Passando a bola e entregando a paçoca

Já aviso desde já que este NÃO é um texto sobre o Golden State Warriors, mas foi inspirado por eles. Assistindo ma última quinta-feira a mais um capítulo do duelo entre Warriors e Oklahoma City Thunder, fiquei novamente frustrado ao ver como o time de Kevin Durant e Russell Westbrook joga mal no último período. Esta derrota foi a DÉCIMA deles em que entraram no último quarto com a liderança, pior marca da NBA e que os deixa perto de times jovens e inseguros como o Philadelphia 76ers e o Minnesota Timberwolves. Considerando que o OKC Thundert tem 20 derrotas na temporada, quer dizer que metade de seus resultados negativos vieram com uma virada nos 12 minutos finais.

? A identidade do Thunder

? A identidade do Thunder

“Olha, nós não somos o San Antonio Spurs.” Foi com essa afirmação que Kevin Durant respondeu na semana passada às críticas de que o ataque do Oklahoma City Thunder continuava estagnado. “Nós não vamos dar 30 passes numa posse de bola. Não somos assim. É claro que as pessoas querem que sejamos. É um tipo de basquete fantástico, não me entenda mal. Mas nós não somos assim. Temos caras que podem pontuar. Temos dois caras na equipe que podem fazer uma cesta. Vão existir momentos em que teremos que isolá-los contra a marcação.” Com essa afirmação o ataque estático e com pouca rotação do Thunder deixou de ser um equívoco, uma falha tática, uma limitação da comissão técnica e passou oficialmente para o patamar de IDENTIDADE. É assim que o Thunder QUER jogar.

Protegido: 🔒Podcast Especial Bola Presa #3 – No dia do Draft

Bem amigos assinantes do Bola Presa, chegou o dia de mais um especial!

Nesta edição do podcast falamos exclusivamente sobre o passado. Relembramos como alguns dos jogadores que vemos hoje em ação eram analisados na época em que foram selecionados para entrar na NBA: o que diziam de Steph Curry antes dele virar Chef Curry? O que levou o Toronto Raptors a selecionar Andrea Bargnani e Rafael ‘Baby’ Araújo? E como o agora All-Star Isaiah Thomas foi o ÚLTIMO escolhido do Draft de 2011.

? Filtro Bola Presa #3

Bem-vindos ao segundo Filtro Bola Presa aberto apenas para nossos assinantes no Apoia.se. Vocês, queridos assinantes, poderão acompanhar o Filtro todo sábado com exclusividade!

Para quem ainda não conhece, o conceito do Filtro Bola Presa é simples: uma espécie de resumo semanal em que fazemos um apanhado de pequenas histórias que nunca iriam virar textos grandes, mas que merecem alguma atenção. Pode ser um vídeo, uma notícia, uma estatística, um passe de bunda do Kevin Durant.

Os problemas de rico do OKC Thunder

Não tente falar para alguém cheio da grana que o dinheiro é a solução para tudo. Eles vão correr para falar que as verdinhas não compram felicidade, que não trazem o amor, que não resolvem os problemas familiares ou os traumas de infância. E nessas os endinherados têm razão, o dinheiro não cura tudo. Os problemas de primeiro mundo soam ridículos para muita gente, mas ainda são problemas para quem vive esse mundinho.

No universo dos times da NBA a riqueza não se mede em dinheiro, o teto salarial minimiza a diferença financeira entre as franquias, mas em talento. Os bilionários são os times que conseguem garimpar os grandes jogadores do planeta: se você tem LeBron James, Steph Curry ou Anthony Davis, parabéns, ganhou na loteria. Por isso, difícil achar um time com a vida financeira mais bem resolvida do que o OKC Thunder, que tem no seu elenco dois dos jogadores que muitas franquias procuram há décadas: Russell Westbrook e Kevin Durant. Com esses dois em quadra, são favoritos contra 90% da NBA, sempre.

1 2 3 4 5 13