🔒Filtro Bola Presa #102

Como que a gente faz com o desafio de ter uma seção do Bola Presa sobre as AMENIDADES de uma temporada que não tem nada de amena? Depois da crise diplomática, dos casos de doping e da morte de duas das figuras mais icônicas da história da liga, a NBA agora está simplesmente SUSPENSA por tempo indeterminado até que a pandemia do coronavírus entre em algum controle. Até lá a gente tenta seguir a vida lembrando das coisas menores que acontecem em volta de um ano tão conturbado. Bora lá?


PANDEMIA DA SEMANA

Como você ficou sabendo que a temporada da NBA estava suspensa? Eu estava no Twitter mesmo lendo e comentando sobre o cancelamento do jogo do Utah Jazz e OKC Thunder até que vi a mensagem enviada para a imprensa que a temporada seria paralisada. Nem todo mundo estava engajado assim no assunto, como por exemplo Devin Booker. O ala do Phoenix Suns estava ao vivo no Twitch jogando videogame quando um amigo correu para dar a notícia:

Alguns descobriram com seus jogos já em andamento. Com isso em mente, o Atlanta Hawks botou Vince Carter em quadra para uma última rodada de aplausos e uma última cesta de três pontos. Deveria ter sido uma enterrada? Eu acho que sim, mas Carter pareceu feliz e satisfeito com essa homenagem. Essa partida não será necessariamente a sua última, afinal a temporada regular pode voltar, mas com a incerteza do retorno foi uma boa garantir que uma despedida digna a um dos melhores, mais longevos e adorados jogadores das últimas décadas:

As primeiras pessoas a perceberem que tinha um problema eram as que estavam assistindo o pré-jogo de Thunder e Jazz e viram um cara de terno e gravata correndo em direção aos árbitros segundos antes da partida começar. Depois de conversar com os três, os times foram separados, levados aos vestiários e logo veio o anúncio da partida cancelada:

O homem de terno é Donnie Strack, vice-presidente de performance do Thunder que ajudou o Jazz na questão do diagnóstico de Rudy Gobert e foi o responsável por correr até a quadra e avisar que um jogador havia testado positivo para o novo coronavírus. Curioso que Strack, hoje um engravatado com título pomposo na NBA, começou de baixo: quando adolescente, ele trabalhava no Indiana Pacers como ball boy, era o responsável por entregar toalhas, água, gatorade e por pegar rebotes durante os aquecimentos. No caminho ele virou tema de reportagem na imprensa local, forçou mudança na lei de trabalho para jovens em Indiana, desenvolveu uma amizade com Reggie Miller e até disputou concurso de LANCES-LIVRES com Shaquille O’Neal. Tudo isso agora é menor em sua biografia: agora ele é o cara que correu para a quadra para impedir que a temporada continuasse.

Durante uma pandemia e com a temporada suspensa, os jogadores da NBA se tornam pessoas como nós. Ricas, mas também com aquela ânsia de estocar papel higiênico, miojo e álcool gel. O repórter Dave McMenamin encontrou JaMychal Green, ala do LA Clippers, com carrinho cheio na fila de um mercado em Los Angeles:

TESTE INVOLUNTÁRIO DA SEMANA: Poucos dias antes da NBA anunciar a suspensão da temporada, o CEO do Atlanta Hawks havia sugerido que a NBA começasse a temporada dois meses depois e acabasse também mais tarde, em agosto. Sua ideia é não competir com a NFL nos primeiros meses e dar mais relevância ao basquete na imprensa e na atenção do público ao longo do ano. Este ano valerá como teste?


DESASTRE DA SEMANA

Eu tinha separado um vídeo aparentemente inofensivo de Rudy Gobert pensando que ele era a cara do nosso Filtro: um jogador da NBA sendo infantil, bobo e teimoso é a cara dessa seção, não é? O pivô do Utah Jazz, ao fim de uma entrevista coletiva, tirou sarro das novas regras impostas pela NBA para afastar atletas e repórteres por precaução contra o coronavírus e fez questão de tocar em todos os microfones e gravadores que estavam na sua frente antes de ir embora:

A coisa ficou ainda mais cômica (e também preocupante) quando, um dia depois, ele foi listado como DÚVIDA para o jogo contra o Thunder por estar se sentindo doente. Bom, o resto vocês já sabem porque isso pulou de “piada” para “principal notícia do ano”:

O jogador está bem, em quarentena, pediu desculpas a todos e disse que quer que sua experiência ajude a educar os outros a se prevenir da doença. Os repórteres envolvidos no caso foram testados e nenhum deles está com o novo coronavírus.

Muito mais precavidos que Gobert foram Tobias Harris e Kyle O’Quinn, que criaram um cumprimento novo onde eles lavam as mãos antes de encostar um no outro. Bom exemplo!


BOAS AÇÕES DA SEMANA

Uma das grandes preocupações desta parada forçada da NBA é com os funcionários dos ginásios da NBA, já que boa parte deles não recebe um salário fixo, mas um dinheiro baseado apenas nas horas que trabalhou. Ou seja, sem jogos, sem dinheiro. O problema, porém, parece estar sendo resolvido: primeiro Kevin Love anunciou que iria doar 100 mil dólares para bancar o que cada trabalhador receberia no período sem jogos…

…exemplo seguido por Giannis Antetokounmpo no Milwaukee Bucks, Blake Griffin no Detroit Pistons e até pelo novato Zion Williamson no New Orleans Pelicans:

A responsabilidade deveria ser dos donos, certo? Bom, o Cleveland Cavaliers seguiu Love e disse vai pagar os funcionários. Tilman Fertitta, dono do Houston Rockets, Joe Tsai, do Brooklyn Nets, Robert Pera, do Memphis Grizzlies, e Mark Cuban, do Dallas Mavericks, que também já foram a público garantir que todos serão pagos. O legal do caso de Cuban é que ele falou isso logo de cara, puxando o assunto quando foi entrevistado durante o jogo entre Mavs e Nuggets que acontecia no momento em que a NBA anunciou a suspensão da temporada:

A entrevista foi segundos depois dele ser flagrado DESCOBRINDO A NOTÍCIA da suspensão da temporada. Uma cena para a história da NBA e que mostra como a reação de Adam Silver foi rápida e imediata, tomada mesmo antes de consultar os donos das franquias:

Outro que tomou ação foi Steph Curry, que está liderando uma campanha para ajudar 18.000 crianças que podem ficar sem todas suas refeições diárias agora que as escolas de Oakland vão fechar as portas por causa do novo coronavírus:


MOMENTO BOBAN DA SEMANA

Daqui alguns anos, em um Quiz Bola Presa, vamos perguntar: Que jogador marcou seu máximo de pontos na carreira na mesma noite em que a temporada da NBA foi suspensa por uma pandemia? A resposta certa será BOBAN MARJANOVIC! Enquanto o mundo não ligava mais para basquete, o nosso gigante favorito colocou Nikola Jokic no bolso e marcou 31 pontos e 17 rebotes na vitória do Mavs sobre o Nuggets:

Uma pena que nem um especialista em LEITURA LABIAL EM SÉRVIO seria capaz de descobrir o que os compatriotas conversaram e brincaram após a partida. A mão de Boban é tão grande que não cobre só sua boca, mas toda a CABEÇA do adversário:


DICAS DE LEITURA


SINCRONIA DA SEMANA

Estavam com saudade de vídeos de jogadores agindo em perfeita sincronia? Agradeçam Gorgui Dieng e Dillon Brooks:


AOMILHAÇÃO DA SEMANA

Em mais uma vitória do LA Lakers sobre o New Orleans Pelicans, a QUARTA na temporada, LeBron James fez a jogada da partida ao enterrar na cara de Josh Hart. Como se o lance já não tivesse sido humilhante o bastante, muita gente apontou para o fato de LeBron postar uma foto do lance justo no exato FRAME em que a cabeça de Hart tocava sua região mais sensível:

Bron

A piada deu passos além no dia seguinte, quando LeBron apareceu na lista de machucados do Lakers por dores na VIRILHA:

Até a Rihanna entrou na brincadeira e comentou na foto de LeBron James no Instagram dizendo para alguém ir lá dar uma olhada se estava tudo bem com Hart. Na semana seguinte foi aniversário do ala do Pelicans e ele, veja só, ganhou de presente um moletom com um print do comentário da cantora sobre ele. É realmente uma honra, eu faria o mesmo:


CRIANÇAS OBCECADAS DA SEMANA

Um garoto teve que tirar o dente do siso e no meio da doideira da anestesia só conseguia falar sobre… Donovan Mitchell:

É legal, mas não tão fofo quanto o bebê que fala Bojan Bogdanovic:

Falando em ser fã, essa aqui deu polêmica: Zion Williamson foi grosseiro ao não pedir a camisa de JaVale McGee de volta quando o pivô do Lakers foi pedir o souvenir do fenômeno do Pelicans?


NÚMEROS DA SEMANA

A ascensão meteórica de Jayson Tatum nesta temporada foi impulsionada por um tipo de arremesso: a bola de 3 pontos. A capacidade dele de criar seus próprios pontos de longa distância revolucionaram a sua pontuação. Um número mostra muito bem isso, o aproveitamento de bolas de 3 em arremessos criados por conta própria, sem assistência. O ala do Boston Celtics é o MELHOR DA NBA nesse tipo de arremesso, na frente de Damian Lillard, Zach LaVine e Paul George:

E por falar em bolas de 3 pontos, Duncan Robinson, do Miami Heat, se tornou na última semana o terceiro jogador da história da NBA a ter ao menos três jogos com NOVE ou mais bolas de 3 pontos em uma temporada. Ao lado dele só Steph Curry e James Harden:

Entre os times, mais recordes do Milwaukee Bucks, que bateu o OKC Thunder por QUARENTA E SETE PONTOS de diferença e se tornou apenas o terceiro time da história da NBA a ter ao menos três vitórias de 40 ou mais pontos de diferença em uma mesma temporada:

Com médias de 31,9 e 33,4 pontos por jogo em Fevereiro, James Harden e Russell Westbrook se tornaram a primeira dupla de jogadores do mesmo time a terminar um mês com média de mais de 30 pontos desde Kobe Bryant e Shaquille O’Neal em 2001.

Mas não que os dois sejam perfeitos. Nesta semana Harden chegou a mais um quádruplo-duplo-do-mal, um jogo em que passou de 10 pontos, 10 rebotes, 10 assistências e 10 TURNOVERS. A reação dos narradores do Charlotte Hornets à marca foi de rachar de rir:

Para se ter uma ideia, de 1987 a 2016 só aconteceu UM quádruplo-duplo com turnovers na NBA. Desde então aconteceram mais DEZ, oito deles das mãos de Harden e Westbrook. Mas voltemos aos pontos marcados: além da dupla do Rockets, outros QUATRO jogadores tiveram média de ao menos 30 pontos em Fevereiro. Foi só a segunda vez na história da NBA que tantos jogadores tiveram médias acima dos 30 pontos em um mês. A primeira vez? Em Janeiro deste ano…

Outro número quase inédito rolou na vitória do Golden State Warriors sobre o Denver Nuggets, fora de casa, com o time todo desfalcado. Andrew Wiggins alcançou 10 assistências na partida, apenas a SEGUNDA VEZ NA CARREIRA que deu tantos passes para cesta. Será que tem salvação?

Com o resultado, o Warriors se tornou o responsável pelas três piores derrotas em casa do Nuggets nas últimas três temporadas:

Vocês lembram que há algumas semanas falamos do jogo de 35 pontos e mais NADA de Bojan Bogdanovic? Pois Terrence Ross acaba de entrar no grupo que tem também Allan Houston de jogadores com partidas de 35 pontos, 0 rebotes, 0 assistências, 0 tocos e 0 roubos de bola:

Na temporada passada colocamos aqui no Filtro Bola Presa números que mostravam o quanto Luka Doncic, ainda como novato, tinha aproveitamento insano nos momentos decisivos das partidas. Mas nessa temporada a coisa não está tão bonita assim: ele errou todos os NOVE arremesso que tentou nos últimos minutos de jogo para empatar ou virar jogos. No ano passado foram seis acertos em 11 tentativas:

O The Ringer fez uma compilação de dados para saber qual foi a dupla que mais conectou assistências desde 2000-01. O maior destaque é para a Steve Nash e Amar’e Stoudemire, que tem a primeira posição em 2008 e a terceira em 2010. Chris Paul e Russell Westbrook aparecem duas vezes na lista também, mas Paul se destaca por ter parceiros diferentes, primeiro David West, depois Blake Griffin. Westbrook sempre apareceu ao lado de Kevin Durant. Nesta temporada os líderes são LeBron James e Anthony Davis, que somam 172 conexões:

Captura de Tela 2020-03-14 às 1.53.12 AM


ATUAÇÃO BIZARRA DA SEMANA

Elogiamos muito o Aron Baynes no começo da temporada, mas mesmo assim não prevíamos que ele iria meter um jogo de 37 pontos, 16 rebotes e NOVE BOLAS DE 3 PONTOS! Apenas James Harden, na HISTÓRIA DA NBA, já havia tido uma atuação com esses números. Cadê a vaga no All-Star Game pra ele?!


TRETAS DA SEMANA

Depois de Giannis Antetokounmpo tanto alfinetar James Harden, o barba finalmente respondeu: disse basicamente que é muito fácil ter 2,10m de altura e só enterrar, que fazer isso não exige nenhuma habilidade. O grande Rob Perez, o Wob, montou um vídeo para tentar descobrir onde e quando começou essa rivalidade que já teve empurrões, bolada na cara e muito trash talk:

Uma treta mais física e direta aconteceu no último jogo entre Portland Trail Blazers e Atlanta Hawks. Quando Trae Young foi para mais uma de suas tradicionais CANETAS, Trevor Ariza decidiu que AQUI NÃO, GAROTÃO. Depois do jogo até rolou um abraço, mas o armador disse que não vai parar de fazer o lance:

A minha briga favorita das últimas semanas é também a mais idiota: um cara QUALQUER no Twitter disse que Ja Morant não tinha mais “fogo no seu olhar”. O armador viu o comentário, jogou muito na vitória contra o LA Lakers e na entrevista disse que a vitória era pra ele. Haja motivação!

Teve treta também entre jogador e árbitro. Olha só o Mario Hezonja SEGURANDO O BRAÇO do juiz para tentar impedir ele de dar uma falta técnica no CJ McCollum! O que ele achou que ia conseguir com isso?! Não faz sentido algum:

A briga mais simbólica de todas foi a entre o New York Knicks e o diretor de cinema Spike Lee, o torcedor-símbolo da desastrosa franquia. Tudo começou quando o time, por algum motivo ainda não explicado, resolveu mudar alguns de seus procedimentos internos e barrou Spike Lee de acessar sua cadeira na primeira fileira pelo corredor que sempre usou. Parece bobagem? É, mas o time foi incapaz de avisar antes, se explicar depois e sequer minimizar o problema. Pelo contrário, o Knicks soltou uma NOTA PÚBLICA dizendo que a ideia de Spike Lee ser vítima é “risível” e que ele “cria uma falsa controvérsia” para perpetuar um drama:


JOGADA BOLA PRESA SEMANA

Começamos com o coronapositivo Rudy Gobert, que erra um lance-livre, fica puto, tira a sleeve que usa no braço e aí… erra de novo. Tem que achar outro culpado, campeão:

Nem toda Jogada Bola Presa é ruim, às vezes é só bizarra. Como Gobert, Tatum também errou um lance-livre, mas foi de propósito e resultou numa bola de empate de Jaylen Brown no último segundo:

Teve jogada positiva também de James Harden, que não disfarçou a celebração de finalmente vencer seu primeiro PULA DOIS na temporada, no começo do jogo contra o NY Knicks. Vida de small ball é feita, sem trocadilhos, também de pequenas vitórias:

Em rara aparição na lista de jogadas bizarras, LeBron James simplesmente BUGOU e esqueceu de cobrar o fundo-bola. Saiu driblando como se nada tivesse acontecido:


SONHOS DE CONSUMO DA SEMANA

Tem um cara por aí vendendo, veja bem, um BEN WALLACE INFLÁVEL EM TAMANHO REAL! Precisamos disso para levar nas próximas peladas do Bola Presa. Se alguém encontrar, nos avisem!

Um outro produto de sucesso causou briga no Miami Heat. O armador Goran Dragic tem bonés vermelhos com sua marca registrada, um dragão, e Jimmy Butler recebeu um de presente. Pois Bam Adebayo não ficou nada feliz de ver que ele não tinha um pra ele. O Myers Leonard também tuitou dizendo que ainda não recebeu o dele…


GRANDES HISTÓRIAS DA SEMANA

A ala Maya Moore, uma das maiores estrelas da WNBA, simplesmente LARGOU O BASQUETE no ano passado para dedicar toda sua energia e influência para tentar tirar da cadeia um cara que ela considerava ter sido condenado injustamente. Pois ela conseguiu:

Um vídeo do Brooklyn Nets mostrou, através da família do ala Garrett Temple, a evolução da luta dos negros por direitos e espaço na sociedade americana. Eles contam que o avô de Temple não pôde entrar na Louisiana State University, o pai de Temple foi o primeiro jogador negro da universidade e o jogador do Nets, finalmente, levou o time a um Final Four com um time titular só de atletas negros.


ATRAÇÃO DE INTERVALO DA SEMANA

Todos nós já conhecemos os talentos da Red Panda, a famosa CHINESINHA DOS PRATOS, certo? Pois parece que o Bobby Portis acabou de ser apresentado para um dos grandes talentos do planeta:


APELIDO DA SEMANA

No programa de TV Jeopardy, foi feita uma pergunta sobre qual era o apelido de Joel Embiid que “descrevia a estratégia do Philadelphia 76ers de melhorar o time”. Com toda a confiança do mundo, ao invés de responder The Process, o maluco respondeu “Do a 180“! Da onde veio essa ideia?!?!

É óbvio que Embiid não iria deixar passar e logo ele adotou seu novíssimo apelido no Twitter:


CAMPEONATO DE CAMISAS ALTERNATIVAS DA SEMANA

Temos um novo campeão:


TORCEDORA DA SEMANA

Um salve pra torcedora que vira um copo de vinho como se fosse água. Jogo tava no fim, tem que fazer valer a grana:


HOMÔNIMO DA SEMANA

Na semana passada rolou a Sloan Sports Conference, evento que reúne a nata dos estudiosos de esporte no EUA, e em uma das palestras falou Jimmy Butler. Não o NOSSO Jimmy Butler, um mesatenista com o cabelo mais estiloso de todo o planeta Terra (nos anos 1980):


LOUCURA DE TORCEDOR DA SEMANA

O Cleveland Cavaliers bateu o Denver Nuggets na última semana e na hora de colocar o placar nas redes sociais trocou o escudo do adversário por alguns… NUGGETS DE FRANGO:

Não é só uma piada do estagiário do Cavs, mas uma campanha lançada por torcedores do time nos últimos anos. A ideia é comer mais nuggets durante o jogo do que o número de pontos marcados pelo Denver Nuggets. Neste último duelo esse ser humano da foto abaixo comeu CENTO E SETE nuggets do McDonald’s durante a partida, superando os 102 pontos do rival. Seguir a hashtag #MeVsNuggets irá trazer outros heróis da comilança:


MASCOTES POWER RANKING

Os 10 pontos da semana vão para Rumble, mascote do OKC Thunder. Enquanto o mundo entrava em colapso, médicos corriam para a quadra, jogadores buscavam quarentena e a liga discutia uma possível suspensão da temporada, o búfalo mais fofo da NBA estava tentando acertar arremessos de costas do meio da quadra. As pessoas precisam ser entretidas mesmo em meio a uma pandemia!

Os 5 pontos de hoje vão para Boomer, mascote do Indiana Pacers que resolveu desafiar Marcus Smart num jogo de imitação. Confesso que achei engraçadinho no começo, fiquei abismado com o que o armador do Boston Celtics fez no meio e saí vibrando com a resposta do mascote no final. Um show da dupla:

RANKING DA TEMPORADA
Coyote – 45
Stuff – 35
Benny e Jazz Bear – 30
Bango – 25
Clutch – 20
Rocky- 15
Rumble, Harry, Blaze, Boomer, Raptor, Burnie, Slamson e Crunch – 10


BÔNUS DOS MASCOTES

O Crunch, mascote do Minnesota Timberwolves, pulou por cima de uma legião de mascotes e a conta do time disse que Dwyane Wade daria só um 9 de nota pela cravada. O ex-jogador discordou… daria um oito.

Torcedor do Lakers e defensor de 87,4% das estatísticas.

Como funcionam as assinaturas do Bola Presa?

Como são os planos?

São dois tipos de planos MENSAIS para você assinar o Bola Presa:

R$ 14

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

R$ 20

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Como funciona o pagamento?

As assinaturas podem ser feitas pelo Aplicativo PicPay. Baixe, cadastre-se, busque o Bola Presa e escolha seu plano de assinaturas. Você pode pagar com cartão de crédito ou carregar sua Carteira PicPay com boleto ou depósito bancário. Depois de assinar, escreva para bolapresa@gmail.com para mais detalhes de como ter acesso ao conteúdo exclusivo.

DÚVIDAS SOBRE AS ASSINATURAS? Nos escreva: bolapresa@gmail.com

Assine já!