🔒Filtro Bola Presa #94

Bem amigos do Bola Presa, mais um Filtro no ar para assinantes! Nesta semana temos a roupa mais feia já usada por um jogador da NBA, show de luzes para Kawhi Leonard, cesta contra, Chris Paul fazendo escola de dedo-durice, cachorros do Celtics, Steven Adams sincero, Giannis vingativo, recordes de sequências de jogos com prorrogação e noites Star Wars.


GALÁXIA DISTANTE DA SEMANA

O Phoenix Suns resolveu apresentar seu quinteto titular usando o pobre Baby Yoda, imagem que a gente não consegue passar mais de cinco minutos sem ver na internet. Mas não vou reclamar, quem não queria ver o pequenino verde com o coque samurai de Ricky Rubio ou o bigodinho e cabelo pro lado de Dario Saric?

A tradição do Star Wars Night é longa na NBA. Em algum momento da temporada os times organizam um dia em que a torcida brinca de cosplay, o mascote usa a Força e as músicas dos filmes são usadas à exaustão. Neste ano, porém, com a estreia do Episódio 9 marcada para o dia 19, diversos times concentraram seus eventos nesta semana. Resultado? O New York Knicks jogou nada menos que em QUATRO Star Wars Nights em quatro partidas fora de casa seguidas!

A aventura começou em Portland, onde o Blazers estava anunciando o jogo como Trail Blazers contra O IMPÉRIO. Se o Império fosse o Knicks tudo tinha se resolvido nos primeiros 10 minutos do primeiro filme, não? Bom, pelo menos o pôster do jogo ficou bem divertido!

Depois foi a vez de ir para San Francisco, onde a Star Wars Night do Golden State Warriors tinha um inexplicável Bobblehead de Kevon Looney como Stormtrooper. Desde já o brinde mais raro e alternativo da história da NBA:

Próxima parada para o NY Knicks foi em Sacramento, onde o Kings organizou uma Star Wars Night com direito a CORRIDA DE BABY YODAS!

Por fim, o jogo em Denver contra o Nuggets marcou o último episódio da SAGA do Knicks. Lá a galera caprichou no cosplay…

…e um mini Darth Vader acabou com o nosso pobre mascote Rocky durante um jogo de dança das cadeiras:

E para os curiosos, essa é a lista completa de times que fizeram ou farão Star Wars Night na temporada:

  • Portland Trail Blazers: 10/12/19
  • Miami Heat: 10/12/19
  • Golden State Warriors: 11/12/19
  • Chicago Bulls: 13/12/19
  • Sacramento Kings: 13/12/19
  • Milwaukee Bucks: 14/12/19
  • Dallas Mavericks: 14/12/19
  • Denver Nuggets: 15/12/19
  • Houston Rockets: 16/12/19
  • Utah Jazz: 17/12/19
  • Cleveland Cavaliers: 18/12/19
  • San Antonio Spurs: 19/12/19
  • Brooklyn Nets: 21/12/19
  • Charlotte Hornets: 31/12/19
  • Washington Wizards: 3/1/20
  • Orlando Magic: 4/1/20
  • New York Knicks: 24/1/20

RETORNO DA SEMANA

Semana passada teve retorno de Kawhi Leonard para Toronto, onde o LA Clippers atropelou o Raptors e o ala recebeu seu anel de campeão. Foi bonitinho ver ele interagindo com os amigos e aplaudido pela torcida, mas a melhor parte disparado foi o áudio acompanhado de pegadas na quadra recontando seu épico arremesso de último segundo contra o Philadelphia 76ers:

Rolou até CHORO FAKE na hora de receber o anel das mãos de Kyle Lowry:

Teve também a volta de Al Horford para Boston, mas o pivô foi poupado com uma pequena lesão e não enfrentou o ex-time. Não rolou nada muito dramático, mas pelo menos teve aplauso quando sua imagem apareceu no telão:


DICAS DE LEITURA


JOGADA BOLA PRESA DA SEMANA

Depois que Rajon Rondo fingiu um passe para LeBron James, coube a LeBron fingir que ia dar um toco no coleguinha, nada mais justo:

Só não foi mais fake que a pior ponte aérea já lançada por Draymond Green. O Warriors precisa mesmo continuar jogando o resto da temporada?

Apesar do showzinho dos times da Califórnia, a Jogada Bola Presa foi dominada pelo Denver Nuggets. Tivemos, por exemplo, a CESTA CONTRA mais esquisita do mundo com Jamal Murray:

Também tivemos jogadas estranhas que deram certo, como o passe do mesmo Murray para si mesmo usando a tabela, no maior estilo Tracy McGrady, e a tabela de Will Barton usando as costas de Nikola Jokic como apoio. Tá valendo tudo!


FRASES DA SEMANA

Como citado no post da semana passada, Nick Young tem o seu palpite sobre o que causou a queda de audiência da NBA na TV americana no começo desta temporada. Segundo o folclórico ala, o problema é a falta de jogadores divertidos e que tem conexão com a torcida, como JR Smith ou Lance Stephenson: “Esse tipo de jogador vende. Crianças adoram ver uma air guitar depois uma bola de 3 pontos”

Eu prefiro a sutileza de Steven Adams dizendo que BORROU AS CALÇAS na hora de bater lances-livres importantes:


FÚRIA DA SEMANA

Em partida contra o Memphis Grizzlies, Giannis Antetokounmpo parecia furioso demais ao atacar Bruno Caboclo. Após conseguir uma enterrada na fuça do brasileiro, saiu gritando profanidades e até tomou falta técnica:

Parecia ressentimento pela derrota na Copa do Mundo, quando Caboclo foi parte importante da eficiente defesa brasileira na vitória contra a Grécia. Parecia e era. Depois do jogo o grego confirmou que tinha marcado esse jogo no calendário: “Papagiannis me falou que Cabloclo estava jogando no Memphis e eu falei ‘beleza, assista o jogo’. Toda vez que o via, lembrava do que tinha acontecido”:

Nota curiosa da frase: ele precisou ser avisado por outra pessoa sobre Bruno Caboclo estar jogando no Grizzlies.


APITO DA SEMANA

Quer saber como a juizada está apitando a NBA neste ano em comparação com as últimas temporadas? Mais faltas de ataque, muito mais andadas e muuuuuito mais faltas flagrante. As marcações de três segundos no garrafão, que sempre foram raras, caíram mais ainda.


DELAY OF GAME DA SEMANA

Na semana passada contei de quando o Chris Paul dedurou a camisa fora do calção do rival Jordan Bell e com isso conseguiu uma punição de delay of game e uma falta técnica decisiva na virada do seu OKC Thunder sobre o Minnesota Timberwolves. Pois bem, ele fez isso porque estava nas regras e deveria mesmo ser marcado, mas era algo que os árbitros nunca se davam ao trabalho de apitar. Só que agora que fizeram uma vez virou algo que não só os juízes, mas também outros jogadores e até torcedores ficaram atentos.

Em um jogo do Wolves, vítima da regra no caso de Chris Paul, um torcedor gritou para os árbitros sobre a camisa fora do calção de Rudy Gobert, do Utah Jazz. O pivô ouviu, arrumou o uniforme e virou para dar um JOINHA para o torcedor rival. Nenhum juiz se importou.

Mas teve árbitro marcando a infração, sim. No jogo entre Denver Nuggets e NY Knicks, o Elfrid Payton demorou para arrumar o uniforme e foi punido. Quando reclamou ainda ouviu um “vá agradecer o Chris Paul”:

As acusações aconteceram de novo no jogo entre Golden State Warriors e Portland Trail Blazers, dessa vez com assistentes técnicos do Blazers tentando dedurar o Draymond Green, que ficou PUTAÇO. Segundo ele, “pedir um delay of game nos Playoffs não vai ajudar, mas essa é a liga em que estamos. Todo mundo tentando trapacear”:


NÚMEROS DA SEMANA

As duas maiores viradas da temporada aconteceram no mesmo dia, 16 de dezembro, quando o OKC Thunder virou sobre o Chicago Bulls após estar perdendo por 26 pontos e o Houston Rockets superou o San Antonio Spurs após ficar 25 atrás no placar. Curioso é ver os nomes repetidos na lista: em terceiro está justamente a virada do Spurs sobre o Rockets depois de sofrer com 22 pontos de déficit no começo deste mês!

E não entrou na lista o jogo seguinte do OKC Thunder, quando o time virou para cima do Memphis Grizzlies após ficar 24 pontos atrás no placar. Foi a primeira vez em 20 temporadas que um time supera desvantagens de ao menos 24 pontos em jogos seguidos.

O começo de temporada de Carmelo Anthony pelo Portland Trail Blazers está sendo bom, concordam? Seus poucos jogos pelo Houston Rockets foram ruins, certo? Talvez esse seja um bom exemplo de que o teste do olho ainda importa e que expectativa é tudo, porque o que os números mostram é que os dez primeiros jogos em cada temporada são assustadoramente parecidos:

E falando em números e Carmelo Anthony, tenho mais um aqui: TRÊS MIL DÓLARES. Foi o que ele pagou a Kelenna Azubuike para poder usar a camisa de número 7 no New York Knicks. O ala, agora comentarista dos jogos do Golden State Warriors, contou o caso numa transmissão recente:

O Tom Haberstroh da NBC criou um novo termo para gente cansar de usar: Diploma-Bias. É o preconceito que muitos times têm de selecionar no Draft jogadores que estão no quarto e último ano de faculdade. É comum que olheiros e comentaristas digam que esses caras, por serem mais velhos, não tem muito potencial para crescer e prefiram os jovens de 18 anos cujo “céu é o limite”. Nos últimos anos, porém, alguns desses diplomados se deram muito bem, como Draymond Green, Malcolm Brogdon e Fred VanVleet. O tema, sobre o qual ele falou em julho, voltou à tona agora que Devonte’ Graham teve um jogo de 40 pontos, 5 rebotes e 5 assistências. Será que estamos sendo justos com os veteranos?

O menino do Charlotte Hornets está voando e roubando o protagonismo que muitos esperavam ver em Terry Rozier. Até agora ele é o segundo na NBA em arremessos de três vindos do drible (só James Harden arremessa mais) e tem O MELHOR aproveitamento da liga entre os que já tentaram mais de 50 bolas no ano. E ainda é o nono melhor em pontos por posse de bola em jogadas de pick-and-roll. Tá jogando demais!

O armador do Hornets tinha ainda outra marca curiosa nesta temporada: 30 pontos em um jogo sem fazer uma cesta sequer de DOIS PONTOS. Só ele, Joe Dumars, Jerry Stackhouse e Chauncey Billups já haviam conseguido algo assim na HISTÓRIA da NBA. Pois nessa semana foi a vez de Bojan Bogdanovic também entrar no seleto e forçado grupo:

Voltando ao Tom Haberstroh, ele fez uma conta interessante nos últimos dias: no ritmo atual, LeBron James irá acabar a temporada com 256 assistências para Anthony Davis. Isso seria mais de CEM acima do seu recorde em uma temporada, as 142 assistências para Chris Bosh em 2013-14. No resto da lista estão Kevin Love, outra vez Bosh e… Drew Gooden?

Em um jogo SOFRÍVEL, o Charlotte Hornets bateu o Chicago Bulls por 83 a 73 e se tornou o primeiro time a marcar menos de 90 pontos E VENCER nesta temporada. Para vermos como a NBA se tornou mais ofensiva nesta década, na temporada 2009-10, há exatos 10 anos, a temporada teve SESSENTA E SEIS partidas vencidas por um time que marcou 90 pontos ou menos!

E por falar em Chicago Bulls, como vocês acham que Zach LaVine está se saindo ao chamar a responsabilidade no fim das partidas? Os números estão divididos. Ele é ao mesmo tempo o jogador com mais pontos e mais arremessos feitos em situações decisivas, mas é também o com pior aproveitamento e pior saldo de pontos

Mas para citar a moça da iogurteira, VAMOS FALAR DE COISA BOA? Tivemos recordes bem positivos sendo quebrados nessa semana. As sequências de vitórias do Milwaukee Bucks e Los Angeles Lakers chegaram ao fim, mas garantiram seus lugares nos livros de recordes. Começamos pelo Bucks, que com 18 triunfos consecutivos ficou atrás só de outros NOVE times na história da liga:

Já o Lakers, com 14 vitórias seguidas fora de casa, ficou a apenas duas do recorde do próprio LA Lakers de 1971-72:

O Lakers é o time que lidera a NBA em pontes-aéreas com 106 na temporada. Só não decidi ainda se é mais impressionante que o time tenha tentado mais de CINQUENTA a mais que o segundo colocado ou que o Minnesota Timberwolves só tenha tentado o lance DUAS mísera vezes em toda a temporada!


FUTUROLOGIA DA SEMANA

Nesta semana o Cleveland Cavaliers bateu o San Antonio Spurs por 117 a 109. Seria só mais uma derrota triste na temporada frustrante do time do Texas, mas a partida entra para a história porque esse EXATO PLACAR foi previsto em um episódio da série Seinfeld em 1991!

No episódio, Seinfeld acorda no meio da noite com uma ideia para uma piada e rabisca algo num papel. Ao acordar, porém, ele não entende a própria letra e acaba pedindo ajuda para um terapeuta holístico (!!!) que está tratando George. O rapaz lê o que está lá: Cleveland 117, San Antonio 109.

Essa partida marcou também um recorde histórico: o San Antonio Spurs se tornou o primeiro time EM 50 ANOS a disputar nada menos que QUATRO PRORROGAÇÕES SEGUIDAS! O time venceu as três mais difíceis contra Houston Rockets, Sacramento Kings e Phoenix Suns, mas perdeu a citada partida contra o Cavs.


CUMPRIMENTO DA SEMANA

Depois de serem ambos chamados para testes antidoping depois de enterradas incríveis (ou imagens photoshopadas), Alex Caruso e Danny Green criaram um cumprimento novo que acaba com os dois enfiando agulhas imaginárias na coxa:


NBA FASHION WEEK

Não que a gente precise de muito para falar de Tacko Fall, mas o gigante do Boston Celtics realmente mereceu a presença na nossa ala fashion com seus tênis inspirados na série Naruto.

O visual infantil-descolado também pegou Nikola Jokic, que foi dar entrevista com uma camiseta que dizia “Pausei meu jogo para estar aqui”. Resta a pergunta principal: QUE JOGO?

O Troféu Tim Duncan de Jogador Mais Mal Vestido da temporada vai para Jordan Clarkson. Impossível alguém superar isso mesmo com tantos meses pela frente. Impossível.


MÚSICA DA SEMANA

Poucos jogadores tem a MARRA do jovem Trae Young. Quer uma prova? Olha só ele sincronizando o “splash” da música com o arremesso que fez enquanto SENTADO NO BANCO DE RESERVAS:


PAPAI DA SEMANA

Com um dia de folga entre os jogos fora de casa contra o Miami Heat e o Atlanta Hawks, LeBron James pegou seu jatinho particular e partiu para sua terra natal em Ohio para um jogo que ele não queria perder por nada: a escola de seu filho Bronny James iria enfrentar St.Vincent St.Mary, o colégio que revelou LeBron James para o mundo 20 anos atrás. A viagem rendeu essa foto MARAVILHOSA de Papai e Mamãe James acompanhando o filhão em quadra:

E tudo deu certo no final: Bronny marcou 15 pontos, conseguiu o roubo de bola e a cesta da vitória no último minuto e foi eleito melhor jogador da partida.

E falando em LeBron James na plateia, a SLAM relembrou de quando, em 2009, ele foi assistir uma partida da Universidade de Davidson para acompanhar um jovem Steph Curry botar fogo no jogo. LeBron retuitou a mensagem dizendo que sabia que Curry seria especial e que por isso foi lá ver ele jogar de perto. Fofura pós-rivalidade =)


AÇÃO SOCIAL DA SEMANA

O Sacramento Kings e o Milwaukee Bucks anunciaram que vão participar de eventos em penitenciárias dos Estados Unidos. O objetivo, segundo eles, é destacar histórias de redenção dentro da prisão e combater estigmas ligados a pessoas condenadas. O primeiro evento já aconteceu no último dia 13 na famosa Folsom Prison, aquela da música do Johnny Cash. Enquanto Trevor Ariza, Marvin Bagley e Vlade Divac estavam assistindo, o técnico Luke Walton até entrou em quadra para jogar:


DRAMA MEXICANO DA SEMANA

O Dallas Mavericks enfrentou o Detroit Pistons na Cidade do México na última semana e Luka Doncic, herói da galera também por lá, gastou o espanhol que aprendeu nos anos de Real Madrid para saudar o público. O rival Blake Griffin ficou impressionado e deu risada, mas parou no “hola México”…

No mesmo jogo, Luka mandou uma ponte aérea perfeita para Kristaps Porzingis que rendeu uma foto que muita gente achou bem familiar. Meu palpite: a pose de Porzingis de perna para o alto não chega aos pés do salto épico de LeBron James, e uma foto sempre vai ser melhor que um frame de vídeo, mas tá valendo. Foi bem legal!

Como se as coisas não tivessem ruins o bastante para o Pistons nesse massacre, o time ainda quase teve de lidar com o desfalque mais bizarro do ano. Andre Drummond passou um dia inteiro com o olho inchado após uma crise de alergia após comer AVOCADO!

O pivô conta que sabia da alergia e que por isso mesmo perguntou inúmeras vezes, inclusive via amigos que falam espanhol, para uma garçonete se o ceviche que havia pedido tinha o alimento. Ela garantiu que não, mas no fim do prato ele viu uma fatia verde enorme. Logo a garganta fechou, o olho inchou e ele começou a passar mal. Drummond afirma que essa foi a pior crise que já teve. Vendo por esse lado não é nada mal que ele tenha saído de quadra com 23 pontos e 15 rebotes!


TRIVIA DA SEMANA

Essas DUAS GARRAFAS que Kawhi Leonard leva em uma só mão são de quantos litros?


LUTO DA SEMANA

A notícia mais trágica da semana veio de Washington, onde morreu Frances Pulley, mãe do armador John Wall. Ela estava com câncer de mama e tinha apenas 58 anos. Os dois eram muito próximos e passaram boa parte dos últimos meses ainda mais unidos por causa da doença dela e da lesão que tira Wall da atual temporada da NBA. Ele há pouco havia feito uma nova tatuagem em sua homenagem.

Ela criou o filho sozinha e com dificuldades após a morte do pai de Wall, vítima de câncer no fígado, quando ele tinha apenas nove anos. Quando assinou sua primeira extensão de contrato com o Wizards em 2013, o jogador caiu no choro ao relembrar dos sacrifícios dela ao longo da vida:


MASCOTES POWER RANKINGS

Os 10 pontos dessa semana vão para o Crunch, mascote do Minnesota Timberwolves. O lobo bebeu na fonte de inspiração do Memphis Grizzlies e fez a festa em uma bizarra WWE Night que homenageia o mundo da luta-livre. Com faixa na cabeça, ele encarou o vilão DR. JAZZ e quebrou uma mesa pulando em cima do adversário: entretenimento.

Já os 5 pontos da semana vão para Clutch, mascote do Houston Rockets, pela sua performance na Star Wars Night. Não que ele tenha feito nada de muito diferente, mas olha como ele caracterizou o Coyote, mascote do San Antonio Spurs, como vilão. É assim que rivais se enxergam!

Clutch

RANKING
Coyote – 35
Benny – 25
Rocky e Stuff- 15
Raptor, Clutch e Crunch – 10
Bango, Boomer e Blaze – 5

Torcedor do Lakers e defensor de 87,4% das estatísticas.

Como funcionam as assinaturas do Bola Presa?

Como são os planos?

São dois tipos de planos MENSAIS para você assinar o Bola Presa:

R$ 14

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

R$ 20

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Como funciona o pagamento?

As assinaturas podem ser feitas pelo Aplicativo PicPay. Baixe, cadastre-se, busque o Bola Presa e escolha seu plano de assinaturas. Você pode pagar com cartão de crédito ou carregar sua Carteira PicPay com boleto ou depósito bancário. Depois de assinar, escreva para bolapresa@gmail.com para mais detalhes de como ter acesso ao conteúdo exclusivo.

DÚVIDAS SOBRE AS ASSINATURAS? Nos escreva: bolapresa@gmail.com

Assine já!