Preview 2012/13 – Miami Heat

Acaba agora o melhor preview já terminado minutos antes da temporada começar. 

Abaixo os links para a análise de TODOS os times da NBA:

Leste: Boston CelticsCleveland CavaliersBrooklyn NetsIndiana PacersAtlanta HawksWashington WizardsChicago BullsOrlando MagicToronto RaptorsPhiladelphia 76ersCharlotte BobcatsDetroit PistonsMilwaukee Bucks e New York Knicks

Oeste: Memphis GrizzliesSacramento KingsDenver NuggetsGolden State WarriorsSan Antonio SpursLos Angeles ClippersPhoenix SunsOKC ThunderMinnesota TimberwolvesUtah Jazz e Dallas Mavericks,  New Orleans HornetsPortland Trail Blazers Houston Rockets e LA Lakers

Nesse ano vamos repetir uma ideia de uns vários anos atrás. Ao invés de só comentar as contratações e fazer previsões, vamos brincar de extremos: O que acontecerá se der tudo certo para tal time, qual é seu teto? E o que acontecerá se der tudo errado, onde é o fundo do poço? Em outras palavras, como seria um ano de filme pornô, onde qualquer entrega de pizza vira a trepa do século? E como seria um no de novela mexicana, onde tudo dá errado e qualquer pessoa pode ser o seu irmão perdido em busca de vingança?

Para encerrar, o campeão Miami Heat.

 

Miami Heat

 

 

 

 

 

 

Vamos ir direto ao assunto, LeBron James é de outro planeta. Não é questão dele ser melhor ou pior que tal jogador, LeBron simplesmente faz coisas que ninguém faz e não para de melhorar. Olhem a rotação do time aí em cima, ela não tá errada, é assim que a coisa pode e vai funcionar.

Armador o LeBron James sempre foi, mesmo que disfarçado. Ele leva a bola da defesa para o ataque, pede a jogada e começa a sua execução, ele que faz a redonda chegar de um lado para o outro e dita a velocidade da equipe. Mas desde o fim dos Playoffs do ano passado ele também passou a jogar mais dentro do garrafão, de costas para a cesta, perto do aro. Lá arrebentou com o OKC Thunder, gostou da brincadeira e passou toda a offseason treinando seu jogo de garrafão. Disse até que vai começar a jogar na posição 4 e “viver no garrafão”. Muita gente diz, desde 2003, que a NBA ia acabar quando o LeBron aprendesse a chutar de longe, mas eu acho que o fim dos tempos é agora, com ele descobrindo que ninguém pode o parar perto dentro da área pintada.

O LeBron James já domina a NBA faz uns anos, mas tinham coisas que o atrapalhavam. Primeiro o elenco fraco, especialmente de ataque, do Cleveland Cavaliers. Depois as derrotas nos Playoffs onde muitos culpavam a ansiedade, nervosismo ou “amarelice” do ala. A juventude de LeBron já foi usada contra ele após algumas derrotas também. Agora LeBron está com 27 anos, o auge do equilíbrio físico/experiência, não pareceu nada nervoso ao fazer 45 pontos no Jogo 6, fora de casa, contra o Celtics a beira da eliminação. E elenco fraco? Que tal Dwyane Wade, Chris Bosh, Ray Allen, Shane Battier e Rashard Lewis como amiguinhos? Eu torço para o Lakers, gosto do Thunder, respeito o Spurs e admiro o Celtics, mas não vejo ninguém passando pelo Miami Heat.

A versão coringa de LeBron James é incentivada pelo técnico Erik Spoelstra, que disse que pretende montar um time sem posições definidas. Onde todo mundo pode fazer um pouco de tudo dependendo do quinteto em quadra, do adversário ou mesmo variando a cada posse de bola. Acho uma ideia criativa, fantástica, mas que não pode ser adotada por qualquer time ou técnico, é preciso ter elenco para isso. O Heat tem e a versatilidade de LeBron James é parte fundamental da brincadeira.

Caso 1: Vamos imaginar o Miami Heat enfrentando o OKC Thunder, como nas Finais do ano passado. O Thunder é (1) veloz, (2) ágil, (3) ataca pelo perímetro, (4) não tem ameaça no garrafão. O Heat então pode liberar um pouco de altura no garrafão e usar o time que fez sucesso nas Finais: Chalmers, Wade, Battier, LeBron e Bosh. 

Caso 2: O Heat enfrenta o Lakers e o garrafão dos Vingadores de Howard e Gasol. O Lakers (1) é um time alto, (2) joga meia quadra, (3) tem Kobe Bryant, (4) começa jogadas pelo garrafão. Então o time pode apelar para a altura, mas sem perder a agilidade para abusar da defesa mais durona do adversário: Wade, LeBron, Battier, Bosh e Anthony. 

Caso 3: O adversário é o agressivo Los Angeles Clippers. (1) Muitas pontes aéreas, (2) time alto, (3) veloz e (4) com poder de fogo de longe. Mas defende mal times que sabem mexer a bola. O Heat então apela para um time atlético e que sabe passar: Wade, Allen, LeBron, Lewis e Bosh.

Caso 4: Pegam o Chicago Bulls e sua defesa sufocante. (1) não deixam a bola girar, (2) Carlos Boozer é o ponto fraco da defesa, (3) time poderoso nos rebotes. O Heat pode se concentrar na altura e usar LeBron James para criar jogadas para ele mesmo como armador: LeBron, Wade, Jones, Bosh e Haslem. 

Eu poderia passar o dia fazendo isso. Você simplesmente encaixa o LeBron onde bem entender e cerca eles de especialistas no que você precisar. Dwyane Wade para atacar a cesta e puxar contra-ataques, Mario Chalmers para defender e rodar a bola, Ray Allen e Rashard Lewis para arremessar de 3 pontos, Chris Bosh para atacar os pivôs, Joel Anthony para defendê-los.

Acho importante ressaltar também o quanto o título de 2012 pode ter ajudado na cabeça dos jogadores. Quando LeBron James, Dwyane Wade e Chris Bosh se juntaram, eles sabiam que teriam que vencer o campeonato. Até confessaram, um tempo depois, que acharam que seria mais fácil. Aprenderam, quebraram a cara e amadureceram com a derrota e o nariz empinado de 2011. Agora tiraram um peso enorme das costas, aliviaram a pressão e sabem o caminho da vitória. Quando ficarem contra a parede poderão pensar “já passamos por isso” ao invés de “de novo não”. Parece que não, mas faz muita diferença na hora dos Playoffs.

 

Temporada Filme Pornô

Isso mesmo, o Heat não tem foto de atriz pornô. No lugar é o glorioso Rocco que representa o time.  O Lakers pode ter a atriz número 1, Tori Black, em seu preview, mas é o Heat que vai foder com todo mundo.

Só o título interessa para o Miami Heat. Mas creio que nesse ano eles irão tentar fazer isso com mais autoridade que na temporada do locaute. Isso quer dizer acabar a temporada regular em primeiro (desde que LeBron chegou, sempre ficaram atrás do Bulls), chegar na Final com mando de quadra e não sofrer tanto no meio do caminho. Não custa lembrar que o Heat ficou atrás na série contra o Pacers e ficou a uma derrota fora de casa de ser eliminado pelo Celtics. Eles se reforçaram para não correr tantos riscos.

 

Temporada Drama Mexicano

A contusão do Chris Bosh na última temporada mostrou como o Heat não é invencível. Sem seu melhor jogador de garrafão o time ficou bem mais frágil, assim como tinham dificuldade de vencer quando as bolas de longe não caiam. Será que Mike Miller e Shane Battier mantém o ritmo das Finais ou voltam a arremessar mal como antes dela? Ray Allen foi outro que, com lesões, não rendeu muito no fim da temporada passada. O Heat é o dotado Rocco, mas ele também pode broxar.

 

Top 10 – Melhores jogadas do Heat na temporada

[youtube width=”600″ height=”335″]http://www.youtube.com/watch?v=6uaH8qT0a-U[/youtube]

Torcedor do Lakers e defensor de 87,4% das estatísticas.

Como funcionam as assinaturas do Bola Presa?

Como são os planos?

São dois tipos de planos MENSAIS para você assinar o Bola Presa:

R$ 14

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

R$ 20

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Como funciona o pagamento?

As assinaturas podem ser feitas pelo Aplicativo PicPay. Baixe, cadastre-se, busque o Bola Presa e escolha seu plano de assinaturas. Você pode pagar com cartão de crédito ou carregar sua Carteira PicPay com boleto ou depósito bancário. Depois de assinar, escreva para bolapresa@gmail.com para mais detalhes de como ter acesso ao conteúdo exclusivo.

DÚVIDAS SOBRE AS ASSINATURAS? Nos escreva: bolapresa@gmail.com

Assine já!