>Weak weak East

>

Quando a briga para os playoffs é entre Sixers e Hawks, o melhor é ir ver o filme do Pelé

Comecei esse post inúmeras vezes, mas sempre era interrompido. Seja pra trabalhar, pra sair, pra resolver alguma coisa e até porque a internet foi pro espaço. Mas não desisti, estou aqui numa lan house só para dizer o quanto o Leste é ruim!

No começo do ano eu me diverti com o Pistons sendo o Pistons de sempre, com o Boston jogando bem demais e com o surgimento do Orlando como força, juntamente com o Raptors. Também conhecemos e gostamos de ver a força do LeBron, digo, do Cavs.
Mas, tirando esses cinco times, o que estamos vendo é um monte de merda, um punhado de times disformes lutando pra ver quem consegue ficar de fora dos playoffs.

Começamos com o Wizards, que é um time bom desde seus tempos de Larry Hughes, mas sem Arenas quase a temporada toda e uns 20 jogos sem Caron Butler, está se arrastando mas mesmo assim é o sexto colocado na briga do Leste, com 30 vitórias e 32 derrotas. Isso mesmo, o sexto colocado tem mais derrotas que vitórias! Não quero meter o pau no Wizards, eles merecem parabéns por chegar tão longe com tantas dificuldades, mas temos que ver também que essa vaga nos playoffs, além de mérito deles, tem muito da falta de mérito de seus concorrentes.

Como por exemplo o sétimo colocado, o time quente do momento, o Philadelphia 76ers. Eles perderam o último jogo para o Boston mas antes disso tinham cinco vitórias seguidas e venceram sete dos últimos dez jogos. No Leste é assim, são cinco vitórias seguidas e você já é um fenômeno e ultrapassa todo mundo na sua frente, basta ver o Bobcats, que estavam praticamente fora da briga por vaga e foi só vencer cinco jogos seguidos (pela primeira vez na história da franquia) e eles já estão há apenas duas vitórias do oitavo colocado.

Oitavo colocado que é o glorioso Atlanta Hawks! Eles tem um bom time, bons jogadores, mas não querem jogar fora a fama de perdedores. Perderam 7 das últimas dez partidas, chegaram a perder jogos e mais jogos em sequência nas últimas semanas, mas a coisa no Leste é difícil, todo mundo quer porque quer ficar de fora. O Nets, nono colocado, está numa sequência de 6 derrotas, incluindo uma para o Memphis Grizzlies (que não ganhava um jogo há 9 jogos) só para ficar de fora dos playoffs. Será vontade de participar do sorteio do draft ou só medo de pegar o Boston?

Mas vamos parar de zoar os times, na verdade não é culpa deles, a culpa é da conferência que é fraca. Todos esses times, aliás, estão muito certos em perceber que suas equipes estão longe de serem as ideais e por isso estão em processo de reconstrução. O Sixers ainda está vendo o que seus pivetes, como Thaddeus Young, Rodney Carney e Jason Smith, podem fazer, ao mesmo tempo em que tentam descobrir o que fazer com Andre Miller e planejam reassinar o Andre Iguodala na próxima temporada. É claramente um time ainda em busca de uma identidade. O Hawks finalmente fez o que todo mundo sabia que eles tinham que fazer, trocaram um de seus mil alas novos (Shelden Williams, no caso) por um cara experiente, Mike Bibby, mas mesmo assim o time ainda se adapta. O Nets claramente mostrou que busca outro rumo ao trocar Jason Kidd pelo jovem Devin Harris, assim como o Charlotte que, de escolha de draft em escolha de draft, ainda está montando seu elenco. A exceção do grupo é o Wizards, que já tem grupo montado, só não consegue ficar longe do hospital.

O que leva esse monte de time em construção para os playoffs é a falta de concorrência. Com apenas cinco times bons na conferência inteira, algumas equipes que não estão em nível de playoff vão acabar indo pra lá de qualquer jeito. O engraçado é ver isso acontecer logo no mesmo ano em que o Oeste é o mais forte em muito tempo, um dos mais disputados de toda a história. O que nos leva a uma discussão que já acontece há alguns anos: o sistema de classificação da NBA é o melhor? É o mais justo?

Muita gente sugere que deveriam acabar as divisões e as conferências e simplesmente classificar os 16 melhores times. Eu até concordo com isso, mas desde que outras coisas mudem também.

Eu ficaria um pouco triste com o fim das conferências, estamos acostumados com elas, elas são legais, têm suas rivalidades históricas e já estão assimiladas pelos torcedores, seria uma perda difícil mas que também poderia ser facilmente superada caso os playoffs ficassem mais emocionantes. Acabando com as conferências acabaríamos também com as divisões, e isso acho que não faria falta mesmo. As divisões servem só para confundir todo mundo na hora em que vêem o Jazz em quarto mesmo com pior recorde que o quinto colocado porque é o campeão da divisão noroeste. Servem também para dirigentes contarem vantagem no fim da temporada: “Meu time ganhou a divisão do Atlântico!”e depois perder na primeira rodada dos playoffs.

Mas uma coisa que se esquece é que as divisões e conferências servem também para definir quantas vezes os times se enfrentam durante a temporada. Então o Lakers pega o Spurs quatro vezes e o Celtics só duas, enquanto o Celitcs pega o Spurs duas vezes e o Bobcats quatro. Também tem os times de mesma conferência que se pegam só três vezes. É confuso, mas em geral um time pega duas vezes um time da conferência oposta e quatro da mesma. Em um sistema geral, em que se classificariam os 16 melhores, os times do atual Leste se dariam melhor, já que cada um deles pegaria as mamatas dos times em reconstrução 4 vezes e os timaços do Oeste somente duas. Com o passar dos anos, a força poderia mudar de conferência e aí seriam outros beneficiados, ou seja, ia ser sempre uma merda.

A solução para isso é usar o exemplo do futebol. Turno e returno, todos jogam contra todos uma vez em casa e uma vez fora. Simples assim. Ao invés dos 82 jogos que temos hoje, teríamos 58. Alguém vê algum problema? Eu acho uma maravilha. Agora, por exemplo, já estou cansado da temporada regular, já conhecemos todos os times e a única coisa que eu quero mesmo é ver o circo pegar fogo, o bicho pegar, quero ver os playoffs! Mas ao invés disso precisamos esperar 82 longos jogos só pra ver caras como o Yao Ming terem uma fratura por stress no pé. A fratura dele não foi por pancada, foi por desgaste, foi por jogar umas três vezes por semana uns 40 minutos. Além dele, a lista de machucados é imensa, afinal são 82 jogos, muitas vezes quatro em uma semana, dois em dias seguidos, 48 minutos de jogo, jogo corrido, jogo físico. E pra quê? Pra ter mando de quadra nos playoffs, só? Pra ganhar a divisão? Não, é claro, é só pra ganhar mais dinheiro com direitos de TV e ingressos.

Seria muito melhor para os jogadores se fossem só 58 jogos, seriam menos contusões, os jogos seriam mais valorizados (na quarta vez em que o Lakers pega o Suns já não tem taaanta graça assim) e os jogadores mais descansados poderiam até render melhor. É só ver na página pessoal de cada jogador na NBA.com, lá tem as estatísticas de cada atleta nos jogos em dias seguidos, com um, dois, três, ou mais de três dias de descanso entre os jogos. A enorme maioria tem um desempenho muito superior quando tem tempo para descansar o corpo.

E não me venham dizer que o Yao se machucou por causa dos jogos da seleção chinesa! Isso é ridículo! Ele pode até sentir falta das férias, mas jogar 10 jogos em um mês pela seleção não se compara a jogar aqueles jogos em dias seguidos, viajando pelos EUA e jogando muito mais minutos por partida. Isso é desculpa de quem tem medo de mudar as coisas na NBA.

Mas isso tudo é um sonho só, ninguém planeja mudar nada no calendário da NBA. Eles ganham muito dinheiro assim e os times e a liga seriam capazes de cobrar uma diminuição dos salários dos jogadores causada pela diminuição de renda graças ao número menor de jogos. Aí nem os jogadores mais bichados iam aceitar, acreditem, eles são gananciosos mesmo depois de ter 50 milhões de dólares na conta.

Como curiosidade, os playoffs com 16 times seriam, se acabasse a temporada agora, assim:

Boston Celtics(1) x Washington Wizards (16)
Detroit Pistons (2) x Portland Trail Blazers (15)
San Antonio Spurs (3) x Toronto Raptors (14)
Los Angeles Lakers (4) x Cleveland Cavaliers (13)
Houston Rockets (5) x Denver Nuggets (12)
New Orleans Hornets (6) x Golden State Warriors (11)
Phoenix Suns (7) x Dallas Mavericks (10)
Utah Jazz (8) x Orlando Magic (9)

Eu não reclamaria de um playoff que começa com Kobe enfrentando o LeBron e o Mavs pegando o Suns. E vocês, gostariam de ver os playoffs assim?

Notas:

– Vocês viram o cara que entrou na quadra pra falar com o LeBron no jogo do Cavs contra o Knicks no Madison Square Garden? Ele foi preso, acusaram ele de ter ido atacar o LeBron, mas na verdade o cara era só um fã, ele até estava com a camiseta do LeBron!
No dia seguinte ele disse que não se arrependeu, que faria de novo e que na verdade ele foi lá só pra dizer que era fã dele e que sempre quis ser como seu ídolo. Segundo o fã, o LeBron respondeu “Ok, legal! Valeu por ter vindo!”

Aqui tem o vídeo:

Como funcionam as assinaturas do Bola Presa?

Como são os planos?

São dois tipos de planos MENSAIS para você assinar o Bola Presa:

R$ 14

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

R$ 20

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Como funciona o pagamento?

As assinaturas podem ser feitas pelo Aplicativo PicPay. Baixe, cadastre-se, busque o Bola Presa e escolha seu plano de assinaturas. Você pode pagar com cartão de crédito ou carregar sua Carteira PicPay com boleto ou depósito bancário. Depois de assinar, escreva para bolapresa@gmail.com para mais detalhes de como ter acesso ao conteúdo exclusivo.

DÚVIDAS SOBRE AS ASSINATURAS? Nos escreva: bolapresa@gmail.com

Assine já!