Podcast Bola Presa ZERO – Comece do começo

Podcast Bola Presa ZERO – Comece do começo

Bem amigos do Bola Presa, mais um podcast no ar!

Nesta edição, uma INTRODUÇÃO. Antes de começarmos oficialmente a temporada 2018-19 com os previews da temporada, dedicamos uma edição para ajudar os novos fãs que querem entrar de cabeça no mundo da NBA. Quer converter alguém ao mundo do basquete e do Bola Presa? Agora é a hora.

Nesta edição explicamos quem somos nós, a origem do blog, como abordamos o basquete e, mais importante, como funciona a NBA. O sistema de franquias, os Playoffs, as trocas, o Draft, o teto salarial, tudo explicado para leigos. Também falamos das QUATRO CAMADAS de como aproveitar o basquete: historinhas, técnica/tática, estrutura e estatísticas.

Neste episódio:
Quem é o Bola Presa: 2:10
Basquete e a historinha: 20:30
Como funciona a NBA: 27:08
Que negócio é esse de Both Teams Played Hard: 1:27:40


E reaproveite o material que criamos na Semana dos Novatos lá em 2016:

Como começar a seguir a NBA?

Entenda os termos do basquete

Como ler as estatísticas?

O sistema salarial da NBA

A prancheta tática da NBA

Manu Ginóbili, o singular

Manu Ginóbili, o singular

Quando Manu Ginobili contou, pelo Twitter, que havia decidido se aposentar, o mundo da NBA entrou em luto. Mais do que só os argentinos e os torcedores do San Antonio Spurs, fãs casuais, fanáticos por times rivais, repórteres e outros jogadores começaram a se rasgar em mensagens de saudosismo, agradecimento e muita, mas muita tristeza.

🔒 A carcaça vazia de Carmelo Anthony

🔒 A carcaça vazia de Carmelo Anthony

Mesmo tendo sido campeão universitário e eleito o melhor jogador do torneio, Carmelo Anthony não foi cotado para a primeira escolha do draft de 2003. LeBron James, vindo direto do Ensino Médio, era a escolha unânime porque parecia ter “potencial ilimitado” e a febre pelo seu talento adolescente já havia tomado os Estados Unidos de ponta a ponta, com transmissões nacionais de suas partidas escolares. Ainda assim, na época, Carmelo Anthony era visto como um jogador mais maduro, mais perto de estar PRONTO, e esperava-se que ele tivesse sucesso na NBA bem antes de LeBron James ser capaz de alcançar seu próprio potencial. De certa maneira, foi isso que assustou o Detroit Pistons, dono da segunda escolha do draft em 2003: vindos de uma Final de Conferência, eles não queriam acrescentar um jogador que já parecia preparado para ser titular e demandaria minutos, o que poderia quebrar a incrível “química” que o time construíra na temporada anterior. Por isso o Pistons acabou escolhendo Darko Milicic, uma promessa europeia que poderia ficar no banco de reservas tranquilamente enquanto era preparada não para ajudar no presente, mas sim para constituir o futuro da franquia.

Podcast Bola Presa #174 – Novas regras e muitas apostas

Podcast Bola Presa #174 – Novas regras e muitas apostas

Bem amigos do Bola Presa, mais um podcast no ar!

Nesta semana discutimos as novas regras que a NBA irá votar e provavelmente APROVAR nas próximas semanas: o relógio de posse de bola irá para 14 segundos após rebotes ofensivos, a regra de “clear path” deverá ser ampliada e os juízes poderão revisar lances onde os próprios são xingados por jogadores exaltados. Também falamos sobre o acordo da NBA com o MGM Resorts, que terá os direitos sobre a imagem da liga no mundo das apostas esportivas. Tem futuro esse negócio de misturar a imagem oficial da liga com aposta?

No Both Teams Played Hard falamos sobre como virar um técnico de basquete, decisões profissionais e salários de novatos. Também lemos duas opiniões na intensa briga linguística dos pró-TOP versus anti-TOP e revemos o Tristão, famoso (e sofrido) personagem deste podcast.

Nesta edição:
Carinha do Jabá- 3:45
Novas Regras- 7:25
Apostas- 33:20
BTPH- 53:55

Protegido: 🔒Podcast Bola Presa Especial #27 – O tal do legado

Bem amigos do Bola Presa, mais um podcast ESPECIAL no ar para nossos assinantes! Para ouvir este e todos os outros podcasts especiais é só nos assinar por R$14 no Apoia.se =)

Nesta edição falamos sobre o assunto que juramos nunca mais falar: LEGADO. A cada passo que LeBron James dá, a cada decisão que Kevin Durant toma e a cada arremesso que Russell Westbrook erra ou acerta numa série de Playoffs, todos já corremos para especular em como isso afetará o seu legado. Afinal, faz sentido discutir no presente o que o futuro irá interpretar dos jogadores atuais? E por que os próprios jogadores se importam em construir uma narrativa –outra palavra da moda– para controlar a imagem que o mundo tem sobre eles?