🔒Os arremessos errados

O Cleveland Cavaliers teve sua melhor atuação nesta Final no Jogo 3. Atuando em casa, o time errou menos na defesa, viu Kevin Love marcar bem e a dupla Kyrie Irving e LeBron James combinar para 77 pontos, como fizeram nos jogos decisivos da Grande Virada de 2016. O time também teve a torcida barulhenta a seu favor, conseguiram liderar por boa parte do segundo tempo e em alguns momentos a equipe até fez o Golden State Warriors  errar e se desesperar.

Tudo isso para a vantagem minúscula ir para o LIXO nos últimos minutos de jogo. Não dá pra vacilar.

Em uma sequência de arremessos errados, o Cavs não marcou pontos nos minutos finais, e o Warriors respondeu com DOMÍNIO total de Kevin Durant no ataque. No maior estilo Cavs, com jogadas simples e individuais, KD fez quase todos dos 11 pontos que construíram a sequência que fechou o jogo.

É fácil encontrar os erros naquele final de jogo: a falha na transição defensiva na bandeja de Steph Curry, o erro de toda a equipe ao manejar o tempo no relógio, a bola mal forçada por Kyrie Irving, etc. Mas talvez o grande motivo para a derrota do Cavs nessa partida tenha acontecido antes, curiosamente até em momentos em que o time estava na liderança. Durante toda a partida, desde os momentos bons até o final, o Cavs simplesmente não conseguiu acertar as suas bolas de longa distância, não importa o quanto cada jogador estava livre na hora de tentar o chute.

O Cavs acertou apenas 12 dos 44 tiros de 3 pontos que tentou ao longo da partida, aproveitamento péssimo de 27%. Durante a temporada o time acertou 38% dos arremessos de longe. Nos Playoffs o aproveitamento vinha sendo de 41%, melhor número entre todos os times da pós-temporada.

shotchart (3)

Na final, porém, o aproveitamento está na casa dos 30%. E contando só os últimos quartos dos 3 jogos da Final, o aproveitamento CAI AINDA MAIS, é de 25%. Olhem acima a zona morta: pífios 3 acertos em 18 tentativas! E foi o lugar da quadra onde o time tinha acertado 48% nas três primeiras rodadas…

O time então criou arremessos, os chutou e, ao contrário do que fez ao longo de toda a temporada e dos Playoffs, ERROU QUASE TUDO! Analisaremos aqui alguns desses lances para ver se os jogadores do Cavs que não conseguiram colocar a redonda naquela cesta pequena ou se foi o Warriors que aplicou alguma defesa especial. Separei os chutes errados em três categorias:

1 – Arremessos difíceis demais

Estes arremessos são aqueles que o Cavs forçou a sorte até demais. Claro que vários de seus jogadores, especialmente Irving e JR Smith, são mais que capazes de acertá-los, mas que na hora de analisar o vídeo não dá pra sair dizendo em plenos pulmões que foram boas decisões. Eles assumiram o risco do chute difícil e, nesse jogo, a maioria não entrou:

Destaque para o ‘step back’ do LeBron no primeiro quarto, quando recebeu livre e, depois, já havia tirado a marcação da frente. Ao invés de usar o espaço criado, deu um passo para trás e chutou sem equilíbrio. De novo: sim, ele CONSEGUE e já fez arremessos assim, mas pareceu bem mais difícil do que as outras opções que a jogada ofereceu.

2 – Arremessos bem marcados, mas “fazíveis”

Nestes aqui podemos dar muito mérito à defesa do Warriors, que fez de tudo para fechar os espaços das infiltrações de LeBron e depois correu desesperadamente para contestar os arremessos. Apesar do esforço e da cobertura, os jogadores do Cavs tinham o espaço para acertar ao menos alguns destes chutes:

O jogo teria sido outro se Kyle Korver tivesse feito o arremesso a 50 segundos do fim. LeBron, perguntado sobre o lance, disse que tomaria a mesma decisão de passar para ele se tivesse que re-jogar o lance. Ele está certo, foi a jogada certa que deu errado, assim como boa parte dos lances acima.

3 – Acerta isso, Deron Williams!

Nestes aqui não como te defender, amiga. Tem. Que. Fazer. Ou melhor: ao menos alguém no time tem que fazer! Não dá pra uma equipe inteira, num duelo tão difícil, ter tão baixo aproveitamento em arremessos sem marcação. Difícil explicar.

Acredito que a pressão que o Warriors exerce sobre o adversário força parte desse aproveitamento baixo. Eles são rápidos, contestam muitos arremessos, costumam jogar na frente do placar e qualquer erro de arremesso vira contra-ataque. Tudo isso incomoda e entra na cabeça, mas às vezes também é só um dia ruim na hora errada.

Torcedor do Lakers e defensor de 87,4% das estatísticas.

Como funcionam as assinaturas do Bola Presa?

Como são os planos?

São dois tipos de planos MENSAIS para você assinar o Bola Presa:

R$ 14

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

R$ 20

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Como funciona o pagamento?

As assinaturas podem ser feitas pelo Aplicativo PicPay. Baixe, cadastre-se, busque o Bola Presa e escolha seu plano de assinaturas. Você pode pagar com cartão de crédito ou carregar sua Carteira PicPay com boleto ou depósito bancário. Depois de assinar, escreva para bolapresa@gmail.com para mais detalhes de como ter acesso ao conteúdo exclusivo.

DÚVIDAS SOBRE AS ASSINATURAS? Nos escreva: bolapresa@gmail.com

Assine já!