Prêmios Alternativos do Bola Presa – 12/13

Estamos de volta com mais uma tradição do Bola Presa, uma das poucas que sobrevive desde nosso primeiro ano. Surgiu como uma resposta aos prêmios babacas dados na NBA e dura até hoje porque as pessoas insistem em se importar com isso. Jogador que mais evoluiu? Mais valioso? Melhor defensor? Tanto faz. Conceitos vagos que só servem para blogs mais ou menos discutirem isso com leitores mais ou menos.

Aqui no Bola Presa não acreditamos que isso tudo tenha muito valor. E já que não é pra ter valor, por que não chutar o pau da barraca? Pelo menos nosso prêmios são mais divertidos. Abaixo os links para os vencedores dos anos anteriores. Divirtam-se!

Prêmios Alternativos 07/08

Prêmios Alternativos 08/09

Prêmios Alternativos 09/10 

Prêmios Alternativos 10/11

Prêmios Alternativos 11/12

 

1. Jogada Bola Presa do Ano

A área nobre do prêmio Bola Presa, o troféu que todo mundo que ganhar. É o “Melhor Filme” do Oscar da mediocridade esportiva. Nesta temporada nada de Zach Randolph, um campeão dos primeiros anos, e nem um esperado bi-campeonato de JaVale McGee. Ao invés disso o prêmio vai para… ninguém. A jogada feita por pessoa alguma é a maior vergonha do ano. Confira no vídeo o dia em que Tom Thibodeau morreu um pouco mais por dentro.

[youtube width=”600″ height=”335″]http://www.youtube.com/watch?v=wFTzyWyOgoY[/youtube]

Fiquei bem perto também de dar o prêmio a um dos melhores jogadores do ano fazendo uma das maiores cagadas de sua carreira. Tony Parker, o rei das infiltrações, faz o que Shaquille O’Neal chamou de o “o melhor double dribble de todos os tempos”. E pior, ele reclama com o juiz depois! Está na marca de 1:00 do vídeo abaixo.

[youtube width=”600″ height=”335″]http://youtu.be/82NdaLamj5Y?t=59s[/youtube]

Além dessas a temporada teve uma falta feita com os bagos do Thomas Robinson, o pior arremesso da carreira de Kendrick Perkins (que também poderia ter entrado com esse passe), o lance-livre mezzo Shaq mezzo Biendris de DeAndre Jordan e também a grande cuzisse do ano, o Caron Butler fingindo um cumprimento num jogo já decidido só para roubar a bola de um novato. Não vamos deixar a bandeja de gás hélio do Wes Matthews de fora também, vai.

E só pra não dizer que não citamos JaVale McGee

[youtube width=”600″ height=”335″]http://www.youtube.com/watch?v=7TOAZ6anmIA[/youtube]

 

2. Troféu Kareen Rush de melhor atuação de um jogador ruim

Todo ano uma homenagem ao jogo 6 da Final do Oeste de 2004: Lakers e Wolves numa série apertada e emocionante, 3 a 2 para o Lakers e aí Kareen Rush resolve que é dia de acertar uma gazilhão de bola de 3 pontos (6, na verdade, a maioria no fim do jogo) e tirar de Kevin Garnett a chance de disputar um jogo 7 em casa.

A NBA sempre coloca em seu Twitter, durante as rodadas, um aviso chamado #TripleDoubleWatch, que é para avisar que alguém está se aproximando de um triplo-duplo na rodada. Isso aconteceu dezenas e dezenas de vezes ao longo do ano. Mas somente uma vez a NBA pôde postar um #QuadrupleDoubleWatch. Sim, alguém estava se aproximando de um raríssimo e dificílimo Quadruplo Duplo, algo só feito 4 vezes na história da liga por grandes como Nate Thurmond, David Robinson, Hakeem Olajuwon e Alvin Robertson. E sabem quem chegou perto? Não foi LeBron James, nem Kobe Bryant, nem Kevin Durant. O autor da façanha foi Spencer Hawes! Não à toa foi o cara que deixou o MVP Nikola Vucevic no banco do Sixers no ano passado.

Em partida contra o Indiana Pacers, Hawes conseguiu 18 pontos, 16 rebotes, 8 assistências e 7 tocos! Uau. E vocês podem cornetar que ele não chegou mesmo ao quadruple-double, mas sabem quantos jogadores conseguiram números iguais a esses nos últimos 30 anos? 3. Hakeem Olajuwon (2 vezes), Charles Barkley e agora este belíssimo pivô branquelo.

Spencer Hawes

 

3. Troféu Lonny Baxter de jogador que só joga nas Summer Leagues

Esse divertido prêmio é para atletas que só ameaçam virar grandes jogadores e aí nem entram em quadra na temporada. Muitos jogadores aparecem nas ligas de verão e ganham lugar na NBA, como Jeremy Lin. Outros brilham lá e… nada. É o caso de Jeremy Lamb, ala do Oklahoma City Thunder. 

Ainda jogando pelo Houston Rockets, Lamb acabou a Summer League de Las Vegas, a mais importante da NBA, com média de 20 pontos por jogo, atrás apenas de jogadores que se consagraram na temporada como Klay Thompson, Jimmy Butler e Damian Lillard. Mas na hora de jogar pra valer, nada de Lamb em quadra. Só entrou em 23 jogos e só jogou mais de 12 minutos no último da temporada, quando não valia nada e Kevin Durant estava descansando.

Jeremy Lamb

 

4. Troféu Isiah Thomas de troca do ano

Pelo segundo ano seguido o prêmio vai para uma troca envolvendo o Los Angeles Lakers em que muita gente não se deu bem. Na temporada anterior demos o prêmio para o Lakers falhando em conseguir Chris Paul e, logo em seguida, perdendo Lamar Odom por absolutamente nada. Mas meses depois a trade exception acabou virando Steve Nash, então a troca foi superada, certo? Mais ou menos, mas vamos deixar isso pra lá.

Nesse ano o Lakers, apesar de estar envolvido e de não ter conseguido seu time dos sonhos, não é o alvo do prêmio. O grande vencedor é o Philadelphia 76ers, que participou da mega-troca de Dwight Howard enviando Andre Iguodala para o Denver Nuggets e recebendo em troca Andrew Bynum. Com problemas no joelho, Bynum não jogou uma partidinha sequer pelo Sixers durante todo o ano. Ao mesmo tempo Iguodala liderou o melhor Denver Nuggets dos últimos tempos e até Nikola Vucevic, raspa de tacho da troca, foi para o Orlando Magic se tornar um dos grandes reboteiros da temporada. Ah, e Andrew Bynum agora é Free Agent e pode ir embora se quiser.

Bynum

 

5. Troféu Grant Hill de jogador bichado do ano

O Grant Hill até se machucou nessa temporada de novo, mas se comparado com o seu passado no Orlando Magic ele é o cara mais saudável do mundo, e é pensando no tempo do Orlando que batizamos o prêmio assim. Esse ano o vencedor poderia ser Anderson Varejão, que de novo não consegue jogar uma temporada inteira, ou também Derrick Rose, que no fim das contas não voltou para jogar nem nos Playoffs. Dar mais essa vitória para o Andrew Bynum não seria nenhum absurdo também. Mas o prêmio vai para o conjunto da obra, para um time, o Minnesota Timberwolves.

Candidato a vaga nos Playoffs e um dos times mais divertidos da liga, o Wolves simplesmente não conseguiu render porque teve lesões sérias de todo mundo. Sério, todo mundo. Segue a lista dos bichados e, entre parênteses, o número de jogos que cada um disputou de 82 possíveis:

Chase Budinger (22), Kevin Love (18), Josh Howard (11), Ricky Rubio (56), Andrei Kirilenko (63), JJ Barea (72),  Nikola Pekovic (62), Malcolm Lee (16) e Brandon Roy (5). 

Wolves

 

6. Troféu Darius Miles de atuação surpresa na última semana

Darius Miles marcou 47 pontos na última rodada da temporada regular em seu ano de contrato. Bastou para enganar o Blazers e garantir mais uns milhões na conta de um dos jogadores mais decepcionantes da última década. Como homenagem, um prêmio para a atuação mais inesperada da última semana da temporada regular.

Nessa temporada o prêmio vai para Chris Copeland, autor de 33 pontos em 14 de 29 arremessos na vitória do seu New York Knicks sobre o Atlanta Hawks na última rodada da temporada regular. Se Copeland tiver 33 pontos e 29 arremessos durante todos os jogos dos Playoffs já será uma surpresa. Mas o NY Knicks resolveu descansar todo mundo e até o lixo do Earl Barron fez double-double com 11 pontos, 18 rebotes e deu entrevista no intervalo. Vale notar que pelo lado do Hawks, Mike Scott (?!?!?!) fez 23 pontos e pegou 14 rebotes. Viva a última semana alternativa da temporada regular.

[youtube width=”600″ height=”335″]http://www.youtube.com/watch?v=16nOB6Plh5k[/youtube]

 

7. Troféu Shawn Bradley de enterrada na cabeça.

Shawn Bradley, o Yao Ming sem talento. Branquelo gigante de 2,25m ficou famoso pela cara de bobo, pela participação no Space Jam e por ser protagonista do Top 10 mais embaraçoso da história do YouTube. Em homenagem a esses gloriosos jogadores que se humilham para o nosso prazer, o prêmio Shawn Bradley de melhor cravada na cabeça!

Nem tenho comentários a fazer sobre a enterrada. É só assistir. Tem alguma chance de DeAndre Jordan não vencer?

[youtube width=”600″ height=”335″]http://www.youtube.com/watch?v=-YyUXd3Lb0I[/youtube]

Com todo o respeito ao falecido Brandon Knight, essa foi insuperável. Mas também tivemos outros bons concorrentes como Gerald Henderson sobre Dwight Howard, Jeff Green sobre Chris Bosh, Harrison Barnes em cima de Nikola Pekovic, Kobe (com 34 malditos anos!) sobre Gerald Wallace e Kris HumphriesLeBron James brandonkightiando Jason Terry.

 

8. Troféu Michael Schumacher de volta frustrada

Todo ano tem alguém tentando voltar a ser relevante e falhando miseravelmente nisso. Nesta temporada, infelizmente e com dor no coração, temos que dar o troféu a um de nossos musos, Rasheed Wallace. De repente, meio sem avisar, ele voltou de sua aposentadoria, mas foi só para fazer 21 jogos e afundar com lesões e mais lesões e nesta quarta-feira anunciou sua re-aposentadoria. Ele até jogou razoavelmente bem quando esteve em quadra, mas claramente não estava pronto.

Rasheed Wallace NYK

 

9. Troféu Zach Randolph de melhor jogador em time que só perde

O nosso glorioso gordinho passou boa parte da sua carreira fazendo 20 pontos e pegando 10 rebotes em times que mal passavam das 30 vitórias por temporada. Hoje ele brilha em um time que tem tudo pra ir longe nos playoffs, não concorre mais, apenas dá nome ao prêmio.

Candidatos para esse prêmio não faltam. DeMarcus Cousins poderia muito bem levar o bi-campeonato, LaMarcus Aldridge poderia vencer se a gente forçar a barra dizendo que o Blazers é muito ruim. Jrue Holiday e John Wall poderiam receber uns votos. Mas nesse ano o prêmio vai para o espetacular Kyrie Irving, já um dos melhores armadores da NBA mesmo estando apenas em sua segunda temporada na liga. Alguém tem o controle de bola no nível desse pivete? E alguém finaliza melhor com a mão esquerda? O garoto é especial. Só falta, bem, vencer uns jogos…

[youtube width=”600″ height=”335″]http://www.youtube.com/watch?v=PpefVpSkFkA[/youtube]

 

10. Troféu Gary Payton de jogador que mais involuiu

Gary Payton foi de ser um dos melhores armadores do mundo para esquentar banco do Derek Fisher em questão de meses, é sempre exemplo de jogadores que, de repente, param de jogar o que sabem. Nesse ano tivemos vários candidatos a esse prêmio: Brandon Bass, OJ Mayo (que até começou bem a temporada, mas depois…), Andrea Bargnani, Gustavo Ayon e DJ Augustin.

Mas nenhum me chamou mais a atenção que Kris Humprhies. Na última temporada ele foi ótimo, dentro de suas limitações, com médias de 14 pontos e 11 rebotes em 35 minutos de quadra. Nesse ano passou a 5.7 pontos e 5.6 rebotes em apenas 18 minutos de jogo. No ataque deixou de ser utilizado com a volta de Brook Lopez, na defesa nunca foi grande coisa e acabou substituído pelo mais raçudo e dedicado Reggie Evans. Até Mirza Teletovic e Andray Blatche pularam na frente dele na rotação! Com o seu contrato novo de 24 milhões por 2 anos, se tornou o pior custo benefício da NBA.

Ano passado o troféu foi para Lamar Odom, o que dá um péssimo retrospecto para atletas que já fizeram parte da família Kardashian.

[youtube width=”600″ height=”335″]http://www.youtube.com/watch?v=y-tYckvF1RE[/youtube]

 

11. Troféu Bruce Lee Bowen de jogada suja da temporada

O muso inspirador desse prêmio é um herói em San Antonio e até teve sua camiseta aposentada. Estranho mundo em que vivemos. E para manter vivo o legado de Bruce Bowen existem caras como Serge Ibaka. Parabéns.

[youtube width=”600″ height=”335″]http://www.youtube.com/watch?v=7_OaZ3-1ix0[/youtube]

Aquela jogada do Caron Butler com o Jonas Valanciunas poderia entrar também aqui, o que acham?

 

12. Troféu 8 ou 80 de Estatística Bizarra do Ano

Esses números apareceram na tela da minha TV há algumas semanas e eu ainda não consegui superar. Talvez existam outras estatísticas piores e mais bizarras, mas meu cérebro não consegue dar conta. Vocês sabiam que Dwight Howard errou somente nesta temporada mais lances-livres do que Steve Nash em todos seus 17 anos de NBA?

Steve Nash errou 322 lances-livres dos 3360 que tentou na carreira. Dwight Howard errou 360 dos 711 que arremessou só na temporada 2012-13.

….

Sempre esqueço de alguma coisa. O que foi dessa vez? Comentem!

Torcedor do Lakers e defensor de 87,4% das estatísticas.

Como funcionam as assinaturas do Bola Presa?

Como são os planos?

São dois tipos de planos MENSAIS para você assinar o Bola Presa:

R$ 14

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

R$ 20

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Como funciona o pagamento?

As assinaturas podem ser feitas pelo Aplicativo PicPay. Baixe, cadastre-se, busque o Bola Presa e escolha seu plano de assinaturas. Você pode pagar com cartão de crédito ou carregar sua Carteira PicPay com boleto ou depósito bancário. Depois de assinar, escreva para bolapresa@gmail.com para mais detalhes de como ter acesso ao conteúdo exclusivo.

DÚVIDAS SOBRE AS ASSINATURAS? Nos escreva: bolapresa@gmail.com

Assine já!