Denis

Torcedor do Lakers e defensor de 87,4% das estatísticas.

Hoje tem Draft!

Hoje tem Draft!

Caros amigos, chegou aquele dia. O dia em que não são só os torcedores do Golden State Warriors estão felizes, mas em que toda a NBA se junta para SONHAR um futuro novo. Alguns fãs se empolgam com o novo jovem jogador, outros se desesperam pela oportunidade perdida e uns tantos falam “quem é esse cara do SEILAQUISTÃO que meu time pegou na segunda rodada?” e correm para o YouTube para chegar a conclusão que ele é o novo Dirk Nowitzki. Sim, essa é a magia do Draft! Um evento onde vemos o futuro da NBA ser desenhado… mas sem perceber exatamente como.

Para quem caiu de paraquedas neste amado blog, duas coisas: (1) assine o Bola Presa! e (2) o Draft é o evento onde os times da NBA podem selecionar os jovens jogadores que ainda não são profissionais, em geral atletas universitários, mas também uns gringos sub-22 que se inscrevem com o sonho de ir para a melhor liga do mundo. A ordem das escolhas é definida num sorteio (que explicamos aqui) que em geral favorece os PIORES times, para que eles tenham a chance de se recuperar pegando os destaques da grande Copa São Paulo de Juniores que é a NCAA.

O Draft será transmitido pela ESPN a partir das 20h desta quinta-feira (22)!

O Lakers muda de rota

O Lakers muda de rota

Todo ano o Danilo faz um texto aqui no Bola Presa para fazer um balanço de como foi a última temporada, quais os planos para a próxima e como iremos alimentar o blog durante a offseason. Esse post entra no ar no período entre o último jogo da Final e o Draft, que é como aquela semana sossegada entre o Natal e o Ano-Novo no calendário que as pessoas normais seguem. A NBA, porém, resolveu que FODAM-SE AS FESTIVIDADES! A liga não para e estes últimos dias estão deixando tudo de cabeça para baixo.

Primeiro o Boston Celtics mandou a 1ª escolha do Draft para o Philadelphia 76ers e logo tentou se engraçar com Jimmy Butler, que também recebia assédio do Cleveland Cavaliers, que decidiu não renovar com o General Manager David Griffin, irritou LeBron James e fez todo mundo pensar que a dispensa foi porque Griffin se recusava a trocar Kevin Love por Paul George, que disse nessa semana ao Indiana Pacers que planeja dar o fora para o Los Angeles Lakers quando o seu contrato acabar daqui um ano. O Lakers, por sua vez, também fez uma troca bombástica ao mandar D’Angelo Russell e Timofey Mozgov por Brook Lopez e a 27ª escolha do Draft desse ano. Ah, e mencionamos o LA Clippers varrendo o mercado para saber quando pagariam no DeAndre Jordan e que o Atlanta Hawks trocou o DWIGHT HOWARD por um punhado de feijões mágicos com o Charlotte Hornets? Pois é, essas são as ~FÉRIAS~ que a gente esperava. Até troca entre CONTAS DE REDES SOCIAIS TEVE. E como se não bastasse de notícia caótica, o Kawhi Leonard cortou suas trancinhas:

O último passo do Processo

O último passo do Processo

Sabe o clássico “só falta assinar” que todo jornalista esportivo já falou alguma vez na carreira? Às vezes é para dizer que o Drogba já é do Corinthians, em outras é para falar de um negócio já certo, mas ainda não oficializado. É nesse ponto em que está uma bombástica troca entre o Boston Celtics e o Philadelphia 76ers.

O Celtics irá mandar a PRIMEIRA ESCOLHA do Draft 2017, que acontece nesta quinta-feira, em troca da TERCEIRA escolha, que é do Sixers, e de uma escolha dos próximos anos que o time da Philadelphia é dono. Ou a do LA Lakers de 2018 ou a do Sacramento Kings de 2019. Será a do Lakers se ela for sorteada entre as posições 2 e 5, se não cair nessa altura no SORTEIO, eles ficam com a do ano seguinte. Deu pra entender o negócio? Porque agora é hora de entender as razões por trás disso!

🔒 O botão vermelho

🔒 O botão vermelho

Um dos artifícios mais tolos e rasos da construção de uma narrativa é aquele em que uma grande solução, uma “arma secreta”, é guardada até o último segundo possível e então resolve tudo. A ideia é criar um grande clímax no final do filme/livro/episódio, mas logo desperta a questão do “por que raios não usaram isso antes?”. O exemplo que todos nós vivenciamos em nossa infância é o dos Power Rangers ou qualquer seriado do mesmo tipo. Por que eles não MORFAM logo? Por que não juntam suas armas logo? Por que diachos não montam esse MEGAZORD logo de uma vez e esmagam qualquer inimigo? Tudo pela boa história. E quando as crianças percebem o quanto é ridículo, é sinal que tá na hora de assistir a coisas mais complexas mesmo…

[Resumo da Rodada] Cavs quebra recordes e segue vivo

[Resumo da Rodada] Cavs quebra recordes e segue vivo

Foi um jogo para alimentar a narrativa de todos os envolvidos. Quem gosta de ver o basquete pelo lado da emoção vai colocar a ênfase em um Cleveland Cavaliers com energia, se recusando a perder em casa, na torcida apaixonada e no grupo que não abaixou a cabeça mesmo depois de tomar 3-0 nos primeiros jogos da série. Os que olham pelo lado dos números vão lembrar que uma hora a média ia aparecer, um time que arremessa tão bem quanto o Cavs eventualmente compensaria o péssimo aproveitamento dos primeiros jogos. E quem está nessa só pela zoeira, pelo místico e pelas risadas vai dizer que era inevitável que, depois de um ano inteiro de tantas piadas, o Golden State Warriors fosse obrigado a enfrentar o ~fantasma~ do 3 a 1, o placar que eles tinham na mão e viram derreter no último ano.

No fundo todos têm sua dose de razão. O Cavs precisava da energia e da confiança para não ser atropelado, era realmente possível (até provável) que alguns dos arremessos de longe voltassem a cair e é CLARO que os próximos dias serão recheados de lembranças do último ano: poderia o Cavs de novo retornar de um 1-3? O Warriors vai ser dominado pela ansiedade de não deixar acontecer de novo? Como seria ALUCINANTE o clima do ginásio em Cleveland após uma possível vitória no Jogo 5? No ano passado LeBron James disse que o objetivo do time era só ganhar o Jogo 5 de qualquer jeito, que eles sabiam que não perderiam em casa e que Jogo 7 é terra de ninguém. Já Steph Curry tentou minimzar e falou que esse é outro ano, outra realidade e, mais importante, outro time. O que ele quis dizer é: “Temos Kevin Durant, vadias”.

1 2 3 4 169