8 ou 80 – O jogador que mais evoluiu na temporada

>

Sabe que o “Both Teams Played Hard“, apesar de estressante porque tem um número infinito de perguntas, tem sido muito útil nesse fim de temporada regular? Depois de tantos meses de temporada a gente vai ficando sem assunto e o que queremos mesmo é que os playoffs comecem logo pra gente voltar a sentir alguma emoção nesses jogos. Claro que sempre vai ter um assunto a mais pra falar, mas não tão empolgante assim. Como no outro dia que pediram pra eu falar do Jazz, que mudou completamente de postura desde que eu disse que eles pareciam um time já acabado.

Acontece que comentamos, no meio de outros posts, que o Jazz tinha ressurgido das cinzas. Assim como comentamos que os maiores adversários deles eram eles mesmos, que trocaram Eric Maynor e Ronnie Brewer por um cacho de bananas e um bem-casado. Ou seja, até do Jazz que a gente nem gosta tanto já falamos mal, bem e mal de novo, é sinal de que a gente precisa de inspiração.
E é aí que entram as perguntas que vocês mandam pelo BTPH. Com tantas perguntas é possível sentir uma tendência de interesse dos leitores, o que querem saber da gente. E percebi que, assim como eu, vocês tem interesse por um prêmio de fim de ano em especial, o de jogador que mais evoluiu na temporada. Não tem uma pergunta sobre MVP, nenhuma de jogador de defesa, nenhuma de técnico, uma ou duas de novatos e uma caralhada querendo saber em quem votaríamos para jogador que mais evoluiu. Eu até já respondi uma vez, me criticaram por não ter citado o Joakim Noah e mesmo assim perguntam de novo e de novo.
Não gosto de só opinar porque não sou eu quem voto. A NBA ainda não se tocou que somos importantes e que devemos ter poder de palpitar oficialmente, mas beleza, até lá eu uso os números para saber quem mais melhorou em que em relação à temporada passada. Bora abrir o Oswald de Souza que vive dentro de cada um de nós!
Pontos
Carl Landry +8.1
Aaron Brooks +7.8
Channing Frye +7.3
Chris Kaman +6.9
Corey Brewer +6.8
Levando em consideração os pontos por jogo esse é o Top 5 de jogadores que mais evoluíram em relação à temporada passada. Na lista oficial vocês ainda podem encontrar Gilbert Arenas, Martell Webster e Anthony Tolliver, mas os três jogaram tão pouco na temporada passada que de qualquer maneira entrariam na lista. Oficialmente o Webster é o líder com +9.7, mas isso porque só jogou um jogo na temporada passada, em que não fez nenhum ponto. Assim até o Baby Araujo!
Curioso nessa lista que apenas um dos jogadores evoluiu bastante em pontos ao mudar de time, o Channing Frye. Chegar no Suns revolucionou o seu jogo, ele começou a arremessar de três e começou uma nova fase na sua carreira, em um time que sabe usar o seu grande trunfo que é ser um cara alto que sabe arremessar.
São dois jogadores do Rockets no Top 5, Brooks e Landry. O segundo foi trocado para o Kings mas os seus números da temporada ainda refletem a grande parte do ano que passou em Houston. Os dois souberam se aproveitar do momento da equipe: eles perderam Yao, machucado, T-Mac não voltou e o Artest deu o fora. O Ariza foi contratado para essa função e até arremessou bastante, mas mesmo assim sobrou espaço para Brooks e Landry, ambos aumentaram seus números de arremessos tentados por jogo em mais de 6 por partida.
Porém, nesse quesito eu daria destaque para dois jogadores que não aparecem no Top 5: Monta Ellis e Kevin Durant. Ellis melhorou em 6.6 pontos sua marca e Durant em 4.4. A diferença dos dois em relação aos outros foi que eles saíram de números já muito altos para alcançar outros maiores ainda! Uma coisa é melhorar em 4.4 como Courtney Lee, que saiu de 8.4 para 12.8 pontos por jogo, outra é conseguir sair de uma marca já impressionante, 25.3, para 29.8, caso do Durant. Tanto Durant como Ellis fizeram o que Danny Granger fez na temporada passada, continuaram evoluindo mesmo quando seus números já pareciam estar chegando ao limite de seus potenciais. Na hora de votar em quem mais evoluiu vale a pena reparar em quem sai do zero como o Webster e quem sai de 25, como o Durant.
Rebotes
Kris Humphries +3.7
Kenyon Martin +3.6
Ben Wallace +3.3
Joakim Noah +3.3
Nazr Mohammed +3.2
A grande surpresa da lista é ver o fedido do Humphries no topo, mas ele tem feito uma boa temporada para os seus padrões, principalmente desde que chegou no Nets. Porém, seus minutos aumentaram bastante em relação à temporada passada, caso bem diferente do Kenyon Martin, que pega 3.6 rebotes a mais com apenas 2 minutos a mais de quadra em média. Aliás, seus 9.6 rebotes por jogo já são sua segunda maior média da carreira, atrás apenas dos 10.0 do seu primeiro ano no Nuggets. É sempre legal quando um cara continua evoluindo alguma coisa em seu jogo mesmo quando já está na liga há 10 anos, e ainda mais simbólico para um cara que sempre foi conhecido mais pelo seu físico do que pela técnica.
Não dá pra dizer a mesma coisa de Ben Wallace porque melhorar em relação a temporada passada era o mínimo que ele poderia fazer, já que no ano passado foi tão útil para o Cavs quanto eu sou para a economia brasileira. O caso do Noah, que vem em seguida, é interessante porque todo o seu aumento de rebotes veio no lado defensivo, o número de rebotes ofensivos é idêntico, legal porque é na defesa que o Noah vem construindo uma reputação de bom pivô e excelente reboteiro. É um forte candidato a jogador que mais evoluiu na temporada, uma campanha que infelizmente perdeu um pouco de força com sua contusão e a saída do Bulls da zona de playoff.
Assistências
Russell Westbrook +2.6
Aaron Brooks +2.1
Will Bynum
Trevor Ariza
Josh Smith +1.8
A liderança de Westbrook era esperada. O moleque já jogou muito como novato e dava a entender que seria grande em um futuro breve, era só ser mais regular. Bastou mais um ano para que suas esporádicas grandes atuações fossem mais constantes e aí está ele com boas médias e clara evolução, é um candidato claro e óbvio ao prêmio. Ter o Kevin Durant acertando tudo ao seu lado não atrapalhou, claro.
A primeira figurinha repetida das nossas listas é Aaron Brooks. Ele foi o segundo que mais evoluiu em pontos e em assistências, mas não custa lembrar que está entre os que mais cresceu em números de turnovers, ou seja, tudo isso só mostra que o Brooks é hoje um jogador mais importante para o Rockets. Com mais tempo de bola na mão ele arremessa mais, pontua mais, assiste mais e, logo, erra mais. Eu diria que ele foi o jogador que mais evoluiu na NBA em quantidade, não necessariamente em qualidade. Com Will Bynum a explicação não é muito diferente, só por ele estar no Pistons e não estar na enfermaria já explica muitas evoluções estatísticas.
Um grande destaque da lista são os não-armadores. Legal ver Trevor Ariza e Josh Smih entre os que mais evoluíram em assistências. O Ariza é fácil de explicar, ele foi contratado pelo Rockets para ser o líder de um time que compartilha muito a bola e fez isso quando chegou lá. Aumentou bastante o seu número de erros também e é o segundo entre os que mais arremessam de três em relação ao ano passado, deixou de ser só um coadjuvante para ser o maestro de um time de coadjuvantes.
Já o Josh Smith ganhou nas assistências, um campo onde nunca foi destaque, a maior prova numérica de como ele evoluiu em relação ao ano passado. Mas poderíamos também sustentar o óbvio fato de que hoje ele é um jogador mais inteligente vendo que ele aumentou seu número de tocos em 0.5 por jogo sem fazer mais faltas e, principalmente, ao ver que ele chuta -1.1 bola de três por jogo. Isso quer dizer que no ano passado ele chutou 87 bolas de 3 e nesse ano apenas 6. Josh Smith merece grande consideração ao prêmio de jogador que mais evoluiu simplesmente porque descobriu os seus talentos e suas funções no time. Raríssimos são os jogadores que aceitam suas limitações e se tornam melhores jogadores assim, juro que não esperava isso de um jogador tão impulsivo como o Josh Smith.
Roubos
Carl Landry e Chris Douglas-Roberts +0.7
Ninguém melhorou muito em roubos, os dois maiores destaques pouco passaram do 0.5 por jogo e fizeram isso com 15 minutos a mais de jogo do que no ano anterior, o que deixa tudo bem explicável.
Tocos
Andrew Bogut +1.5
Esse número é alucinante! Tirando o infame Greg Oden que na sua meia dúzia de jogos melhorou em 1.1, o resto da liga comemora se chega a uma melhora de 0.5 como o Josh Smith. O Bogut deixou de ser um pivô que tinha os tocos como defeito para brigar pela liderança da categoria! Não estou brincando quando digo que Scott Skiles e Larry Brown sabem fazer milagres com seus times, o Skiles fez o Bogut dar tocos! O próximo passo é fazer o Luke Ridnour liderar a liga em enterradas.
Turnovers
Stephen Jackson -0.7
Nenhum número chamou a atenção nos poucos décimos de diferença nos erros por jogo, a não ser no caso do Stephen Jackson. Ele é o único jogador a diminuir o número de erros por partida ao mesmo tempo que teve mais minutos por jogo em relação à temporada passada. O Bobcats é o novo Pistons.
Arremessos por jogo
Trevor Ariza +7.2
Carl Landry +6.3
Chris Kaman +6.2
Aaron Brooks +6.2
Corey Brewer +5.7
Precisa explicar Ariza, Landry e Brooks de novo? O Rockets causou uma revolução nessas estatísticas, basta dizer isso. Já Kaman ganhou esses arremessos na marra, com o Baron Davis jogando cada vez menos, a decadência inexplicável do Al Thornton na equipe e até algumas contusões do Eric Gordon foi bem lógico que o Kaman fosse ter mais arremessos, e como ele começou a acertar boa parte deles, virou a primeira opção ofensiva. Pra falar a verdade me surpreende que são apenas 6 arremessos a mais por jogo, imaginava que fossem mais.
Minutos
Carl Landry +16.2
Channing Frye +15.8
Chris Douglas-Roberts +14.9
Sonny Weems +12.6
George Hill +11.9
Interessante ver que de todos os nomes que foram citados várias vezes durante o post apenas o de Carl Landry tem grande destaque entre os que mais tiveram minutos adicionados nessa temporada. Claro que outros tem números significativos, como o Brooks que tem 9 minutos a mais, mas a lista prova que não são apenas os minutos a mais na quadra que são sinônimos de melhores estatísticas, assim como não são só estatísticas que mostram como um jogador melhorou. Sonny Weems e George Hill não ganharam um quarto a mais de jogo só porque são bonitos, alguma coisa que os números não mostram eles estão fazendo.
Considerando agora os minutos a mais de todo mundo, as novas oportunidades e as dificuldades de se melhorar certos aspectos do jogo fica um pouco mais fácil votar. Em quem você votaria? Josh Smith e seu grande cérebro? Aaron Brooks, Carl Landry e as toneladas de estatísticas? Kevin Durant e o passo mais difícil da evolução? Andrew Bogut? Westbrook? Acho que os números deixaram os candidatos mais fáceis, escolher ainda é difícil, e idiota. Aguardo o convite oficial do David Stern para dar meus palpites.

Torcedor do Lakers e defensor de 87,4% das estatísticas.

Como funcionam as assinaturas do Bola Presa?

Como são os planos?

São dois tipos de planos MENSAIS para você assinar o Bola Presa:

R$ 14

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

R$ 20

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Como funciona o pagamento?

As assinaturas podem ser feitas pelo Aplicativo PicPay. Baixe, cadastre-se, busque o Bola Presa e escolha seu plano de assinaturas. Você pode pagar com cartão de crédito ou carregar sua Carteira PicPay com boleto ou depósito bancário. Depois de assinar, escreva para bolapresa@gmail.com para mais detalhes de como ter acesso ao conteúdo exclusivo.

DÚVIDAS SOBRE AS ASSINATURAS? Nos escreva: bolapresa@gmail.com

Assine já!