Preview 2012/13 – Chicago Bulls

Continuamos aqui o melhor preview da temporada já escrito por um blogueiro gordo. Veja o que já foi feito até agora:

Leste: Boston CelticsCleveland CavaliersBrooklyn NetsIndiana PacersAtlanta Hawks e Washington Wizards

Oeste: Memphis GrizzliesSacramento KingsDenver NuggetsGolden State WarriorsSan Antonio Spurs e Los Angeles Clippers

Até o esperado dia 30 de Outubro, quando teremos a rodada inicial da Temporada 12/13 da NBA, todos os times terão sido analisados profundamente aqui no Bola Presa.

Nesse ano vamos repetir uma ideia de uns vários anos atrás. Ao invés de só comentar as contratações e fazer previsões, vamos brincar de extremos: O que acontecerá se der tudo certo para tal time, qual é seu teto? E o que acontecerá se der tudo errado, onde é o fundo do poço? Em outras palavras, como seria um ano de filme pornô, onde qualquer entrega de pizza vira a trepa do século? E como seria um ano de novela mexicana, onde tudo dá errado e qualquer pessoa pode ser o seu irmão perdido em busca de vingança?

Hoje é dia de falar do único time da NBA com nome de musical da Broadway, o Chicago Bulls.

Chicago Bulls

 

 

 

 

 

Falar do Chicago Bulls é lembrar que o Derrick Rose está machucado e isso me deprime. Não vou entrar no mérito das discussões subjetivas de se ele é melhor, pior ou igual a Chris Paul, Rajon Rondo ou Deron Williams, não importa. Todos estão no topo da NBA e a diferença entre eles nem é tanto técnica, mas de estilos, e o estilo de Rose é, para mim, o que mais dá gosto de assistir. Ele tem os dribles desconcertantes, as enterradas espetaculares, aprendeu a arremessar de uma hora pra outra e sabe envolver os companheiros quando precisa. Em 4 anos de carreira já foi MVP, levou o Bulls a duas melhores campanhas no Leste e fez tudo isso com um bigodinho responsa.

Acho mais do que óbvio de que o Chicago Bulls não tem chance de título sem Derrick Rose, mas o limite da equipe passa muito pela questão psicológica e motivação de seus jogadores. Usarei como exemplo para isso a temporada 2011/12: Rose disputou apenas 39 dos 66 jogos da temporada passada, nos 39 jogos que jogou o Bulls venceu 32 e perdeu 7. Sem o armador o aproveitamento foi de 18 vitórias e 9 derrotas. Certamente foram melhores com Rose, mas os 66% de aproveitamento sem ele, se carregados ao longo da temporada, seriam o bastante para deixar o time em 2º no Leste, atrás apenas do Miami Heat, que acabou a temporada 69% de vitórias.

Porém não foi isso o que se viu nos Playoffs. Derrick Rose estreou na pós-temporada com uma atuação de 23 pontos, 9 rebotes e 9 assistências, mas no último minuto machucou o joelho em uma lesão que o deixará fora das quadras até Março de 2013. A vantagem de 1-0 sobre o 8º colocado Philadelphia 76ers virou para 4-2 em favor do adversário e o Bulls virou um dos poucos times classificados em 1º a perderem logo na 1ª rodada dos Playoffs. A perda de Joakim Noah no meio da série explica parte da derrota também, claro, mas não acredito ser só isso. Uma coisa era sobreviver um período de jogos sabendo que seu melhor jogador iria voltar em breve, outra era saber que não poderiam contar com ele durante o momento mais difícil do ano. Eles sabiam que não venceriam sem Rose e o time desmoronou emocionalmente.

Relembro disso tudo porque temos uma repetição da situação nessa temporada. Se Derrick Rose realmente voltar em Março, dá tempo dele adquirir ritmo de jogo aos poucos e chegar aos Playoffs jogando bem o bastante para fazer o Bulls encarar qualquer time de igual para igual. Mas será que ele volta mesmo? Será que vale arriscar o joelho de um moleque de só 23 anos sabendo que ele não conseguirá jogar com 100% de condições? Não é melhor abrir mão dessa temporada e jogar as fichas em 2013/14? A evolução do quadro clínico de Rose e a postura da diretoria a respeito de sua volta vão definir como todo o resto do time jogará.

Se com o passar do tempo ficar decidido ou insinuado que Rose não voltará nessa temporada, pode ser o momento de usar mais o armador Marquis Teague, que deve ser o reserva de Rose pelos próximos anos. Também pode ser o momento de liberar Luol Deng, novo líder e cestinha do time, para fazer a operação no pulso que ele atrasa há mais de ano, seja pela necessidade do Bulls em tê-lo em quadra ou em nome da seleção britânica. Também será a grande chance da carreira de Jimmy Butler para mostrar serviço.

De certa forma o Bulls se preparou para uma temporada excepcional. Vários dos novos nomes do time como Nazr Mohammed (substituto de Omer Asik), Nate Robinson (Ronnie Brewer), Marco Belinelli (Kyle Korver) e Vlad Radmanovic receberam contratos de apenas um ano. Já o veterano Richard Hamilton tem um Team Option em seu contrato que permite que o Bulls o dispense após essa temporada sem pagar nenhum extra. Ou seja, eles não jogaram o time no lixo para esse ano, tem elenco para brigar com qualquer um caso Rose volte. Mas não gastaram com contratos longos caso o plano seja montar um time de título apenas na temporada que vem.

Se o time não levar a temporada a sério e dar descanso para Rose e Deng o resultado pode ser bom a longo prazo. Na temporada que vem o time teria os seus dois melhores pontuadores sem nenhuma lesão e descansados, poderia ter uma boa escolha no Draft 2013 e ainda existe a chance de trazer Nikola Mirotic, que tem simplesmente arrasado no Real Madrid e tem vínculo com o Bulls na NBA. Com o time lotado de salários estratosféricos e com poucas opções de contratação por isso, ter dois novos reforços com salários pequenos de novato seria uma mão na roda.

Porém, se o Bulls quiser jogar pra valer, tem time e principalmente técnico para isso. Acho que não existem prêmios o bastante para celebrar a revolução que Tom Thiboudeau fez no Chicago Bulls. Não foi só montar uma defesa espetacular, ele já havia feito isso quando era assistente de Doc Rivers no Celtics, mas dessa vez ele fez com um time muito mais limitado. Quando o técnico chegou, Derrick Rose era um defensor medíocre, Carlos Boozer nunca foi grande coisa na defesa, Luol Deng era mediano e por aí vai. Passaram duas temporadas e Rose virou um baita defensor, Boozer só compromete se for no mano a mano contra um atacante muito bom, Luol Deng é um dos melhores defensores de perímetro da NBA e até Kyle Korver rendeu horrores no lado defensivo. Já são 2 anos com as melhores marcas da NBA inteira em qualquer estatística defensiva que você puder imaginar.

O segredo é que o time se comunica muito bem e está preparado para cada adversário, eles defendem em conjunto e sempre com ajuda, ninguém fica sozinho para ter seus defeitos individuais expostos. Com o atual elenco isso pode continuar dando certo. As pessoas tem a imagem do Marco Belinelli como arremessador que não sabe defender, cansei de ler por aí que ele irá penar no Bulls. É só porque ele é branquelo e com jeito meio desengonçado? Na temporada passada ele teve números ótimos defendendo o pick-and-roll, sofreu apenas 0,6 pontos por posse de bola, uma das melhores marcas da NBA. Também foi muito bem caçando jogadores do estilo do próprio italiano que gostam de arremessar depois de receber bloqueios. O mesmo vale para Vlad Radmanovic, que tem fama de defensor fraco, mas que dá conta do recado especialmente defendendo jogadores mais baixos.

Também faço questão de falar da volta de Kirk Hinrich para o time que o draftou em 2003. Ele tem sido o melhor jogador do Bulls na pré-temporada, defendendo horrores e organizando bem o ataque lá na frente. É verdade que seus últimos anos não tem sido grande coisa, mas acho que com o time bem estruturado do Bulls ele pode mostrar seu melhor lado e voltar a receber reconhecimento por sua defesa. Lembram quando ele entrou pro All-Defensive Team em 2006-07? Com Hinrich bem na função de Rose, com Nate Robinson pontuando do seu jeito louco vindo do banco e caso Hamilton e Deng não sofram com contusão, dá muito bem para o Bulls sobreviver na zona de Playoff até Rose voltar. O ponto é se eles querem ou acreditam que isso é possível e necessário.

 

Temporada Filme Pornô

O torcedor do Bulls sofreu muito tempo com um time ruim após a saída de Michael Jordan, é compreensível que eles não queiram jogar uma temporada no lixo. A diretoria pode abraçar a ideia e desistir desse papo de poupar Rose e Deng. Num mundo pornograficamente ideal, os dois chegariam inteiros aos Playoffs após o time segurar a barra lá pela 7ª posição do Leste durante toda a temporada. Joakim Noah e Kirk Hinrich seriam líderes dentro e fora da quadra enquanto Carlos Boozer voltaria a seus 20 pontos por jogo do tempo de Utah Jazz.

Nos Playoffs eles poderiam se vingar, dessa vez sendo a zebra que tira o mando de quadra de um time que acabou lá na frente. Será que Indiana Pacers e Boston Celtics brigariam para fugir do Bulls na primeira rodada? De qualquer forma, qualquer um poderia ser derrotado se Derrick Rose voltasse jogando metade do que sabe. Mas será que é o bastante para vencer o Miami Heat? Pois é. O Bulls tem a mesma chance de ir para a final do Leste que eu tenho de conseguir um menage à trois ainda nessa existência. É possível, é o mundo ideal, mas não apostaria nisso. Ainda acho que o melhor para o time é abrir mão dessa temporada e investir na saúde de Rose, no pulso de Luol  Deng e no Draft 2013.

 

Temporada Drama Mexicano

Não vou dizer que Rose pode voltar antes da hora e se machucar de novo. Não vou dizer. Se isso acontecer eu largo o basquete e abro um blog sobre culinária belga.

 

Top 10 – Jogadas do Bulls em 2012

[youtube width=”600″ height=”335″]http://www.youtube.com/watch?v=Bwdoprbo8QM[/youtube]

Torcedor do Lakers e defensor de 87,4% das estatísticas.

Como funcionam as assinaturas do Bola Presa?

Como são os planos?

São dois tipos de planos MENSAIS para você assinar o Bola Presa:

R$ 14

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

R$ 20

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Como funciona o pagamento?

As assinaturas podem ser feitas pelo Aplicativo PicPay. Baixe, cadastre-se, busque o Bola Presa e escolha seu plano de assinaturas. Você pode pagar com cartão de crédito ou carregar sua Carteira PicPay com boleto ou depósito bancário. Depois de assinar, escreva para bolapresa@gmail.com para mais detalhes de como ter acesso ao conteúdo exclusivo.

DÚVIDAS SOBRE AS ASSINATURAS? Nos escreva: bolapresa@gmail.com

Assine já!