🔒Filtro Bola Presa #16

Tivemos um caso trágico e um feliz na última semana envolvendo pessoas ligadas à NBA. O triste já comentamos até no Facebook, a mulher de Monty Williams, ex-técnico do New Orleans Pelicans e atual assistente do OKC Thunder, morreu em um acidente de carro. Ingrid Williams só tinha 44 anos e tinha 5 filhos com o treinador. Monty é conhecido por ser um técnico meio paizão, de bom relacionamento com seus jogadores, e com tantos anos de NBA nas costas dá pra imaginar a comoção de todo mundo ao redor da liga com o caso.

No meio da tragédia foi uma oportuna coincidência que o New Orleans Pelicans, ex-time de Monty , tenha enfrentado o Thunder para uma partida na última semana. Isso deu a chance de Ryan Anderson visitar seu ex-técnico para uma conversa. Em outro caso trágico que envolveu um atleta da NBA nos últimos anos, a namorada de Anderson se suicidou em 2013 e a família Williams foi uma das que mais agiram para consolar o jogador e ajudá-lo a ter ânimo para voltar ao basquete. Depois do ala do Pelicans encontrar sua namorada enforcada em casa, o técnico foi um dos primeiros a chegar no lugar para ajudar o jogador. Ingrid, que teve um irmão que se suicidou, foi uma das que tiveram algumas palavras para ajudar Anderson a lidar com a situação ao longo dos meses seguintes.

Essa matéria do Chris Ballard na SportsIllustrated relata todo o processo de Ryan Anderson para lidar com a situação e voltar a jogar, e Monty Williams está por toda a parte do processo. O calendário pelo menos deu uma chance de Anderson retribuir a solidariedade.

Lamar Odom

Por outro lado, essa semana também viu a primeira aparição pública de Lamar Odom após o ex-jogador ficar assustadoramente MUITO perto da morte no fim do ano passado. Para quem não lembra, ele ficou em coma após uma overdose e por muito, muito pouco, não morreu. Falou-se em danos irreversíveis na época, mas ele acordou, voltou a falar, voltou a andar e pelos últimos relatos sua maior dificuldade tem sido “apenas” com a memória de curto prazo. Mas ele parecia bem até demais durante o lançamento do novo álbum do Kanye West, e estava lá ao lado de todo o clã Kardashian, incluindo sua ainda esposa (pelo menos no papel) Klhoé. Aliás, para ficar nas fofocas, essa semana saiu a confirmação de que o namoro dela com James Harden terminou oficialmente.


Outra fofoca, essa surreal: Derek Fisher teria tido um relacionamento com a mesma mulher que Tim Hardaway Jr na temporada passada. Não existe essa regra, mas deveria estar na CONSTITUIÇÃO que jogadores e técnicos deveriam lidar com grupos diferentes de mulheres. E você mudou de time, Fish. Daqui a pouco tem mais um Matt Barnes batendo na sua porta!


Saindo das questões de vida, morte e amor e voltando ao basquete, que tal essa nova estratégia defensiva de Kyrie Irving e Tristan Thompson? Estão dançando quadrilha? Se fosse há algumas semanas eu diria que era estratégia para derrubar David Blatt.


Nós queremos voltar a fazer as camisetas do Bola Presa, apenas precisamos encontrar o lugar certo para produzi-las e uma maneira eficiente de vender, enviar e tudo mais. Chegaremos lá! Mas mesmo quando der tudo certo, acho difícil que a gente consiga fazer um modelo mais legal do que esse que o Carlos Boozer ostentou durante sua viagem ao Japão. Nada mal essa vida de aposentado na NBA, né? O instagram do Boozer é uma coleção infinita de viagens espetaculares ao redor do mundo.

Booz

Caso você não tenha reconhecido, esse rostinho lindo na imagem é a CARA DO FILHO DO DERRICK ROSE! A grande celebridade mirim da liga antes da ERA Riley Curry. Parece absurdo usar o rosto de uma criança para vender camisetas? Bom, o Derrick Rose também usa.

Tudo fruto de ótimas caras e bocas durante uma entrevista coletiva nos Playoffs do ano passado.


Ficando ainda no tema de pais e filhos, uma matéria do Wall Street Journal revela um dos segredos do sucesso do Portland Trail Blazers: os dois melhores jogadores do time, Damian Lillard e CJ McCollum, ainda moram com suas mães! Quantos jovens milionários de 20 e poucos anos topariam uma dessa?

Lillard sentiu muita saudade da mãe quando fez faculdade longe dela, e CJ pensou que seria bom ter uma companhia por perto quando se lesionou logo em seu primeiro ano como profissional. Hoje as duas são grandes amigas e passeiam juntas sob a chuva tradicional de Portland. O fato deles levarem a família para lá e montarem residência fixa na cidade também é visto como uma receita de sucesso: isso forçou os outros jogadores, de menos renome, a passarem seu verão na cidade, treinando com o resto da equipe, ao invés de ficar em Los Angeles com o resto da NBA, pulando de treino em festa.

E sim, os dois ainda precisam tirar o prato da mesa, levar o lixo pra fora e lavar a louça. Menos CJ, ele comprou uma máquina lava-louças. Boa, CJ.


Falando em filhos, D’Angelo Russell nunca vai poder ter um


Toda semana Kobe Bryant, em seu tour de despedida, faz um último jogo em uma cidade diferente. A cada visita, uma história antiga, interessante ou não, ressurge das cinzas. A que surgiu em Cleveland, porém, é uma daquelas que nos faz imaginar um belo “e se…”.

Em 2007, quando Kobe Bryant estava puto de não ter um time competitivo em Los Angeles, o Lakers ofereceu sua maior estrela por… LeBron James! A troca não rolou porque o Cleveland Cavaliers, com uma estrela de ainda 22 anos que tinha acabado de levar o time para uma final da NBA, não quis fazer negócio. Eles tentaram oferecer deus e o mundo por um pacote que incluísse qualquer coisa menos LeBron, mas aí foi o Lakers que não mostrou interesse algum.

O que Kobe diz, porém, é que nem ele iria querer uma troca dessa. Segundo o que afirmou na última semana, quando estava cogitando sair de Los Angeles os times que ele indicou que jogaria eram o Phoenix Suns, o San Antonio Spurs e o Chicago Bulls. 


Os técnicos que quiserem que seus jogadores deixem o celular e as redes sociais de lado acabam de ganhar um novo argumento. Veja só os números de LaMarcus Aldridge desde que deletou sua conta no Twitter

LaMarcus


Lembram de quando inventaram de que o Bernardinho deveria ser político, prefeito, governador e presidente da Terra? Pois é, nos EUA a coisa não é tão diferente assim. Lá querem Gregg Popovich como presidente. Bons líderes nos fascinam demais, é muito fácil acreditar em heróis.


Mais uma do Spurs? Vamos lá O Jonathan Simmons é o mais novo Gary Neal, Danny Green ou sei-lá-mais-quem. É o jogador que o San Antonio tira do nada e o cara rende mil vezes mais do que o previsto, se é que algo era previsto. Simmons tem sido disciplinado e é um dos raros jogadores do time com potência física para puxar contra-ataques, atacar a cesta e enterrar a bola com violência.

Mas o caminho dele chegou até o time que é estranho: ele jogou por dois junior colleges antes de entrar na Universidade de Houston e acabou não sendo draftado. Ele então foi para a American Basketball League ao invés da D-League. Por que? Porque ele não sabia como a D-League funcionava (!!!). Só um ano depois, quando estava pensando em largar o basquete, que decidiu tentar uma vaga no Austin Spurs, equipe afiliada do San Antonio Spurs na Liga de Desenvolvimento. O curioso é que ele não foi convidado, e precisou pagar 150 doletas para fazer o teste ao lado de outros 60 jogadores. Ele passou, jogou na D-League, conseguiu uma vaga no time da Summer League treinado por Becky Hammon e agora é parte importante da rotação de Gregg Popovich.

Ainda bem que ele não hesitou em pagar os 150 obamas.


Juro que é a última sobre o San Antonio Spurs! Mas é que não dá pra ignorar o fato de que o KAWHI LEONARD TEM A MÃO DO MESMO TAMANHO DA MÃO DO SHAQUILLE O’NEAL! Proporcionalmente, deve ser a maior mão da história da NBA, sem brincadeira.


Será que Kristaps Porzingis enterraria em Shaq? E o contrário? O ex-jogador tem sua opinião sobre essas questões


A NBA criou emojis para todos os jogadores que disputaram o All-Star Game em Toronto, algo muito correto já que os emojis viraram parte essencial da dinâmica da liga no último ano.

Mas é claro que a internet não iria deixar isso passar sem suas piadinhas…


Bora mandar um 11 COISAS QUE APRENDEMOS NO ALL-STAR WEEKEND?

1_Tracy McGrady ficou velho

2_Tem um cara que ganharia o campeonato de enterradas usando uma calça jeans

3_Quer saber quem seriam os All-Stars baseados apenas em estatísticas avançadas? Alguém já fez esse trabalho para você! SPOILER: o Warriors leva três jogadores, o Jazz tem um cara francês na lista.

4_O filho de Chris Paul já é um especialista em defesa

5_Steph Curry e Chris Paul conseguem sentir toda a emoção de uma música da Adele. Paul Millsap? Nem tanto

6_Benny The Bull roubou a bolsa da mulher do Kobe e soube o que fazer com ela 

7_O filho do Carmelo Anthony é mais fã do Odell Beckham Jr do que de qualquer jogador da NBA

8_Shaquille O’Neal ainda manja dos paranauê

9_As pessoas odeiam os árbitros da NBA

10_Enterradas ainda são mais legais que bolas de 3 pontos

11_Steph Curry pode arremessar de qualquer lugar (mesmo)

Aliás, a lista com o maior número de bolas de 3 feitas durante um período de 4 anos só tem três jogadores: Steph Curry, Klay Thompson e Ray Allen. O atual período de Curry e Klay (2013-16) são as posições 1 e 3 na lista…


No último jogo antes da parada do All-Star Weekend, o OKC Thunder venceu o New Orleans Pelicans e alcançou 40 vitórias na temporada. Foi a primeira vez na história que TRÊS times de uma mesma conferência chegaram no All-Star com ao menos 40 vitórias. Não sei se Warriors, Spurs ou Thunder, mas vai ter time historicamente espetacular morrendo ainda na segunda rodada dos Playoffs…


Ano que vem tem mais festa!

 

Torcedor do Lakers e defensor de 87,4% das estatísticas.

Como funcionam as assinaturas do Bola Presa?

Como são os planos?

São dois tipos de planos MENSAIS para você assinar o Bola Presa:

R$ 14

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

R$ 20

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Como funciona o pagamento?

As assinaturas podem ser feitas pelo Aplicativo PicPay. Baixe, cadastre-se, busque o Bola Presa e escolha seu plano de assinaturas. Você pode pagar com cartão de crédito ou carregar sua Carteira PicPay com boleto ou depósito bancário. Depois de assinar, escreva para bolapresa@gmail.com para mais detalhes de como ter acesso ao conteúdo exclusivo.

DÚVIDAS SOBRE AS ASSINATURAS? Nos escreva: bolapresa@gmail.com

Assine já!