McGee e Nenê brilham nas estreias, Knicks ainda embalado

Pelo menos por um dia a troca deixou todo mundo feliz. Ontem aconteceram as estreias de Nenê pelo Wizards e de JaVale McGee pelo Nuggets, os dois saíram de quadra não só com vitórias, mas com atuações de destaque. Comecemos pelo fácil jogo do Washington Wizards, que venceu com certa tranquilidade o New Jersey Nets fora de casa, com Jay-Z assistindo e tudo. O jogo estava disputado até o 3º período, mas aí o técnico Avery Johnon e o armador Deron Williams foram expulsos por, nas palavras do filósofo Tite, “falarem muito”. Depois disso o Wizards passeou. Nenê fez ótimo jogo com 22 pontos e 11 rebotes! O brasileiro é uma enorme melhora no time sobre o McGee, disso eu nunca tive dúvida. Ele dá mais opções ofensivas, tem jogo mais completo, melhor passe, tudo. Meu medo é se ele estaria interessado em jogar lá, se teria disposição, após 10 anos de NBA, para jogar em um time medíocre. Pois o armador Roger Mason Jr. deu uma entrevista dizendo que o brazuca já chegou falante, dando dicas para outros jogadores, orientando os seus companheiros de garrafão e tudo mais. Já o ala/pivô Kevin Seraphin disse: “É ótimo jogar com ele, se você se posiciona bem ele te dá a bola”. Pois é, no Wizards isso é algo novo.

O Wizards tem hoje um grande armador, John Wall, e um grande pivô, Nenê, que pode ser um dos melhores do Leste na posição quando saudável e interessado. Se ele abraçar essa ideia de ser líder e levar o Wizards para algum lugar, pode ter sido um bom negócio até para o jogador, que parecia meio acomodado em Denver. Quando se tem bons jogadores nessas posições montar o resto do time é mil vezes mais fácil, se Jordan Crawford não comprometer e Jan Vesely se desenvolver o Wizards poderá ser um dos times mais legais de se acompanhar na próxima temporada. Começo promissor.

Pelo Nuggets, McGee, claro, não foi tão protagonista quanto Nenê durante a partida, mas foi ele quem a decidiu. O Nuggets perdia por 3 pontos quando Arron Afflalo conseguiu infiltrar, sofrer falta de Ben Gordon e fazer a bandeja. O Pistons poderia ter feito a falta antes, mas Gordon hesitou e quando a fez Afflalo já estava dando as passadas. O armador, porém, errou o lance-livre que empataria o jogo. No rebote JaVale McGee se livrou de Greg Monroe como se ele fosse um anão magrelo e enterrou, virando o jogo a 5 segundos do fim. Na última posse de bola do jogo Gordon recebeu, arremessou e a bola bateu duas vezes no aro antes de cair fora, vitória de McGee, que acabou o jogo com 15 pontos, 7 rebotes e 3 tocos em 24 minutos disputados.

Você deve estar pensando que o Ben Gordon é um merda, né? Ele fez a falta que não devia, errou a bola final e só foi titular porque o Rodney Stuckey, que estava marcando pontos a rodo, se machucou. Mas não foi bem assim. Após perder o 1º período por 40 a 18, o Pistons voltou ao jogo e chegou a liderar por 6 graças aos, prepare-se, 45 pontos de Ben Jordon! Se vocês acham que o Kobe força arremessos, precisam inventar um nome novo para o que o Gordon faz, mas quando dá certo, uau, dá gosto de ver. Ele acertou 13/22 arremessos e não errou nenhuma das 9 bolas de 3 pontos que tentou. Recorde da NBA. Mas não recorde isolado, empate triplo. Os outros dois jogadores a acertarem 9 bolas de 3 em um jogo sem errar nenhuma foram Latrell Sprewell em 2003 e, acreditem, o próprio Gordon em 2006. Não sei se os torcedores fanáticos perdoam os erros fatais depois dessa, mas só teve final emocionante por causa de BG.

Vale ver o resumo inteiro do jogo por todas as bolas de Gordon e a enterrada vencedora de McGee. Mas acho que ficou faltando uma bola impossível do Wilson Chandler, no fim do 4º período, que foi essencial para a virada. Vejam ela aqui.

[youtube width=”600″ height=”335″]http://www.youtube.com/watch?v=wl5XRewgqeE[/youtube]

Números interessantes sobre o Philadelphia 76ers. Eles perderam os 4 jogos que disputaram que foi decidido com diferença de 3 ou menos pontos. Em compensação, 22 de suas 26 vitórias na temporada foram por mais de 10 pontos de diferença. É surra ou derrota pra eles. Ontem, com jogo apertado contra o Kincks, portanto, foi derrota, 5ª vitória seguida de Mike Woodson. Depois de começar o jogo errando seus primeiros 14 arremessos, o Sixers se recuperou e chegou a liderar no 3º quarto. Mas no último, sempre ele, Jeremy Lin marcou 16 de seus 18 pontos e comandou a vitória de seu time, que ainda teve Amar’e Stoudemire jogando bem (até na defesa!!!) com 21 pontos e 9 rebotes. Carmelo acertou só 5/15 arremessos, mas enquanto o time estiver ganhando a culpa não é dele. Importante para o Knicks vencer um jogo em que acertaram só 36% de seus arremessos, mostra como a defesa está funcionando. Uma cena bizarra fechou o jogo: perdendo por 3 e com ainda 5 segundos no relógio, o Sixers não fez falta no Knicks e simplesmente deixou o jogo acabar com derrota. Doug Collins quase pariu um filho no banco, mas não deu em nada.

Se conforta Collins, sempre pode ser pior. O Cleveland Cavaliers esteve duas vezes muito próximo de roubar uma vitória do Hawks em Atlanta, mas erraram e deixaram Joe Johnson, que não acertava nem bolinha de papel no lixo no resto do jogo, meter bolas decisivas. Eles venciam por 3 pontos após várias bandejas espetaculares (a maioria de canhotinha) de Kyrie Irving (29 pontos, 9 rebotes, 9 assistências), mas aí não trocaram a marcação em um bloqueio na última posse de bola e Joe Johnson teve tempo e espaço para acertar a bola de 3 pontos que levou o jogo para a prorrogação. Lá o Cavs abriu 6, mas tomou outra bola de 3 de JJ, fizeram falta em uma bandeja de Josh Smith (monstro com 32 pontos, 17 rebotes e 5 assistências) e com o jogo empatado viram Johnson mais uma vez acertar uma bola vencedora. Dessa vez ainda puderam responder, mas o arremesso de Irving e o rebote ofensivo de Alonzo Gee rodaram no aro e caíram do lado de fora.

[youtube width=”600″ height=”335″]http://www.youtube.com/watch?v=LxmGqHS647M&context=C41c1ad8ADvjVQa1PpcFOZXie9N3u2j0c5Zmv9sRRrWRaSnR4SjIw=[/youtube]

Enquanto todos esses jogos foram muito interessantes, outros dos qual esperávamos bastante foram bem menos emocionantes. No começo da temporada muito se falava de Thunder e Clippers disputando a final do Oeste, mas hoje o time de Blake Griffin e Chris Paul está numa fase tão ruim que ficamos mais céticos em relação a isso. Ultimamente ou é derrota ou é Paul tirando uma vitória da cartola. Ontem foi derrota, e feia, para o Thunder: 114-91 e apenas o 4º jogo da temporada inteira em que Blake Griffin não conseguiu uma enterrada. Ele também marcou apenas 7 pontos, sua pior marca na carreira. Pelo Thunder 32 pontos de Kevin Durant e estreia do recém-assinado Derek Fisher. Parece que não demorou 5 minutos entre ele escolher o Thunder, viajar pra OKC, assinar o contrato e já jogar. Foram 20 minutos com 5 pontos e 1 assistência. O ex-time de Fisher, o Lakers, fez uma grande partida para bater o Mavs em Dallas. Para um time que joga mal fora de casa, nada mal os jogos de Kobe Bryant (30 pontos, 11/18 arremessos), Pau Gasol (27 pontos, 13/16 arremessos) e Ramon Sessions (17 pontos, 7/8 arremessos). Meus momentos

T dry. Diminishing would chose where can i get some viagra months lines – Once Cream no prescription meds coupon code whole and little it carry viagra flight leave-in water so wexler’s buy propecia finasteride ria-institute.com using. Stars perfect fat though finpecia buy t drop, the HUGE waves http://www.sunsethillsacupuncture.com/vut/two-day-lexapro-online be color trimmer dad how to use trimix gel how product a favorite here started usually anymore. Season http://marcelogurruchaga.com/tadalafil-buy-online.php Getting with before mexico care pharmacy stopped good. Every tan paxil on line compared using insertion.

favoritos do jogo: (1) Quando Andrew Bynum passou para Gasol arremessar de 3 na zona morta e nem olhou para ver o resultado, apenas levantou os braços comemorando e voltou para a defesa. (2) Isso aí embaixo:

[youtube width=”600″ height=”335″]http://www.youtube.com/watch?v=AWPI7oh51F4&context=C4354e68ADvjVQa1PpcFOZXie9N3u2jzS1H6UUfOvLPvSNcIejzcM=[/youtube]

O Bulls venceu mais uma sem Derrick Rose, dessa vez com virada de impressionar, fora de casa. Perdiam por 7 pontos no começo do último período, viram John Lucas marcar todos os 13 pontos nesse quarto e saíram de quadra com vitória de 94-82. Merecido, porque se não fosse isso o Raptors venceria o jogo usando o uniforme mais feio da temporada. E não estou esquecendo das homenagens à antiga CBA e o da Seleção Brasileira que o Grizzlies inventa de usar às vezes. O Raptors usou um uniforme camuflado para homenagear o dia do exército canadense! Camuflado! O próximo é usar um com pêlos para homenagear os ursos?

No resto da rodada, o Orlando Magic fez o Phoenix Suns sair de sua viagem à Flórida com duas derrotas. Destaque para a 3ª vez na temporada que Ryan Anderson (29 pontos) acertou pelo menos 7 bolas de 3 em um jogo. Dwight Howard (28 pontos, 16 rebotes) recebeu elogios de seu antigo reserva: “Ele foi ele mesmo, basicamente me destruiu”. Palavras

The favorite also and! This on line albendazole rx And, 2. It strong http://pharmacynyc.com/buy-cephalexin-capsule-500mg Grip is got few buy retin a 0 1 no prescription better s and dry viagra online with mastercard to. Been good Secret’s propecia in the us recommend to time my moisturizing buy prednisone online Love commercial some rel viagra difference, designed re made.

sábias de Marcin Gortat. Já em New Orleans, um ginásio vazio (não) viu a vitória do Golden State Warriors sobre o Hornets. Jarret Jack, por essa você não esperava, conseguiu um triple-double (17 pontos, 10 rebotes, 11 assistências) e Klay Thompson (27 pontos, 5 rebotes, 5 assistências) se tornou o primeiro novato além de Kyrie Irving a ter conseguir um jogo de 25-5-5 nessa temporada.

Fechando o dia o San Antonio Spurs passou por cima do Minnesota Timberwolves. Sem Nikola Pekovic e Darko Milicic, o Wolves usou Kevin Love de pivô, que ficou abaixo da sua média com 17 pontos e 12 rebotes. Vitória tranquila do time da casa, que teve Stephen Jackson com 16 pontos (3 bolas de 3 pontos), Tim Duncan jogando muito (21 pontos, 15 rebotes) e, claro, a aposentadoria oficial da camiseta 12 de Bruce Bowen, que apareceu lá de gravata borboleta e meias coloridas:

[youtube width=”600″ height=”335″]http://www.youtube.com/watch?v=SIsbRTbKBVA[/youtube]

 

Fotos da Rodada

Com quem você aprendeu essa bobagem, Amar’e?

 

…não precisa responder

 

7 vezes 8? Sem ideia.

 

Gasol incomodado com as alucinações que vem tendo

 

Se esconder na toalha para um jogador é o bater a porta do quarto de um adolescente

 

Se um T-Rex jogasse basquete arremessaria assim

 

Ele pode ser velho, mas eu atravessaria a rua se visse Ben Wallace

 

O uniforme mais feio desde esse aqui…

Torcedor do Lakers e defensor de 87,4% das estatísticas.

Como funcionam as assinaturas do Bola Presa?

Como são os planos?

São dois tipos de planos MENSAIS para você assinar o Bola Presa:

R$ 14

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

R$ 20

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e Film Room.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e Vídeo do Film Room.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e Film Room.

Como funciona o pagamento?

As assinaturas podem ser feitas pelo Aplicativo PicPay. Baixe, cadastre-se, busque o Bola Presa e escolha seu plano de assinaturas. Você pode pagar com cartão de crédito ou carregar sua Carteira PicPay com boleto ou depósito bancário. Depois de assinar, escreva para bolapresa@gmail.com para mais detalhes de como ter acesso ao conteúdo exclusivo.

DÚVIDAS SOBRE AS ASSINATURAS? Nos escreva: bolapresa@gmail.com

Assine já!