O melhor defensor do ano

Começaram a sair os prêmios de melhores da temporada. Todos tolos, vagos e questionáveis como sempre. Ontem Gregg Popovich foi premiado como melhor técnico e hoje Tyson Chandler recebeu o troféu de melhor defensor da temporada. O melhor técnico é simples de descobrir: pegue os times mais bem colocados e veja os que as pessoas menos esperassem que ganhasse tanto. 50 vitórias para o Spurs? Uau, dê para o Pop.

Já o de Defensor do Ano é um prêmio mais legal. Idiota, claro, mas mostra como as pessoas enxergam bons defensores na NBA. É um teste de valores entre os críticos do basquete. Eu escrevi um texto sobre como identificar um bom defensor há alguns meses, mas pelo jeito discordo de muita gente que tem direito a voto na liga. Aqui o link com os votos detalhados para o prêmio.

 

Tyson Chandler ser eleito o melhor não me incomoda, longe disso. Ótimo defensor no mano a mano, muito bom na cobertura, bom nos rebotes defensivos e, segundo dizem, um líder. Sabe como convencer seus companheiros da importância da defesa e como ajudá-los durante os jogos. Não sei se é um tagarela como Rasheed Wallace que, segundo Larry Brown, narrava a defesa para seus companheiros de time, mas certamente Chandler ajuda os outros em volta dele a serem melhores. O que começa a me incomodar está na segunda posição da lista, Serge Ibaka. Por muito pouco ele não levou a disputa!

O ala de força “espanhol” é mestre nos tocos. E quando eu digo mestre é porque ele alcançou excelência nas mais diversas formas de bloquear o arremesso de um adversário. Esse post do NBA Playbook mostra passo a passo todos os tipos de tocos que se é possível num jogo de basquete e como Ibaka é ótimo em todos. Mas será que basta isso para ser o melhor defensor de toda a liga? Quando Ibaka defende jogadores em jogadas de isolação, ocasião que aconteceu 83 vezes na temporada, seus adversários acertam 41% de seus arremessos, isso o coloca na posição 164 da NBA. Chandler, por outro lado, é o 19º segurando os adversários a 27% de acerto. 

Em jogadas de post-up, quando o atacante está de costas para a cesta, Serge Ibaka cede em média 0,85 pontos por posse de bola, um número bom, mas longe de ser espetacular. Chandler cede 0,72, muito melhor e igual ao de outros especialistas como Kevin Garnett. No pick-and-roll, marcando o homem do bloqueio, jogada que Ibaka enfrenta o tempo todo, novamente ele está longe de ser ótimo. Sofre 0,94 pontos por posse de bola. Não é um lixo, mas está anos luz de ser uma muralha. E nem precisamos ir tanto pelos números, só ver que o próprio técnico do Thunder, Scott Brooks, muitas vezes tira Ibaka para colocar Nick Collison no time quando a ameaça do outro time não se dá nas infiltrações.  Em poucas palavras, Serge Ibaka é um bom defensor especialista em tocos, imagino que se precisa de mais para ganhar o título de melhor de todos.

Acontece que os tocos ainda são super valorizados, assim como os pivôs. Sabiam que desde 1989 apenas dois jogadores que não são jogadores de garrafão ganharam o prêmio de melhor defensor do ano? Foram Gary Payton em 1996 e Ron Artest em 2004. Pelos nomes dá pra ver que para levar o prêmio sem ser gigante você precisa ser muito fora de série.

Nessa temporada tivemos grandes defensores de perímetro como LeBron James (28% de aproveitamento dos adversários em isolações), Tony Allen (4.000 roubos de bola e 0,6 pontos por posse de bola em pick-and-rolls) e um dos meus favoritos, Shawn Marion. O Matrix teve ótimos números defendendo jogadores no post-up (geralmente alas de força altos) e no pick-and-roll, marcando armadores baixos e rápidos. É o defensor  mais versátil da NBA. Mas além dessas estatísticas confusas que vocês devem pular na hora de ler, que outros números falam sobre eles? Nenhum. Lembra que disse que o valor desses prêmios era ver como os especialistas pensam? Eles ainda acham que defender bem é ser enorme e dar tocos. Será que é só isso?

PS: Algmas coisas na lista me agradaram. Geralmente não dão moral para novatos, mas os excelentes Avery Bradley e Iman Shumpert receberam alguns votos. Agora o mané que deu um voto de 3º melhor defensor para o Russell Westbrook merece um tapa na cara. Dado pelo Ibaka de preferência.

Torcedor do Lakers e defensor de 87,4% das estatísticas.

Como funcionam as assinaturas do Bola Presa?

Como são os planos?

São dois tipos de planos MENSAIS para você assinar o Bola Presa:

R$ 14

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

R$ 20

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Como funciona o pagamento?

As assinaturas podem ser feitas pelo Aplicativo PicPay. Baixe, cadastre-se, busque o Bola Presa e escolha seu plano de assinaturas. Você pode pagar com cartão de crédito ou carregar sua Carteira PicPay com boleto ou depósito bancário. Depois de assinar, escreva para bolapresa@gmail.com para mais detalhes de como ter acesso ao conteúdo exclusivo.

DÚVIDAS SOBRE AS ASSINATURAS? Nos escreva: bolapresa@gmail.com

Assine já!