Denis

Torcedor do Lakers e defensor de 87,4% das estatísticas.

>

Rasheed Wallace taca a faixa no chão após apanhar da Dona Florinda

É a hora de mais uma coluna “Both Teams Played Hard”, aquele post que todos vocês fazem greve de fome e bloqueiam o trânsito para nos pressionar a entregar em dia. Aqui é o lugar em que você encontra as perguntas dos leitores e as respostas de dois blogueiros que nunca tem tempo para acabar essa coluna, afinal Rick Adelman e Phil Jackson estão sempre nos telefonando atrás de conselhos, e isso quando não é a Alline Moraes que não sai do nosso pé. Mas como somos sujeitos muito legais, não nos esquecemos dos nossos leitores fiéias – a gente só atrasa um pouquinho. A coluna Both Teams Played Hard é como casamento do Fábio Júnior: você nunca sabe quando vai ter de novo, mas não tem dúvidas de que cedo ou tarde vai aparecer um novinho em folha, sem falta.

Toda vez que você estiver se sentindo solitário e pensando em suicídio, não ligue para o CVV (o Centro de Valorização à Vida), venha até seu blog favorito e nos deixe uma pergunta! Pode ser sobre basquete, NBA, literatura hindu ou remédios, se teu caso for ruim mesmo. Aproveita que é de graça e pergunte o quanto quiser!

E agradecemos em especial nessa semana ao Renzo, que além de perguntas mandou um monte de foto do Sheed pra gente poder usar e abusar até o fim dos tempos nos posts do “Both Teams Played Hard”, valeu Renzo!

Nessa semana, perguntas a dar com pau: a situação do Pacers, o Spurs jogando futebol, o banco do Rockets e as chances de título do Dallas. Aproveitem bastante, e quem sabe não nos vemos semana que vem?

Netinho:
Estaria a NBA virando uma balada? Depois de DJ Strawberry, vem aí DJ Augustin

Denis:
Não esqueça do DJ Mbenga e do DeeJay do Street Fighter, ele chutava uns traseiros!

Diogo Costa:
o Indiana ainda tem salvação? será mais um ano sem playoffs? o q fazer J.Oneal?

Danilo:
Sim, será mais um ano sem playoffs. Olha, o que está acontecendo no time de Indiana é muito bem feito. Tentaram montar um time comportado e asseado, que não brigue, não coloque os cotovelos nas mesas e limpe as sugeirinhas debaixo das unhas. Não querem mais Ron Artest e Stephen Jackson? Então toma essa, seus otários. Querem se livrar do Jamal Tinsley porque ele tá sempre metido em tiroteio? Pois bem, vão tomar de novo. O que importa é o quinteto que você coloca em quadra. Já Jermaine O’Neal é um caso complicado, porque já foi genial (pessoalmente sou fã demais de seu estilo de jogo), teve contusões demais e ganha grana em excesso. Nessa eu não vou culpar o Pacers, na hora de reassinar um cara que é All-Star é muito difícil não abrir os cofres, esse é um erro compreensível. O jeito é esperar o contrato acabar, fazer o quê.

Salgueiro:
Por falar em troca de NBA Live, eu estava jogando uma temporada com o Spurs, e contratei O’Neal pro meu time, mandei embora Bowen e Oberto. Tinha pensado se não seria meohor mandar outro cara no lugar de Bowen, um bom defensor. Mas aí eu lembrei que no NBA Live não tem defesa mesmo. O time ficou bem apelão.

Denis:
Pra vencer no NBA Live, pegue caras que correm e que enterrem, só. Defesa, arremesso e parar de correr são para fracos. Ou para o 2k8.

thales:
Queremos um post com todas as cagadas e mudanças de regra esdruxulas que o David Stern fez!!!

Danilo:
Tá bom, tá bom, quando a gente não tiver absolutamente mais nada melhor para dizer, vamos satisfazer seu desejo.

Denis:

São muitos anos e várias mudanças, um dia faremos um especial com o Juvenal Antena da NBA.

Danilo e Dênis:
1-preciso de uma receita muito boa de feijoada.

Danilo:
Antes de mais nada, fazer uma pergunta utilizando o nosso nome não ajuda em nada essa imagem de blogueiro esquizofrênico que anda circulando por aí. Além disso, Denis não tem acento, pelo menos não esse aqui! Agora às perguntas:

1 – Ninguém PRECISA de uma receita de feijoada, mas se você quer uma mesmo, em geral elas são sempre iguais. São alguns segredos que fazem a diferença: acrescente ao cozimento do feijão duas laranjas pêras cortadas ao meio, duas doses pequenas de pinga, uma cebola inteira e uma colherinha de canela. Garanto que vai te surpreender.

2-é possível a universidade de Memphis vencer o NY Knicks?

Danilo:

Possível é. Se Memphis não tiver uma faculdade, pode juntar alguns imitadores do Elvis pela cidade e eles talvez ainda saiam com a vitória.

Denis:

Não sei não, os imitadores do Elvis no dia do All-Star de Las Vegas não acertaram uma enterrada, até foi por isso que o Arenas foi enterrar lá no intervalo. Mas os de Memphis devem ser melhores que os de Las Vegas.

3-a solução para o Grizzlies seria contratar o Michael Jordan de volta para ser a estrela do time?

Danilo:

Alguém já te disse que o Jordan envelhece como todos os outros seres humanos e que o Papai Noel não existe? E que o trabalho administrativo dele no Bobcats é comparável ao seu talento no golfe?

4- resolva a equação a seguir: (x²+x³).(y³:y²)?

Danilo:
Nosso amigo Luigi respondeu pra você:
“(x²+x³).(y³:y²)? isso da yx²”

Agradeça a ele por fazer sua lição de casa, seu preguiçoso.



enrique: Sempre falam q se o denver tivesse uma terçeira força ofensiva ele brigaria muito mais pelo anel,isso ele ja provou no jogo contra o cleveland,heat etc. 1- vcs acham q se o karl desse + chance pra joga carmelo,iverson e jr juntos o time brigaria + forte pelo titulo? 2-a culpa do nuggets toma tanto ponto mesmo com camby é o george karl q nao consegue implanta um bom sistema defensivo?

Denis:

1- Eu fiz um post falando da chamada “loucura” do JR Smith. Ele não é um cara ideal pra se jogar em equipe e ainda mais como terceira opção ofensiva, eu gosto mais da idéia dele vir do banco enquanto Melo e/ou Iverson descansam. Mas pra ganhar título ainda falta bem mais do que isso, falta mais defesa, falta eles serem consistentes (que adianta vencer o Spurs em um dia e tomar 130 pontos do Jazz no outro?) e falta também ir para os playoffs, se acabasse hoje a temporada eles nem iriam e da última vez em que eu olhei as regras, tem que ir pros playoffs pra ganhar o título.

2- Eu fiz uma coluna no BasketBrasil que fala bastante sobre isso, pra ler é só clicar aqui. Mas em resumo o Nuggets arrisca muito em interceptações, marcação dupla e afobamento pra causar turnovers, quando não consegue o adversário tem espaço livre para arremesso. O Camby é bom mas defesa não se faz sozinho, não dá pra marcar cinco caras de uma vez só. Pra isso mudar, todos os jogadores tinham que se empenhar em defender e todos tinham que se ajudar, aí entra o papel que o George Karl não tem feito bem.

Diego:
pq o houston vive se fudendo ???
pq quase sempre yao e t-mac q se fodem ????

Danilo:

T-Mac tem uma carreira de problemas nas costas, cedo ou tarde a lesão crônica sempre volta a atacar e ele já falou algumas vezes, inclusive, em se aposentar em breve. Yao Ming tem problemas nos ossos das pernas desde seus tempos de adolescente. Uma primeira fratura, segundo ele próprio, nunca mais permitiu que ele saltasse como antes. Não entendo coisa nenhuma de medicina mas acredito que seus ossos devem sofrer uma pressão fora do normal com aquele gigantesco corpo correndo para lá e para cá o tempo inteiro. Se o Houston quer manter os dois na equipe, simplesmente tem que se conformar que nem todo mundo é o Allen Iverson, que joga até com o pescoço quebrado se for preciso. E talvez seja uma boa idéia arrumar um departamento médico tão bom quanto o do Phoenix Suns.

lucasS:
1)com kidd agora em dallas sera q o mavs finalmente ganha o titulo???
2)i pq no cap do dallas conta o salario do finley bradley mbenga sendo q eles nao estao mais no elenco?

Denis:
1 – Hummm… não.

2 – Isso acontece porque o contrato deles não foi encerrado naturalmente, eles simplesmente dispensaram o jogador (ou usaram aquela regra estranha pra não tomar multa, dispensando o Finley). Quando isso acontece, o salário do jogador ainda aparece na lista de salários do time e conta para o teto salarial da equipe. Por Finleys e Mbengas da vida é que o Dallas é o time com maior folha salarial da liga.

Pedro Henrick:
Eu queria montar um time de futebol, só que eu preciso de um zagueiro destruidor. Será que o Spurs me empresta o Bruce Bowen pra dar umas porradas?

Denis:
O Spurs daria um bom time de futebol. O Duncan é aquele goleiro estilo Dida que não tem emoções visíveis e defende bem, o Bowen é o volante pegador que bate pra burro e anula o camisa 10 adversário, o Tony Parker é o segundo atacante estilo Euller “Filho do Vento” e o Ginobili (aka. Valdívia) ia ser o cara que cai toda hora e sofre faltas e pênaltis pro Michael Finley chutar pro gol. E iam ser campeões assim, só 1 a 0 com gol de bola parada.

thales:
1 Quais foram os maiores desafetos que vcs viram jogar na nba?? 2- Quais foram os maiores desafetos que vcs viram jogar no msm time, na nba?? 3- Vcs podem dissertar sobre o Portland JailBlazzers??

Danilo:

Acho que nosso amigo Luigi, que respondeu nos comentários, tem razão nessa:
“Isiah Thomas e Larry Bird ou Dennis Rodman e Karl Malone”

2- Quais foram os maiores desafetos que vcs viram jogar no msm time, na nba??

Denis:
Kobe e Shaq. Óbvio.

3- Vcs podem dissertar sobre o Portland JailBlazzers??

Danilo:

Dissertar? Dissertar? Tá achando que você é minha professora de português? Bem, o que eu posso dizer sobre eles? Que, mesmo o trocadilho sendo o primo pobre do humor, (vindo abaixo até da mímica) JailBlazers é um apelido até que engraçadinho. Vou até rir, ó: rá-rá. Pronto, passou.

Denis:

E é um apelido mais legal que “Bad Boys” daquele Pistons do começo dos anos 90. Pena que só os Bad Boys levaram título pra casa…

Anônimo:
Qual a maior maldição? Do Wizards? Do Rockets? ou a da Samara?

Danilo:
Acho que é a do Clippers.

Ralph:
Vocês acham que é possível jogadores novos como Rudy Gay e Brandon Roy serem trocados por meias-estrelas junto de um pacote de bolachas tipo Brian Cardinal ou Lafrentz? Algo do tipo Ilgauskas por Rudy e Cardinal?

Denis:
De onde veio essa idéia maluca? Isso não faz um puto de um sentido…

Renzo:
1. Não que seja a oitava maravilha do mundo mas, na atual conjuntura, PJ Brown (free agent) não seria uma boa opção de contratação imediata para os Rockets substituirem o Yao? Acho que o mumificado Mutombo, por mais que se esforce e que seja um jogador com uma baita carreira, não deixa de ser uma paródia (um pouco melhorada) do Robert Parish quarentão jogando nos Bulls de Jordan… portanto, não deve ser mais do que um ilustre reserva com escassos minutos. Ou será que Mutombo ainda é capaz de surpreender?? Mesmo tendo quebrado um galho razoavelmente em situação idêntica no ano passado, não boto tanta fé no gigante congolês a ponto de acabar com a “maldição de T-Mac”…

Danilo:
1. Se vai acabar com a maldição do T-Mac eu não sei, mas o Mutombo é titular, surpreendeu todo mundo, e o PJ Brown não faria nenhum sentido por lá. Por enquanto, o garrafão é de Scola, Mutombo, Chuck Hayes e o novato Carl Landry. Não é nenhum time dos sonhos mas, diabos, está dando certo, o que mais posso querer?

2. Mais uma da série sobre David Stern: POR QUE DIABOS DAVID STERN DESDE SEMPRE TEM SUA ASSINATURA REPRODUZIDA NAS BOLAS DA NBA?? Será pela frustração de nunca ter dado um autógrafo??? rs Acho que o Grego não assina as bolas oficiais da CBB para não correr o risco de alguém aprender a falsificar sua assinatura e apô-la maliciosamente em um pedido de renúncia. rs

Danilo:
2. Quem em sã consciência iria acreditar num pedido de renúncia do Grego? Quem diabos compraria uma bola da CBB? Quem diabos se importa com a assinatura do David Stern?

3. Como vocês analisam o desenvolvimento geral do Boston Celtics como equipe, sobretudo no que concerne à participação de jovens como Rajon Rondo, Gabe Pruitt, Glen Davis e Leon Powe????

Danilo:
3. Particularmente, não acho que eles joguem muito como equipe. O técnico do time, Doc Rivers, sempre foi mequetrefe e agora está nas conversas para técnico do ano. Ridículo. Ele agora apenas tem peças que sabem se complementar bem. Jogadas elaboradas mesmo, necas de pitibiriba. Os jovens estão bem, o Rondo sempre mostrou muito potencial e agora, com a vida facilitada pelo elenco estelar, está aproveitando. O banco é melhor do que se pensava, Leon Powe foi uma grata surpresa e o Glen Davis é o melhor gordo da NBA na atualidade. O Pruitt eu acho que só serve para secar a louça mesmo.

Denis:

O mérito deles como equipe é não complicar. Não fazem nada de muito elaborado e sabem usar a individualidade de cada um. Equipe mesmo, eles são na hora de defender.

JC:
De quem é a escolha do Knicks, no proximo draft??

Denis:
Por mais inacreditável, surreal e mentira que pareça, é do próprio Knicks. Só vamos ver se eles draftam direito ou se draftam o Nenê e trocam pelo McDyess machucado de novo.

felipe:
1-depois dos cosmos usarem todo os seu poderes de intergalatcos, na sorte(LAKERS), no azar(HOUSTON) na conferencia oeste, o que acontecerá com o universo se o título for para o leste???

Danilo:

Não vai acontecer nada, ué. O Universo inclusive deve estar torcendo para o Boston Celtics.

2- E o gerald green será que dah pra encaixar ele num esquema? E poder ser o novo KOBE no Houston?

Danilo:
Ele pode ser o novo Kobe na fila do seguro desemprego, já que o Houston mandou ele embora. Ele pula para a estratosfera, arremessa bem, mas dizem que não se dedica, que não tem cabeça, que não treina o bastante. Alguém vai dar uma nova chance pra ele, mas é provável que vá parar na Europa em breve. Sempre vou ter um carinho por ele, no entanto, porque depois de tantos “novo Jordan” fracassados, Gerald Green marca o início de uma nova era: ele é o primeiro “novo Kobe” fracassado.

3- É possivel uma final entre Hawks e Blazers? Do jeito que a NBA está….

Danilo:

É até possível, mas não nesse ano, e nem nos próximos. Em todo caso, como o Denis costuma dizer, o Hawks é sempre perdedor até que se prove o contrário.

Denis:

E não é verdade? Nesse ano que tá mó mamata chegar nos playoffs do leste eles estão conseguindo ficar de fora.

Rodrigo: Por que diabos o Olajuwon encerrou a carreira no Toronto Raptors? Teve algo a ver com a primeira escolha do draft que trouxe pro time o Yao em 2002?

Danilo:

O Olajuwon, como diz o filme da moda, “pediu pra sair”. Escolheu ir para o Toronto Raptors (deve gostar de árvores e ursos) e o Houston fez um sign-and-trade, assinando o pivô e o enviando para o Canadá em troca de duas escolhas de draft, uma de primeiro e outra de segundo round. No entanto, por mais estranho que possa parecer, a escolha do Raptors virou apenas a décima quinta. A primeira escolha, que gerou Yao Ming, era do Houston mesmo. Sorte pra burro.

joão_mavs: o mavs acabo de assinar com o magloire e talvez assine com cassell ou brent barry nos proximos dias, será que o rockets tah sentindo a flata de um bom banco?? quais são os times com os melhores reservas?

Danilo:
Eu acho o banco do Rockets mais do que competente. Em geral, desde o começo da temporada, o problema era até que o banco era grande demais. No meu post “soluções para o Houston Rockets” eu queria era diminuir o banco, não aumentá-lo, mandando embora Francis, Mike James e Kirk Snyder. Meu camarada Adelman ouviu os conselhos e botou tudo em prática recentemente.

Sobre o Mavs, não assinaram nem Brent Barry (Spurs) e nem Cassel (Celtics) e se assinaram o Magloire, azar o deles. Até a mãe do pivô sabe que ele só corre para ir ao banheiro. Mesmo assim, o banco do Dallas é muito bom, ainda que não se compare com o do Spurs. Não adianta, pra mim eles tem o melhor banco há trocentas temporadas, não tem nem graça falar no assunto e eu vou parar para não ficar estressado.

Denis:
Não estou falando de números, mas os bancos que eu vejo que entram em quadra e conseguem ou manter um bom ritmo ou até mudar a característica do time titular no mesmo nível são o banco do Lakers, do Pistons, do Spurs e do Celtics. Gostava do banco do Mavs quando tinha ou Terry ou Devin Harris mas agora tudo mudou. O banco do Suns é bom por ter Diaw e Leandrinho, mas fica nisso, é um banco muito limitado.

>

Saia de baixo, Rasheed Wallace está de volta e não está contente
Estamos de volta mais uma vez com a coluna “Both Teams Played Hard” (também conhecida como BTPH para os mais íntimos), o único post semanal do mundo que quase nunca aparece há cada 7 dias. Esse é o espaço para você fazer aquelas perguntas cabeludas que teria vergonha de fazer para os seus pais, ou então falar sobre aquelas trocas absurdas que surgem na sua cabeça sem o medo de que seus amiguinhos que acompanham basquete fiquem te zoando. Aqui a gente vai te zoar, claro, mas pelo menos você pode usar um daqueles apelidos idiotas de internet e ninguém vai saber que o fracassado aloprado é você. Então entre no clima do maravilhoso anonimato da internet e venha receber respostas que deixariam o titio Sheed orgulhoso.
Nessa semana, mais gente inconformada com o Nuggets, um “separados no nascimento” relâmpago, perguntas estranhamente pessoais sobre esses que lhe escrevem, e gente já querendo colocar o Greg Oden na fogueira. Comente as respostas, mande suas dúvidas, peça uma lista com os melhores filmes da Sylvia Sailnt. Respondemos tudo semana que vem, pelo menos é o que dizemos porque pegaria mau para o marketing dizer que a gente responde só quando dá.

caioJF:
cara queria saber realmente pq vc pega tanto no pe do alston se tratando de armador,nao acho ele tao ruim assim quando o juwan howard estava no houston haviam jogadas dos dois q sempre eram pontos faceis e garantidos e po!o cara e da and1 ta ligado?vc acha q e facil ter carreira como peladero e jogador profissional?

Danilo:
Bem, eu pego no pé do Alston porque torço para o Houston e queria que apenas jogadores munidos de cérebros jogassem por lá. Piadas à parte, o Alston não é horrível mas ele é o tipo de jogador que pode te levar à loucura. O talento está lá, claro. Como você bem disse, ele é o legendário “Skip To My Lou”, uma das maiores lendas da And1. Ele tem os dribles, a velocidade, os passes, a visão de quadra. No entanto, como todo bom streetballer, o que ele não tem são os fundamentos: lances livres, defesa e principalmente a capacidade de tomar boas decisões. Se deixassem ele escolher entre dar um passe para um companheiro livre ou enfiar a própria cabeça dentro da boca de um crocodilo, Rafer Alston ia ficar em dúvida.

Vamos acompanhar brevemente um pequeno momento típico de Alston em quadra. Alguém pega o rebote, passa a bola para suas mãos e Skip sai correndo para o ataque. Às vezes ele simplesmente pára na linha de 3 e chuta, matando todos os texanos do coração. Mas em geral ele pára, bem comportado, e passa a bola para o lado, sem nenhuma criatividade ou culhão. Temos que compreender que Rafer Alston passou por muito preconceito para chegar à NBA pelo fato de ter jogado na And1, então ele sempre quis provar que pode deixar os dribles de lado e jogar “controladamente”. O resultado é uma total falta de coragem ou agressividade. No entanto, sua passividade foi muito criticada em seus anos de Houston Rockets, em que sempre ameaçavam trazer um armador que soubesse arremessar. O resultado é que o Skip passa a bola para o lado, covardemente, e assim que a bola lhe voltar às mãos ele invariavelmente irá arremessá-la, tentando mostrar serviço. É de enlouquecer, sua pontaria é fraca e seu talento é muito desperdiçado. Recentemente ele anda batendo mais para dentro do garrafão, infiltrando mais nos contra-ataques, e vem com isso sendo mais eficiente. Mas em geral ele é destrambelhado, arremessa demais e não acrescenta nada ao time. O novato Aaron Brooks, até quando joga mal, traz uma outra velocidade e atitude ao time.

Como eu pego no pé do Alston desde os seus tempos inexpressivos no Miami Heat, você pode concluir que é perseguição e ignorar o que eu estou dizendo. Mas se um dia o Skip for pro seu time, você entenderá o que estou dizendo. Mas que fique claro que pego no pé dele porque sou chato e metido a engraçadinho, entendo os problemas que o Alston passou pra chegar onde está e tenho muita dó dele quando, em atuações boas e ruins, o Houston insiste em continuar contratando outros armadores mequetrefes para o seu lugar.

Felipe:
Meninos, qual a sensação de vocês em um certo dia acordarem e publicarem um blog sobre NBA de forma totalmente despretenciosa e no outro serem bajulados e venerados como bons escritores (o que jamais foram ou serão um dia) e formadores de opinião? Vocês acham isso válido? Acham que isso os levará a algum lugar? Ah! Parabéns, adoro os posts de vocês! Vocês escrevem suuuper bem!

Danilo:
Ah, a magia de sermos blogueiros bajulados, formadores de opinião, venerados pelas crianças, desejados pelas mulheres e invejados pelos homens. Mas se isso é válido? Depende. Você vai depositar qualquer quantia na minha conta bancária? Não? Então pro inferno com essa merda de formar opinião. Bah.

João Carlos:
Eu tenho uma dúvida. O GM do Seattle Supersonics da década de 80/90 (não sei se ainda é o mesmo) come merda no almoço? Ele escolheu Scottie Pippen na 5ª posição e o trocou por um pivô que era o terceiro reserva de Shawm Kemp! O que o Seattle faria com um time Payton – Pippen – Kemp?? Que ridículo!

Denis:
Cara, isso faz mais de 10 anos. Acho que tá na hora de superar. Mas se faz você se sentir melhor, acho que todos aqui concordamos que foi uma troca de merda, como a que ele comia no almoço. Se você é torcedor do Sonics, pense que agora vocês têm um time que ganha dos dois últimos finalistas da NBA na mesma semana.

leonardo:
sou torcedor do denver nuggets, mas eles tao fedendo muito ultimamente, apesar de estarem alternando entre 7º e 4º lugar com o portland. assisto quase todos os jogos e vejo que o time só se salva por causa dos talentos individuais, nun tem tática nenhuma, eh bola no melo ou no iverson e vamo ve oq q dá…diferente do hornets, spurs, suns e (apelei)warriors(pelo menos a tatica deles da certo, meter o maximo de bola de 3 possivel e ganhar alguns jogos) vocês acham que trocar de tecnico seria uma boa opção,pq george karl parece que nem treina esse time, manda eles raxarem e pronto… ele foi um grande tecnico no bucks, mas parece que fico velho e desaprendeu a formar um time taticamente, oq vocês acham??

Denis:

Eu sou um defensor da teoria de que o Denver, com o elenco que tem, deveria estar lutando lá no topo do Oeste, e não nas últimas posições dos playoffs. E com um elenco tão bom e resultados não satisfatórios, é difícil culpar outra pessoa que não o técnico. Ele era muito bom no Bucks mesmo mas esse Denver é muito desorganizado, o jogo que eles perderam para o Lakers com mais de 50 pontos do Iverson foi patético.

eric:
1- no que vcs trabalham?
2- Será que sabem me explicar pq flip saunders ainda não foi pra bem longe de detroit? pq, por favor, o cara só faz merda! o problema do ”banco amaldiçoado” do pistons seria ele a causa? e

3- será q amir johnson vai ter mais q 15 min(me admirei no jogo contra o sixers)em quadra?

Denis:
1 – Eu sou massagista e o Danilo é um estagiário numa biblioteca.

2 – Eu não sou muito fã do Flip Saunders, ano passado quando ele não usava o Webber no quarto período ele me tirava do sério. E já ouvi dizer em vários lugares que os jogadores do Pistons muitas vezes decidem eles mesmos o que fazer e ignoram ele, coisa que dava briga na época de Larry Brown. Mas não tenho certeza se isso acontece, só ouvi dizer.

Danilo:
2 – Também ouvi dizer que só recentemente os jogadores do Pistons se reuniram e decidiram obedecer o Flip Saunders irrestritamente, no que quer que ele ordenasse, porque supostamente perceberam que seria o único jeito deles voltarem a ter chances de título. Mas é só o que diz a lenda, pessoalmente acho que os jogadores deveriam ter percebido é justamente o contrário, que obedecendo o Saunder é que a coisa complica pra eles.

Denis:
3- Antes dessa temporada começar, estavam dizendo que esse ano ia ser o que o Amir Johnson ia estourar na liga. E ele é muito bom mesmo, precisa só de mais espaço. Assim como o Rodney Stuckey, que é um dos novatos mais talentosos desse ano.

Renzo:
Uma pergunta bem humorada, mas – convenhamos – também com uma certa lógica: DÊNIS E DANILO SÃO A MESMA PESSOA? hehehehe Como o estilo de texto dos dois é bem parecido e praticamente só se sabe quem escreveu cada post ao final (“defenestrado por…”), sugiro uma demarcação mais clara do trabalho de cada um no blog. Escrever o nome do colunista no topo do post já ajuda. O que acham? Abs;

Danilo:
Bem, como resposta, vale o comentário do nosso amigo-leitor Sbub:

“Renzo, discordo da sugestão de colocar o nome do autor no topo do post. É divertido ir lendo e pensando quem foi que escreveu.”

Como escrever o nome do colunista no começo do post daria trabalho, vou pegar o que o Sbub disse e dar a desculpa de que “estragaria a surpresa”. Então aconselho você a também se divertir fazendo bolão com os amiguinhos tentando adivinhar quem escreveu cada artigo. Além disso, a teoria de que somos a mesma pessoa pode ser verdadeira, talvez seja apenas um caso esquisito de esquizofrenia, e aí não faz diferença mesmo quem escreveu cada post e você pode desencanar disso e dormir tranquilo.

Charles:
Tem uma explicação pro Jazz, ter o record de 17-3 em casa, (O Spurs tem 18-3) e ter 7-15 fora de casa ? Macumba no Delta Center ? E o Deron Williams fica tristinho fora de casa ? Deve ser por isso que nas previsões classificados pros Playoffs nenhum de vocês (Danilo e Dênis), incluiram eles. Então a briga da 8° colocação deve ficar entre Warriors e Jazz, na minha opnião, e o Jazz ganha tudo dentro de casa, e quem diria, que ano passado aquele caldeirão amarelo do Warriors, funcionou bem mais esse ano eles tem, 12-8 em casa e 14-10 fora, Vai Entender.

Denis:
Se você viu meu post nessa semana mostrando como o Oeste está disputado, você vai perceber como qualquer coisinha pode fazer a diferença na briga pelos playoffs. Então, não ganhar fora de casa pode ser decisivo. E mesmo se o Jazz se classificar, sem mando de quadra e sem vencer fora de casa será um fracasso.

Agora, explicar isso eu não consigo. Tá bom que torcida contra e ginásio desconhecido atrapalham, mas o Jazz leva isso ao extremo. Para o Warriors o segredo é a confiança. Depois dos playoffs do ano passado, eles sabem que podem ganhar de todo mundo, é visível como a postura deles mudou e agora eles entram em todo jogo, em casa ou fora, sabendo que o ataque deles pode vencer qualquer um.

Philipe:
qual o problema do NETS?é o treinador, o carter, o garrafao do time, do GM(o ultimo prefiriu ir para o sixers do q ficar no nets) ou é comigo, q escolhi esse time para torcer?

Denis:
Assim não dá Phillipe, você já respondeu por nós! Claro que o problema é com quem escolhe torcer pro Nets. Mas veja pelo lado péssimo, o Nets mesmo ruim consegue ir para os playoffs em oitavo. Aí é só tomar uma lavada do Celtics e não ter nenhuma escolha boa no draft do ano que vem!

Caíque Ferreira:
Vcs acham que Greg Oden pode ser um novo Olowokandi ou Kwane Brown? Ou ele é bom mesmo?

Denis:
Pelo o que eu saiba, ele ainda nem fez seu primeiro jogo na NBA! Isso que é sede de ver o fracasso alheio. Parece a torcida do Corinthians que já tá xingando o Acosta, é só esperar, pô!
E, sério, pelo o que eu vi dele na NCAA jogando por Ohio State, ele parece ser bom mesmo. Se vai ser o novo Bill Russell, Shaq, Alonzo ou só um Chris Kaman, isso eu não sei.

V. Giannini:
Pau Gasol vive em rumores de troca. Vocês acham que seria bom para o garrafão do Jazz se enfiassem Pau junto com Okur? Será que a química entre eles poderia ser melhor do que a química entre Gay e Pau?

Denis:
Não importa. O Pau está no Lakers e isso é mais importante que qualquer trocadilho. O Kwame que se vire com o Gay!

Rodrigo Lakers:
Vocês sabem me dizer qual é o parentesco entre o Luis Scola e o Fernandão do Internacional?

Denis:

Di-W:
Após postar semana passada nesta coluna, tive a infeliz oportunidade de ver um jogo do Knicks com zach, que ainda não havia tido antes. Realmente é um buraco negro em quadra. Balkman é esforçado, se jogasse de 3 seria até mais útil eu acho. Crowford é quase tão fominha quanto zboo e gostei muito do Nate na armação, me lembrou muito o Avery Johnson. Não entendo pq Lee tem tão pouco tempo na quadra, ele será mais um dos talentos que Knicks joga fora?

Denis:
Ontem teve jogo do Knicks na ESPN e acho que deu pra ver perfeitamente como é o Knicks. O Randolph é talentoso até demais mas se recusa a passar a bola, o Nate é muito bom embora não seja fora de série, o Jamal Crawford seria um dos melhores jogadores de streetball de todos os tempos e acha que pode decidir tudo. Em compensação, o Lee e o Balkman estão lá pra pegar os rebotes ofensivos e arrumar tudo. E aquele apagão em que eles passam uns 5 minutos sem fazer cesta, perdidos no ataque, é normal também.

CaioJF:
Nash pode ter tido essa reação no mínimo baitola por três motivos:


1– Porque descubriu que o Corinthians foi rebaixado, terá que disputar a série B do brasileirão e teve como sua melhor contratação o uruguaio Acosta e o zagueiro Chicão.

2- Porque estava acompanhado do trio de jogadores Pau, Okur e Gay, cujo os nomes já devem revelar a atitude meio libidinosa que poderia estar acontecendo naquele momento.

3- Nash achava que era super-men ou simplesmente lobisomen de dentro daquela boate que teve tal atitude devido ao efeito da luz psicodérica e das músicas eletronicas, alem de alguns golezinhos numa Curió.

Denis:
1- Eu acho o Acosta muito bom e o Chicão é um zagueiro muito bom também, pelo menos pra quem já teve na zaga Gralak, Célio Silva, Valdson e Marinho no passado.

2- Vamos deixar claro que o trocadilho é o primo pobre do humor. Façam mímicas, piadas-de-photoshop e imitações antes de brincar com o nome dos coitados.

3- Lobisomem ele não é, quem tem esse título no mundo do basquete é o pivô Roberto Dueñas.

>

Rasheed Wallace levanta a mão pedindo para responder mais uma maratona de perguntas

Bem-vindos a mais uma coluna “Both Teams Played Hard”, seu espaço mais-ou-menos semanal para sanar suas dúvidas, pedir opiniões e falar o que pensa junto com a gente. Quer saber o que seu time deveria fazer para feder menos? Tem perguntas sobre o próximo grande jogador da NBA que vai sumir em 5 minutos? Pedidos de dieta rica em fibras? Problemas sentimentais com a namorada? Estamos aqui para tudo, sente-se no divã do nosso amigo Rasheed Wallace e prepare-se para uma dose cavalar de opinião e, às vezes, humor ácido porque ninguém é de ferro.

Nessa semana temos mais Knicks (pra variar), previsões dos classificados para os playoffs e um peteleco de leve na orelha do David Stern. Leiam enquanto está quente, e nos vemos na semana que vem, na mesma bat-hora, no mesmo bat-canal.

Você:
O Celtics quer trazer Cassel pro elenco agora. Isso ajudaria? Quem eles poderiam trocar em troca dele?

Denis:

O Celtics não tem gente sobrando assim pra poder mandar em trocas. Se eu fosse o Clippers, eu só toparia se fosse por um dos jogadores novos como o Rondo, Tony Allen ou Glen Davis. E acho que desses três, o Celtics só teria coragem de mandar o Tony Allen. Para o Celtics é perfeito e para o Clippers é uma boa conseguir um jogador jovem, mesmo que seja só razoável, e com contrato pequeno antes de perder o Cassell para a Free Agency.


LPS:
1. Porque o Fat Randolph é igualzinho o Sean Kingston?

Denis:
1- Sean Kingston e Zach Randolph serão os próximos na seção “Separados no nascimento”. Mas honestamente eu prefiro o obeso Randolph, o obeso Kingston é MUITO chato com aquelas malditas “beautiful girls”.

2. O que vcs acham do Kenny George, o cara de 7-8 e 360lbs, que consegue enterrar sem tirar os pés do chão?



Denis:
2. Acho que um cara com esse tamanho e que enterra sem sair do chão nunca vai saber o prazer indescritível que é enterrar uma bola.

Danilo:
2. Esses caras gigantes não sabem o prazer de enterrar e têm trocentos outros problemas, e nem estou falando de encontrar tênis (o Kenny George manda fazer sob medida em cima de pares que o Shaq manda para ele de graça), passar pela porta ou encontrar namorada. Estou falando na quadra mesmo, porque o excesso de tamanho vem associado à falta de explosão, velocidade e mobilidade na defesa. Como fã do Yao Ming, tenho uma admiração por esses gigantes que conseguem se encaixar no basquete mesmo assim e, portanto, torço para o George se der bem. Mas se ele um dia tiver minutos na NBA, eu como meu sapato. É muito improvável.

3. O que é preciso para se tornar colunista nesse nobre blog? Sim, não tenho o que fazer e creio que ajudaria escrevendo umas atrocidades de vez em quando.

Danilo:
3. Basta vencer qualquer um de nós dois num duelo de faca até a morte. Pelo menos foi assim que nos livramos dos donos anteriores. Se você tiver medinho de faca, aceitamos também um desafio de basquete jogando 21 corrido. O que aliás vai ser bem mais fácil do que o estágio que o Renzo mencionou.

4. Vou a um evento de animê que vai ter campeonato de basquete. Devo jogar por diversão na manha ou enterrar na cara dos nerds e quebrar as tabelas?

Denis:
4. Se você consegue enterrar e quebrar tabelas, você deve fazer isso SEMPRE! Não importa se em cima de nerds ou de negões de 2,15m. Mas só uma coisa: se você enterra e quebra tabelas, por que você perde tempo vendo esses desenhos de gente amarela? Vá pra uma quadra! Treina! Vira profissional! Desenho amarelo é muito chato! Só Cavaleiros do Zodíaco se salva.

4. É isso mesmo, vá treinar! E não adianta me dizer que você está aprendendo sobre basquete assistindo Slam Dunk. Por acaso algum japonês aprendeu a jogar futebol até agora? O fracasso deles nas Copas acontece apesar deles assistirem milhares de episódios de “Super Campeões” com o tal do Tsubasa dando “Chutes do Arco-Íris” e “Voleios da Garça Sagrada”. Tudo, claro, muito realista.

Caicao:
Por que será que a NBA está perdendo tantos fãs nos EUA? As finais perderam para Familia Soprano, etc.. Será isso culpa do David Stern? Enquando isso a horrorosa MLB e a ótima NFL vem crecendo cada vez mais.

Denis:
Pode ser culpa da Família Soprano, mas não vamos levar em consideração as Finais. O Spurs pode não ser tão chato como muita gente (até a gente!) diz, eles, como ontem no terceiro período contra o Lakers, sabem jogar bonito quando querem. Mas o fato é que ninguém dá a mínima pra isso, hoje todo mundo já odeia o Spurs não importa o que eles façam. E quem gosta do LeBron não assistiu as Finais porque sabia que ele não tinha chance.

Quem não é fanático por basquete não quer ver um jogo bem jogado só, quer espetáculo. E eis que nas Finais de Conferência do ano passado tinhamos Jazz e seus pick-and-rolls, o eterno Spurs, a pura defesa do Pistons e o Cavs e seu jogo amarrado. Não é à toa que não tinha audiência. Em compensação, times que dão show como Suns e Warriors estavam fora e times de massa como Boston, Knicks e Lakers estavam com elencos fracos.

Acho que é tudo isso. E culpa do David Stern, claro! Odeio ele.

Eric:
porque o amigo caicao disse ”a horrorosa mlb”? oq ela tem de horror? abraços

Denis: Acho que a coisa mais horrorosa na MLB é uma temporada regular de 160 jogos. Quem aguenta jogar ou assistir isso? É patético! Se os 82 jogos da NBA já são um número ridículo, imagina o dobro.

Di-W:
Sou torcedor do Knicks, o que não é bom, e outro dia estava pensando, o que também não é bom, em o que poderia ser feito pelo time para melhorar. Naturalmente tirar a anta do Ithomas antes dele fazer mais uma asneira antes do deadline foi a primeira que pensei. Perguntas: O Zach realmente é tão fominha assim? Dá pra conseguir um armador bom mandando ele e alguem tipo Nate na troca? O que presta no Knicks além do Lee ? Pq o Q-rich ainda é titular? nada contra ele mas ele seria um bom jogador vindo do banco na minha opiniao.

Denis:
Uma vez eu disse isso num post, mas repito: um narrador já chamou o Zach Randolph de “Buraco Negro” porque o que chega lá nunca volta. Acho que isso explica tudo.

No Knicks tem gente que presta sim, mas com o problema de que eles são só jogadores medianos e que não mudam a cara do time, mas que poderiam ser muito úteis em times bons em que só fossem reservas. São eles Renaldo Balkman, Nate Robinson, Jared Jeffries e Quentin Richardson. Este último é titular porque deve ser bom de cama, única explicação.

Como troca, acho que o Randolph não tem muito valor, não. Ele tem má fama na liga e o contrato dele é imenso, não vejo nenhum time que possa querer ele por enquanto.

Charles:
O new Orleans na minha opnião é um dos times mais bem organizados em quadra da NBA, não sei se vocês concordam, mais tem um sério problema, mesmo com excelente armador, um pivô reboteiro, um ala chutador (em má fase claro, mas um chutador), e o West muito bem obrigado. O homem dá posição 2, o que define muitos ataques, que tem que acompanhar o Paul no contra ataque, tá falhando, que é o Morris Peterson, Pargo e Jackson são essenciais vindo do banco pra manter o ritmo do jogo na minha opnião, então. Qual a Solução pra esse problema com esse atual elenco ?

Danilo:
O New Orleans na temporada passada sentiu muita falta de um homem pra posição 2, ou seja, um armador que arremesse bem. Contratar um jogador com essas características e um bom arremesso de 3 pontos era a prioridade da equipe e então algum gênio na gerência do Hornets acordou um dia e achou que o Morris Peterson era esse homem. Até a mãe do Mo Pete sabia que ele se encaixava tão bem nesse papel quanto o Shaquille O’Neal no papel de gênio no filme Kazaam.

Quando jogava no Raptors, o Peterson até tinha uns bons jogos mas às custas de jogos absurdamente terríveis. Ele é aquele cara que arremessa não importa o que esteja acontecendo, nos dias bons e nos dias ruins. A sorte do Hornets é que o técnico Byron Scott sabe tirar o Peterson de quadra quando ele está fedendo. O azar do Hornets é que o Peterson está fedendo o tempo inteiro, então praticamente não fica mais em quadra. O jeito é jogar com dois armadores principais, o que não é um problema tão grande porque o Bobby Jackson estava acostumado com esse papel no Kings e o Jannero Pargo é fã do próprio arremesso de longa distância. Aliás, fico feliz que o Pargo tenha enfim conseguido um lugar para ele na NBA, ele é mediano mas merece estar jogando. Seus minutos no Hornets, no entanto, são menos méritos dele e mais culpa do Mo Pete fracassado.

Com o atual elenco, jogar com dois armadores principais é o que resta. Nos dias em que as bolas de fora do Stojakovic estão caindo, principalmente, funciona perfeitamente bem. Mas para a próxima temporada é bom que o imbecil que contratou o Mo Pete tenha uma idéia melhor dessa vez ao invés de chamar, sei lá, o Marbury ou o Gary Payton.



Vítor:
1- A NBA ta querendo sacanear o Varejão ou foi sem intenção com essa foto?

Denis:
O que pega mal MESMO pro Varejão, que todo mundo vê e comenta, é esse cabelo ridículo, e isso não é culpa da NBA.


2– Percebi que na carreira toda do Shaq ele conseguiu meter uma bola de três, vc consegue arranjar esse vídeo ?

Denis:
Achei um vídeo só, bem mal feito, com som zoado e que diz que o Shaq fez duas bolas de 3 até aquele momento. Dá uma olhada aqui.

3- Você acha que talvez um dia Yao troque de time ou ele vai ficar no Houston até os 40?

Danilo:
Tenho certeza absoluta de que o Yao nunca sairá do Houston. Os motivos se extendem para muito além das linhas, invadindo o extra-quadra. Nem a NBA e nem o Houston Rockets são bobos o bastante para ignorar o que a presença do Yao Ming significa para o impacto da Liga no mercado emergente chinês. Graças ao Yao, o Houston se tornou uma marca reconhecida e lucrativa na China, e isso não se joga fora. Até o Shane Battier tem tênis próprio por lá! E vale sempre lembrar que a camiseta da NBA mais vendida na China não é do Yao, e sim, do Tracy McGrady, verdadeira unanimidade por lá.

Não importa o que aconteça, o Houston montará seu time em volta do pivô chinês, seja porque pivôs dominantes são raríssimos e constituem peça fundamental para esperanças de título, seja porque os chineses agora não vivem mais apenas de arroz e podem gastar verdinhas em produtos e camisetas do Houston Rockets. Da parte do Yao, não só tenho certeza de que ele sabe que o tipo de identificação que seu povo tem com ele e o Houston são agora por toda a vida, como também aposto que ele não estaria disposto a passar por uma nova adaptação em território extrangeiro. Ele já faz parte da consideravelmente grande comunidade chinesa em Houston, acostumou-se com a cidade e as pessoas, e tem uma casa por lá em que mora junto com os pais. Não vai ser de lá nunca, talvez nem quando se aposentar. E vai continuar morando com os pais…

Marcelo:
Por que será que os Clippers não se mandam de LA? Lógico, deve haver um monte de motivos contratuais importantes, mas seria muito melhor para a franquia jogar em outra cidade, vocês não acham? Do jeito que vai, sempre será o “primo pobre de Los Angeles”, a “Portuguesa da NBA”. Sempre dará razão a esses clichês idiotas. Cidades sem time nos EUA têm aos montes.

Denis:
A NBA é um puta negócio milionário e pode ter certeza que o Clippers vai embora de LA rapidinho quando começar a dar prejuízo. Las Vegas e Oklahoma City estão babando pra ter um time da NBA e se ninguém comentou do Clippers trocar de cidade é porque os negócios vão bem.

Philipe:
vcs acham q uma troca entre T-Mac e Ben Gordon resolveriam a situaçao dos dois times(houston e chicago)?

Danilo:
Não, essa troca não ia resolver a situação de ninguém. Quer dizer, talvez resolvesse a situação do Ben Gordon, que odeia ser reserva e obviamente seria titular no Houston. Mas o T-Mac está há anos-luz de ser o que o Chicago precisa. Mais um arremessador de fora pra quê? Ele é melhor defensor e passador que o Gordon, chama a responsabilidade pra si, mas o garrafão vai continuar uma porcaria no ataque e é isso que preocupa o Bulls.

Do lado do Houston, não vejo como a chegada de Ben Gordon melhoraria o time, ele não faz nada demais que o T-Mac não faça melhor. Qualquer troca entre Houston e Chicago, como alguns rumores inventaram, deveria obrigatoriamente incluir o Kirk Hinrich. O Houston precisa é de um armador para cadenciar o jogo, mas também tenho minhas dúvidas sobre como o Hinrich se encaixaria no esquema do técnico Rick Adelman. Realmente não sei se eu faria a troca T-Mac + Alston por Hinrich + Gordon ou algo assim. O bom da coisa é que como essa troca não deve acontecer nos próximos 2 mil anos, nem tenho que pensar muito sobre o que eu acho dela.

Rodrigo Lakers:
1- Na opinião do blog, quem serão os 8 classificados para os Playoffs nas duas conferências? O T-Wolves ainda tem chances?

Denis:
1 – No Leste: 1-Boston, 2-Detroit, 3-Cleveland, 4-Orlando, 5-Toronto, 6-Washington, 7-Chicago, 8-Atlanta.
No Oeste: 1-Phoenix, 2-San Antonio, 3-Dallas, 4-Portland(por ser o campeão da divisão), 5-New Orleans, 6-LA Lakers, 7-Denver, 8-Golden State.

O Wolves só teria chance se todos os jogos que sobrassem até o fim da temporada fossem contra o Suns.

Danilo:
1 – No Leste: 1-Boston, 2-Detroit, 3-Toronto, 4-Orlando, 5-Cleveland, 6-Washington, 7-Atlanta, 8-Indiana.
No Oeste: 1-Phoenix, 2-New Orleans, 3-San Antonio, 4-Portland, 5-Dallas, 6-Denver, 7-Lakers, 8-Houston (se eu não acreditar, quem vai?)

Eu boto fé demais nesse Wolves, acho um dos times de mais futuro, o Ryan Gomes continua sendo meu jogador bucha-de-canhão favorito, mas se eu dissesse que eles vão pegar playoffs esse ano seria enviada imediatamente uma equipe da polícia para meu apartamento me acusando de compra e venda de alucinógenos proibidos. Deixa pra lá, fica pra temporada que vem.

2- Porque o Leandrinho amarela no Pré-Olímpico e contra o Lakers sempre acaba com o jogo?


Denis:
2- O Leandrinho não amarela na seleção, é o Valtinho que não é o Nash.

3- Quem é melhor? Kwame Brown, Samaki Walker, Olowakandi ou a minha mãe?

Denis:
3- Desses aí, o melhor que eu vi foi o Samaki Walker, porque mesmo sendo ruim ninguém nunca esperou nada dele. Mas sua mãe eu não conheço, um dia marcamos uma pelada com os leitores do Bola Presa e você pode levar ela. Na pior das hipóteses, ela leva um lanchinho e já foi mais do que o Kwame já fez por mim.

Renan Ronchi:
Por que os drafts da NBA de antes chegavam a ter 10 ROUNDS se tinham menos times?? Com 10 rounds até eu era draftado…

Denis:
Não sei. Mas li por aí que isso foi coisa do David Stern para fazer parecer ser mais difícil, e com isso ser mais valorizado, ser um jogador da NBA. Tudo pela publicidade. Mas claro que essa não é a explicação oficial.



Linelson:
O que o Miami Heat deve fazer com Shaq?

Denis:
Acho que a melhor coisa que o Heat pode fazer é torcer para ele não continuar se machucando toda semana e usá-lo. Não sei quantos times podem e/ou estão dispostos a pegar um pivô claramente no fim de carreira e pagar 20 milhões por ano pra ele, então na falta de negócio, use-o. Ele, quando saudável e aproveitado, é, pelo menos, ainda um dos 10 melhores pivôs da NBA.

Danilo:
Eu sou um dos que se recusam a admitir que o Shaq está velho. Em parte porque isso seria admitr que eu estou ficando velho, o que nunca é bom. Mas eu ainda acho que ele transforma o jogo em quadra, cria espaços e é uma presença defensiva (literalmente) grande. Ainda não é hora de mandar o Shaq virar porteiro de boate.

Sbubs:
Eu admiro a paciência de vocês em responder idéias de trocas. parabéns.

Denis:
Eu acho muito idiota ficar a vida toda cogitando trocas. Mas como é nisso o que eu penso quando estou entediado no trabalho, eu respeito quem pergunta!

>

Pede pra sair, Wade! Pede pra sair!

O negócio é o seguinte: se você tem a noite da sua carreira e mesmo assim seu time sai de quadra derrotado, é porque alguma coisa muito errada está acontecendo. Dwyane Wade marcou 48 pontos além de 7 rebotes, 11 assistências, 3 roubos e 3 tocos. Mas isso não é o bastante para um dos times que mais fedem atualmente na NBA.

Isso me lembrou uma anedota. Em 2004, Tracy McGrady era o cestinha de toda a NBA, estava a 20 jogos seguidos marcando pelo menos 20 pontos por partida e havia feito mais de 40 pontos nos dois jogos anteriores. No entanto, seu time ainda ocupava o último lugar da tabela. A frustração com a campanha e com o resto da equipe levou a um total descontrole na partida contra o Denver Nuggets: após tomar um toco do Chris Andersen (alguém ainda lembra dele?), T-Mac simplesmente chutou a bola em direção à arquibancada, tomando uma falta técnica. Quando a bola foi devolvida para a quadra, T-Mac metodicamente pegou a bola de novo e chutou para fora outra vez, para ser expulso. Vale a pena dar uma olhada no vídeo:

O mais engraçado de tudo é a reação do Juwan Howard quando percebe que o T-Mac vai chutar a bola pela segunda vez. Ele corre como um desesperado tentando impedir o inevitável, obviamente pensando “pelamordedeus não seja expulso senão a gente vai ser humilhado aqui!” Ironicamente, o Magic ganhou aquela partida.

Eu não ficaria surpreso se o Wade chutasse umas bolas pra fora da quadra na próxima partida. Pra começar, ele foi obrigado a jogar de armador principal. O fato de ficar com a bola mais tempo em mãos ajudou a marcar 48 pontos, claro, mas é nítido o desconforto do Wade na posição. Ele se atrapalha, ele escorrega, e eventualmente ele recebe marcação dupla no meio da quadra e não tem ninguém para levar a bola e devolver para ele depois. Onde estavam os outros armadores? Jason Williams e Chris Quinn machucados, (o Quinn, aliás, estava risível no banco porque ele tem 4 anos de idade e parecia ter pegado o terno do pai para brincar) fora o Smush Parker que simplesmente resolveram esquecer que existe. Fora isso, o Earl Barron foi titular já que Shaq está com uma contusão no quadril e o Alonzo encerrou a carreira.

O resto do time até que se saiu bem, Dorrel Wright tem potencial (mas faz uns 15 anos, daqui a pouco ele vai ser daqueles vovôs que tinham potencial e nunca fizeram nada), o Cook é um bom arremessador (o arremesso pra levar o jogo pra prorrogação foi surreal), o Haslem é um dos jogadores mais consistentes da NBA, mas simplesmente não há talento o bastante ali para fazer justiça ao pobre do Dwyane Wade.

Todos os torcedores do Heat que pedem para que o Shaq seja trocado precisam pensar bem a respeito. Com o Shaq no banco, até a melhor noite da vida de Wade não foi o bastante. Mesmo quando o Shaq não está fazendo nada, desmotivado, entediado, parado no garrafão simplesmente pensando em donuts, a vida de todo o resto do Miami Heat já fica mais fácil. Ele é uma presença que sempre vai desestabilizar defesas e exigir ajustes defensivos mesmo quando tiver 120 anos e jogar basquete numa cadeira de rodas.

Outras trocas deveriam acontecer, claro, mas o Shaq deveria ficar lá. Obviamente, trazer o fominha do Ricky Davis não foi a resposta para nada. Trocas menores podem ser o bastante para dar um ânimo novo para a equipe que, como o Denis ressaltou nesse artigo sobre o Heat, precisa de motivação.

Enquanto isso, Sixers e Jazz fizeram uma troca menor que pode ser bastante útil para os dois times. Recentemente lembro de ouvir alguém falando sobre como o Kyle Korver estava sendo desperdiçado na Philadelphia. Em um time que precisasse de um arremessador puro para ficar lá parado matando bolas, ele seria uma peça fundamental. Some a isso o fato de que o Jazz vem sendo destruido por times que marcam por zona permitindo que a equipe de Utah apenas arremesse de fora, deixando óbvio o quanto eles precisam desesperadamente de um arremessador, e adquirir o Korver parece uma resposta perfeita. Deixar ele em quadra por alguns momentos, se aproveitando do espaço que o Boozer deve gerar, deve ser o bastante para que ele tenha a chance de sua carreira.

Em troca do Korver, o Sixers recebeu o Giricek e mais uma escolha de 1o round no draft do ano que vem. O Giricek arrumou encrenca com o Sloan e por isso vai embora. Ele até pode quebrar um bom galho em sua nova equipe, mas o fundamental é a escolha de draft. O Korver foi uma escolha de 2o round e eles receberam em troca uma de 1o, ou seja, no papel já saíram no lucro. No Sixers, o Korver nunca seria de grande valia mesmo. E como o time está se reconstruindo, nada melhor do que arrumar mais novatos para o ano que vem.

Para o bem do Wade, torço para que o Heat também arrume algumas trocas que adicionem peças importantes. O próprio Korver se daria bem por lá, substituindo o já foragido Jason Kapono. Ou, na pior das hipóteses, é bom o Heat pensar no futuro e começar a trocar por escolhas de draft do ano que vem. Mas aí podemos nos preparar para ver o Wade chutando um bocado de bolas para fora do ginásio…