Preview Playoffs – Houston Rockets x Dallas Mavericks

Houston Rockets

 Eficiência Ataque Defesa Saldo Posses de bola
(posição na liga) 107.0 (12) 103.4 (8)  +3.2 (7) 96.4 (2)

Quintetos mais usados:

trevor-ariza-james-harden-nba-oklahoma-city-thunder-houston-rockets-850x560

Patrick Beverley, James Harden, Trevor Ariza, Donatas Motiejunas, Dwight Howard (360 minutos)

Patrick Beverley, James Harden, Trevor Ariza, Donatas Motiejunas, Joey Dorsey (174 minutos)

 

Principal jogada: James Harden cooking

[youtube width=”600″ height=”344″]https://www.youtube.com/watch?v=Wg82enBTY0c[/youtube]

Pontos fortes: James Harden chega para, nos Playoffs, eternizar uma temporada fora de série. Em uma época onde parecia que o abuso do jogo de mano-a-mano era ultrapassado, o barbudo transformou seu talento individual em uma arma quase indefensável. Muitos jogos difíceis foram decididos porque, quando a água bateu na bunda, Harden conseguiu um arremesso perfeito na cara de um defensor, uma bandeja espetacular ou ao menos sofreu uma falta e decidiu nos lances-livres. Mas, como bem avisamos aqui, não vamos deixar os magnéticos dribles de Harden nos enganar, o Rockets é mais e, mesmo com Dwight Howard passando um bom tempo afastado, o time se consolidou como uma defesa fortíssima.

Pontos fracos: Mesmo com Howard jogando apenas metade da temporada, lá está ele no quinteto mais utilizado pelo time no ano. Isso porque no tempo que ele esteve fora, o técnico Kevin McHale sofreu para achar o grupo ideal. Terrence Jones também se machucou, Josh Smith acabou se adaptando no banco de reservas, Joey Dorsey é, bem, o Joey Dorsey. Nunca é bom chegar aos Playoffs com um time que atuou tão pouco, e será que Howard não vai atrapalhar o ritmo da equipe, especialmente no ataque? E falando em lesão, importantíssimo não esquecer que Patrick Beverley está machucado e não joga mais no ano. Se o defensor de garrafão voltou, o melhor marcador de perímetro está fora e isso é difícil de ignorar em uma conferência onde todo santo time tem um armador espetacular no time titular.

 Algum jogador da equipe sabe dançar? Luta ensaiada também vale?

[youtube width=”600″ height=”344″]https://www.youtube.com/watch?v=7CdywKXwifM[/youtube]

 


Dallas Mavericks

 Eficiência Ataque Defesa Saldo Posses de bola
(posição na liga) 109.4 (5) 106.6 (20)  +3.1 (11) 95.1 (9)

Quintetos mais usados:

464545526

Rajon Rondo, Monta Ellis, Chandler Parsons, Dirk Nowitzki, Tyson Chandler (454 minutos)

Jameer Nelson, Monta Ellis, Chandler Parsons, Dirk Nowitzki, Tyson Chandler (254 minutos)

 

Principal jogada: Ellis vai atacar? Ellis vai atacar! Ellis vai… cesta de Dirk Nowitzki

[youtube width=”600″ height=”344″]https://www.youtube.com/watch?v=LhTCweEoKl8[/youtube]

 

Pontos fortes: O arsenal ofensivo da equipe é imenso, como geralmente são os times treinados por Rick Carlisle. Eles tem os pick-and-rolls com Tyson Chandler, os contra-ataques de Monta Ellis, o Chandler Parsons discreto na linha dos 3 pontos e, claro, Dirk Nowitzki com um aproveitamento de arremessos surreal.

Pontos fracos: A defesa do Mavs começou mal a temporada mesmo com a volta de Tyson Chandler e continuou fraca mesmo quando o conceituado Rajon Rondo chegou. E pior, Rondo não ajudou na defesa e atrapalhou um bocado no ataque: não se entrosou com Monta Ellis e ainda brigou com técnico porque não queria obedecer as chamadas de jogadas vindas do banco. Um dado interessante? O Mavs perde, em média, por 3.6 pontos por 100 posses de bola quando Ellis e Rondo estão juntos em quadra, a única dupla pior no Dallas é… Tyson Chandler e Rajon Rondo, -4.6.

 Algum jogador da equipe sabe dançar? Gingado germânico

[youtube width=”600″ height=”344″]https://www.youtube.com/watch?v=vXgCNh1Wd50[/youtube]

 


Palpite

E se eu falar que vim do futuro e vi o Dallas Mavericks chegar na final da NBA com Monta Ellis voando e Dirk Nowitzki acertando 50% das suas bolas de 3 pontos? Com Rajon Rondo jogando seu melhor basquete da temporada e Tyson Chandler defendendo o garrafão como se fosse 2011? Não parece provável, mas está bem longe de ser como dizer que, sei lá, o Brooklyn Nets será campeão. Mesma coisa com o Rockets: dá pra acreditar em James Harden e Dwight Howard inspirados e levando o time longe, mas dá pra imaginar eles caindo de novo na primeira rodada como no ano passado. É um confronto de possibilidades este Chandler Parsons Bowl, com Mark Cuban e Daryl Morey salivando para gritar um sonoro “CHUPA” ao fim da série.

Mas para um palpite racional temos que ir além das possibilidades e analisar o que realmente aconteceu dentro das quatro linhas ao longo dos últimos meses. Nesse período o Houston Rockets, apesar das inúmeras lesões, foi mais regular e encontrou uma defesa mais confiável. No ataque, James Harden atropela tudo e todos e não parece ser a frágil defesa do Dallas Mavericks que vai fazer o serviço, não há entrosamento coletivo para isso e nem um grande defensor individual que dê conta do recado. Mas olho em Al-Farouq Aminu, ele pode ser bastante usado com essa intenção.

O maior perigo para o Houston Rockets é não conseguir repetir as boas atuações defensivas de boa parte da temporada regular porque sente falta de Patrick Beverley, machucado e fora da temporada. O melhor defensor de perímetro do time provavelmente seria o cara responsável por tentar parar Monta Ellis, enquanto James Harden descansava marcando o “”””arremesso””””” de Rajon Rondo. Sem Beverley, quem irá marcar os perigosos pick-and-pops entre Ellis e Nowitzki? Jason Terry não dá conta do recado. O tempo que o Rockets demorar para parar essa jogada do Mavs pode definir a série, especialmente se rolar um roubo de mando de quadra, como quando o Rockets demorou pra aprender a defender LaMarcus Aldridge no ano passado.

Olhando o elenco do Rockets, acho que eles deveriam apostar no elenco mais versátil possível, que não se machucaria em possíveis trocas de marcação. Isso envolve combinações de quinteto que tenham sempre pelo menos dois de Trevor Ariza, Corey Brewer e Josh Smith, caras capazes de fazer a troca necessárias entre os bons dribladores do Mavs (Rondo e Ellis) e os seus arremessadores mais altos (Dirk e Parsons).

Para o Mavs, o segredo do sucesso é, antes de mais nada, jogar o mínimo de tempo possível com Rondo e Ellis juntos. Não deu certo, vamos aceitar e seguir em frente. O ataque flui bem e naturalmente com eles separados, nem tem tanto o que se preocupar. Na defesa vêm a preocupação, como arrumar algo que não deu certo o ano inteiro? O ideal seria ter um time entrosado que pudesse jogar James Harden sempre na cara de Tyson Chandler a cada infiltração, mas não é o que tem acontecido. E é pelos defeitos defensivos do Mavs que eu aposto que o Rockets leva a série em 6 jogos.

 

Torcedor do Lakers e defensor de 87,4% das estatísticas.

Como funcionam as assinaturas do Bola Presa?

Como são os planos?

São dois tipos de planos MENSAIS para você assinar o Bola Presa:

R$ 14

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e Vídeo do Film Room.

R$ 20

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e Film Room.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e Vídeo do Film Room.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e Film Room.

Como funciona o pagamento?

As assinaturas podem ser feitas pelo Aplicativo PicPay. Baixe, se cadastre, busque pelo Bola Presa e escolha seu plano de assinaturas. Você pode pagar com cartão de crédito ou carregar sua Carteira PicPay com boleto ou depósito bancário. Depois de assinar escreva para o bolapresa@gmail.com para mais detalhes de como ter acesso ao conteúdo exclusivo.

DÚVIDAS SOBRE AS ASSINATURAS? Nos escreva: bolapresa@gmail.com

Assine já!