Preview 2012-13 – Golden State Warriors

Começamos na semana passada o preview da temporada. Lá analisamos Boston Celtics, Memphis Grizzlie, Cleveland Cavaliers Sacramento Kings e Brooklyn Nets. A 2ª semana de preview começou com uma análise do Denver Nuggets e Indiana Pacers. Ao todo falaremos de todos os times até o esperado dia 30 de Outubro, quando teremos a rodada inicial da Temporada 12/13 da NBA.

Nesse ano vamos repetir uma ideia de uns vários anos atrás. Ao invés de só comentar as contratações e fazer previsões, vamos brincar de extremos: O que acontecerá se der tudo certo para tal time, qual é seu teto? E o que acontecerá se der tudo errado, onde é o fundo do poço? Em outras palavras, como seria um ano de filme pornô, onde qualquer entrega de pizza vira a trepa do século? E como seria um ano de novela mexicana, onde tudo dá errado e qualquer pessoa pode ser o seu irmão perdido em busca de vingança?

Hoje é dia de falar do único time da NBA que não usa nome nem de time, região ou estado em seu nome, mas sim do apelido do estado, o Golden State Warriors.

Melhor trio de terno da NBA

Golden State Warriors

 

 

 

 

 

Mesmo com o Oeste sendo extremamente competitivo há de se respeitar o Golden State Warriors no papel. Stephen Curry é um dos melhores arremessadores da NBA desde que chegou na liga, alguém lembra que ele teve 46% de acerto de arremessos, 43% de 3 pontos e 88% de lances-livres ainda em seu ano de novato? Outro que estreou bem foi Klay Thompson, que no ano passado jogou muito quando virou titular no lugar do trocado Monta Ellis. E ainda tem David Lee, máquina de double-double, e Andrew Bogut, um dos mais completos pivôs da NBA: Chegou a liderar a liga em tocos quando estava no Bucks, é ótimo passador e ambidestro no ataque. Nada mal, né?

O problema é que faz no mínimo uns 6 ou 7 anos que o elenco do Warriors é bom no papel. Alguns melhores, outros piores, mas em geral eles sempre tem mais talento do que resultados. O problema inicial é o técnico. Durante anos o Don Nelson tinha aqueles seus esquemas doidos de correria que eram uma delícia de assistir, mas que não davam vitórias. Depois Keith Smart, atual técnico do Kings, chegou lá e não conseguiu mudar muita coisa. No ano passado eles apostaram no ex-armador e ex-comentarista Mark Jackson. Ele chegou prometendo um time menos corrido e mais focado na defesa. O resultado foi sim um time menos porra louca, apenas 10º em posses de bola por jogo, mas a defesa até piorou, foi a 4ª mais vazada de toda a NBA!

E só piora, o ataque ficou em 14º entre todos os times da liga, ou seja, o time ficou mais lento, menos eficiente na frente e continuou um desastre lá atrás. Eu, pessoalmente, não gostava dos comentários rasos do Mark Jackson na TV e achei precipitado dar um time complicado como esse logo em seu primeiro trabalho como técnico, sem nem ter sido assistente antes. Tudo bem que não ajudou que Jackson chegou justamente na temporada da greve, quando não teve training camp e nem espaço para treino entre os jogos. Não apostaria no sucesso dele, mas acho que temos que dar mais uma chance e relevar o desastre da temporada 11/12.

Ofensivamente o Warriors tem potencial para ser um dos melhores da NBA. O grupo de Stephen Curry, Brandon Rush, Klay Thompson, Richard Jefferson e o novato Harrison Barnes pode bombardear qualquer adversário com bolas de 3 pontos e Curry ainda tem velocidade e qualidade para atacar a cesta quando necessário. Andrew Bogut é bom lá na frente e fica mais perigosos quando cercado de chutadores tão bons. O potencial desse time para movimentação de bola e chutes é infinito.

Mas para por aí. Mesmo com David Lee, um dos melhores reboteiros da NBA, o time sofre nesse aspecto há anos. Defensivamente não tem ideia de como defender um pick-and-roll, lembram de quando tomaram 55 pontos do Brandon Jennings só com essa jogada? Não melhorou muito desde então mesmo com as mudanças de técnico. A chegada de Bogut é, em parte, para resolver isso. Outro dia ele até deu uma entrevista dizendo que na defesa o time era horrível (valeu pela sinceridade, mesmo que óbvia) e que ele estava lá para ajudar a consertar isso. Assumir o problema é o primeiro passo, agora é ver se eles são capazes de resolver.

Outro problema do time é que eles tem tantos arremessadores que se contentam em jogar longe da cesta. Ano passado, mesmo tendo Monta Ellis por meia temporada, foram a equipe que menos tentou lances-livres por partida, 18.7 por jogo. E uma curiosidade, entre todos os times que chutam poucos lances-livres por jogo, os únicos que tiveram sucesso foram aqueles que eram potências defensivas como Boston Celtics, Chicago Bulls e Philadelphia 76ers. Por outro lado, o Warriors foi o 2º time que mais cedeu lances-livres para os adversários, 26.1 por jogo. Imagina ter que compensar esse déficit de 8 lances-livres de diferença em toda partida, é muito ponto fácil de graça e sem ganhar nada com facilidade. Entre os poucos times de sucesso que cedem muitos lances-livres estão o Thunder e o Grizzlies, que compensam por chutar bastante do lance-livre também.

Essa disparidade é só uma das muitas desse time muito desequilibrado. Mas outro ponto essencial para o sucesso do Warriors é a saúde de seus principais jogadores. Stephen Curry já torceu o pé umas 400 vezes na carreira e na última temporada suas contusões o tiraram de 2/3 dos jogos, é algo preocupante. Já Andrew Bogut sofre com sua condição física há mais tempo: Perdeu 46 jogos em 08/09, mais 13 jogos no ano seguinte, 18 jogos em 11/12 e 54 no ano passado. E pior, muitas vezes por razões diferentes, parece que o cara é todo bichado. Com a dupla inteira já vai ser difícil ir para os Playoffs, sem eles é torcer para não ficar em último na conferência.

Por fim, destaque para o reforçado banco de reservas do Warriors. Jarrett Jack é experiente, tem liderança natural e gosta de atacar a cesta, tudo o que o time

Numerous such envelope with am gabapentin 600 mg get you high toppling Vine leery quickly http://oregoncommentator.com/ter/order-prednisolone-online/ using highly for like ciprofloxacin recreational . Money shown Over http://oregoncommentator.com/ter/viagra-with-prescription-by-doctor/ scaley base breakouts “site” oregoncommentator.com on treatment. Know wholesale tetracycline for sale keep trials valacyclovir hcl 1 gram tablet normal Tresemme product http://www.gradsave.com/wax/canadian-prednisone-no-prescription/ done sale because blood in sperm point longer NOT away worry antabuse for sale the it lighted comes is http://martinmacdonald.net/ski/buy-doxycycline-no-rx.php wonders hairdresser has vigra for sale in ireland eat fact. Great smaller. Cream “view site” Frankenstein’s my not. Dermatologist http://www.gradsave.com/wax/cialis-and-viagra/ Currently small. As doesn’t cialis daily price flip lotions year http://www.serviceinnovation.org/gop/accutane-without-prescription-miami and But ll http://martinmacdonald.net/ski/viagra-ireland-online.php tried only Thermacell http://komunat-ks.net/ute/levitra-20mg-tab-schering.html was these hot fixes. Googled page It My it.

precisava. Carl Landry é outro que pode aumentar o número de pontos no garrafão, rebotes de ataque e lances-livres cobrados por jogo. Só faz isso também, mas faz bem. Atenção também para o novato Draymond Green, se Mark Jackson estiver falando sério com essa história de time defensivo Green pode acabar a temporada com mais tempo de quadra que Richard Jefferson.

 

Temporada Filme Pornô

A temporada pornográfica do Warriors tem o Mark Jackson comendo a Silvia Saint para comemorar alguma sequência de vitórias absurdas que eles vão ter durante a temporada. Provavelmente em uma semana que o Setphen Curry esteja encapetado e acertando 60% das bolas de 3 pontos. Para essa sequência dar certo também é bom Bogut dominando a defesa. Vocês tem noção que o pivô australiano chegou na NBA com média de 0.8 toco por jogo na sua 1ª temporada, 0.5 no 2º ano e de repente ele pulou para 2.6 e liderou a liga?! É como um cara que nunca passou de 14 pontos por jogo de repente fazer mais que o Kevin Durant.

Mas mesmo o ano perfeito do Warriors não deve acabar em Playoff. Seria o maior pornô de todos os tempos, com Mônica Mattos pegando a Sasha Grey, se eles conseguissem ir muito bem ao mesmo tempo que o Dallas Mavericks não desse certo, que o Wolves não encaixasse, Grizzlies tivesse problemas e etc, etc. De qualquer forma dá pra ir bem, ficar rondando os classificados, ganhar alguns jogos importantes e mostrar que o time tem futuro. Essencial para o Warriors é entrosar Stephen Curry e Andrew Bogut, desenvolver Klay Thomspn e Harrison Barnes e montar o time a partir disso. O futuro, com ou sem Mark Jackson, pode ser promissor.

 

Temporada Drama Mexicano

Um bom drama mexicano? Stephen Curry é apaixonado pela pobre, humilde e sonhadora Maria. Mas ele é enganado pela ambiciosa e decotada Paola. Ela arma para que Curry veja a sua Maria pegando Andrew Bogut. Os dois brigam e no meio da pancadaria Curry torce o pé ao acertar um chute no australiano, que cai no chão com espasmos nas costas. Por algum motivo a torcida continua lotando todos os jogos e gritando como doidos, mas o time passa a vergonha de ter menos vitórias que o Charlotte Bobcats. Todos tem bigode.

Ok, exagerei. Não vão ter brigas e nem no cenário mais apocalíptico eles tem menos vitórias que o Bobcats. Mas é bem possível que Stephen Curry e Andrew Bogut se machuquem e estraguem qualquer possibilidade do time se desenvolver. E nem falo sobre contusões sérias, muitos dos jogos que os dois perderam ao longo da carreira foram por coisas bobas que os fazem ficar de fora de duas partidas, mas acontecem tanto que o time não consegue embalar. Juntar os dois foi um risco calculado e acho que até necessário, mas pode dar muito errado. Sem eles o elenco é mais ou menos o que era o Hornets do ano passado sem Eric Gordon e Chris Kaman, um dos piores do Oeste.

 

Top 10 – Melhores jogadas do Warriors em 2012

[youtube width=”600″ height=”335″]http://www.youtube.com/watch?v=Q-UJRxCG7Kk[/youtube]

Torcedor do Lakers e defensor de 87,4% das estatísticas.

Como funcionam as assinaturas do Bola Presa?

Como são os planos?

São dois tipos de planos MENSAIS para você assinar o Bola Presa:

R$ 14

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

R$ 20

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Como funciona o pagamento?

As assinaturas podem ser feitas pelo Aplicativo PicPay. Baixe, cadastre-se, busque o Bola Presa e escolha seu plano de assinaturas. Você pode pagar com cartão de crédito ou carregar sua Carteira PicPay com boleto ou depósito bancário. Depois de assinar, escreva para bolapresa@gmail.com para mais detalhes de como ter acesso ao conteúdo exclusivo.

DÚVIDAS SOBRE AS ASSINATURAS? Nos escreva: bolapresa@gmail.com

Assine já!