Celtics bipolar vence no sufoco

Eu dou 100 conto pra quem entender como funciona o Boston Celtics. Posso fazer uma compilação gigante com momentos que provam que o time de Doc Rivers está no mesmo nível do Sacramento Kings, assim como posso pegar outras ocasiões dessa temporada onde eles jogam o melhor basquete da NBA. Sim, melhor que Heat, Spurs ou Thunder. Todo time tem altos e baixos, mas o Celtics alcançou um nível que nem o Atlanta Hawks foi capaz.

Ontem foi o décimo milésimo nonagésimo exemplo disso. O primeiro tempo do Celtics foi um dos melhores de qualquer time nesses Playoffs, chegaram a ter mais de 60% de acerto dos arremessos e fizeram 61 pontos, o máximo sofrido pelo Miami Heat em um só tempo nessa temporada. Até Keyon Dooling (10 pontos, 3 bolas de 3) estava chutando a bunda do Heat como se ele fosse o Kevin Durant. E, claro, Rajon Rondo (15 pontos, 15 assistências) comandou o show com alguns passes que fariam Magic Johnson virar para Jason Kidd e perguntar “Como ele consegue?”. Sério, foi um espetáculo.

Mas de repente tudo mudou. Era claro que o Heat iria voltar com mais disposição e com algumas mudanças defensivas, o time de Erik Spoelstra tem sido muito eficiente em 3º períodos desde a série contra o Indiana Pacers, sabem como ler o jogo e voltar melhor. Mas nem isso explica que depois de marcar 61 pontos no 1º tempo o Celtics fez apenas 32 somando 3º quarto, 4º quarto e prorrogação. Não há mudança na defesa que faça isso, eles simplesmente param de fazer o que estava dando certo. E não é a primeira vez, lembra daquele Jogo 1 em Miami quando o Celtics fez uns 11 pontos no 1º quarto e logo depois fez 34 no 2º? É um estranho time que quando um jogador está inspirado, todos os outros se inspiram juntos, mas quando um começa a feder…

O ajuste do Heat no segundo tempo foi basicamente dar menos espaço para Rajon Rondo. LeBron James (29 pontos, 3 assistências, 7 turnovers) assumiu sua defesa por um período, eles passaram a dobrar a marcação após alguns pick-and-rolls e também o marcaram mais de perto, para evitar a penca de passes que ele estava dando. Mas apesar de LeBron ter tido uma boa participação na contenção de Rondo, o resto do seu jogo foi desastrado. Cometeu 7 turnovers, precisou de 26 arremessos para chegar aos seus 29 pontos e, na prorrogação, foi eliminado com 6 faltas pela primeira vez desde que chegou ao Miami Heat. Paul Pierce (23 pontos) também foi eliminado, mas isso já tá virando rotina. LeBron James também foi o responsável por armar o jogo e não conseguiu impôr o ritmo veloz que Spoelstra pedia, além de não ter tido o mesmo sucesso na hora que defendeu Pierce.

Mas como se estivéssemos no mundo bizarro, LeBron James jogou mal a maior parte do tempo e se redimiu no último minuto! Pois é, louco. Depois de chegar a perder por 20, o Heat foi cortando a diferença aos poucos e empatou a partida no começo do último período. Aí o jogo se arrastou até o último minuto, quando o Celtics vencia por 3 pontos após cesta de Kevin Garnett(17 pontos, 14 rebotes), jogador mais regular dessa série. O Heat respondeu com uma jogada que foi descaradamente roubada do Celtics: LeBron (interpretando Ray Allen) finge que vai fazer um bloqueio para Wade (Paul Pierce, na encenação), mas ao invés disso corre em direção à linha dos 3 pontos, onde recebe livre e chuta. LeBron fez e empatou o jogo. Logo depois KG segurou LeBron e foi marcada falta de ataque. Chegou o momento que todos aguardavam: Miami Heat com a última bola do jogo e a chance de vencer a partida. Será que LeBron iria finalizar esse jogo estranho vencendo na última bola?

[youtube width=”600″ height=”335″]http://www.youtube.com/watch?v=j56m4-gf7_M[/youtube]

Pois é, LeBron James passou. Por alguns segundos o Twitter saiu do ar por excesso de cornetas. Mas nesse caso a culpa foi de muita gente, além do próprio James: Não sei se por ordem de Spoelstra, com medo de dar mais um arremesso para o Celtics, mas tudo demorou muito para acontecer. D-Wade (20 pontos, 7/22 arremessos) demorou para soltar a bola para LeBron, que demorou para infiltrar. O Celtics fez uma defesa magnífica e cercou LeBron com 3 marcadores. Nenhum arremesso sobre 3 jogadores é inteligente. LeBron viu bem Udonis Haslem aberto na zona morta, mas deu um passe horrível. E isso sim é imperdoável numa situação dessa. Haslem também parecia muito nervoso com o tempo e se embananou na pressa de soltar o arremesso. Foi um desastre. Um número assustador para os torcedores do Heat: Somando os Playoffs do ano passado e desse o Heat teve 10 arremessos decisivos, aqueles quando o time está perdendo por 2, 3 ou empatando nos últimos 24 segundos de jogo. Desses 10, LeBron tentou 3, Wade tentou 4 e outros jogadores mais 3. Ninguém acertou. Ninguém.

Na prorrogação o jogo foi feio. Logo no começo Paul Pierce saiu com sua 6ª falta, depois foi LeBron James, os dois em faltas de ataque. E quem sobrou em quadra não fez muita coisa. Haslem teve uma enterrada, Rondo teve uma bandeja, Marquis Daniels acertou um lance-livre. E foi isso. Depois, lá no final, fizeram falta no Rondo para parar o relógio e ele acertou outro arremesso livre: 4 a 2. Isso é placar de prorrogação de Final de Conferência? Irgh! A última posse de bola foi novamente do Heat, que quase venceu com uma bola de 3 de Dwyane Wade. Nesse lance não sei o que foi pior, o Marquis Daniels pulando como um desesperado e quase fazendo falta em Wade ou o próprio armador do Heat, que ignorou a jogada desenhada, que era para uma bola de 3 de Mario Chalmers. Se Wade estivesse um pouco mais no meio da quadra, como deveria, o ângulo do passe seria perfeito e Chalmers estava livre.

[youtube width=”600″ height=”335″]http://www.youtube.com/watch?v=bkXBnul9KN0[/youtube]

No ano passado a série Semi-Final do Leste entre Heat e Celtics estava em situação parecida. Heat vencendo por 2 a 1 e o Jogo 4, em Boston, na prorrogação. Por pouco Daniels não joga a chance no lixo, mas dessa vez, ao contrário do ano passado, o Celtics conseguiu empatar. Não sei o quanto eles sobrevivem com esses altos e baixos inexplicáveis, mas estão vivos. Para o Heat, que pode ter Chris Bosh no Jogo 5, o negócio é matar o jogo quando o Celtics estiver em baixa. Com LeBron passando ou arremessando, com Wade ou Haslem no comando, tá difícil ganhar nas últimas bolas. Uma pergunta séria: O quanto a cornetagem de torcida e imprensa influencia a cabeça dos jogadores do Heat nessas bolas decisivas?

[youtube width=”600″ height=”335″]http://www.youtube.com/watch?v=nCwpd16ukGQ[/youtube]

Torcedor do Lakers e defensor de 87,4% das estatísticas.

Como funcionam as assinaturas do Bola Presa?

Como são os planos?

São dois tipos de planos MENSAIS para você assinar o Bola Presa:

R$ 14

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

R$ 20

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Como funciona o pagamento?

As assinaturas podem ser feitas pelo Aplicativo PicPay. Baixe, cadastre-se, busque o Bola Presa e escolha seu plano de assinaturas. Você pode pagar com cartão de crédito ou carregar sua Carteira PicPay com boleto ou depósito bancário. Depois de assinar, escreva para bolapresa@gmail.com para mais detalhes de como ter acesso ao conteúdo exclusivo.

DÚVIDAS SOBRE AS ASSINATURAS? Nos escreva: bolapresa@gmail.com

Assine já!