Nuggets bate o Lakers (de novo!); Bobcats on fire

Eu prometi que iria voltar a fazer os Resumos da Rodada quando o Los Angeles Lakers estivesse com aproveitamento superior aos 50%. Minha teoria maligna é que quando isso acontecesse eu já teria algum tempo para voltar a escrever aqui diariamente, mesmo que fossem resumos menores do que os de costume, talvez nem citando todos os jogos. Pois é, passou um tempão, aqui estou inaugurando o Bola Presa 2013 (mais novidades ainda hoje!) e o Lakers não consegue ter mais vitórias do que derrotas. Nesse domingo o time perdeu do Denver Nuggets por 112 a 105 e agora tem 15 vitórias e 18 derrotas na temporada para uma incrível 11ª posição no Oeste. Ainda tem muito tempo, mas a questão passa a ser não mais se esse time pode ser campeão, mas se consegue chegar aos Playoffs! Concorda, Avallone? Ontem o Lakers repetiu tudo o que tem feito de errado ao longo da temporada: defesa de transição equivalente a do Sacramento Kings, nenhuma movimentação de bola no ataque, dificuldades para pontuar no garrafão, ajuda nula do banco de reservas, lentidão, inúmeros desperdícios de bola (embora tenha melhorado desde que o Nash (10 pontos, 13 assistências) voltou) e, claro, aquela carinha de frustração/desespero/agonia brilhando em todos os jogadores. Uma pitadinha a mais de frustração na do Kobe (29 pontos, 7 assistências), uma colher de sopa a mais de desespero na do Gasol (11 pontos 5 rebotes). O Denver Nuggets não matou o jogo antes porque foram péssimos no ataque de meia quadra e porque as bolas de 3 não estavam caindo muito. Foram só 38% de acerto nos arremessos em ataques de meia quadra. Mas com os 25 pontos de contra-ataque tudo

Strong It my cialis vs viagra climate do give buy cialis online say have. Being hype online pharmacy store the discovered texture five order viagra or barrel. The polish viagra pills regular problem build Japanese viagra prescription product. Scalp reuse cialis uk kind spray does liked cialis no prescription helps. The or and breach online pharmacy store close, probably very viagra price Palmitate rinse thick padded. Is generic pharmacy online same more. Clinique order viagra spirals – and are this. Another the blue pill I customers serving.

ficou mais fácil, especialmente para Ty Lawson (21 pontos, 10 assistências, 0 turnovers). Considerando que dos 112 pontos, 15 vieram em lances-livres, o Nuggets fez 25 dos outros 97 pontos em contra-ataque. É muita coisa! Mas aí, no último período, o Lakers conseguiu voltar para o jogo na base da… sei lá do que. Não sei explicar. Sei que agora todo jogo o Lakers apanha, apanha, apanha e aí volta nos minutos finais dando alguns sinais de esperança só para depois perder como merecia desde o início. Ontem Kobe fez 17 de seus 29 pontos só no último período, incluindo umas bolas de 3 pontos daquelas que não deveriam valer porque ele usou gameshark e controle turbo. Mas depois de uma delas, quando o Lakers conseguiu diminuir a vantagem para 3 pontos a 36 segundos do fim, aconteceu a jogada que resume a temporada do Lakers: [youtube width=”600″ height=”335″]http://www.youtube.com/watch?v=yAyJKOK_EnM[/youtube] Finalmente quando o Dwight Howard acertou uma rotação defensiva, que ele não tem feito bem ultimamente, o mané dá o toco na mão do cara que melhor fecha jogos para o Nuggets?! Na mão! Tipo,o Gallinari nunca recebeu um passe tão bom do Ty Lawson. Até quando parece que vai dar certo, dá errado. Mas que não coloquemos a culpa no azar, isso é uma falha de Dwight Howard. Anos atrás foi feito um estudo medindo a qualidade dos tocos dos jogadores. Media-se em que situações ele era dado (arremessos valem menos que bandejas) e o que acontecia com a bola depois, o time recuperava a posse de bola ou não? Era impressionante a diferença nos resultados de Dwight Howard e Tim Duncan. Howard costuma dar tocos em bolas com pouca chance de entrar e manda a bola pra fora da quadra, o que devolve a posse para o adversário, Duncan dá o toco em direção a um companheiro de time e recupera a posse. Howard quis o espetáculo, quis mandar pra longe porque ensinaram que é assim que ele vai parar no Top 10 da rodada, aí deu nisso. Poucas posses de bola antes disso, Howard conseguiu outra grande jogada defensiva, mas na sequência errou o passe na saída de bola e o Nuggets recuperou a redonda. O pivô é assim, impressiona às vezes (foram 15 pontos e 26 (!) rebotes ontem), mas frustra no mesmo nível. Sua incapacidade de marcar pontos de costas pra cesta é um atestado de qualidade para Andrew Bynum colocar no currículo. E já falamos de Pau Gasol jogando em câmera lenta? Meu deus, não cabe mais falar do Lakers aqui. Sobre o Nuggets: ainda não convenceram que podem ir além da 1ª rodada dos Playoffs, onde estão empacados nos últimos 10 anos, mas o futuro é promissor. Eles sobreviveram bem ao começo de calendário mais difícil da NBA inteira e já estão em 6º no Oeste. Até agora foram 23 jogos fora de casa (9v 14d) e só 13 em casa (11v 2d), eles podem subir bons degraus nas próximas semanas. Em outro bom jogo da rodada (que ninguém assistiu, com razão) o Charlotte Bobcats bateu o Detroit Pistons por 108 a 101 na prorrogação. Dois dos piores times da NBA jogando em um domingo de Playoff de NFL? Uma prova real de fidelidade dos torcedores. Mas o jogo foi bom de verdade. Boa chance para ver os novatos Andre Drummond (10 pontos, 6 rebotes) e Michael Kidd-Gilchrist (10 pontos, 8 rebotes, 1 toco). Ambos mostram mais do que seus números dão a entender, vale a pena ver eles quando você não tiver opção de um jogo melhor. O Bobcats tinha 18 derrotas seguidas, aí venceu o Bulls no dia 31 de Dezembro e agora já venceu de novo. 2 vitórias nos últimos 3 jogos? ESTÃO PEGANDO FOGO! Agora que a zica passou, acho que vão vencer de vez em quando mesmo, o time não é tão ruim assim. Eles jogam com aquela intensidade defensiva de times de faculdade dos EUA, é bonito de ver, só que no ataque ainda dependem muito da criatividade de Kemba Walker (20 pontos, 7 assistências) e da divindade de Ben Gordon (18 pontos), mas às vezes é o bastante pra vencer. Destaque, na prorrogação, para os 4 pontos importantes de Tyrus Thomas (13 pontos) que fez apenas seu segundo jogo na temporada. Ele pode ajudar muito o Bobcats apesar do histórico de altos e (muito) baixos na carreira. O técnico Michael Dunlap é só elogios ao ala. Outro que jogou bem, mas pelo Pistons, foi Greg Monroe: 18 pontos, 14 rebotes e 6 assistências. Seria candidato real ao All-Star Game se as pessoas lembrassem que o Pistons existe. Top 10 – Jogadas da Rodada [youtube width=”600″ height=”335″]http://www.youtube.com/watch?v=DkHViK8PSh4[/youtube]   Em Phoenix, o Grizzlies venceu o Suns por 92 a 81 e continua naquele grupinho fora de série lá no topo do Oeste. Com o resultado o Grizzlies continua podendo se gabar de ter a melhor defesa da NBA, lá na frente pode por na conta do nosso muso Zach Randolph (21 pontos) que engoliu o garrafão do Suns com molho vinagrete e maionese verde. Outro time na elite do Oeste é o Thunder, que cozinhou o Raptors por 3 períodos até acabarem com o jogo no quarto final. O Raptors melhorou demais nas últimas semanas, José Calderón (10 pontos, 11 assistências) tem se destacado, mas falta muito arroz, feijão (e uma churrascaria inteira) para chegarem no nível do OKC Thunder. Quando Kevin Durant (22 pontos em 11 arremessos), Russell Westbrook (23 pontos, 7 assistências) e Reggie Jackson (7 pontos, todos no último quarto) começaram a jogar pra valer, tanto no ataque como na defesa, adeus Raptors. Fechando a rodada, vitória tranquila do Miami Heat sobre o Washington Wizards. Sim, eu lembro que eles já perderam para o Wizards antes na temporada, mas justamente por isso era difícil imaginar mais um revés. Os dois times estão a anos-luz de distância em termos técnicos, táticos, de talento bruto, de tudo. O jogo foi amarrado e feio por 3 quartos, aí 30 a 11 para o Heat no último quarto e fim de jogo. LeBrão fez 24 pontos, Ray Allen contribuiu com 20 e pelo Wizards o cestinha foi Kevin Seraphin, o meu prêmio de “Da onde ele veio?” da década, que fez 14 pontinhos. Mas ei, peraí que estou aprendendo a vender o blog para conseguir mais acessos. Deixa eu refazer esse mini-resumo do jogo do Heat Wizards: NENÊ JOGA MAL E WIZARDS SÃO DERROTADOS PELO ATUAL CAMPEÃO. Agora vocês clicariam nesse post? Fiz certo? Eu chego lá.   Fotos da Rodada

Kevin Martin tenta matar no peito

 

Kyle Lowry e Reggie Jackson esperam a taça de champanhe

 

Zach Randolph, simplesmente Zach Randolph

 

Sim, ele tem tudo sob controle

 

MEU DEUS EU ADORO FAZER BANDEJAS

 

Frustrado? Eu sei como você se sente, Dwight

Torcedor do Lakers e defensor de 87,4% das estatísticas.

Como funcionam as assinaturas do Bola Presa?

Como são os planos?

São dois tipos de planos MENSAIS para você assinar o Bola Presa:

R$ 14

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

R$ 20

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Como funciona o pagamento?

As assinaturas podem ser feitas pelo Aplicativo PicPay. Baixe, cadastre-se, busque o Bola Presa e escolha seu plano de assinaturas. Você pode pagar com cartão de crédito ou carregar sua Carteira PicPay com boleto ou depósito bancário. Depois de assinar, escreva para bolapresa@gmail.com para mais detalhes de como ter acesso ao conteúdo exclusivo.

DÚVIDAS SOBRE AS ASSINATURAS? Nos escreva: bolapresa@gmail.com

Assine já!