição da linha de três pontos “desnecessária”, uma bobagem em que nenhum jogador “sério” ousaria se apoiar.

O desprezo pelos arremessos de três pontos era justificado: em sua temporada inaugural, apenas 28% desses arremessos foram convertidos. Para termos ideia, três times ficaram abaixo dos 20% de aproveitamento nessas bolas, com o pior colocado acertando míseros 17% em menos de uma tentativa por jogo. Percebemos, portanto, que as bolas de três não eram nada confiáveis, especialmente se levarmos em consideração que nenhum time na temporada 1979-80 acertou menos de 46% dos arremessos que valiam dois pontos, com a média de aproveitamento ficando acima dos 48%. Eram tempos de marcação individual, defesa por zona proibida, em que arremessos de média e curta distância eram uma opção muito mais segura do que qualquer arremesso vindo do perímetro.