Entre Love e Wiggins

Tanta gente já falou e escreveu sobre a possível troca do Kevin Love que eu nem sei se posso acrescentar muito mais coisas, mas vou tentar, vou tentar.

KLove

O Minnesota Timberwolves é uma das franquias mais fracassadas da história da NBA, sem dúvida. Algumas outras que fracassaram nos últimos 10 ou 15 anos sequer sonham em ter jogadores do nível de Kevin Garnett e Kevin Love nas mãos nesse período! O Wolves teve os dois por muito tempo e o máximo que conseguiram foi passar da primeira rodada dos Playoffs por uma única vez. Ainda tiveram, no intervalo, um período com Al Jefferson, que chegou na troca de Garnett. Juntar talento nunca foi problema pra eles, mas vencer jogos…

Trocar Kevin Love se tornou praticamente inevitável porque ele será Free Agent no próximo ano e não há dúvida de que irá dar o fora. Ele já tem 25 anos, 6 temporadas nas costas, e ainda não sentiu o gostinho da pós-temporada. Junte-se a isso o fato do time não ter ido bem no ano passado, do técnico Rick Adelman ter se aposentado e do próprio General Manager, Flip Saunders, se auto-intitular técnico e dá pra ver porque Love sente que o sucesso não mora em Minneapolis. Trocar o jogador não parece a situação ideal porque não parece haver um negócio possível onde eles recebam talento equivalente em troca, mas por outro lado, é a maior chance deles de continuar acumulando talento, como nos anos anteriores, tentando dessa vez fazer tudo funcionar.

Dito isso, que é o óbvio, que tal fugir do óbvio? Sim, eles podem perder Kevin Love daqui um ano, mas e se tudo der certo nessa temporada? Gosto de lembrar da última offseason, quando LaMarcus Aldridge deu a entender que estava insatisfeito em Portland e que queria um time melhor ou que fosse trocado; existia também a ameaça de Aldridge sair de lá quando se tornasse um Free Agent. Chegaram até a cogitar, vejam só, uma troca de Aldridge para o Cleveland Cavaliers pela primeira escolha do Draft do ano passado, que acabou sendo Anthony Bennett. Como todos sabemos, nada aconteceu, o Blazers melhorou bastante e se classificou para a segunda rodada dos Playoffs, já se tornando um dos fortes concorrentes do Oeste para o título da próxima temporada. Às vezes as coisas mudam bem rápido na NBA.

Será que isso não poderia acontecer também com o Wolves? Eu não apostaria cegamente nisso porque acho que eles deveriam buscar um novo técnico ao invés de ressuscitar Flip Saunders, mas é possível. Na temporada passada o Wolves sofreu demais ao perder jogos decididos por poucos pontos, uma aberração estatística, o mais provável é que esse número dê uma equilibrada melhor no próximo ano. Também podemos pensar que ainda existe espaço para Ricky Rubio melhorar, que Zach LaVine chegue para dar velocidade e capacidade atlética que faltaram no último ano e que Gorgui Dieng, que jogou muito bem no fim da temporada, passada, traga mais experiência em quadra. Por fim, Chase Budinger poderá, finalmente, ter um ano completo, sem lesões, com pré-temporada e tudo o que tem direito. É um bom elenco, mas que na temporada passada não tinha mobilidade e velocidade para o sistema de jogo que Rick Adelman gosta de usar, com jogadores trocando de posição e passes rápidos.

Wiggins

Existe o risco de tudo dar errado, o time não ir bem e, no ano que vem, Kevin Love ir embora para o Cleveland Cavaliers, Los Angeles Lakers (kkkkk) ou qualquer time que abra espaço salarial, mas isso não é certeza. Não dá pra esquecer também que apenas o Wolves poderia, neste caso, oferecer um contrato de 5 anos para Love, muito mais lucrativo que seus concorrentes. Será que não vale a pena arriscar tudo, pelo menos uma vez?

E é aí que entra a tentação do demônio que o Cleveland Cavaliers jogou pra cima deles. Resistir à oferta do Golden State Warriors é mais fácil: David Lee não vai transformar a equipe, embora ajudasse bastante no pick-and-roll com Rubio; e os agentes de Klay Thompson já disseram que seu cliente vai pedir um contrato máximo no próximo ano. E isso se o Warriors topasse finalmente mandar Thompson, claro. Resistir à oferta do Bulls também não é das coisas mais difíceis, por mais que Jimmy Butler ou Taj Gibson sejam bons, por mais arremessos que Doug McDermott traga, ninguém vai revolucionar a franquia. Nikola Mirotic ainda é uma incógnita na NBA e não acho que o vejam, hoje em dia, como um franchise player.

E é aí que aparece Andrew Wiggins e a proposta do Cavs: a que tudo indica, o novo time de LeBron James deve enviar Wiggins e Anthony Bennett, talvez junto de outras peças, pelo ala do Wolves. Embora Bennett ainda tenha muito tempo para mostrar a que veio, ninguém acredita que ele será uma mega estrela da liga, mas mesmo assim é um promissor jovem jogador. Wiggins, por outro lado, é um dos mais celebrados novatos dos últimos tempos! Potencial infinito no ataque, na defesa, na capacidade atlética, em tudo. Novato é novato, tudo pode acontecer, mas a tentação de ter um cara com essa perspectiva de carreira deve ser enorme.

Segurar Love, que já se consolidou como um dos melhores jogadores da atualidade, parece uma boa ideia. Mas se der errado e ele for embora daqui um ano, eles vão passar o resto da vida pensando que poderiam ter Wiggins. Qualquer um que tem time de fantasy sabe como é difícil tomar essas grandes decisões.

Andrew Wiggins

Há alguns anos, o antigo General Manager do Wolves, o folclórico David Kahn, dizia ter uma interessante ideia para a franquia: transformar o time em um lugar legal para se jogar. Apenas contratar técnicos que tem boa fama entre os jogadores, jogar no estilo veloz que todos os atletas gostam e até ceder a algumas pressões de jogadores que não querem mais jogar lá. A ideia era fazer com que futuros Free Agents cogitem atuar no pequeno time. Por algum tempo eles até jogaram bonito, mas sem resultados, Kahn foi mandado embora e nunca mais se tocou no assunto.

Mas caso a troca aconteça, o Wolves tem tudo para ser um dos times mais divertidos do próximo ano. Vocês não sonham com um contra-ataque puxado por Ricky Rubio, acompanhado pelos voadores Zach LaVine e Andrew Wiggins nas alas? Meu deus, é muita ponte aérea pra pouco jogo! Se Anthony Bennett acertar seus arremessos de meia distância como fez na Summer League, também será útil para abrir espaços para infiltrações dos alas e para o poderoso jogo de pivô de Nikola Pekovic. Além da própria capacidade atlética de Bennett que, agora que perdeu um pouco de peso, poderá ser mais explorada. E se um time jovem e veloz não atrair mais gente no futuro, nada atrai.

Eu, no lugar de Flip Saunders, não saberia ao certo o que fazer. Não me sentiria à vontade de trocar um dos melhores jogadores da atualidade; mas perdê-lo sem ganhar nada em troca significaria o fim de sua carreira como manager na NBA.

Love2

Do outro lado, o Cavs até tem uma decisão complicada a fazer, mas é difícil imaginar um cenário onde as coisas deem errado. Se não fazem nada, tem nas mãos um time jovem, talentoso e que deverá ficar ainda melhor por jogar ao lado de LeBron James. Aliás, Wiggins poderia ser importante para deixar a carreira de James mais longa, marcando o melhor jogador adversário enquanto o astro do time se poupa para comandar o ataque. E se tudo for como o planejado, os dois podem se tornar a melhor dupla de defesa do perímetro da liga daqui uns anos. Se a troca acontecer, porém, o Cavs vira o novo Heat: 3 dos melhores jogadores da NBA juntos no mesmo time, comandados pelo melhor da galáxia. Kyrie Irving não está em seu auge de técnica e experiência, como estavam Chris Bosh ou Dwyane Wade, mas isso pode ser superado. Repetindo, não tem como dar muito errado.

A proposta que Bill Simmons, do Grantland e da ESPN gringa, faz tem muito sentido. Por que não simplesmente esperar? Faz sentido para os dois times. O Wolves teria, por exemplo, uns 40 jogos para ver se o time ainda pode vingar do jeito que está. O Cavs teria os mesmos 40 jogos para saber como Andrew Wiggins rende jogando entre os profissionais e como ele se adapta atuando ao lado de LeBron. No meio da temporada, se ainda estiverem de acordo, executam a troca sem pressa. Até porque duvido que outro time se meta no meio do negócio: ninguém além do Cavs tem condição de oferecer tanto por Kevin Love, assim como nenhum time está disposto a mandar um cara tão bom para Cleveland em troca de Wiggins.

Mas depois de todo esse papo de especulação, é bom avisar que o mais provável é que a troca realmente aconteça. O Cleveland Cavaliers já assinou o contrato de Andrew Wiggins e, por regras da liga, deve esperar um pouco até trocá-lo. O noticiário americano, apoiado até pelo site do Cavs, que não vende mais a camiseta do ala canadense, garante que os dois times só estão esperando esse prazo passar (deve ser no dia 24 de agosto) para anunciar o negócio. Será quando a gente irá aprender os detalhes da troca (envolve mesmo Bennett? E Dion Waiters? O Sixers vai entrar como terceiro time envolvido?) e poderemos fazer uma outra análise, mais profunda. Esta de hoje foi só pra dizer que, até que provem o contrário, é difícil fazer mau negócio envolvendo Kevin Love e Andrew Wiggins.

Torcedor do Lakers e defensor de 87,4% das estatísticas.

Como funcionam as assinaturas do Bola Presa?

Como são os planos?

São dois tipos de planos MENSAIS para você assinar o Bola Presa:

R$ 14

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

R$ 20

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Como funciona o pagamento?

As assinaturas podem ser feitas pelo Aplicativo PicPay. Baixe, cadastre-se, busque o Bola Presa e escolha seu plano de assinaturas. Você pode pagar com cartão de crédito ou carregar sua Carteira PicPay com boleto ou depósito bancário. Depois de assinar, escreva para bolapresa@gmail.com para mais detalhes de como ter acesso ao conteúdo exclusivo.

DÚVIDAS SOBRE AS ASSINATURAS? Nos escreva: bolapresa@gmail.com

Assine já!