🔒Filtro Bola Presa #43 – A Offseason

A temporada começou nesta terça-feira (17) e isso significa a volta do FILTRO BOLA PRESA, a seção semanal de amenidades, historinhas, picuinhas e aleatoriedades que juntamos e comentamos para quem assina o Bola Presa por R$9 mensais no Apoia.se/BolaPresa. Para aquecer os motores, vamos relembrar de casos que aconteceram nestas FÉRIAS de NBA. Afinal, o que ficou preso no filtro dessa offseason que jamais iria virar textão mas que ainda assim merece um comentário?

Essa primeira edição é DE GRAÇA! Aberta a todo mundo, só ler. Para ler as versões semanais dessa coluna é só assinar por R$9 lá no Apoia.se =)


Começamos no Verão de Lonzo Ball, o armador que foi transformado pelo pai-falastrão em NOVO DEUS do basquete, embora seja só um novato bem promissor. Entre tantas histórias da família Ball, que envolvem até um REALITY SHOW, a que eu mais gostei foi a de que Metta World Peace, o ex-Ron Artest, foi um dos poucos manés que toparam pagar 700 DÓLARES por um tênis da marca criada pelo Papai Ball, a Big Baller Brand:

BBB

Os polêmicos tênis BBB foram tema também na Summer League: será que a pedra preciosa do futuro do LA Lakers teria coragem de usar seu tênis semi-amador recém-criado em seus pés? Ele teve, mas depois usou Nike. E depois Adidas. E depois Under Armour. Veja como ele se saiu com cada um deles:

Para entrar na brincadeira, o Portland Trail Blazers resolveu deixar claro que o seu jovem jogador Jake Layman estava usando “adidas, como ele faz em todo jogo”:

Para não nos estendermos muito na família Ball, paramos por aqui só lembrando que Joel Embiid teve que pagar DEZ MIL DÓLARES de multa por xingar o LaVar Ball, pai do Lonzo, no Twitter. Com esse dinheirão dava pra ter comprado uns 14 tênis da Big Baller Brand!

Para sorte do pivô do Sixers, fizeram uma VAQUINHA ONLINE para bancar a multa. Acho que a galera não imaginava que poucos meses depois do Embiidão da Massa receberia uma extensão de contrato de mais de 140 MILHÕES de doletas

E querem saber o que mais Embiid fez nas férias além de reabilitação no joelho e indiretas bem diretas nas redes sociais? Ele assistiu ‘Vampire Diaries’ como qualquer menino da sua idade faz:

Na hora de treinar, Embiid e seu parceiro Dario Saric receberam a lenda Kevin Garnett, que já foi visto ajudando o pessoal em Minnesota, Los Angeles, Boston, Milwaukee… o que levou a uma interessante pergunta no Twitter: se o KG treina todos os jovens da liga, os treinos se anulam e ninguém supera ninguém?


Para os novatos menos famosos, o simples fato de ser draftado na SEGUNDA RODADA já é motivo para ser o maior momento da vida. Só ver a reação de Alec Peters ao ser selecionado pelo Phoenix Suns. Ele jogará pelo afiliado da G-League da franquia nesta temporada:

Em Las Vegas, os jovens jogadores, famosos ou não, ganharam uma festa só para eles. Jaylen Brown, do Boston Celtics, achou que era necessário juntar toda a galera que estava na Cidade do Pecado sem ter idade para beber ou apostar. Só bondade do segundo-anista? Não, política. Brown disse que sonha em ser presidente da NBAPA, a Associação dos Jogadores da NBA, no futuro.

“É algo que eu sempre estive de olho. É uma ótima posição e acho que existe muita coisa a ser feita ainda na liga. Não quero falar muito, mas acho que poderia ser um grande advogado para os jogadores e representar bem a liga um dia”


Mas se parece que a pirralhada se divertiu nas férias, o que dizer dos CAMPEÕES do Golden State Warriors? Esses sim sabem viver a vida. A viagem de Klay Thompson para a China, onde ele fez vários eventos com patrocinadores, reuniu tantas situações bisonhas que só nos resta apelar a uma COMPILAÇÃO de melhores momentos!

A fatídica enterrada 360º que deu errado virou piada interna no Warriors, com direito a reconstituição por Steph Curry:

Quando até o Zaza Pachulia tira uma com a sua cara…

Klay2

Você está preocupado, #ChinaKlay?

Quem se divertiu, mas ao mesmo tempo parece não ter superado os traumas, foi Kevin Durant. Ao invés de usar o título para se LIVRAR DAS AMARRAS das críticas, ele resolveu fazer um Verão das Indiretas. Começou indo viajar usando um BONÉ DE CUPCAKE (com um anel de campeão no topo!), em referência ao apelido nada elogioso que recebeu dos ex-companheiros de OKC Thunder:

Depois ele lançou um tênis com críticas a ele devidamente “pisadas” na sola, cobertas pelas suas estatísticas na final da NBA:

O MVP das Finais se divertiu até com quem não venceu o título ao seu lado, celebrando a chegada de Nick Young ao Warriors com a cena mais famosa de Swaggy P na sua passagem pelo LA Lakers:

Como bom tribunal que é, o Twitter logo resgatou mensagens de Young falando mal da torcida do Warriors, claro:

Azar do Richard Jefferson, vice-campeão com o Cleveland Cavaliers, que teve que aguentar a felicidade dos rivais no casamento do Harrison Barnes. Aliás, rolou até texto comparando os casamentos da offseason. Quem se saiu melhor, Barnes ou Trevor Ariza?


Não sei se vocês ficaram sabendo, mas a offseason da NBA foi bem mais AGITADA do que só a contratação do Nick Young. Até caras que NÃO FORAM trocados viraram notícia, como quando a cidade de Nova York se movimentou para evitar que o então empregado Phil Jackson trocasse Kristaps Porzingis:

O metrô da cidade não estava muito mais animador…

O The Ringer fez uma “assustadora linha do tempo” com tudo o que Phil Jackson fez em sua passagem de 39 meses como presidente de operações do NY Knicks. Tudo começa quando ele assina Lamar Odom, que estava, como diz Stephen A. Smith, “on CRAAAACK!”

A lista passa por Shannon Brown, Sasha Vujacic, críticas ao estilo de jogo do Golden State Warriors, muitos triângulos e brigas com Carmelo Anthony. Um desastre.

Sem Phil e sem Melo, foco agora em… Michael Beasley? Bom, ele  deu uma entrevista ANTOLÓGICA nesta offseason. Usando TRÊS relógios (um no tornozelo), o ala tenta dizer algo sobre usar 11% do cérebro. Eu falaria mais sobre isso, mas não sou capaz de compreender tudo.

Tem versão COM LEGENDAS EM PORTUGUÊS lá na página Dois Dribles.


O Boston Celtics, antes de se movimentar por Gordon Hayward e Kyrie Irving, foi alvo de piadas por não conseguir Paul George, Jimmy Butler ou qualquer estrela. Afinal, dava pra enfrentar os outros times apenas com “ativos” e “futuras escolhas de Draft”?

Teve o “Time do Quase” do Celtics também:

E logo que Gordon Hayward anunciou que iria para o Celtics, a internet lembrou de quando ele, em 2011, fez uma paródia do “The Decision”, o programa de TV que LeBron James usou para anunciar sua decisão de ir jogar no Miami Heat um ano antes. Como bom nerd adolescente, porém, o jovem Hayward havia gravado isso para anunciar seu time de eSports:

Quem o Celtics também não pegou foi Jimmy Butler, que foi para o Minnesota Timberwolves. Na coletiva de imprensa de apresentação, o ala passou o seu telefone celular para que seus críticos o ligassem e falassem o que acham dele. Doido. Sim, o telefone era REAL e ele recebeu dúzias de mensagens:

Até vídeo-conferência com um torcedor rolou antes que ele trocasse de número:


E o que você faz quando não consegue contratar ninguém? Anuncia um novo VESTIÁRIO e grava um vídeo destruindo o antigo. Pelo menos foi o que Mark Cuban, dono do Dallas Mavericks, fez:

O Mavs, há uns 15 anos, foi um dos primeiros times a investir em um vestiário luxuoso na NBA. Mas a reforma envelheceu e Harrison Barnes, ao chegar do Warriors, percebeu a diferença e sugeriu a mudança ao dono. Não é algo decisivo para atrair Free Agents, mas passa uma boa impressão e é um afago aos que já estão lá. E deve ser divertido destruir tudo com uma marreta também, devemos admitir.

Mark Cuban também se ocupou promovendo uma campanha com seu público chinês para mudar o nome da franquia lá no distante país de Yao Ming. Segundo o que se conta, o nome usado para se referir ao Mavs significa “Little Cows”, ou “Vacas Pequenas” e o bilionário não acha que isso tem a ver com a franquia. Recomendo a discussão nos comentários do vídeo, com uma legião de pessoas tentando explicar a origem da expressão “Little Cows”, dando ideias para novos ideogramas ou defendendo o atual nome:

Temos mais notícias não muito bonitas vindas de Dallas. Dirk Nowitzki compartilhou uma TRAUMATIZANTE imagem do dedão do pé de Darrell Armstrong, ex-jogador que atua na comissão do Mavs. Ele disse que o ex-armador o chama de “múmia”, mas que ele diz isso com seus “pés de dinossauro”:

O apelido de “Múmia” faz mais sentido quando vemos o alemão ser desafiado por Kristaps Porzingis antes do último Africa Game. Ele saiu quantos MILÍMETROS do chão?

Mas todos amam o alemão, que até ganhou uma GRANA de um fã nesta offseason. Um cara deu 20 dólares para ele comprar um almoço por ele já ter “dado muitos descontos” na carreira, se referindo a todas as vezes que Dirk topou um contrato menor do que o que poderia receber para ajudar o time na flexibilidade financeira.


Outro time fraco a render uma boa história foi o Atlanta Hawks. Há dois anos o Hawks criou a “Swipe Right Night”, uma noite onde casais que se conheceram no Tinder poderiam marcar um encontro durante um jogo da equipe. O casal Ben e Avery engatou um namoro por lá e retornaram no ano seguinte, na “Swipe Right Night 2.0”. Com o sucesso da relação, o CEO do Hawks Steve Koonin disse que pagaria pela festa se os pombinhos decidissem se casar. Pois é,  VAI ROLAR! Só espero que o mascote seja padrinho, no mínimo.

Meu evento favorito da offseason também teve a chancela do Hawks. Foi o CAMPEONATO DE UNO organizado pelo Kent Bazemore, que foi devidamente vencido por uma garota de 10 anos de idade:

Sempre campeão nas redes sociais, com o Twitter mais criativo da NBA, o Hawks superou os momentos de tédio das férias jogando CONECTA-4 com seus seguidores:


Mas sim, tem gente que TREINA DE VERDAD na offseason. Não é só piada e férias. Veja só o treininho do CJ McCollum:

E teve, claro, LeBron James, que virou praticamente uma blogueira fitness com todos os seus vídeos de malhação no Instagram. O cara não tirou um dia sequer de folga!

O que também descobrimos sobre o King James é que ele é um PÃO DURO! Em entrevista ao lado de Dwyane Wade, o ala diz que não liga o roaming do celular quando está longe de casa e nem paga por aplicativos, fica vendo propaganda como todos nós mortais:

Mas voltando aos treinos, foram inesquecíveis também as PELADAS-agora-não-tão-secretas com Carmelo Anthony (ou melhor, #HoodieMelo), Russell Westrbrook, Kevin Durant e mais uma PORRADA de estrelas. Ao contrário de LeBron, eu abriria a carteira e pagaria DINHEIRO PESADO para um League Pass dessas brincadeiras aí:


ENQUETE

Você está mais feliz por ver Karl Malone e John Stockton saindo juntos ou mais feliz ao ver que eles usam telefones-burros com flip?


ESTATÍSTICAS

Querem números? Recomendo esta coluna do John Schumann com uma estatística sobre cada time na última temporada. Sabiam que o Toronto Raptors deu assistências em somente 47% de seus arremessos na última temporada? É a MENOR marca dos últimos VINTE E SETE ANOS. Em compensação, o Golden State Warriors deu assistências em 70% de seus arremessos, a 5ª melhor marca dos últimos SESSENTA campeonatos.

Lá você também descobre que o quinteto titular do Washington Wizards (Wall-Beal-Porter-Morris-Gortat) jogou junto por 1.347 minutos no último ano, 467 a mais do que o segundo quinteto mais usado em toda a NBA! A do NY Knicks é bem legal também: o time esteve abaixo da média em pontos SOFRIDOS por posse de bola em 15 das últimas 16 temporadas. Acho que, no fim das contas, essa é a identidade deles.

Quer saber quem é o líder em pontos na NBA em todos os Estados dos Estados Unidos? O tédio da offseason faz essas coisas. Curioso que o mapa tem Mike Miller (maior pontuador da Dakota do Sul!) mas não Michael Jordan, que calhou de nascer no mesmo lugar que o líder geral Kareem Abdul-Jabbar. Ah, sim, Mario Chalmers é o maior pontuador nascido no ALASCA:

Os dois caras que mais melhoraram suas médias de aproveitamento em arremessos de 3 pontos na temporada passada são… irmãos. Jerian Grant, do Bulls, e Jerami Grant, do Thunder, lideram a lista COM FOLGA. Será que treinaram juntos no quintal de casa na offseason do ano anterior? Apostaram que quem melhorasse menos teria que lavar a louça?

Sabe quem é o cara mais MÉDIO da NBA? Juntando médias de pontos, rebotes, assistências, tocos e roubos de todos os jogadores, temos números bem próximos ao de Frank Kaminsky. Agora você sabe o que não tinha qualquer interesse em saber!

O pivô do Hornets, aliás, também é capaz de lançar uma bolinha de beisebol a 136 km/h:


DICAS DE LEITURA

Para quem lê em inglês, algumas sugestões:


A FOTO DA OFFSEASON

Vocês escolhem. Devemos premiar Manu-Ginóbili-careca ao lado de uma águia-careca?

Ou A-MELHOR-FOTO-DE-TODO-OS-TEMPOS do técnico do Sixers Brett Brown com a barba por fazer e levando um jogo de PINGUE-PONGUE muito a sério?

Talvez quem mereça seja Kevin Love e Isaiah Thomas, amigos de adolescência, repetindo uma foto da juventude agora que estão novamente reunidos no Cleveland Cavaliers:

A última opção é a lembrança do lendário Alex English, que trouxe de volta à vida uma foto do seu Denver Nuggets nos anos 1980. Por que abandonamos a moda de tirar fotos de times com fantasias?!? Achei erótico, mas legal =)


NBA x TRUMP

Por que os jogadores odeiam Dwight Howard? Talvez seja culpa dos trocadilhos. Que pelo menos o seu desprezo por Trump possa ser a coisa em comum que o una de novo com seus pares…

Vince Carter aprova a camiseta que fizeram com uma imagem sua enterrando sobre Trump como se ele fosse um pivô francês. Eu compraria:

A tensão nos EUA inspirou a nova e bela tatuagem de John Wall, que tal?


EUROTRIP

A offseason foi divertida lá na Europa também, onde ao invés de férias tivemos o Eurobasket, vencido gloriosamente pela Eslovênia de Goran Dragic e Luka Doncic. O torneio rendeu alguns momentos memoráveis que deixamos aqui para a eternidade:

Começamos com Marco Belinelli. Você sabe como defendê-lo quando ele passa pelos corta-luzes? Vou tentar explicar de maneira SERENA e didática:

Um dia o mundo vai ser dominado pelo nosso amado Boban Marjanovic. Ter SEIS METROS DE ALTURA não é impedimento para chutar de 3 pontos como um Steph Curry de Itu:

Para os saudosistas, aqui está um ganchinho maroto do fenomenal pivô Arvydas Sabonis. O lituano parece ter se adaptado a esse novo basquete focado nas bolas de longe, não?

Já o grande lituano desta geração, Jonas Valanciunas, chamou a atenção por concordar com o Danilo e achar que um carro é só um pedaço de metal que te leva do ponto A até o ponto B. #Humilde

E o troféu de FORÇA NOMINAL do basquete europeu foi para o primo romeno do Kentavious Caldwell-Pope, ala do LA Lakers. Conheçam Octavian Calota-Popa:


MASCOTES POWER RANKING

Ok, offseason não vale então não vale pontos para essa lista que LEVAMOS A SÉRIO. Mas vamos valorizar nossos seres de pelúcia que não descansam nem quando as estrelas estão de férias e citá-los também. Começamos com essa bonita obra de Stuff, mascote do Orlando Magic, que tentou uma vaga em Game of Thrones, que é um lugar onde um DRAGÃO MÁGICO como ele faria muito mais sentido do que em um time de basquete:

Falando em “Game of Thrones”, existe uma campanha para que Steven Adams faça uma pontinha na série:

Também inspirado em obras de ficção, o ursinho Clutch, do Houston Rockets, assustou pessoas por aí com um balão vermelho. Nota 7:

Já o Hooper, do Detroit Pistons, mostrou para o #ChinaKlay que não é só ele que pode viajar e ~armar altas confusões~ na China:

Torcedor do Lakers e defensor de 87,4% das estatísticas.

Como funcionam as assinaturas do Bola Presa?

Como são os planos?

São dois tipos de planos MENSAIS para você assinar o Bola Presa:

R$ 14

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

R$ 20

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Como funciona o pagamento?

As assinaturas podem ser feitas pelo Aplicativo PicPay. Baixe, cadastre-se, busque o Bola Presa e escolha seu plano de assinaturas. Você pode pagar com cartão de crédito ou carregar sua Carteira PicPay com boleto ou depósito bancário. Depois de assinar, escreva para bolapresa@gmail.com para mais detalhes de como ter acesso ao conteúdo exclusivo.

DÚVIDAS SOBRE AS ASSINATURAS? Nos escreva: bolapresa@gmail.com

Assine já!