🔒Filtro Bola Presa #92

Filtro Bola Presa no ar para nossos amigos assinantes! Nessa semana temos muito James Harden, que simplesmente não consegue ficar longe dos holofotes, dos recordes (bons e ruin) e nem de jogadas bizarras que podem anular jogos. Também tem os jogos apertados do Hornets, a defesa de Hawks e Wizards, o coração gigante de Robert Covington, o evento esportivo mais emocionante do ano, textão de Kyrie Irving, Rajon Rondo xavequeiro, Devin Booker invencível e muito mais!


IMPOSSÍVEL NÃO FALAR DE JAMES HARDEN DA SEMANA

Com exceção dos vídeos de Boban Marjanovic fazendo coisas, não gosto de ser repetitivo no Filtro Bola Presa, mas tem caras que não ajudam. Não há semana em que James Harden não esteja envolvido em algum recorde positivo, grande marca negativa ou em um lance bizarro e dessa vez temos tudo isso NO MESMO JOGO! Foi nesta terça-feira contra o San Antonio Spurs:

POSITIVO: Harden acertou os 24 lances-livres que cobrou, se tornando o jogador a acertar mais lances-livres num jogo sem errar. O recorde anterior era de Dominique Wilkins, que teve um jogo de 23/23:

Antes de cobrar um dos lances-livres ainda tivemos o flagra de uma discussão do jogador com um torcedor: “Ninguém quer ver uma competição de lances-livres”, o que foi respondido por “ninguém quer ver faltas também“. Curiosamente o último lance da prorrogação seria uma falta… de ataque de James Harden.

NEGATIVO: Ao acertar apenas 11 dos 38 arremessos que tentou (4/20 nas bolas de 3 pontos), o Barba se tornou o jogador com PIOR aproveitamento a marcar 50 pontos num jogo da NBA. Já tivemos 513 atuações que chegaram aos 50, ninguém arremessou tão mal quanto ele ontem.

Seu parceiro Russell Westbrook não ajudou muito também. O armador acertou só 7 de 30 arremessos tentados e a dupla se tornou a primeira desde 1965 (!!!) a somar 50 arremessos errados num mesmo jogo. Westbrook se tornou também apenas o SEXTO jogador na história a arremessar ao menos 30 bolas e marcar menos de 20 pontos.

BIZARRO: O Houston Rockets vencia por 20 pontos de vantagem e via o San Antonio Spurs ameaçando uma reação comandada pelo jovem Lonnie Walker no último quarto. Uma enterrada de Harden poderia apagar o fogo e dar um pouco de tranquilidade, certo? Certo, mas os juízes não perceberam que a bola entrou.

Os árbitros viram esse lance e marcaram interferência ofensiva. A cesta só conta quando ela passa totalmente pela rede, e os árbitros explicaram depois da partida que viram a bola entrar na cesta, bater em Harden e sair por onde havia entrado. O lance é passível de revisão e o técnico Mike D’Antoni solicitou o reparo, mas os juízes disseram que ele perdeu os 30 segundos que os treinadores tem para isso. A versão do técnico, porém, é diferente: ele diz que pediu a revisão e ninguém o atendeu, logo depois um dos três árbitros disse que não havia sido marcada uma interferência, mas sim uma bola fora. Confusão total.

E claro que o que é ruim sempre pode piorar: o jogo foi para a PRORROGAÇÃO e o Rockets perdeu! Então os dois pontinhos tirados fizeram toda a diferença do mundo. Agora a NBA vai analisar o jogo e há uma pequena chance de mandarem Rockets e Spurs JOGAREM DE NOVO os últimos sete minutos da partida. Seria o primeiro caso desse tipo desde 2009, quando Phoenix Suns e Miami Heat tiveram que rejogar os últimos 50 segundos de um jogo após a mesa contar errado o número de faltas de Shaquille O’Neal. Curiosamente esse foi o tema do último podcast especial, o Museu de Relevância Temporária.

E o Danilo ainda quebrou uma regra não escrita do Bola Presa e usou o caso para fazer a primeira THREAD (também conhecida como texto na plataforma errada) da nossa história. Que pena:

Para encerrar esse jogo, uma compilação marota de todas as vezes que James Harden tentou ganhar um jogo contra o San Antonio Spurs nos segundos finais e tomou um TOCAÇO. Ontem foi de Jakob Poetl, mas antes já foi de Tim Duncan, Manu Ginóbili, Kawhi Leonard


MAIS JAMES HARDEN MEU DEUS!

Poucos dias antes desse show em San Antonio, Harden havia marcado 60 pontos em apenas TRÊS QUARTOS contra o Atlanta Hawks! Se o recorde contra o Spurs foi de pior aproveitamento para chegar a 50, aqui vimos o menor número de arremessos tentados para se chegar em 60. Compensa? Compensa.

O recorde anterior era de Karl Malone, outro que adorava ir para a linha do lance-livre, que tinha marcado 61 pontos em apenas 26 arremessos em 1990:

O mais legal foi a reação de Harden ao ouvir a informação de que ele foi tirado do jogo com 60 pontos, só DOIS A MENOS da maior marca de sua carreira. Ele poderia ter voltado para o último período para tentar quebrar seu recorde, chegar a 70 ou até arriscar igualar os 81 de Kobe Bryant, mas com o placar elástico o melhor foi descansar.

Esse foi o quarto jogo de ao menos 60 pontos de James Harden, o que o coloca ao lado de Michael Jordan e mais perto de Kobe, recordista humano da marca. Na frente só Wilt Chamberlain, com TRINTA E DUAS partidas de 60 pontos ou mais…

No fim do jogo, com uma surra histórica de 158 a 111 nas costas, só restou ao Twitter do Atlanta Hawks fazer piada, não colocar o placar e seguir em frente.


BEBÊS DA SEMANA

Mais fofo que o Baby Lillard nos braços do pai é ele interagindo com o Tio Nurkic:

E vocês já viram que o Russell Westbrook tem um filho que não é parecido, mas IDÊNTICO a ele? É o da esquerda, provavelmente já fazendo triple-doubles com 10 xixis, 10 cocôs e 10 arrotos por partida. O do meio chama mais a atenção porque mal nasceu e já é estrela fashion com trancinhas no cabelo:

Em New Orleans, os bebês tomaram conta do intervalo numa corrida que foi o evento esportivo mais emocionante da semana. Esqueça futebol, basquete, futebol americano ou qualquer outra modalidade, nada teve mais reviravoltas e emoção que isso aqui:


DICAS DE LEITURA

Pausa para ver como foi a venda de camisetas de Carmelo Anthony na loja do ginásio do Blazers no dia do seu primeiro jogo em casa:

E você sabe que Carmelo está de volta quando ele começa a GRITAR a cada rebote conquistado. Esse ainda foi limpo de palavrões, geralmente não é bonitinho assim…

A semana teve uma redenção curiosa seguida de recorde para ele: na temporada passada Carmelo fez seu último jogo com a camisa do Houston Rockets contra o OKC Thunder, seu então ex-time que havia deixado claro que não queria mais nada com ele. Carmelo quis um jogo de revanche, forçou no ataque e foi péssimo, acertando só UM de 11 arremessos. Logo depois ele pediu dispensa da equipe e ficou no limbo até a semana passada. Dessa vez Carmelo encarou o Thunder, marcou 19 pontos e acertou NOVE dos 11 arremessos que tentou, nada menos que SEU MELHOR APROVEITAMENTO nos 1.067 jogos da carreira em que tentou ao menos dois arremessos.


RETORNOS DA SEMANA

Kyrie Irving não jogou contra o Boston Celtics, mas sua mera presença no ginásio fez a torcida de Boston destilar todo seu rancor com o armador que chegou, deu esperança, causou caos e foi embora para o Brooklyn Nets.

O jogador mais ovacionado da noite foi Marcus Smart, que ouviu gritos de MVP por pegar um RODO e salvar a bola que ficou presa em cima da tabela. Boston tem critérios bem específicos para escolher seus ídolos:

Depois da partida Kyrie escreveu um textão num lugar mais errado que o Twitter, os stories do Instagram. No tratado, que não vou traduzir por motivos de paciência e texto confuso de uma mente terraplanista, Irving fala sobre como aquela noite mostrava que o esporte é um ambiente “ignorante”, que há mais na vida que colocar a bola na cesta e que as pessoas deveriam se preocupar mais com suas vidas e com o que há de importante no mundo.

Em New Orleans, Anthony Davis nem disfarçou. Pegou a bola, arremessou tudo o que podia e o que não podia assim que a partida contra seu ex-time começou e marcou VINTE E SETE PONTOS no primeiro tempo, o máximo em um primeiro tempo de qualquer jogador nesta temporada.

No segundo tempo ele tirou um pouco o pé do acelerador e deixou o resto do time brincar, o que foi necessário já que seu show individual não estava dando a vitória para o LA Lakers. No fim das contas, porém, ele marcou ainda mais 15 pontos e saiu de quadra com 41 pontos, o máximo já marcado na história da NBA por um jogador na primeira partida contra seu ex-time. O recorde anterior era dividido entre Kevin Durant, Stephon Marbury e Danny Ainge, que tinham tido 39 pontos em seus jogos-revanche. Ah, e o Lakers ganhou.

Na contramão desse clima pesado, pontos de miçangueiro da paz para Win Butler, líder da banda Arcade Fire que mora em New Orleans, é fã de NBA e levou uma plaquinha agradecendo Anthony Davis por tudo:


NÚMEROS DA SEMANA

Já comentamos que o Charlotte Hornets é garantia de entretenimento nesta temporada. Pode não ser sempre os jogos mais bonito, mas sempre é disputado. O time é responsável por TRÊS das 17 vitórias por um ponto na temporada regular até agora:

A equipe já venceu o Detroit Pistons TRÊS VEZES nesta temporada e a soma dos jogos dá vantagem de míseros SETE pontos para o Hornets! Sente o drama: o Hornets já teve OITO jogos decididos por três pontos ou menos, líder disparado. Em seguida vem o Philadelphia 76ers e OKC Thunder (seis jogos) e Brooklyn Nets, Memphis Grizzlies e Denver Nuggets (cinco jogos). A maioria dos times não passa de três.

Quem está vencendo por muito é o Milwaukee Bucks, que disparou na liderança da Conferência Leste mesmo com queda no aproveitamento dos tiros de 3 pontos em relação à temporada passada. Mesmo que seja de outra forma, pontos não estão fazendo falta, já são QUARENTA E DOIS jogos seguidos com ao menos 100 pontos marcados. Como comparação, a segunda maior sequência em atividade é do Dallas Mavericks, com 16

E eles vão seguir ganhando enquanto a defesa for boa e Giannis Antetokounmpo continuar sendo um monstro: nessa semana ele chegou a 15 jogos seguidos com ao menos 20 pontos e 10 rebotes, se igualando a Karl Malone e Shaquille O’Neal como os únicos a alcançarem o feito nos últimos 35 anos.

Nesta terça-feira o pivô Clint Capela também brilhou pelo Houston Rockets contra o San Antonio Spurs. Ele alcançou mais um jogo de 20 rebotes (lembra dos recordes semana passada?) e ainda acertou TODOS os seus arremessos para marcar 22 pontos. Ele se tornou o primeiro jogador desde Dikembe Mutombo em 1999 a marcar ao menos 20 pontos, 20 rebotes e ter 100% de aproveitamento em um jogo. Os números de Mutombo foram só um pouquinho mais assustadores: 27 pontos e 29 rebotes!

A campanha do Utah Jazz tem sido frustrante nessa temporada. O time não está mal, mas passou por algumas derrotas grotescas e está mostrando uma instabilidade preocupante. Mas parece que acharam o problema: o UNIFORME. São SEIS DERROTAS e só uma vitória com a nova camisa amarela e ONZE VITÓRIAS e só três derrotas com as outras opções. Resolvido.

Aqui um número que assusta: nesta temporada já vimos CINCO times alcançarem 150 pontos em jogos sem prorrogação, é o mesmo número das últimas VINTE E QUATRO temporadas juntas.

Uma análise detalhada dos números mostra uma lista pequena de culpados. O Atlanta Hawks sofreu duas dessas surras, tomou ao menos 150 de Houston Rockets e LA Clippers. O Washington Wizards é responsável por outros dois jogos, tomando ao menos 150 de… Houston Rockets e LA Clippers também. O quinto time é o próprio Wizards, que marcou 158 em cima do Rockets, mas tomou 159 e perdeu o jogo.

Captura de Tela 2019-12-04 às 4.27.11 PM

A defesa do Wizards em especial é uma piada, mas curiosamente a melhor posse de bola defensiva deles no ano veio quando Isaiah Thomas PERDEU UM TÊNIS no meio da jogada. Olha que marcação feroz!


TÁTICA DA SEMANA

No nosso FilmRoom mostramos como o Phoenix Suns de Steve Nash usava corta-luzes duplos de Amar’e Stoudemire e Shawn Marion para criar espaço no fim dos jogos. A jogada já existia, claro, mas não estava na moda. Hoje é tão mainstream que dá pra fazer um compilado com o lance sendo usado por TODAS AS EQUIPES DA NBA:

Não conheço o playbook do Philadelphia 76ers de cor, mas imagino que em nenhuma jogada o Joel Embiid leve uma vida inteira para atravessar a quadra caminhando na velocidade de uma vovó:

Já para JaValle McGee jogar bem o segredo não é tático, mas musical. Ele precisa escutar REGGAE antes de começar os jogos:


INTERAÇÃO ESTRANHA DA SEMANA

Não namore alguém que te olhe como Rajon Rondo olha para Luka Doncic, é meio perturbador.

No Cleveland Cavaliers, Channing Frye segue sendo o TROLL de sempre, dessa vez com o pobre Jordan Clarkson e seu passinho:


VIOLÊNCIA DA SEMANA

Mesmo em uma rara vitória do Golden State Warriors nesta temporada, o técnico Steve Kerr não teve paz no banco de reservas. Durante uma bronca em um pedido técnico, ele DESTRUIU uma prancheta e acabou cortando a mão…

Fora da quadra o clima foi mais tranquilo, já que foi a estreia do machucado Klay Thompson como comentarista. Em uma das passagens ele analisou todos os bobbleheads inspirados nele que foram distribuídos nos últimos anos. Já um clássico:


JOGADA BOLA PRESA DA SEMANA

Eu sei que o nível dos jogadores da NBA é absurdo, sei que existem diversos vídeos de caras acertando inúmeros arremessos de 3 pontos em sequência, mas ainda assim assistir Devin Booker meter QUARENTA E CINCO arremessos certos seguidos da zona morta é impressionante demais. E pobre Ricky Rubio que até esfriou esperando sua vez…

E que bom é estar 20 pontos na frente para poder dar risada de um passe dado para um jogador no banco de reservas. Coloca uma blusa por cima, VanVleet!

Você assina o Bola Presa e nunca foi numa Pelada Oficial? Temos imagens exclusivas da última aqui para te animar…

Antigamente o Bola Presa chamava o Ersan Ilyasova de Lady Gaga da NBA. Ele não dança e canta muito, seu cabelo não é platinado e ele nunca usou um vestido de carne, a comparação era só porque ele era todo bizarro, esquisito e de um jeito que ninguém mais faz. Bom, a comparação fazia sentido lá em 2009 quando a Gaga prezava pelo bizarro. E aqui está o lance mais Ilyasova de todos, algo que só ele faz, do jeito que ele faz e que não dá pra acostumar… pelo menos ele nunca mudou.


MASCOTES POWER RANKING

Os 10 pontos da semana vão para Stuff, mascote do Orlando Magic. Ele primeiro interagiu com o glorioso Christian, aquele cara bombado que faz malabarismos e truques incríveis ao lado do seu minicachorro e, agora, de um dragão de pelúcia:

Ele também fez esse show de dança especial para a JUVENTUDE do TikTok com várias danças MANEIRAS e DESCOLADAS que igual a moçada faz nas boates:

Já os 5 pontos da semana vão para o Raptor e sua aula de dança:

BÔNUS: Alerta de crime contra a honra dos mascotes no futebol brasileiro. Como alguém tem coragem de ARRANCAR A CABEÇA de um ser tão especial desse jeito? Bora fazer alguma coisa a respeito, Vascão! CADEIA NELE!

RANKING
Benny e Coyote – 25
Rocky – 15
Stuff e Raptor – 10
Clutch, Bango, Boomer e Blaze – 5

Torcedor do Lakers e defensor de 87,4% das estatísticas.

Como funcionam as assinaturas do Bola Presa?

Como são os planos?

São dois tipos de planos MENSAIS para você assinar o Bola Presa:

R$ 14

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

R$ 20

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Como funciona o pagamento?

As assinaturas podem ser feitas pelo Aplicativo PicPay. Baixe, cadastre-se, busque o Bola Presa e escolha seu plano de assinaturas. Você pode pagar com cartão de crédito ou carregar sua Carteira PicPay com boleto ou depósito bancário. Depois de assinar, escreva para bolapresa@gmail.com para mais detalhes de como ter acesso ao conteúdo exclusivo.

DÚVIDAS SOBRE AS ASSINATURAS? Nos escreva: bolapresa@gmail.com

Assine já!