🔒Filtro Bola Presa #35

Parece que ontem mesmo era 2016, mas já passaram mais de 10 dias de 2017, o NY Knicks já não é mais respeitável, o Washington Wizards é um time muito legal de se assistir e o Davis Bertans é um jogador mais relevante que o Joakim Noah. Em resumo: o tempo passa, o tempo voa e o Filtro Bola Presa já chegou na sua edição 35! Vamos guardar aqui nesta ala do Museu Bola Presa de Relevância Temporária tudo o de pequeno da última semana?


Como um blog que sempre quis deixar a nostalgia de lado, o Bola Presa se orgulha de EXAGERAR no nosso gosto pela nova geração. Sei que às vezes pegamos pesado, mas aqui está uma prova de que qualquer coisa que falarmos de Giannis Antetokounmpo não é só pela felicidade de ver um novo talento absurdo brotar diante de nossos olhos. Ele tem sido realmente muito bom! Quanto? Que tal “a melhor temporada de um jogador com 22 ou menos anos na história da NBA”?

O dado usado para lista é o Box Plus/Minus, o BPM. Uma estimativa de pontos a cada 100 posses de bola que um jogador contribui a mais do que a média da NBA. Confuso? Espero que sim, senão você é um gênio. Este número é o mais usado para fazer listas históricas porque utiliza apenas dados presentes num box score, então acabamos tendo os dados até das temporadas mais antigas. As melhores temporadas de todos os tempos por essa métrica são de LeBron James (2009 e 2010) e Michael Jordan (1989).

Nosso grego favorito é o segundo ala mais votado para o All-Star Game e tem DUZENTOS E CINQUENTA MIL votos a mais que Kevin Love, o terceiro. E como ele mesmo disse –e nós bem que alertamos no Filtro passado— imagine quantos votos a mais ele teria se as pessoas soubessem escrever seu nome direito antes de colocar a hashtag #NBAVote!

Pensando nisso, fiz uma pequena pesquisa para achar votos não computados porque as pessoas não digitam o nome certo. Achei o Dwayne Wade

Achei alguém que tinha medo de votar errado no Greek Freak e mesmo assim não pesquisou antes…

E às vezes só falta uma letrinha para o seu armador favorito ganhar um voto…


E se a gente está empolgado com Giannis, o que dizer do nosso movimento Embiideiro?! Pelo menos não estamos sozinhos nessa. O piloto do avião que leva o Philadelphia 76ers para Boston mandou um “Lembrem-se, acreditem no processo” antes do avião decolar! Tem jogador que é só bom, tem jogador que faz o universo do basquete parecer o melhor lugar do mundo.

No meio das viagens do seu Sixers, Joel Embiid ainda aproveitou para postar uma foto em seu Instagram e marcar discretamente que ele e seus companheiros Ben Simmons, Nerlens Noel e o rapper Meek Mill estavam em um strip club de Nova York.

Embiid

Só precisam avisar o Noel que não é descolado SORRIR nas fotos.


Mas do mesmo jeito que valorizar demais só os velhos te faz um Charles Barkley chato pra diabo, achar só os pirralhos legais te faz perder os grandes momentos dos VOVÔS da NBA. Temos que tirar um tempo de nossa vida para admirar, por exemplo, o veterano MUSO deste blog Zach Randolph dançando no aquecimento de um jogo:

Quem não abriu um sorriso ao vez Z-Bo dançar é porque já morreu por dentro.


Só para o Filtro não ficar alegre demais, recomendo aqui a leitura desta matéria do Chicago Tribune onde o Doug McDermott conta como foram macabros os dias que ele passou após sofrer DUAS concussões no começo desta temporada.

“Eu entrei no táxi após a bateria de testes e de repente eu perdi a cabeça. Eu não sabia onde eu estava. Aí finalmente cheguei em casa e tive uma grande dor de cabeça”

Isso foi em novembro, e um mês depois o jogador disse que ainda sofria com problemas de memória de curto prazo e que nos treinos às vezes era mais lento do que deveria para entender e fazer algumas jogadas, mas que os técnicos sabiam que era tudo culpa da concussão. Desesperador.

Lembrei dessa história nesta semana quando Anthony Davis perdeu o controle e DECOLOU rumo às cadeiras do Madison Square Garden. Por um segundo, antes de ver o replay, achei que ele tinha metido a cabeça num assento que deve custar um carro popular:


NÚMEROS DA SEMANA

Sabemos que o Portland gosta de correr e que seus jogos tem muitas posses de bola. Sabemos também a defesa do time está beeeeem longe de ser confiável. Mas mesmo assim, alguém esperava que eles já tivessem tido NOVE JOGOS onde tomaram mais de 125 pontos?! Surpresa nenhuma que perderam todos.

O problema é que o time já torrou todo o espaço na folha salarial para reassinar os jogadores da última temporada e agora está meio que estagnado, torcendo para que algum time possa se interessar por Evan Turner ou Allen Crabbe e mandar um especialista em defesa em troca. E falando em contratações, aqui está um link para você checar o espaço salarial projetado para TODOS os times na próxima offseason:

Achamos um site muito bom para descobrir se um time teve sorte ou azar com seu calendário. A tabela mostra se o time atua em casa ou fora, quantas milhas viajou para chegar lá e quantos dias de descanso as duas equipes tiveram antes de cada confronto!

Por fim, lembram que a gente comentou em alguns podcasts que o Toronto Raptors não passa a bola, concentra tudo em dois jogadores e mesmo assim tem um dos melhores ataques NBA? Aqui os números mostram que eles realmente desistiram dessa BALELA de tocar a bola:

Eles eram o 21º time da NBA em passes trocados por posse de bola em 2014-15 e tiveram o 3º melhor ataque. No ano passado tentaram pagar de Warriors, pularam para a SÉTIMA posição em total de passes trocados por posse e mesmo assim o ataque caiu um pouco, foi para o 5º lugar em eficiência. Nesta temporada jogaram tudo para o alto, são o segundo time que menos toca a bola e o ataque só está atrás daquele com Kevin Durant e Steph Curry. Não tem fórmula secreta, você precisa descobrir o que funciona pra você.

E um detalhe legal: no ano passado o Raptors tocou mais a bola, mas o número de assistências pouco mudou. Mesmo passando mais, as jogadas ainda acabavam em lances individuais.

Depois de desmistificar os passes, que tal também brincar com rebotes?

Rebotes

O Charlotte Hornets é um caso especial na NBA nesta temporada. Como mostra essa análise do Nylon Calculus, o time é o segundo melhor em rebotes de defesa da NBA, mas faz isso com uma enorme variedade de jogadores coletando essas bolas. Explico: não há nenhum Andre Drummond ou DeAndre Jordan pegando 15 rebotes por partida, é um trabalho coletivo que só o Denver Nuggets chega perto de igualar. Ouvimos muito de ataque coletivo, de dividir arremessos, mas poucos são os que conseguem isso com os rebotes. É uma boa e difícil solução para quem não tem um pivô dominante e atlético.


Geralmente a gente INVENTA coisa pra assistir e matar vontade de basquete durante a offseason da NBA. Agradecemos qualquer Copa América e até nos aventuramos por duvidosos jogos de Summer League. Mas neste próximo verão do hemisfério norte teremos uma opção interessante, o BIG3.

Segundo este texto do Vertical, será uma liga de Basquete 3×3 com ex-jogadores profissionais como Allen Iverson, Chauncey Billups, Kenyon Martin, Rashard Lewis, Jermaine O’Neal, Stephen Jackson e Jason Williams. Basicamente a NBA de quando o Bola Presa começou a falar de basquete há 10 anos! Vai ser ruim, mas vai ser ótimo!


Normalmente as Jogadas Bola Presa do Ano são desastres ofensivos, mas achamos dois bons candidatos na defesa também nesta semana. Primeiro temos Jason Smith com a mais desesperada maneira de contestar um arremesso na zona morta. Foi tão bizarro que o Bobby Portis não conseguiu fazer nada:

E Kawhi Leonard, melhor ladrão de bolas da NBA, mostrou para Pau Gasol que nem caras do seu próprio time estão à salvo!

Sabe quem já foi o melhor da NBA em roubar bolas? Rajon Rondo. Agora ele está sendo enfiado no banco até no dia em que o Chicago Bulls distribuiu os famosos BONEQUINHOS do seu armador. Uma maldade:

Quando Rondo estava conversando com a imprensa sobre seu status de reserva no time, se animou e passou a falar um pouco mais que deveria. Quando o Relações Públicas do time quis mandar o clássico “tá ótimo gente, vamos parar por aqui” o armador retrucou: “Não, fazia tempo que não recebia essa atenção”

Foi nessa entrevista que ele nos relevou que a direção do Bulls disse que a sua presença no banco por 5 jogos seguidos foi para “salvá-lo dele mesmo”. O que RAIOS isso quer dizer?


A vida não está fácil para mim. Certamente não está fácil para você. Mas pelo menos você não foi filmado sendo DESTRUÍDO por Raymond Felton e Alan Anderson, né DeAndre?


Tivemos duas despedidas importantíssimas para o mundo da NBA nesta semana:

Primeiro a de Barack Obama, o presidente mais BASQUETEIRO da história mundial. Seus discursos e sua imagem são mais legais que os reais resultados do seu governo, e talvez ele até concorde com isso, mas não dá pra ignorar que foi bem divertido ter um fã da NBA comandando uma potência global. O The Starters reuniu alguns dos bons momentos basquetebolísticos do POTUS:

A outra despedida foi do Red Rocket, o Red Mamba, o maior arremessador de todos os tempos: Matt Bonner! Um emocionante vídeo foi divulgado para chorarmos a perda de um dos jogadores mais carismáticos da última década:


MASCOTES POWER RANKINGS

Confesso que tinha preconceito com o Stuff, o mascote do Orlando Magic que não é um urso, um lobo ou uma ave como a maioria dos mascotes, ele é um DRAGÃO MÁGICO! É muito ácido pro meu gosto, mas devo admitir que ele manda bem nas parada. Nesta semana ele leva os 10 pontos por dois fatores: primeiro porque levou uma criança da torcida para assistir o final do jogo já perdido contra o Raptors ao lado do nosso Lucas Bebê, que aceitou a companhia…

…depois porque ele conseguiu a MAIOR FAÇANHA POSSÍVEL entre os arremessos malucos que mascotes tentam.

Os 5 pontos do segundo lugar vão para o Coyote, do San Antonio Spurs, que pensou rápido, soube LER O MOMENTO e tirou sarro do primeiro meme de 2017, a Mariah Carey perdida no show de ano-novo:

Classificação Geral

Coyote > 25
Benny > 20
Rumble > 15
Clutch > 15
Stuff > 15
Raptor > 10
Moondog > 10
Grizz > 10
Hugo > 10
Gorilla > 10
Crunch > 10
Harry > 5
Hooper > 5
Jazz Bear > 5


Menção honrosa para a participação do Benny The Bull no PRIMEIRO PEDIDO DE CASAMENTO GAY da história da NBA! A liga é famosa por esses pedidos muito bregas e divertidíssimos no intervalo dos jogos, e dessa vez aconteceu entre dois homens, um deles muito bem penteado por Benny. O único problema é que isso rolou há cerca de um mês e eu só fiquei sabendo agora =/

Desatualizado, não vale pontos para o Benny, mas vale o registro:

Torcedor do Lakers e defensor de 87,4% das estatísticas.

Como funcionam as assinaturas do Bola Presa?

Como são os planos?

São dois tipos de planos MENSAIS para você assinar o Bola Presa:

R$ 14

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

R$ 20

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Como funciona o pagamento?

As assinaturas podem ser feitas pelo Aplicativo PicPay. Baixe, cadastre-se, busque o Bola Presa e escolha seu plano de assinaturas. Você pode pagar com cartão de crédito ou carregar sua Carteira PicPay com boleto ou depósito bancário. Depois de assinar, escreva para bolapresa@gmail.com para mais detalhes de como ter acesso ao conteúdo exclusivo.

DÚVIDAS SOBRE AS ASSINATURAS? Nos escreva: bolapresa@gmail.com

Assine já!