🔒Filtro Bola Presa #89

Bem amigos assinantes, mais um Filtro Bola Presa no ar! Nesta semana temos overdose de balas suspeitas, mapa de ódio, jogadores com a mente bem distante, crianças fofinhas, uma dúzia de homenagens, jogadores de roupão, fotos icônicas, cutucadas em Kyrie Irving e muito mais!


BIZARRICE DA SEMANA

O Miami Heat já havia dado uma suspensão para o sempre encrenqueiro Dion Waiters antes mesmo da temporada começar por “conduta em detrimento da equipe”. ATÉ AÍ TUDO BEM, porééééém… o jogador não aprendeu com a lição e aprontou mais uma. Parece inventado, mas saca só o absurdo: Waiters teve um ATAQUE DE PÂNICO durante um voo do time depois de ingerir uma quantidade enorme de docinhos feitos com THC, a principal substância psicoactiva da maconha.

Segundo especialistas consultados na Pelada Bola Presa, é fácil perceber o efeito do THC quando se fuma a substância, porque ela aparece aos poucos. Mas que quando ele é ingerido tudo vem de uma vez. Waiters deve ter comido demais e de uma vez só, como todos nós fazemos com docinhos, e quando foi ver tava tendo uma overdose na frente do patrão. Ele disse que foi um companheiro de time que lhe deu os “gummies“, mas se recusou a dedurar o fornecedor. Sua imagem pode estar manchada com o técnico, o time e toda a NBA, mas X9 o cara não é.


FOFURA DA SEMANA

Existem muitos filhos fofinhos NBA afora, mas poucos são tão participativos como a dupla de filhotes de Isaiah Thomas, que já se entrosaram rapidinho com os novos parceiros do pai no Washington Wizards. Não tem time em crise que não possa ser salvo pela criançada:

Aliás parece que a melhor ideia para o Wizards é sempre levar os garotos para o ritual pré-jogo do time. Quando eles não estavam lá o elenco se embananou todo e o Bradley Beal quase saiu machucado:

Falando em filhos, vocês lembram que postei num Filtro da temporada passada um texto em que Joe Ingles fala sobre os desafios de descobrir que tem um filho autista? Na última semana uma pessoa publicou no Twitter uma história bem bonita de um rapaz autista de 21 anos que, segundo a mãe, havia acabado de fazer a sua primeira pergunta na vida: “Será que alguém iria gostar de mim?”. Ingles respondeu que ele e sua mulher já gostam dele e convidou o rapaz para um jogo do Utah Jazz.

E vale lembrar que o ginásio do Utah Jazz tem um “quarto sensorial” para abrigar jovens torcedores que estão dentro do espectro do autismo.


EDITOR DE VÍDEO DA SEMANA

Como se destacar no mundo competitivo da criação de conteúdo na internet? Um dos segredos é fazer algo diferente, novo, que não existe no mercado. Trazer algo que choque as pessoas e que as façam pensar “jamais encontraria isso em outro lugar”. Ou seja, é só fazer um vídeo com os melhores momentos da carreira de Josh McRoberts:


HOMENAGENS DA SEMANA

Nessa semana tivemos o retorno de Kemba Walker a Charlotte. Hoje em dia os times fazem vídeo para qualquer cara que jogou uma semana por lá, mas esse caso é diferente: o armador foi a principal estrela do Hornets na década e criou grande identificação com a torcida não só dentro de quadra, mas em diversas ações beneficentes que organizava por lá. Foi legal ver que a torcida estava feliz de vê-lo de volta e que o jogador se emocionou com lágrimas de verdade pela recepção. Bom ver de vez em quando uma separação que não acaba em vaias e camisas queimadas:

Já o Chicago Bulls fez uma bonita homenagem a Tommy Edwards, um nome que muitos de vocês não devem conhecer mas cuja a voz já escutaram inúmeras vezes. Ele foi o responsável por apresentar os jogadores do Bulls no ginásio por décadas, criou o bordão de começar a apresentação com “And now…“, de chamar o pivô de “the man in the middle” e ainda foi o responsável por levar  para o ginásio a música Eye in the Sky, do Alan Parsons Project, que se tornou anos depois conhecida até como “Chicago Bulls Theme”:

Em San Antonio tivemos a cerimônia de aposentadoria da camisa 9 de Tony Parker. O modelo foi o mesmo usado para as homenagens a Tim Duncan e Manu Ginóbili: um evento longo, sem pressa e cheio de discursos após uma partida. Dessa vez ainda teve um especial no intervalo do jogo onde os franceses Boris Diaw, Ronny Turiaf, Nicolas Batum e Ian Mahinmi falaram da importância e influência de Parker no basquete do país. O Spurs também divulgou um vídeo com ídolos do esporte francês, de Charles LeClerc a Kyllie Mbappé, passando por Jo-Wilfried Tsonga e o imbatível Teddy Riner, com mensagens bonitas para Tony Parker.

Mais tarde Boris Diaw ainda participou do evento para contar do dia em que eles foram passar o Natal na casa de Gregg Popovich e o técnico puxou Parker de lado para mostrar vídeos do jogo anterior e, claro, dar broncas:

Quem quiser ver os quase 50 minutos de falas de Gregg Popovich, Tim Duncan, Manu Ginóbili e, claro, do próprio Tony Parker, é só ver a cerimônia completa no vídeo abaixo. Só não sei se aparece no vídeo a parte em que um morcego (de novo) invade o ginásio e a torcida começa a clamar por Ginóbili

E claro que a HEB não poderia ficar de fora da homenagem. A rede que faz os comerciais mais divertidos com jogadores da NBA há anos fez um especial com Tony Parker onde ele é levado por Manu Ginóbili ao RANCHO DAS LENDAS em San Antonio:

E para aproveitar o momento FAMÍLIA SPURS: o Memphis Grizzlies venceu o Spurs no dia da homenagem a Parker e Gregg Popovich resolveu abraçar o ex-pupilo Kyle Anderson que agora defende o rival. É muito carinho (e muito palavrão):


RELÍQUIAS DA SEMANA

Nem todo técnico na NBA foi uma grande estrela do basquete antes de assumir o comando de um time, mas isso não quer dizer que eles não tenham talento e habilidade com a bola. Vejam só o caso de Frank Vogel, técnico do LA Lakers, que aos 12 anos de idade foi no programa de TV do David Letterman para ESCOVAR OS DENTES enquanto rodava uma bola de basquete na ponta da escova. Isso é conteúdo de qualidade na era pré-internet:

Quer saber como o basquete era diferente nos anos 1980? Olhe esse pequeno clipe abaixo onde, acredite se quiser, uma FALTA DE ATAQUE é marcada. E veja como ninguém, de comentaristas a jogadores, parece surpreso com a decisão. É disso que falamos quando comentamos que as regras mudaram para favorecer o ataque…


NBA FASHION WEEK

A gente sabe que os jogadores da NBA querem sempre chocar com suas roupas pré-jogo, mas até por isso que é cada vez mais difícil nos chocarmos com alguma decisão fashion deles. Dessa vez, porém, confesso que aconteceu. O que foi Marcus Smart usando um ROUPÃO da Versace a caminho do treino?

Já no Brooklyn Nets o que vemos é um pouco de cada tipo. Sinal de diversidade ou de que o time não se entende nem no guarda-roupa? A roupa da cowboy sexy do DeAndre Jordan é inexplicável até para quem é do Texas.


JOGADA BOLA PRESA DA SEMANA

Lembram quando Lamar Odom saiu driblando ao invés de cobrar o fundo bola? Eric Bledsoe repetiu a obra-prima da falta de atenção com uma COBRANÇA DE LATERAL. Até o juiz toma um susto na hora de apitar e marcar a infração:

Mas talvez mais incrível seja essa combinação de Trey Lyles e Dejounte Murray. Dois caras tendo a mente apagada assim ao mesmo tempo é coisa que só vemos em filme de ficção científica:

Para os que preferem uma boa e velha COMÉDIA PASTELÃO tem sempre o Chicago Bulls para garantir boas risadas:

O passe de Trae Young deveria estar em qualquer lugar do mundo, menos na Jogada Bola Presa, mas Jabari Parker não aguentou a pressão de finalizar uma assistência tão genial…

Outra grande jogada que temos que registrar aqui entra na lista de LAMBANÇA por causa dos árbitros. Alguém achou a andada  nessa que é uma das melhores jogadas anuladas da NBA nos últimos tempos?

Tudo o que Donovan Mitchell teve de precisão nessa enterrada ele não teve na hora de jogar um BALDE DE GELO na cabeça de Bojan Bogdanovic, que havia acabado de acertar o arremesso da vitória contra o Milwaukee Bucks. Pena para o fotógrafo que estava do lado e tomou um CAPOTE:


DICAS DE LEITURA


LIDERANÇA DA SEMANA

O Miami Heat começou a resgatar nesta temporada a tradição criada por Chris Bosh de fazer figuração de fundo durante a entrevista alheia, o bom e velho PHOTOBOMB. Mas Jimmy Butler não tava com paciência pra isso não: “Isso aqui não é pra eles. É meu momento!”. Isso aí Jimmy, mostra quem manda!

Vimos muita união também no Houston Rockets em um caso que a internet chama hoje de PESTE BULBÔNICA. É quando o jogo está acabando, não é de bom tom fazer uma cesta, mas ninguém quer morrer com a bola na mão e ter um turnover contabilizado nas estatísticas. O Rob Perez, maior entusiasta da peste, fez uma análise minuciosa de como Austin Rivers se recusou a ter a bola na mão, tocou para Ben McLemore, que tocou para Chris Clemons que SE RECUSOU a segurar a redonda:


ÓDIO DA SEMANA

Usaram o Twitter para descobrir quais os times da NBA mais odiados em cada estado dos EUA. O mapa, em geral, sempre foi dominado pelo Los Angeles Lakers e nos últimos anos viu o Golden State Warriors crescer cada vez mais. A versão desse ano é curiosa:

O Lakers ainda domina boa parte do mapa e o Warriors segue causando calafrios mesmo com a saída de Kevin Durant. Uma aparição nova é a do Los Angeles Clippers, que se tornou o time mais odiado em seu estado natal, a Califórnia, que vê a vasta torcida do Lakers criar birra com o primo pobre que de repente cresceu e ficou forte. O Clippers também é odiado no Arizona e no Novo México, estados com muita torcida do Lakers.

A surpresa é ver um quarto time nessa lista, o Houston Rockets. O time é odiado em Utah, que viu James Harden eliminar o Jazz nas últimas duas temporadas, e em Oklahoma, que perdeu Russell Westbrook para o rival. Juro que não achava que a galera de lá tinha levado para o pessoal.

A conta do Sacramento Kings, por outro lado, retuitou a mensagem dizendo que a pesquisa deles ficou diferente:


RECORDES DA SEMANA

Na última semana tivemos D’Angelo Russell voltando de lesão no Golden State Warriors e marcando nada menos que 52 pontos na derrota do time para o Minnesota Timberwolves. Ele se tornou apenas o QUARTO jogador da história a ter um jogo de 50 pontos em uma de suas primeiras dez partidas por um time. Ele se iguala a Wilt Chamberlain e Brandon Jennings, que fizeram isso como NOVATOS, e Kyrie Irving, que fez 50 na sua estreia pelo Brooklyn Nets nesta temporada.

Enquanto Russell fazia suas cestas, Damian Lillard marcava SESSENTA pontos em uma derrota do Portland Trail Blazers para o Atlanta Hawks. Foi a primeira vez desde Allen Iverson e Vince Carter em 2005 que dois jogadores marcaram mais que 50 pontos na mesma noite. A derrota do Blazers foi a terceira em três jogos do time em casa, a primeira vez que perdem os três primeiros jogos na cidade desde a segunda temporada do time em 1971-72:

Em Boston, o Celtics ganhou em dia de recorde de Jayson Tatum. Ou melhor, APESAR de recorde de Tatum. O ala ficou perto do topo da lista de jogadores com mais arremessos errados e apenas um feito em uma partida da NBA. Ele acertou só um dos DEZOITO que tentou, sendo superado apenas por Mike Newlin (1/22)  Nate Thurmond (1/19) e George Senesky (1/19).

Mas meu recorde favorito da semana aconteceu na partida entre Orlando Magic e Indiana Pacers. Os dois times, JUNTOS, cobraram apenas ONZE lances-livres em toda a partida. É o jogo com menos lances-livres da história! E isso que ainda tivemos faltas nos segundos finais para parar o relógio. Que sonho!


FOTO DA SEMANA

Você provavelmente já viu a icônica foto de Manute Bol e Mugsy Bogues empilhando bolas com a camisa do Washington Bullets, né? Pois o Maine Red Claws, afiliado do Boston Celtics na G-League, reproduziu o clássico usando Tacko Fall e seus 2,26m e o armador Tremont Waters, de 1,78m.

E já que estamos no MOMENTO TACKO FALL, aqui está ele tendo seu cabelo devidamente raspado por Enes Kanter:


MENSAGEM SUBLIMINAR DA SEMANA

Lembra que há umas duas semanas saiu uma matéria dizendo que o pessoal do Brooklyn Nets já estava meio assustado com as mudanças de humor repentinas de Kyrie Irving? Pois é, não sei se estou exagerando mas achei muito esquisito o Spencer Dinwiddie elogiar o novato Nicolas Claxton dizendo que ele é “o segundo jogador mais talentoso do time, o primeiro é Kevin Durant”. Aí tem!

Não que seja semana oficial do Pelo em Ovo, mas as duas cenas abaixo tem alguma relação?


CONQUISTA DA SEMANA

O técnico Nick Nurse pediu um desafio após marcação de falta da Pascal Siakam sobre LeBron James. Os juízes olharam o replay, demoraram para decidir e… ACERTO do técnico do Toronto Raptors! Nurse não acreditou que, finalmente, após SETE DESAFIOS ao longo da temporada, finalmente acertou uma chamada. Todos ao redor dele ganharam cumprimentos e abraços, até torcedores do Lakers:


ERRAMOS DA SEMANA

Veja só a correção que o Financial Times teve que escrever nesta semana: “Uma versão anterior deste artigo dizia incorretamente que o Salt Lake Tribune tem um repórter dedicado à cobertura do jazz. Na verdade o jornal tem dois repórteres que cobrem o Utah Jazz, o time local de basquete”.

Sim, alguém viu que o jornal de Salt Lake City tinha repórteres cuja função era cobrir o Jazz e entenderam que eram especialistas pagos para dar notícias somente sobre esse tipo de música. Incrível.


MASCOTES POWER RANKING

No Grupo dos Assinantes no Facebook nesta semana compartilharam um texto sobre o uso do aplicativo TikTok pela NBA dizendo que ele valia a pena ser baixado apenas pela conta de Benny The Bull.

Eu sou velho demais até para o Snapchat, imagina o TikTok, mas acabei baixando. Se tenho um ponto fraco, ele veste pelúcia. E digo, vale mesmo a pena. DEZ PONTOS para Benny!

Os CINCO PONTOS da semana vão para o Raptor, que usou todo seu carisma de campeão da NBA para arranjar briga com o Buddy Hield, para alegria de De’Aaron Fox:

Eu também daria pontos para o Chuck, mascote do Los Angeles Clippers. Ele não foi tão original, mas fez uma brincadeira divertida com os irmãos Robin e Brook Lopez antes da partida contra o Milwaukee Bucks:

Mas o que ele teve na cabeça quando ENFIOU O DEDO NA ORELHA de um militar de 104 anos de idade justo durante uma homenagem ao Dia dos Veteranos nos EUA?! O bicho tá maluco. Não vai ganhar ponto nenhum.

RANKING
Benny – 20
Coyote – 15
Rocky – 10
Clutch, Raptor e Blaze – 5

Torcedor do Lakers e defensor de 87,4% das estatísticas.

Como funcionam as assinaturas do Bola Presa?

Como são os planos?

São dois tipos de planos MENSAIS para você assinar o Bola Presa:

R$ 14

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

R$ 20

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Como funciona o pagamento?

As assinaturas podem ser feitas pelo Aplicativo PicPay. Baixe, cadastre-se, busque o Bola Presa e escolha seu plano de assinaturas. Você pode pagar com cartão de crédito ou carregar sua Carteira PicPay com boleto ou depósito bancário. Depois de assinar, escreva para bolapresa@gmail.com para mais detalhes de como ter acesso ao conteúdo exclusivo.

DÚVIDAS SOBRE AS ASSINATURAS? Nos escreva: bolapresa@gmail.com

Assine já!