🔒Filtro Bola Presa #42 (season finale)

Mais uma temporada chegou ao fim, e com ela os seus causos, seus recordes, os memes e as jogadas infames. Acompanhamos tudo o de nem-tão-importante aqui no Filtro, seção que agora descansa nos Playoffs e na offseason e que irá voltar com tudo na loucura da temporada 2017-18. Agradecemos ao apoio dos nossos assinantes, que no lugar do Filtro terão análises táticas bem bacanas e exclusivas ao longo da pós-temporada.

Ah, e não esqueci da promessa! Nas próximas semanas teremos um QUIZ com questões sobre todos os Filtros desta temporada e o ASSINANTE que mais acertar leva um… FILTRO pra casa. Um daqueles de barro mesmo, show de bola, água limpa e pura para beber enquanto assiste um basquetinho. É o Bola Presa ajudando seus leitores a se manterem hidratados, não há coisa mais importante no mundo.


Recordes, recordes e mais recordes. Essa temporada foi INSANA para marcas históricas na NBA. É o ritmo de jogo rápido demais? Os ataques que estão mais na moda que as defesas? Simplesmente uma geração muito talentosa nesse negócio de basquete? Todas as anteriores? Sei lá, só aproveita enquanto dura!

Começamos com LeBron James, que na última semana da temporada passou Kareem Abdul-Jabbar para alcançar a segunda maior sequência de jogos com 10 ou mais pontos. São SETECENTOS E OITENTA OITO jogos de temporada regular em sequência marcando em dois dígitos, desde Janeiro de 2007!

Mas se o Cavs viu um recorde ser batido, também viu uma sequência ser quebrada: Tristan Thompson deu adeus a sua sequência de HOMEM DE FERRO da NBA de 447 jogos seguidos. Sem descanso, sem lesões, sem azar, o grandalhão do Cavs só foi parado por um machucado no DEDÃO nos últimos jogos da temporada regular. Claro que já estão dizendo que é a MALDIÇÃO das Kardashian, já que Thompson namora a ex-Odom Khloé:

Curiosamente, um outro recorde de durabilidade foi quebrado neste ano. Jamal Crawford, na sua 17ª temporada, foi o jogador mais experiente a disputar os 82 jogos de um campeonato:

O Cavs também fez parte de outros recordes, aguenta aí: LeBron James se tornou o jogador com mais temporadas seguidas com média de 25 pontos ou mais na carreira, já são TREZE anos seguidos; e o Cavs quebrou o recorde da história da NBA de mais arremessos de 3 pontos em um jogo, acertaram 25 em 46 tentativas contra o pobre Atlanta Hawks:

E falando em três pontos, este foi o ano com mais arremessos de três FEITOS e TENTADOS na história da liga. Times da NBA tiveram médias de 9.7 arremessos acertados em 27 tentativas. O recorde anterior era o do ano passado, o anterior era do ano retrasado e por aí vai, a revolução ainda não achou seu teto…

No meio desse recorde o Houston Rockets se tornou o time que mais arremessos de 3 pontos numa temporada, médias de 14.1 chutes certos em QUARENTA tentados por partida. O recorde do time idealizado pelo manager Daryl Morey até virou filme! Ou quase isso…

E claro que todos os recordes possíveis individuais dentro do mundo dos 3 pontos foram quebrados também: Steph Curry chegou a marca de 157 jogos seguidos com ao menos um arremesso de 3 feito. A sequência recorde acabou em novembro, e no jogo seguinte ele quebrou o recorde de mais bolas de 3 num jogo, TREZE:

E não exatamente recordes de 3 pontos, mas certamente com a ajuda deles, duas coisas aconteceram:

Klay Thompson marcou os 60 pontos mais rápidos da história da liga, em míseros 29 minutos; e Kevin Love quebrou o recorde de mais pontos em um primeiro quarto, TRINTA E QUATRO:

Ah, e há pouco tempo o Devin Booker se tornou o jogador mais jovem a marcar 70 pontos num jogo!

Por fim, esta também foi a temporada com mais jogos de 50+ pontos (10) e a com mais triple-doubles (115), liderados, é claro, pelos QUARENTA E DOIS de Russell Westbrook, recorde da história numa temporada! Em termos de triple-double, o único porém de Westbrook ainda é o Chicago Bulls, único time que ainda não foi vítima de seus feitos na carreira:

Também tivemos Giannis Antetokoumnpo como o primeiro jogador no Top 20 da liga em pontos, rebotes, assistências, roubos e tocos! Ele ainda foi o 3º em enterradas, atrás apenas de DeAndre Jordan (253), Rudy Gobert (235) e empatado com Dwight Howard (199).

Já Karl-Anthony Towns é o primeiro jogador da HISTÓRIA a acabar uma temporada com ao menos 2.000 pontos, 1.000 rebotes e 100 bolas de 3 pontos. É basicamente a definição do que é um UNICÓRNIO na NBA moderna.

Teve mais recorde? MIL, mas só um deles vale mencionar…

O NOSSO Boban Marjanovic acabou essa temporada com um PER –um número de eficiência geral usado pelos geeks da NBA– maior do que o de qualquer outro jogador na história da Terra! É sério! Ele conseguiria manter esse aproveitamento todo se jogasse mais de NOVE minutos por jogo? Provavelmente não, mas não vamos nos ater aos detalhes e vamos dar o MVP a quem merece.


Agora esqueçam os números altos e os recordes. Quem se deu bem na última semana de temporada foi alguém que fez ZERO cestas de 3 pontos. Moe Harkless, ala do Portland Trail Blazers, tinha um bônus em seu contrato que dizia que ele ganharia 500 mil dólares caso acabasse a temporada com ao menos 35% de aproveitamento nos chutes de 3 pontos.

Ele chegou na última semana da temporada com aproveitamento de 35.1%, e um mísero erro o colocaria abaixo da marca. O que ele fez para assegurar a grana? NADA. Apesar da média de 2.5 chutes de longa distância por jogo, se recusou a arriscar a grana e nas últimas TRÊS partidas da temporada não chutou de longe. Ele então assegurou a bufunfa e disse que, na noite do fim da temporada, o jantar era por conta dele =)


Ufa, quanto número! Vamos pular dessa frieza para o FOGO do amor. Qual pedido de casamento vocês acharam que foi mais legal?

Em San Antonio o cara se vestiu de CESTA INFLÁVEL antes de pedir a mocinha para viver com ele na saúde e na doença:

Em Houston uma cheerleader achou que era hora de ser PULADA por um MASCOTE que iria enterrar, mas era só um pedido de casamento em público mesmo:


A última semana da temporada é famosa por encher linguiça. Times já classificados poupam jogadores, os desclassificados perdem de propósito e quem vive de falar e transmitir basquete se vira nos 30 para entreter os entediados. A TV do Spurs resolveu que seria uma boa ideia um duelo entre os aposentados Sean Elliot e o nosso herói Matt Bonner, o Red Mamba.

Ah, o duelo não era numa quadra…

E ficando ainda no Texas, poucos times FRACASSADOS se divertiram tanto na última semana como o Dallas Mavericks. Primeiro todos ficaram muito alegres quando uma torcedora fez um arremesso PERFEITO do meio da quadra usando uma camiseta com a cara do Dirk:

Ela merecia muito mais que uma TV, não é? Mas ela abraçou o Nowitzki, isso não tem preço. Depois o Mavs se divertiu de novo quando eles convocaram o recém-aposentado quarterback Tony Romo para ser um “Maverick por um dia”. Ele teve vestiário, participou do aquecimento e ficou vendo o jogo do banco de reservas:

Primeiro Dirk tirou sarro dele dizendo que ele daria airballs nas bandejinhas de aquecimento…

Mas não é que ele manja dos paranauê?! O Devin Harris tomou baile:


Estatística INSANA da década: o último jogador não draftado pelo OKC Thunder a liderar a NBA em pontos foi Dwyane Wade… em 2009!

Wade


A maturidade do público da NBA está em dizer que “essa sombra parece que quer pegar o pinto dele”:


No jeopardy, famoso game-show da TV americana, uma mulher errou uma questão bem simples: “o animal no logo deste time atingiu seu auge há 75 milhões de ano”.

Ela respondeu o Toronto Ratpors? Não, pelo jeito os LOBOS de Minneapolis faziam mais sentido em sua cabeça… isso que dá não conhecer os mascotes!

Os lobos, aliás, lançaram seu novo logo na última semana. Gostaram? Ou acharam muito Seattle Seahawks?


PRÊMIOS INVENTADOS DA SEMANA

Médico da Semana – JR Smith resgatando o nocauteado Kevin Love:

Fan Boy da Semana Steph Curry paparicando Kevin Durant em seu retorno ao basquete após a lesão no joelho

Jogada Bola Presa da Semana… do mês? Da temporada?

Apesar desse lance, o Miami Heat venceu esse jogo contra o Washington Wizards e fechou a segunda metade da temporada com 30 vitórias e 11 derrotas, a MELHOR segunda metade de ano da HISTÓRIA da liga entre times que não conseguiram classificar para os Playoffs. E eles acabaram o ano com um saldo de pontos muuuuito melhor que times de estão na pós-temporada, como o Bucks, Pacers e Hawks:

Por fim, nunca um time tinha ficado 12 vitórias abaixo dos 50% de aproveitamento e conseguido chegar a uma marca igual de vitórias e derrotas. O Heat chegou a ficar DEZENOVE jogos abaixo dos 50% e se recuperou:

Uma pena que não se classificaram, mas pelo menos o time ainda está feliz com a campanha e até fizeram uma festinha de PÁSCOA:

Heat_

Não esperavam ver o James Johnson de orelha de coelho dando um abraço por trás no Pat Riley? Nem eu.

Virgem da Semana – O pivô Jonas Valanciunas finalmente perdeu o hímen e fez a sua primeira bola de 3 da CARREIRA!

Shaquille O’Neal da Semana – O pivô Nikola Jokic se tornou o primeiro jogador desde o grande SHAQ a ter um jogo de ao menos 29 pontos, 16 rebotes, 8 assistências e 5 tocos.

Humilhação da Semana – O pobre e FALECIDO Seattle Supersonics tem uma vitória em série de Playoff mais recente que Bucks, Hornets, Kings e Wolves!


Lembram que o Klay Thompson deu autógrafo na TORRADEIRA de um fã e então o Golden State Warriors se tornou um time IMBATÍVEL? Contei no último Filtro. O Warriors só foi perder a invencibilidade num dia que o dono da torradeira foi poupado. E agora foi a vez de DeMar DeRozan assinar o eletrodoméstico:

A derrota na estreia dos Playoffs mostra que a magia não vale para todos…


Nesse começo dos pós-temporada nos emocionamos demais com o Isaiah Thomas indo jogar, ainda abalado e de luto, um dia após a morte da sua irmã. Não dá pra imaginar o que passou na cabeça dele, e só podemos admirar a sua força de vontade.

Curiosamente, na última semana da temporada tivemos outra atuação em luto: o D’Angelo Russell, armador do LA Lakers, recebeu a notícia da morte da avó, de quem era muito próximo, no dia de um jogo contra o Minnesota Timberwolves. Sendo a última semana da temporada e um jogo entre dois times já eliminados, pra que o sacrifício, não? Mas toda a família de Russell pediu que ele jogasse, até argumentando que este seria um desejo de sua avó. O jogador disse que não queria, que não tava nem aí para basquete e que “queria se expressar de outra forma” durante o luto.

Mas aceitou os pedidos, e claro que os deuses do basquete agradeceram com o arremesso da vitória batendo no aro, voando alto e caindo no lugar certo. A comemoração foi com os familiares na arquibancada:


MASCOTES POWER RANKINGS – A DECISÃO

A temporada foi longa e tentamos acompanhar os mascotes de perto durante todos esses meses. Não foi fácil! Nem todos são ativos nas redes sociais, várias ações ficam perdidas no meio de terças-feiras frias em Milwaukee e certamente este resultado não é o mais justo. Mas creio que cumprimos nossa missão: valorizar o trabalho destes seres de pelúcia que existem para nos entreter, render risadas, inspirar crianças, levar tombos e irritar o Robin Lopez.

O ridículo, o humor e a poesia da mera existência destes personagens, os únicos de pelúcia no meio de um mundo real, com pessoas fazendo seu trabalho numa liga milionária, representa tudo o que o Bola Presa admira no esporte. É sério, mas não vamos esquecer que no fundo não é.

Vamos então para as pontuações da última semana? Pontuação especial de novo: 25 pontos para o vencedor –pela criatividade de ainda estar tendo ideias na última semana; 15 pontos para o segundo colocado e 5 para o terceiro.

A vitória vai para o Clutch, o urso gordinho do Houston Rockets que organizou uma verdadeira CARRETA FURACÃO no elevador do centro de treinamento do time, com direito a um Homem-Aranha, Homem de Ferro e um JAMES HARDEN DE ITU para tirar gargalhadas de Patrick Beverley:

A segunda posição vai para aquele DRAGÃO MÁGICO que convencionou-se chamar de Stuff. Mais do que uma enterrada com trampolim, ele SE ENTERROU numa cesta inflável. Não é fácil ter essas ideias depois que um time já eliminado está em março ou abril…

Por fim, pontinhos para Franklin só porque eu nunca canso de ver os bichinhos interagindo com o Robin Lopez:

Chegamos então no ranking FINAL… com um EMPATE!

E eu não pensei em um critério de desempate. Então ficam os dois de parabéns e com um tapinha nas costas =)

Stuff > 45
Clutch > 45
Benny > 40
Coyote > 30
Raptor > 30
Hugo > 30
Franklin > 25
Grizz > 15
Rumble > 15
Harry > 15
Bango > 15
Moondog > 10
Gorilla > 10
Jazz Bear > 10
Hooper > 5
Pierre > 5
Rocky > 5
Crunch > 0*

* perdeu 10 pontos por machucar o pai do melhor jogador do time

Torcedor do Lakers e defensor de 87,4% das estatísticas.

Como funcionam as assinaturas do Bola Presa?

Como são os planos?

São dois tipos de planos MENSAIS para você assinar o Bola Presa:

R$ 14

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

R$ 20

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Como funciona o pagamento?

As assinaturas podem ser feitas pelo Aplicativo PicPay. Baixe, cadastre-se, busque o Bola Presa e escolha seu plano de assinaturas. Você pode pagar com cartão de crédito ou carregar sua Carteira PicPay com boleto ou depósito bancário. Depois de assinar, escreva para bolapresa@gmail.com para mais detalhes de como ter acesso ao conteúdo exclusivo.

DÚVIDAS SOBRE AS ASSINATURAS? Nos escreva: bolapresa@gmail.com

Assine já!