🎥 Prancheta Bola Presa – Como o Denver Nuggets encerra seus jogos

Bem amigos do Bola Presa, mais uma prancheta no ar!

Nesta edição analisamos a jogada que o Denver Nuggets utilizou em suas últimas quatro posses de bola em uma importante vitória sobre o OKC Thunder há algumas semanas.

Com muito Jamal Murray e Nikola Jokic em um lance bem simples, eles conseguiram os pontos necessários para fechar o confronto com uma importante vitória sobre um rival direto.

O furacão LeBron James

O furacão LeBron James

A chegada de LeBron James ao Cleveland Cavaliers em 2003 encheu o time de esperanças para o futuro, mas não havia expectativas para os anos imediatamente seguintes à sua escolha. Sem ele, o Cavs havia vencido míseras 17 partidas na temporada anterior, de modo que não se esperava uma melhora significativa imediatamente. Outros jogadores que haviam chegado à NBA vindos diretamente do Ensino Médio haviam passado por um período considerável de adaptação e embora a expectativa por LeBron James fosse maior, uma espera similar parecia necessária. Kobe Bryant e Kevin Garnett, dois jogadores que também pularam o basquete universitário, só ultrapassaram a marca dos 20 pontos por jogo em suas quartas temporadas; o início de ambos na Liga foi promissor, mas também lento e cheio de dificuldades.

🔒Filtro Bola Presa #81

🔒Filtro Bola Presa #81

Bem amigos do Bola Presa, mais um Filtro Bola Presa no ar! Nesta semana trazemos tudo de péssimo, cômico, trágico e curioso que aconteceu na SEMANA DO PESADELO do Los Angeles Lakers. Tem jogadas estranhas de LeBron James, que foi empurrado e levou dois cachorros para passear. Além disso tem Kyrie Irving vindo do futuro, comerciais questionáveis dos anos 1980, cocôs de bode, trash talk virtual, xavecos de mascote e muito mais.

Podcast Bola Presa #201 – O fim do Lakers e a ascensão de Jazz e Pistons

Bem amigos do Bola Presa, mais um podcast no ar!

Nesta edição falamos do triste e melancólico fim de temporada do Los Angeles Lakers. Depois de uma série de derrotas para times fracos e alguns concorrentes diretos, parece que não há mais chance do time de LeBron James chegar aos Playoffs. Discutimos as causas, razões e futuras consequências do fracasso. Mas nem só de derrotas vive um podcast: falamos do ótimo momento (e do calendário MAMATA) do Utah Jazz, que já se aproxima de Houston Rockets e OKC Thunder, e do Detroit Pistons, o time com mais vitórias em toda a NBA nos últimos 10 jogos.

No Both Teams Played Hard respondemos perguntas sobre timidez, nossa capacidade de mudança, apoiar conteúdo na internet, ódio ao Atlanta Hawks, times que mudam de cidade, a defesa de Karl-Anthony Towns e crise dos 30 anos.

Você pode ouvir este episódio no player abaixo, no Spotify, no seu agregador de podcasts favorito ou BAIXAR O ARQUIVO AQUI!

Neste Episódio:
Carinha do Jabá e  Campeonato Bola Presa de Basquete Amador  – 1:33
Basquete – 7:04
Both Teams Played Hard – 1:04:14


NA TELINHA

Existe uma outra maneira de não só ouvir o podcast, mas de VER COMO ELE É FEITO. Estamos transmitindo ao vivo no YouTube a nossa gravação. O conteúdo é o mesmo, mas os mais apressados e curiosos em ver nossa cara podem acompanhar o nascimento do podcast enquanto ele acontece.

Fazemos a transmissão ao vivo toda quinta-feira à noite no nosso canal no YouTube. Também daremos os links pelo Twitter, Instagram e para quem nos segue no app Fanclic.

🔒Tudo ou nada

🔒Tudo ou nada

O Toronto Raptors terminou a temporada regular passada, 2017-18, em primeiro lugar na Conferência Leste. As 59 vitórias foram o recorde absoluto da história da franquia e garantiram que o time fosse o primeiro a se classificar aos Playoffs na temporada. Enquanto isso DeMar DeRozan, cestinha da equipe, quebrou o recorde de pontos da história do Raptors com uma partida incrível de 52 pontos em cima do Milwaukee Bucks. Dwane Casey, técnico do Raptors e celebrado pela transformação ofensiva que implementou na equipe ao longo da temporada, foi eleito o melhor técnico do ano. O time foi derrotado nas semi-finais da Conferência Leste, mas perder na pós-temporada é algo que se espera de todas as equipes desde que o Golden State Warriors dominou a Liga em 2015. Com um clima eterno de “já ganhou”, especialmente depois da inclusão de Kevin Durant (e, agora, de DeMarcus Cousins), crítica e público simplesmente assumem que o troféu já pertence ao Warriors até que o time seja desmanchado. Sem reais expectativas de título frente ao poderio do Warriors, deveria bastar ao Raptors sua coleção de recordes pessoais: não deveria ser suficiente vencer quase 60 partidas, ter uma estrela adorada pela cidade marcando mais de 50 pontos e um técnico consagrado pelos seus pares? E foi então que, na impossibilidade de vencer um título, o Raptors foi para o “tudo ou nada”: trocou DeRozan por Kawhi Leonard, que pode abandonar o time ao fim da atual temporada quando encerra-se seu contrato, e enviou parte fundamental do seu banco de reservas em troca de Marc Gasol, veterano do Grizzlies. O que está acontecendo? Os times não deveriam estar se curvando à dominação do Golden State Warriors?