🔒Filtro Bola Presa #96

Mais um Filtro Bola Presa no ar para divertir nossos assinantes! Nesta semana separamos muita leitura sobre David Stern, contamos os bastidores da bonita história de Chris Silva mostrada na semana passada e trazemos boas ações dos jogadores australianos da NBA e de Trae Young. Mas nem tudo é emoção e caridade: tem treta pesada de Jimmy Butler e TJ Warren, Kevin Durant e Kendrick Perkins e Kevin Love e toda a franquia Cleveland Cavaliers. Ainda temos recordes do Los Angeles Lakers, do ultraespecialista Bojan Bogdanovic, o retorno de Russell Westbrook a OKC e uma sessão nostálgica com Carmelo Anthony e Chris Paul.


LUTO DA SEMANA

No último dia 1º de Janeiro a NBA perdeu David Stern, polêmico, bem-sucedido e importantíssimo ex-comissário que comandou a liga de 1984 a 2014. Escrevemos sobre sua história aqui no blog nesta semana e todos os ginásios da NBA fizeram minutos de silêncio para homenagear o nã0-jogador que mais influenciou a liga em sua história. A versão do Sacramento Kings, por exemplo, destaca as homenagens feitas após Stern trabalhar para manter o time na cidade há alguns anos. Se para o Seattle Supersonics ele é vilão, na Califórnia ele foi herói…

DICAS DE LEITURA – EDIÇÃO DAVID STERN


BASTIDORES DA SEMANA

Lembram da história do Chris Silva, pivô do Miami Heat, que reencontrou sua mãe após três anos graças a uma surpresa encomendada pelo Miami Heat e pela NBA? O Miami Herald contou os bastidores do encontro.

Tudo começou com uma matéria do próprio jornal que contava a história do pivô do Gabão e que dizia que ele havia visto a família apenas uma vez nos últimos sete anos. Dono do time, Micky Arison leu a história e achou que a equipe deveria organizar o reencontro, mas havia um empecilho: pelas regras salariais da NBA, uma franquia não pode dar presentes para familiares dos jogadores. Seria como pagar um dinheiro por fora, um ganho não contabilizado no teto salarial. O time então entrou em contato com a NBA e Adam Silver, comissário da liga, achou que seria mesmo legal arranjar um encontro. A própria NBA, portanto, com a ajuda do seu escritório na África, foi atrás de Carine Minkoue Obame. Na primeira ligação, com a ajuda de um tradutor de francês, ela não acreditou que era verdade, mas na segunda ela finalmente entendeu que era a chance de ver seu filho pela primeira vez em anos.

Depois de uma viagem de 17 horas, ela chegou em Miami, foi recebida por funcionários do Heat e partiu para o encontro do filho. O técnico Erik Spoelstra, que sabia de tudo, disse que nunca havia ficado tão nervoso em um treino e que se emocionou quando tudo deu certo no final.


RETORNOS DA SEMANA

Nesta quinta-feira foi a vez de Russell Westbrook finalmente voltar para Oklahoma City para enfrentar o Thunder, time que defendeu ao longo de toda a carreira até finalmente ir para o Houston Rockets nesta temporada. Sua recepção foi cheia de aplausos, jogador em êxtase, festa e, claro, um belo tributo em vídeo:

Antes da partida foi curioso ver a decisão fashion de Westbrook para a sua partida mais simbólica na temporada. Sua escolha foi uma camiseta com a frase “nenhum arrependimento”. Por um instante houve uma confusão entre a galera no Twitter, será que ele estava dizendo que não estava arrependido de ter ido embora? Não é bem assim, nas costas da blusa havia uma lista com tudo o que ele conquistou na franquia e na manga seu característico “Por que não?”. Na verdade a mensagem era a de que não havia arrependimento em nada do que fez nos seus anos de OKC. Bonito:

Carmelo Anthony enfrentou seu velho New York Knicks nesta última semana e fez o de sempre: marcou muitos pontos, comandou seu time e saiu com uma derrota. Pobre Melo! Mas pelo menos ele recebeu uma das homenagens mais bregas dos últimos anos: um aplicativo para colocar uma imagem em realidade aumentada de uma estátua sua em qualquer lugar. A tecnologia evoluiu para isso?

Não foi só breguice, porém. Deve ter dado um quentinho no coração de Carmelo ouvir a torcida gritar que o queria ainda por lá:

Essa próxima história é um retorno meio às avessas: a torcida do Philadelphia 76ers fez questão de mostrar todo seu amor a TJ McConnell, ex-armador do time que nesta temporada assinou com o Indiana Pacers. O curioso é que o jogo onde esse amor foi mostrado não foi na Philadelphia, mas em Indianapolis! Sim, CENTENAS de torcedores viajaram pra lá para idolatrar o cult hero da época do Processo. Depois ainda rolou uma gravação ao vivo do podcast Rights to Ricky Sanchez, sobre o Sixers, que contou com participação do jogador:


PICUINHAS DA SEMANA

Não foram poucas as picuinhas deste começo de 2020. A mais intensa foi entre Jimmy Butler e TJ Warren, que não tinham qualquer histórico de rivalidade mas que por qualquer alinhamento planetário aí resolveram se desentender como loucos no último duelo entre Indiana Pacers e Miami Heat. Será que foi uma homenagem aos tempos em que Lance Stephenson e LeBron James se estranhavam nos duelos entre esses times?

Só sei que em quadra teve puxão, empurrão, aplausos irônicos, xingamento, provocação, dedo do meio e até BEIJINHO!

Depois do jogo Butler ainda estava indignado. Ele primeiro deu uma entrevista dizendo que Warren não estava perto do seu nível e que “se eu fosse o técnico dele jamais o colocaria para me marcar”:

Agora acabou, né? Claro que não! Butler foi até o Instagram, circulou o calendário com o próximo jogo contra o Pacers, marcou TJ Warren no post e disse que agora o aguarda para o próximo duelo:

Teve também briga que começou e ficou nas redes sociais. Foi entre Kevin Durant e… Kendrick Perkins?! O ex-pivô do Boston Celtics e do OKC Thunder, que hoje vive de caçar polêmicas na internet com declarações estapafúrdias, disse ontem que Russell Westbrook era o melhor jogador da história do Thunder. ATÉ AÍ TUDO BEM, PORÉM ele resolveu atacar Durant quando o nome dele foi trazido por um torcedor…

KD1 KD2

Basicamente Perkins disse que Durant não passou da segunda rodada dos Playoffs em OKC quando Westbrook estava machucado, ao que o ala respondeu dizendo que o pivô deles na série, o próprio Perkins, ajudou com “incríveis 2 pontos e 3 rebotes de média”. Aí a coisa descambou para Durant ser “fraco” e não ser um campeão de verdade por ter jogado no Warriors. KD respondeu dizendo que fraqueza é ser titular, jogar muitos minutos e mesmo assim não ajudar um time em nada e que ele “deveria ter treinado tanto quanto eu”. A soma de um Kevin Durant incapaz de ignorar bobagens no Twitter com a vontade de Perkins aparecer rendeu essa obra-prima da vergonha alheia.

O clima ficou terrivelmente pesado também em Cleveland nesta semana. Tudo começou com Kevin Love, que já tinha SOCADO UMA CADEIRA na semana passada, decidindo descontar a frustração dentro de quadra dessa vez, praticamente arrancando a bola das mãos de Colin Sexton e mandando para um MÍSSIL para Cedi Osman após ficar puto por não receber a bola no fim de um quarto:

Depois do jogo Kevin Love postou uma foto ao lado de Sexton dizendo que não estava bravo com o armador. Só então fomos descobrir que sua insatisfação é geral, com a situação do time e a maneira com que tudo está sendo conduzido no trágico Cavs. Naquele momento em si a gota d’água foi a jogada chamada pelo técnico John Beilein, que ignorou sua posição no garrafão sendo marcado pelo pequenino Chris Paul e ao invés disso chamou uma jogada para GASTAR TEMPO mesmo que o adversário ainda fosse ter muito tempo para outra posse. No mesmo jogo teve ainda outra grande cena, com Kevin Love simplesmente ANDANDO na defesa, de costas para tudo, ignorando a existência de uma partida profissional a sua volta:

Não sei se compensa tudo, mas ele ao menos disse que sua resolução de ano novo foi controlar mais as emoções. Mas como confusão pouca é bobagem, logo o Cavs já estava enfiado numa nova polêmica. Segundo o Woj, o técnico John Beilein usou a palavra THUGS para se referir aos jogadores durante uma sessão de vídeo com o elenco. A palavra quer dizer “bandidos” e muitas vezes tem conotação racista, especialmente quando dita por um branco sobre jovens negros.

O pior é que era pra ser um elogio! Beilein diz que na verdade queria usar a palavra SLUGS, que significa “preguiçosos”, e o contexto era pra dizer que eles não estavam mais jogando como preguiçosos. E agora, ele está mentindo? Desculpa esfarrapada? Ato falho? Faz diferença para os jogadores? Que desastre!

Tá bom de briguinha? Que tal mais uma de leve? Só Kemba Walker sendo expulso por uma jogada ridícula e um torcedor tacando CERVEJA na quadra, nada de mais…


JOGO DA IMITAÇÃO DA SEMANA

Depois de ter uma falta sua apitada sobre Nikola Jokic, o armador Russell Westbrook fez o que toda criança de seis anos faz quando contrariada: imitou de maneira jocosa o amiguinho. Achei graça, admito.

Até que ficou bom, mas não bom como nesse nível…


LESÃO ANUNCIADA DA SEMANA

Sempre falamos que lesões são muitas vezes imprevisíveis, mas algumas são anunciadas. No jogo entre LA Lakers e Phoenix Suns, Anthony Davis caiu no chão só para, na jogada seguinte, Ricky Rubio tomar um tombo e se machucar ao escorregar no suor do ala. Cadê a molecada do rodo numa hora dessas?


FOTOS DA SEMANA

Sabe o meme das fotos chamadas de “pinturas renascentistas” que geralmente nada tem a ver com as características das pinturas do Renascimento? Se não conhece, Alex Caruso te mostra.

Outra grande foto da semana veio com Terrence Ferguson VOANDO na defesa. Tipo, voando mesmo:

Ferguson

Não é a primeira e não será a última imagem desse tipo que será postada aqui: Victor Oladipo no banco de reservas com seu GALÃO DE ÁGUA. Mantenham-se hidratados, amigos!

Outra coisa importante, além da água, é o carinho. E aqui está Oladipo de novo mostrando todas suas qualidades e, a exemplo dos torcedores do Sixers, despejando seu amor nas costas de TJ McConnell =)


CAMPEÃO DE MULTAS DA SEMANA

Lembram do Isaiah Thomas sendo multado e suspenso por ir até a arquibancada confrontar um torcedor na semana passada? Dessa vez ele inventou de dar um empurrão num árbitro com menos de dois minutos de jogo. Claro que foi expulso! Por mais que tenha sido de leve, nenhum juiz aceita isso. Tá sobrando dinheiro, amigo? 25 mil dólares a menos na conta.


VIDA DE PAI DA SEMANA

Volta e meia vemos jogadores da NBA levando seus bebês para os ginásios, cenas fofíssimas de crianças andando atrapalhadas pela quadra e sendo meigas ao interagir com outros atletas. Lindo, mas não podemos esquecer que a adolescência chega e Deron Williams está aí para nos alertar dos sacrifícios necessários para se manter perto dos pimpolhos nessa fase da vida:


TORCEDOR DA SEMANA

Um cara que adora aparecer chamado David Delooper está tentando quebrar um recorde que ninguém jamais se importou de alcançar. Na rodada de Natal ele começou uma aventura de ir em 30 jogos da NBA em 30 dias e colocou como objetivo aparecer no telão do ginásio em todas as ocasiões:

O segredo para atrair a atenção está nas roupas, sempre uma mais absurda que a outra e temática para a cidade em questão. Ele foi Benjamin Franklin na Philadelphia e a Estátua da Liberdade em Nova York, por exemplo. Mas sua história se viralizou o suficiente a ponto até dele ser anunciado no telão do Chase Center, em San Francisco, antes de um jogo do Golden State Warriors:

Em Sacramento ele foi como REI e manteve a sequência viva. Para quem quiser seguir a aventura é só ficar de olho no seu Twitter, o 30for30for30!

Já o prêmio de PIOR torcedor da semana vai para essa dupla aqui que ofendeu a INSTITUIÇÃO Kiss Cam:


JOGADA BOLA PRESA DA SEMANA

Para que foi inventada a imagem de alta definição e a câmera lenta? Para momentos como esse! Para vermos Anthony Davis descer a mão numa enterrada sensacional e logo depois perder seu chiclete no ar:

Em mais um jogo infestado de lesões e nomes desconhecidos, Detroit Pistons e Golden State Warriors mostraram como a NBA pode ser tudo o que não esperamos da NBA:


NÚMEROS DA SEMANA

O Washington Wizards continua tendo algumas das vitórias mais estranhas da temporada. Depois de vencer times fortes mesmo com praticamente todo time lesionado, nessa semana foi a vez de bater o fortíssimo Denver Nuggets graças a NOVENTA E DOIS pontos de seus reservas! A maior marca de um time desde 1977, que foi quando a NBA começou a marcar nas suas estatísticas quem começava as partidas:

Contra o Detroit Pistons, o Los Angeles Lakers conseguiu a absurda marca de VINTE TOCOS na partida! O máximo de um time na NBA desde que o Toronto Raptors estabeleceu o recorde da história de 23 tocos em 2001. Segundo os registros do Basketball-Reference, que começam em 1983-84, essa foi apenas a nona vez que time a chegou a 20 tocos num jogo:

Captura de Tela 2020-01-10 às 1.09.56 PM

Mas se usarmos outra estatística, a partida do Lakers foi ainda mais impressionante. Segundo o PositiveResidual, o Lakers deu toco em 38,5% dos arremessos tentados pelo rival, maior porcentagem já registrada. O antigo recorde era de 33%!

Mas minha marca favorita da semana é essa: o Utah Jazz tem 12 vitórias e 1 derrota desde que Donovan Mitchell trocou sua foto de perfil no Twitter para uma imagem do Baby Yoda. Acabou a temporada!

Outro recorde da semana veio das mãos de Bojan Bogdanovic, o grande especialista dessa geração da NBA. O negócio dele é marcar pontos? Então só pontos ele vai fazer, nada dessa frescura de rebotes, assistências, tocos ou roubos. Nessa semana ele teve um jogo de 35 pontos e SÓ! Foi a segunda maior pontuação de um jogador que zerou em todos os outros quesitos, ficando atrás apenas de Allan Houston. Curiosamente, o último jogador a ter um jogo de mais de 20 pontos e nada mais havia sido justamente Bogdanovic em seus tempos de Indiana Pacers:

Captura de Tela 2020-01-07 às 12.38.27 PM

Mas enquanto Bogdanovic zera em tudo, outros jogadores são tarados por triple-doubles. Nesta semana James Harden e Trae Young se tornaram a primeira dupla de adversários a conseguir triple-doubles com 40 pontos na mesma partida:

Usando a tecnologia de reconhecimento do posicionamento dos jogadores ao longo da partida somos capazes, hoje, de medir o quanto um arremesso de um jogador é fácil ou difícil. Podemos ver não só quanto ele estava distante da cesta, mas também a distância do defensor mais próximo! Usando esses dados, o Mike Zavagno fez uma lista para mostrar quem fez a maior mudança de facilidade dos arremessos da temporada passada para esta:

O líder é Kentavious Caldwell-Pope, que está tirando todo o proveito do mundo de jogar ao lado de LeBron James e Anthony Davis e só metendo bola de 3 sem marcação na zona morta. Mike Conley, livre de ser o único criador de jogadas do Memphis Grizzlies, é o segundo. Esse dado, porém, deixa sua queda no aproveitamento mais preocupante ainda!

Curioso ver que James Harden está na lista e que ela conta com QUATRO JOGADORES do Milwaukee Bucks! O time é o melhor do Leste por muitos motivos, mas criar bons e fáceis arremessos pra todo mundo está lá em cima na lista de razões.


JORNALISMO DE QUALIDADE EXIGE RECURSOS

Nem sendo jornalista eu consegui achar um jeito de defender isso aqui…

Jokic


ARREMESSO DA SEMANA

No último Filtro mostramos o torcedor do Indiana Pacers que acertou um arremesso do meio da quadra e ganhou UM ANO DE FRANGO FRITO. Para critérios de comparação, falamos de como o prêmio dos jogos do Los Angeles Lakers é bem mais geneross. Não deu nem uma semana e não é que um cara foi lá, acertou um arremesso bonito e saiu de quadra com CEM MIL DÓLARES em Los Angeles?!

A vitória do rapaz, porém, foi alvo de ativismo e os números realmente impressionam: o patrocinador responsável pelo prêmio nos jogos do Lakers é a MGM Resort International, a mesma empresa que é dona do Las Vegas Aces, time da WNBA. As restrições financeiras da liga feminina fazem com que a maioria das jogadoras não receba em uma temporada inteira o que esse cara ganhou por um arremesso. No próprio Aces, só 4 das 12 jogadoras do elenco ganham mais de 100 mil dólares por ano.


BOA AÇÃO DA SEMANA

A Austrália tem revelado uma porrada de jogadores de basquete nos últimos anos, e a enorme comunidade Aussie resolveu se unir para combater as queimadas que estão devastando o país há semanas. Patty Mills, Aron Baynes, Ben Simmons, Matthew Dellavedova, Dante Exum, Ryan Broekhoff, Joe Ingles, Jonah Bolden e Thon Maker se uniram para juntar 750 mil dólares para a causa. Para quem se interessar, Mills participou do podcast do Woj e falou sobre o tema também.

Outra boa ação veio das mãos e do bolso do armador Trae Young, que ajudou a abater dívidas médicas de cidadãos de Atlanta. Ele fez uma parceria com uma organização que compra e renegocia contas de pessoas com dificuldades financeiras e uma doação sua de 10 mil dólares foi o bastante para cancelar UM MILHÃO de dólares em dívidas de 570 pessoas diferentes.

Nos EUA não há sistema público gratuito de saúde e as dívidas adquiridas para tratamento são a maior causa de falência no país.


NOSTALGIA DA SEMANA

Muita coisa mudou para Carmelo Anthony nos últimos dez anos, mas arremesso de meia distância e bola decisiva ainda é com ele. Nessa semana ele matou um jogo contra o Toronto Raptors do mesmo lugar que tinha feito em 2010 quando ainda estava no Denver Nuggets:

E se o assunto é veterano arrebentando mesmo na fase final da carreira não podemos ignorar o ABSURDO que é Chris Paul sendo um dos melhores jogadores da NBA em momentos decisivos nesta temporada. Saca só seu aproveitamento nos arremessos em finais de partidas disputadas: rei da meia distância!


MASCOTES POWER RANKING

Os DEZ PONTOS da semana vão para o Jazz Bear, que deixou o orgulho de lado e até liberou a camisa 00 para o recém-chegado Jordan Clarkson. Tá bom que ninguém perguntou para o Greg Ostertag se ele deixou isso acontecer, mas aí o erro é da franquia de não aposentar a camisa de seus maiores ídolos.

Como representante da Disney, Stuff não pode não gostar do novo Star Wars. Mas a verdade é que todos nós continuamos amando a saga mesmo odiando uns 80% os filmes, né? CINCO PONTOS pra ele pela atuação =)

Cinco pontos também para o Burnie, mascote do Miami Heat, só porque foi aniversário dele na semana passada e ele DANÇOU DE PIJAMA. Achei fofinho.

RANKING
Coyote – 35
Stuff – 30
Benny – 25
Rocky e Bango- 15
Raptor, Clutch, Jazz Bear e Crunch – 10
Bango, Burnie, Boomer e Blaze – 5


BÔNUS

Esse vídeo do mascote do Minnesota Vikings com a participação de vários nomes da NBA é bom demais =)

Torcedor do Lakers e defensor de 87,4% das estatísticas.

Como funcionam as assinaturas do Bola Presa?

Como são os planos?

São dois tipos de planos MENSAIS para você assinar o Bola Presa:

R$ 14

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

R$ 20

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Como funciona o pagamento?

As assinaturas podem ser feitas pelo Aplicativo PicPay. Baixe, cadastre-se, busque o Bola Presa e escolha seu plano de assinaturas. Você pode pagar com cartão de crédito ou carregar sua Carteira PicPay com boleto ou depósito bancário. Depois de assinar, escreva para bolapresa@gmail.com para mais detalhes de como ter acesso ao conteúdo exclusivo.

DÚVIDAS SOBRE AS ASSINATURAS? Nos escreva: bolapresa@gmail.com

Assine já!