🔒Filtro Bola Presa #71

Tivemos Natal, estamos próximos da virada do ano e vivemos aquela época de contar boas histórias, relembrar momentos bonitos e inventarmos para nós mesmos que tudo vai ficar bem. Não vai, mas de que outra maneira aguentaríamos começar tudo de novo, né? Vamos então contar bons causos para que a gente consiga ter ânimo para ao menos aguentar até o Filtro Bola Presa da semana que vem. Bora lá, amados assinantes!

BOAS AÇÕES DA SEMANA

Começamos com Charles Barkley, o ex-jogador que é um dos maiores atletas da história da NBA, já ganhou troféu de MVP e que hoje é mais famoso por se exaltar, falar abobrinhas e eventualmente contar bons causos como comentarista da TNT. A sua história envolve dois funerais e um químico chinês em emigrou para os EUA nos anos 90 e que trabalha na indústria de AREIA PARA GATOS.

O primeiro funeral foi o da mãe de Barkley, em 2015, numa cidade pequena do estado do Alabama. No meio de familiares, do pessoal da cidade e dos amigos feitos no basquete, apareceu um tiozão chinês que não conhecia ninguém e que não parecia pertencer ao lugar: quem é esse cara? Ao que Barkley logo respondeu: “é meu amigo Lin!”

A amizade mais improvável do mundo da NBA começou em um hotel em Sacramento. Barkley estava lá para um evento de caridade, Lin estava a trabalho. Os dois se encontraram no bar do hotel e Lin, um fã, pediu para tirar uma foto com ele. Começaram a conversar, o papo engrenou e horas depois estavam jantando juntos e trocando telefones. “Quando estiver em Atlanta, Phoenix ou Nova York, me ligue e se eu estiver por lá a gente se encontra”, disse Barkley. Seu novo amigo fez exatamente isso, e por anos passaram a se encontrar, trocar mensagens e cultivar uma amizade que ninguém levava a sério.

Segundo a filha de Lin, falar sobre Barkley era a “história de jantar” favorita do pai, embora nem todos levassem a sério o quanto aquilo era real. Mas era, e por isso Lin foi ao funeral da mãe do jogador, que disse que o esforço do amigo para estar lá “significou muito”.

No ano seguinte, Lin ficou doente. Câncer. Foram dois anos de tratamento e poucos resultados. Um dia depois da Final de 2018, quando o time favorito de Lin, o Golden State Warriors, tinha se sagrado campeão, ele morreu. Barkley, que tinha ficado da doença pouco antes, por decisão de Lin, retribuiu a boa ação do amigo e não só foi ao funeral dele, como falou à família:

Muitos foram pegos de surpresa quando o super atleta, celebridade e milionário apareceu. As histórias eram verdade! Segundo Barkley, Lin era simplesmente um cara divertido, feliz e que contagiava todas à sua volta. Por que um jogador da NBA não pode ser amigo de um pai de família chinês que trabalha com xixi de gato?! Em conversa com a filha de Lin, disse que ambos conversavam muito sobre os filhos de cada um. Ela contou tudo em detalhes neste texto:

Quanto mais Barkley e eu conversávamos , mais eu percebia como ele e meu pai eram próximos. Barkley sabia muito de mim e da minha vida mesmo esta sendo a primeira vez que conversávamos.

‘Me traz grandes memórias e grande alegria saber que eu era amigo dele’, disse Barkley. ‘Só de ouvir sobre ele no funeral, o que ele conquistou, como ele estava ajudava outras pessoas. Queria que ele tivesse se gabado mais disso.

‘Deixa eu entender então: você se impressionava com ele?’, eu disse.

‘Sim’, respondeu Barkley.

Barkley


Em outra boa ação da última semana, Victor Oladipo deu o carro que ganhou na temporada passada ao ser eleito o Most Improved Player para uma vítima de violência doméstica que hoje comanda um centro que ajuda outras pessoas que passam pela mesma situação. Ela pensou que iria só receber uma homenagem na quadra, mas logo apareceu nosso mascote Boomer com as chaves do seu novo carro:


Em Oklahoma City, o ala Andre Roberson levou algumas famílias com dificuldades financeiras para fazer compras de Natal. No processo ele conheceu uma avó que tentava finalizar o processo de adoção dos seus netos, que por algum motivo que não foi divulgado, não poderiam ficar mais com os pais. Ela tinha o direito da adoção, mas não os SETE MIL E QUINHENTOS dólares necessários para a burocracia. É aí que Roberson aparece para resolver o problema:


Por fim, Luka Doncic teve o cuidado de presentar um garoto de 5 anos que QUASE FOI ASSASSINADO com uma camiseta autografada. O detalhe: Luka foi o responsável pela experiência de quase morte do jovem:


DICAS DE LEITURA

  • O New York Times fala sobre o complicado caso dos direitos autorais das tatuagens dos jogadores da NBA. Vocês sabiam que eles pertencem ao tatuador e não ao atleta? E como funciona na hora de colocar essas tatuagens no video game?
  • O The Athletic conta para seus assinantes a história de Jaron Neville e Brandon Demas, dois jovens de New Orleans que começaram no Pelicans como gandulas e foram promovidos a assistentes técnicos
  • O Tom Haberstroh conta na NBC como a lesão escondida por LeBron James na Final da temporada passada enfureceu um dos maiores nomes do mercado de apostas esportivas dos EUA, que não quer que a NBA receba pelas apostas
  • Na ESPN, a Malika Andrews escreveu sobre como Atlanta Hawks, Philadelphia 76ers e Brooklyn Nets usam a “linha de 4 pontos” em seus treinos. A ideia é acostumar seus jogadores a arremessar de mais longe e criar jogadas com maior espaçamento entre os jogadores.
  • No Wall Street Journal, Ben Cohen fala sobre como até LeBron James está mudando o seu jogo e se tornando um melhor arremessador de 3 pontos mesmo na sua 16ª temporada na NBA.

FOFURA DA SEMANA

O filho de Draymond Green ainda é pequeno demais para aprender a ser um mala como o pai. Por enquanto ele é só fofinho ao reconhecer a foto do seu velho nas paredes da Oracle Arena:


ARTISTA DA SEMANA

O New York Times fez uma boa matéria sobre os pôsteres que o Portland Trail Blazers faz para cada jogo do time em casa. São materiais à lá anúncios de shows de rock dos anos 70, mas com a liberdade artística dada a todos os jovens e promissores artistas da região que querem se expressar. São feitos apenas 110 de cada pôster, que já se tornaram peças cobiçadas de coleção na cidade.

Uma ótima ideia para dar trabalho e visibilidade aos artistas, para fazer os torcedores terem vontade de ir ao ginásio e ainda para chegarem cedo lá e garantirem sua cópia. E uma curiosa inversão: a ideia foi “roubada” de times da MLS, a liga de SOCCER dos Estados Unidos.


OBSESSÃO DA SEMANA

Começar coleções, seja de pôsteres de jogos ou tampinhas de garrafa, é uma faca de dois gumes: por um lado você ocupa seu tempo e sua mente com algo que gosta, por outro sua vida e seu dinheiro são consumidos por algo que nunca vai te satisfazer por completo. Que Montrezl Harrell consiga um ótimo novo contrato na NBA para bancar sua coleção ASSUSTADORA de tênis de basquete:


BROMANCE DA SEMANA

Durante anos postamos aqui vídeos de DeMar DeRozan e Kyle Lowry sendo melhores amigos em Toronto. O que será que Lowry achou desse videozinho do seu amigo com Rudy Gay? Será que em breve ele posta algum com o Kawhi Leonard só pra fazer ciúme?


NERDICE DA SEMANA

Quer montar um gráfico TOP/SHOW para comparar jogadores, times ou mesmo montar um mapa de arremessos daquele cara de quem você quer falar mal no grupinho do zap? Existe um novo site para isso! O código é aberto, para os interessados, e eles disponibilizam ferramentas para você montar até gráficos de redes de assistências entre os jogadores.

Aqui abaixo vemos como o Golden State Warriors distribui suas assistências: as melhores duplas são Draymond Green e Klay Thompson e Draymond Green e Kevin Durant:

Captura de Tela 2018-12-27 às 1.35.42 PM


RECORDE DA SEMANA

Na última semana, para a surpresa de absolutamente ninguém, o recorde de mais bolas de 3 de um time em um jogo da NBA foi quebrado. E outra surpresa não surpreendente: o responsável pela marca foi o Houston Rockets!

Foram 26 bolas de longa distância feitas contra o Washington Wizards e a única coisa que realmente nos pegou de calças curtas foi ver que o Michael-Carter Williams marcou a cesta que definiu o recorde.

Após a partida, o técnico Scott Brooks, do Wizards, quis minimizar os erros do seu time e falou que “eles acertaram muitos arremessos contestados e que não há nada que se possa fazer”. Claro que foram atrás dos dados e descobriram que 60 dos 85 arremessos do Rockets foram contabilizados como “sem contestação” pelo Second Spectrum, o sistema de rastreamento da NBA.

O número que realmente impressiona no Houston Rockets é das bolas de 3 pontos de James Harden. Não a quantidade, isso a gente já acostumou, mas saber que 88% delas não tem assistência! A cada 10 bolas feitas pelo Barba, 9 são criadas por ele mesmo!

Os outros dois jogadores com ao menos 500 minutos jogados e com ao menos 60% de suas bolas de 3 sem assistências são Chris Paul e LeBron James.

E foi nesse mesmo jogo entre Wizards e Rockets que morreu a bateria do controle do John Wall. Lembram que na outra semana dissemos que ele é o cara com a menor média de velocidade no Leste? Ficar QUATROZE SEGUNDOS parado dá nisso mesmo…


NÚMERO DA SEMANA

O Charlotte Hornets perdeu na SEGUNDA PRORROGAÇÃO para o Brooklyn Nets na última quarta-feira. O próximo jogo é de novo contra o Nets e vale mais do que uma mera revanche: eles precisam vencer para seguir sendo o TIME MAIS MEDIANO DA NBA!

Nesta temporada o Hornets teve marca de 1 vitória e 1 derrota (1-1), após dois jogos. Depois ficaram com 2-2, 3-3, 4-4, 5-5, 6-6, 7-7, 8-8, 9-9, 10-10, 11-11, 13-13, 14-14, 15-15, 16-16 e, se vencerem o próximo jogo, ficarão em 17-17. Os 50% de aproveitamento só foram quebrados quando eles embalaram uma inédita sequência de três derrotas seguidas para ficar com 11 vitórias e 13 derrotas, evitando o 12-12 no recorde geral.


ABERRAÇÃO DA SEMANA

Por que o braço do Donovan Mitchell parece ter sido encaixado errado?


JOGADA BOLA PRESA DA SEMANA

Começamos com Doc Rivers, que sempre foi um dos técnicos que mais reclama com a arbitragem, mas que nunca tinha se exaltado ao ponto de TOMAR UM CAPOTE no meio da jogada:

Temos árbitros fazendo bobagem também! Esse aqui conseguiu a proeza de ARRANCAR A LENTE DE CONTATO de Vince Carter quando o ala vovô do Atlanta Hawks tentava pegar a bola após um lance-livre nos segundos finais do jogo:

Na Rodada de Natal foi a vez de Stephen Curry aparecer com uma nova estratégia defensiva: imitou Rajon Rondo para cima de Rajon Rondo! Não deu certo:

No mesmo dia tivemos uma inédita ASSISTÊNCIA DE CABEÇA de Daniel Theis para Kyrie Irving. Brad Stevens é um gênio ou não é?!?!

Em Houston, Russell Westbrook começou bem o Natal ao derrubar Sarah Grace, a menina que tinha acabado de cantar o Hino Nacional dos EUA e cobrado um lance-livre para um programa de caridade. Tira esse espírito natalino daqui, menina!

A versão dela é diferente: “depois do meu lance-livre para a caridade, cavei uma falta de Russell Westbrook

Será que DeMarcus Cousins já vai voltar? Em um treino do Golden State Warriors ele jogou 1-contra-1 contra Kevin Durant, venceu e ainda terminou o jogo com uma enterrada que levou o companheiro ao chão. “Eu lutei”, disse KD no chão.


GATO DA SEMANA

Não, infelizmente não estamos aqui para trazer um MUSO, mas para oferecer o Troféu Sandro Horoshi da temporada ao ala Buddy Hield. O jogador do Sacramento Kings admitiu nesta semana que tem 26 anos, um a mais do que consta nos seus documentos.


CONTRATAÇÃO DA SEMANA

Não sei se vocês ficaram sabendo, mas LeBron James vai deixar o LA Lakers para defender o FIGUEIRENSE na próxima temporada:


FRASES DA SEMANA

Acho que está mais fácil saber por que Kyrie Irving fala bobagens de vez em quando. Ele só está entediado:

Falar com vocês (jornalistas) é entediante. É realmente um tédio, de verdade. Falar sobre todos os jogos, o que vamos mudar, como algo irá ser. Com todo o respeito, claro.

Outro que compartilha dessa opinião é Gregg Popovich, que costuma deixar isso claro ao tirar sarro daqueles que aparecem com perguntas que não o agradam. Ele mandou essa aqui ao responder, antes do jogo contra o Denver Nuggets, sobre se Nikola Jokic estava revolucionando a posição de pivô:

Quando penso em revolução, penso em alguém como Che Guevara ou Lênin. Não penso em Jokic. Então acho que você está sendo um pouco hiperbólico aí. Mas ele é um excelente jogador.


INEDITISMO DA SEMANA

No quarto período do jogaço entre Boston Celtics e Philadelphia 76ers, vimos algo raríssimo: Ben Simmons, no auge do desespero com o relógio dos 24 segundos, arremessou de fora do garrafão! E pior, ACERTOU! Foi um milagre de Natal!

O chute a 6,70m de distância da cesta foi o chute mais longo dele NA CARREIRA:


DICAS DE PAQUERA DA SEMANA

Passo 1: Olhar sedutor de Ben Simmons

Passo 2: Manda o Kyrie pra cima da gata!


MASCOTES POWER RANKING

Os 1o pontos da semana vão para Bango, do Milwaukee Bucks, que se vestiu para o Natal, acertou no OUTFIT e ainda mandou uma bola de costas do meio da quadra para fechar o show:

Os 5 pontos da semana natalina vão para o Coyote, que comemorou a data dançando O Quebra Nozes enquanto… quebrava nozes.

RANKING

Bango – 40
Franklin – 25
Benny e Coyote – 15
Grizz, Hugo, Stuff, Raptor e Clutch – 10
Champ, Harry, Moondog, Rocky e Rumble – 5

Torcedor do Lakers e defensor de 87,4% das estatísticas.

Como funcionam as assinaturas do Bola Presa?

Como são os planos?

São dois tipos de planos MENSAIS para você assinar o Bola Presa:

R$ 14

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

R$ 20

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Como funciona o pagamento?

As assinaturas podem ser feitas pelo Aplicativo PicPay. Baixe, cadastre-se, busque o Bola Presa e escolha seu plano de assinaturas. Você pode pagar com cartão de crédito ou carregar sua Carteira PicPay com boleto ou depósito bancário. Depois de assinar, escreva para bolapresa@gmail.com para mais detalhes de como ter acesso ao conteúdo exclusivo.

DÚVIDAS SOBRE AS ASSINATURAS? Nos escreva: bolapresa@gmail.com

Assine já!