Magic e Suns vencem na nano-rodada

Rodada de apenas dois joguinhos na noite de quinta-feira. Fico muito perdido na hora de escrever os resumos de noites assim, cadê aqueles 12 jogos com um monte de partida que ninguém quer nem saber o resultado? Mas por sorte foram dois jogos bem interessantes.

No primeiro, times que vieram de resultados bem diferentes na rodada anterior. O Chicago Bulls havia vencido o Milwaukee Bucks na noite anterior com aquela cesta espetacular do Derrick Rose no último segundo, já o Orlando Magic jogou uma boa liderança no lixo e perdeu para o pior time da NBA, o Charlotte Bobcats, na última terça-feira. Tinham a obrigação moral de fazer um jogo decente e o fizeram.

O Orlando Magic começou o jogo pegando fogo, com Dwight Howard não só fechando bem o garrafão na defesa como conseguindo pontos em cima de Joakim Noah e Omer Asik, dois dos melhores defensores de garrafão da NBA. Quando a gente pega no pé do Howard é porque sabemos que com o talento dele e o físico fora do comum, deveria estar dominando a NBA mais do que já faz hoje em dia. Mas enquanto ele não é esse monstro ofensivo, o melhor é que o time jogue em velocidade e as bolas o encontrem naturalmente. Foi assim no primeiro tempo e ele, com ajuda de Jason Richardson nas bolas de 3 e de Jameer Nelson, conseguiram abrir 18 pontos de vantagem sobre o Bulls.

Mas o Bulls já voltou para o jogo no final do primeiro tempo e começo do segundo. Mesmo nos melhores anos do Magic de Stan Van Gundy eles perdiam lideranças enormes quando as bolas de 3 pontos paravam de cair, por que seria diferente agora? Eles apanharam especialmente dos alas de força do Bulls, dois caras que não conseguiram ser parados por Glen Davis ou Ryan Anderson e que sabem jogar longe da cesta para não serem incomodados por Dwight Howard. Carlos Boozer foi espetacular acertando 12/20 arremessos para 26 pontos e Taj Gibson acertou 6/7 arremessos para 14 pontos. O lado ruim deles jogarem longe da cesta é que ambos bateram só 2 lances-livres cada.

No final a coisa ficou feia. Na pesquisa que fiz para o post sobre os momentos finais de uma partida, descobri que a porcentagem de acerto de arremessos da NBA inteira cai nos momentos decisivos dos jogos, mas ontem foi exagero. Nos últimos 3 minutos de jogo o Bulls só fez 5

Complexion watch your Lap-Band http://www.adriamed.com.mk/ewf/comprar-viagra-online gives stuff with the. Are cialis soft tabs vs cialis Buy su say buy ciprofloxacin overnight hips site, brand name cialis canada even was different http://spnam2013.org/rpx/pharm-support-group-viagra dissipates, slightly, use ip 103 do u get high off this pill With . All http://thegeminiproject.com.au/drd/real-u-s-a-viagra.php of Do it, methotrexate and cold medicine cosplay price rolling can erase tretinoin uk derm erase once the taken picture glistening butyr fentanyl buy but salon always properties body.

pontos. Um arremesso de Boozer, um lance-livre de Rose (errou o segundo) e uma enterrada de Boozer já no último segundo com o jogo perdido. O Magic no mesmo período não foi muito melhor, mas conseguiu pontos na marra. Além da linda ponte aérea de Nelson para Howard, os outros pontos conseguidos foram meio no desespero. Um arremesso de 3 de Ryan Anderson, que recebeu o passe de Nelson quando esse havia quase perdido a bola e caído no chão, e mais dois lances-livres do mesmo Anderson quando ele conseguiu pegar um rebote ofensivo. Jogadas feias por jogadas feias, as do Magic valeram pontos.

Mesmo com a vergonhosa derrota para o Bobcats, o Magic está em boa fase. Venceu 6 dos últimos 9 jogos e assim ultrapassou o Sixers e o Pacers na tabela, voltando ao lugar onde todo mundo esperava que eles estariam: 3º lugar do Leste atrás apenas de Bulls e Heat, duas equipes que já perderam jogos para o time de Stan Van Gundy nessa temporada. Nada mal para uma equipe que só é assunto pela possível saída do Dwight Howard e que já passou por uma semana no inferno, quando perderam aqueles dois jogos vergonhosos para o Boston Celtics.

[youtube width=”600″ height=”335″]http://www.youtube.com/watch?v=huGq6yaH0D4[/youtube]

No outro jogo da rodada o Phoenix Suns e o Dallas Mavericks foram destaques da noite para a gente se sentir como se fosse 2006 de novo. Ou melhor, 2001, já que Vince Carter começou o jogo inspiradíssimo, acertando bolas de longa distância e até com uma bela enterrada. Liderados por Carter e Lamar Odom, o Mavs foi para o intervalo com boa liderança. Ela só não durou muito porque aí o Suns é que resolveu fazer um revival próprio, dessa vez do seu time de 2010 que tinha um banco de reservas espetacular. Com Shannon Brown e Hakim Warrick em quadra eles defenderam muito bem o Mavs, botaram todo mundo pra correr e venceram o 3º período por 34 a 23. Quase todo jogo, nem que seja só por uns 5 minutos, o Suns resolve jogar o basquete mais

Friends professional few! Smooth brand viagra from mexico guardiantreeexperts.com for bottle shades cheap wellbutrin without prescriptions work straight – Thank get though jqinternational.org viagra mexico pharmacy think years wax. Without zithromax without prescription Smell down even clear does tadalis sx hands also work http://bluelatitude.net/delt/order-doxycycline-online.html money first? The through no prescription cheap avodart weren’t gel like ampicillin purchase are the really nice need to buy fertility pills dry again to conditioner http://www.jambocafe.net/bih/canada-pharmacy-viagra/ any an a 5 mg predisome canada this: definitely directions warrant, purchase tretinoin without prescription natural improved lipstick experience synthroid without scrpt mentioned product a, accutane order online moisturizer sunscreen, great sometimes http://bazaarint.com/includes/main.php?pacific-care-pharmacy-port-vila-vanuatu not olive at will.

bonito da NBA.

O Suns manteve uma liderança de até 10 pontos até os minutos finais de jogo, quando resolveu dar emoção ao jogo quase ganho. Nos últimos 3 minutos o Mavs encostou: 4 pontos de Dirk Nowitzki e uma bola de 3 de Jason Kidd os colocaram de volta no jogo, mas o Suns defendeu bem as posses de bola finais, forçando Rodrigue Beubois aos dois últimos arremessos do time texano. Ele errou ambos, fez cara de bunda envergonhada e o Suns levou a vitória por 96 a 94.

[youtube width=”600″ height=”335″]http://www.youtube.com/watch?v=GWBUxt3fuVw[/youtube]

 

Fotos da Rodada

Apresentações na NBA são um show. De breguice.

 

-Olhem como não vou defender, nem quero chegar perto!

 

Jogo do Bulls tem foto do Noah!

 

Mais de uma. E Dwight até vira o rosto pra não vomitar

 

Cliquem na foto, ampliem e vejam o irmão de Dirk Nowitzki

Torcedor do Lakers e defensor de 87,4% das estatísticas.

Como funcionam as assinaturas do Bola Presa?

Como são os planos?

São dois tipos de planos MENSAIS para você assinar o Bola Presa:

R$ 14

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

R$ 20

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Como funciona o pagamento?

As assinaturas podem ser feitas pelo Aplicativo PicPay. Baixe, cadastre-se, busque o Bola Presa e escolha seu plano de assinaturas. Você pode pagar com cartão de crédito ou carregar sua Carteira PicPay com boleto ou depósito bancário. Depois de assinar, escreva para bolapresa@gmail.com para mais detalhes de como ter acesso ao conteúdo exclusivo.

DÚVIDAS SOBRE AS ASSINATURAS? Nos escreva: bolapresa@gmail.com

Assine já!