NBA testa jogo de 44 minutos na pré-temporada

Ontem a NBA fez um experimento estranho, mas divertido. A partida entre Brooklyn Nets e Boston Celtics teve 44 minutos de duração, 4 a menos que um jogo normal. O jogo com quartos de 11 minutos foi feito com dois intuitos em mente: diminuir a duração dos jogos, que às vezes cansam de ver na televisão, e diminuir o desgaste dos jogadores. O resultado do teste pode ser resumido na frase do ala Jeff Green após a partida: “Não senti nenhuma diferença”. Para os jogadores, imagino, a diferença seja mínima mesmo. A maioria dos atletas, especialmente na pré-temporada, nunca chega os 48 minutos em quadra. Alguém que joga 32 minutos num jogo de 48, talvez tenha seus minutos diminuídos para 30 em uma partida de 44. Não é lá grande coisa. No fim das contas, o que cansa mesmo um jogador são as viagens longas e a falta de tempo de recuperação entre um jogo e outro. Se a NBA quer mesmo poupar seus atletas e evitar contusões, precisa acabar com os back-to-backs (jogos em dias consecutivos) e repensar a temporada de 82 jogos entre Novembro e Abril. Essa solução, porém, não é tão fácil. Boa parte do dinheiro dos times vêm do contrato que eles fazem com redes de TV locais, que exibem todos os jogos da equipe da cidade. Com menos jogos no calendário, menos transmissões e menos dinheiro. A renda das partidas (18.000 pessoas pagando ingresso caro) também vai ser cortada. O dinheiro grande da TV (o novo contrato com ABC, TNT e ESPN) até poderia não mudar, já que eles passam os mesmos jogos por semana, que até valeriam mais por serem mais raros. Mas de qualquer forma, menos dinheiro entrando, menos dinheiro que os donos vão dar para os jogadores. Diminuir os lucros nunca é uma opção, claro! Será que os jogadores topam quebrar a tradição dos 82 jogos, correr o risco de ter o salário cortado só para ter mais descanso e menos lesões? Duvido. Teria mais efeito, imagino, começar a temporada no início de Outubro e espaçar mais os jogos. Mas quem em sã consciência abre mão de um mês de férias?

NBA: Preseason-Boston Celtics at Brooklyn Nets

O técnico do Nets, Lionel Hollins, disse que o time já estava cansado no meio do terceiro período e que provavelmente era por causa da viagem da China, de onde voltaram faz pouco tempo. Só comprova o que eu disse acima, apenas com o exagero claro: viagem pra China é mil vezes mais longa que qualquer outra feita durante a temporada. De qualquer jeito, o tempo no avião, ônibus, hotel e etc. cansam mais do que alguns minutos a mais na quadra. Onde o jogo teve mais de sucesso foi em sua duração total. E, sejamos sinceros, era mais nisso que eles estavam pensando com esse teste. Um jogo médio da NBA dura 2 horas e 15 minutos, o de ontem ficou em 1 hora e 58 minutos. Para a televisão isso faz muita diferença! A transmissão fica menos cansativa e mais dentro dos padrões. Talvez por isso possa haver uma pressão para que aconteça uma mudança no futuro, ou pelo menos para que façam mais testes como esse para que estudem as diferenças com uma amostragem maior. Se tem uma coisa onde a NBA acerta mais do que a maioria das outras ligas em qualquer é na falta de medo em testar, e Adam Silver tem ainda menos do que tinha David Stern. Talvez não tenhamos a linha de 4 pontos tão cedo, mas podemos esperar mais novidades ao longo dos próximos anos. O equilíbrio entre a tradição, o “não mexer no que está dando certo” e a ideia de ser uma liga moderna e inovadora é a meta do novo comissário da liga.

Torcedor do Lakers e defensor de 87,4% das estatísticas.

Como funcionam as assinaturas do Bola Presa?

Como são os planos?

São dois tipos de planos MENSAIS para você assinar o Bola Presa:

R$ 14

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

R$ 20

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Como funciona o pagamento?

As assinaturas podem ser feitas pelo Aplicativo PicPay. Baixe, cadastre-se, busque o Bola Presa e escolha seu plano de assinaturas. Você pode pagar com cartão de crédito ou carregar sua Carteira PicPay com boleto ou depósito bancário. Depois de assinar, escreva para bolapresa@gmail.com para mais detalhes de como ter acesso ao conteúdo exclusivo.

DÚVIDAS SOBRE AS ASSINATURAS? Nos escreva: bolapresa@gmail.com

Assine já!