🔒Filtro Bola Presa #9

Chegamos ao último Filtro Bola Presa de 2015! Hora de desejar Feliz Natal e um ótimo ano novo para todos da família de assinantes do blog. Mas saiba que esse fim de ano não foi bom pra todo mundo, por exemplo para Tony Wroten, ex-armador do Philadelphia 76ers que foi dispensado pela equipe para abrir espaço para a troca que trouxe Ish Smith.

Pensa bem, ser dispensado nunca é bom. Mesmo Josh Smith, que foi chutado na melhor situação possível ficou magoado e com o ego ferido, e isso que ele logo foi contratado por um time que brigava pelo título e ia continuar ganhando seu salário milionário! Wroten, por outro lado, foi dispensado pelo PIOR TIME DA NBA! Justo o Sixers, o primeiro time da HISTÓRIA a ganhar só 1 de seus primeiras 30 jogos. O que passa na sua cabeça quando o pior dos piores acha que vai ser melhor sem você?

Quer mais? Ser dispensado ainda foi seu presente de Natal, ele passou o dia 24 arrumando o armário. Não foi novidade, porém, já que ele tem um grupo grande de colegas de profissão que sabem como é ser mandado embora no Natal, uma cruel tradição do basquete americano.


Sabe quem voltou de lesão e está com minutos em quadra para alegrar a comunidade basquetebolística? JaValle McGee! O rei das jogadas bizarras apareceu eu duas aberrações nessa última semana. Primeiro com a pior reverse layup da década:

Depois como ESPECTADOR de uma jogada inexplicável de Bismack Biyombo. Quando McGee faz cara de “que porra é essa?” é porque você errou muito feio…


Vocês acham que eu gosto de vir aqui toda semana enumerar recordes negativos do meu querido Los Angeles Lakers? Não, não gosto. Mas pisou na merda, abre os dedos.

Em uma das derrotas humilhantes sofridas pelo Lakers para o OKC Thunder nessa semana, Lou Williams registrou a terceira pior marca individual da NBA em plus/minus desde que esse número passou a ser calculado. Para quem não lembra, o plus/minus (+/-) é o saldo de pontos de toda a equipe naquele jogo quando determinado jogador esteve em quadra.

Nesse caso, o Lakers tomou QUARENTA E SETE pontos a mais do que fez nos minutos em que o armador esteve em quadra. Piores do que isso apenas Manny Harris (-57) em 2010/11 e Steven Hunter (-48) em 2006/07.


Por outro lado, o San Antonio Spurs vai deixando o Golden State Warriors para trás e alcançou o segundo melhor saldo de pontos da história para os primeiros 30 jogos de uma temporada.


O Los Angeles Lakers aparece em mais um recorde negativo nessa semana, mas, curiosamente, o Golden State Warriors está lá no meio também! Ok, não são exatamente recordes da equipe, mas individuais.

Atualmente, Kobe Bryant e Mareese Speights são os únicos jogadores da HISTÓRIA DO BASQUETEBOL a registrar menos de 40% de acerto de arremessos e, ao mesmo tempo, mais de 30% de Usage Rate. Para quem não está familiarizado com a terminologia das novas estatísticas, o Usage Rate mede o número de posses de bola que um jogador “usa” enquanto está na quadra. É mais ou menos um cálculo para medir quantas posses de bola acabam com a ação dele, seja via arremesso, turnover ou falta sofrida.

Ou seja, Speights e Kobe são casos únicos na história da NBA de caras que não acertam nada, mas insistem em continuar assassinando posses de bola. Entre esses dois, Kobe tem a favor ao menos duas coisas: (1) jogou bem durante 20 anos para ao menos ganhar o direito de jogar mal e (2) sua FORÇA está voltando…


Só pra não ficar falando mal só do meu time, vou cutucar o do Danilo também. Veja que seu Houston Rockets é o time que mais vezes sofreu mais de 100 pontos nessa temporada. Ignorem quem aparece em segundo lugar.


Durante as férias do Campeonato Espanhol, enquanto Neymar veio para o Brasil curtir a vida e a fama, Cristiano Ronaldo foi para Miami curtir um pouco de NBA. Lá ele conheceu Luol Deng, tirou fotos e, claro, foi molestado por Burnie, o mascote do Miami Heat.

Foi mais uma semana gloriosa para os mascotes da NBA.

Não estou brincando, foi realmente especial:

Sério, sério mesmo. Foi quase um milagre de natal atrás do outro!


Tem jogador que se irrita com provocação, tem jogador que perde a paciência com os árbitros, mas para alguns nada é mais chato do que um adversário fingindo falta. Estou certo, Andrew Bogut?


Como todos sabemos, o San Antonio Spurs sempre descansa seus veteranos ao longo da temporada regular. Isso virou piada em 2012 quando apareceu o famoso box score do ‘DNP-Old’. O ‘DNP’ é a sigla para ‘did not play’, ou ‘não jogou’, que sempre é seguido pelo motivo, geralmente lesão, que afastou o jogador da partida. Não com o Spurs e seu humor de Gregg Popovich.

Eles não voltaram a ser tão explícitos, mas todo mundo sabe as razões. O estranho é que Boris Diaw, que já está com 33 anos, nunca é colocado no rodízio do descanso. Qual o motivo? Tony Parker arrisca: “Acho que Pop quer que ele perca peso”. Já Diaw tinha uma resposta para seu conterrâneo, “Por que eu descansaria? Sou jovem. Tenho a mesma idade de Tony, mas envelheço melhor que ele”.

Como eles conseguem ser o time mais sério e o mais ZOEIRO da NBA ao mesmo tempo?  MOMENTO BOBAN PARA COMEMORAR!


Acharam que eu ia embora sem zoar meu Lakers mais uma vez? Eles não deixam! Larry Nance Jr. já fez sua contribuição para o prêmio de Jogada Bola Presa do Ano™


O Brooklyn Nets tem um torcedor famoso chamado Mr. Whammy, um senhor que dedica muito mais tempo e energia do que deveria para incomodar os jogadores adversários na hora de bater o lance-livre. Ele está lá em todos os jogos da franquia, tem bolas autografadas por jogadores históricos da franquia e não desiste do seu time mesmo nesse momento onde a equipe é fraca e não tem nenhuma perspectiva de futuro. A gente abraça o que tem, né?

Pois essa semana um árbitro teve a OUSADIA de mandar o pobre Mr.Whammy voltar para sua cadeira porque ele estaria em local proibido aos torcedores! Sob protestos dele e vaias da torcida, e apenas contido pelos seguranças, Mr.Whammy voltou, mas não sem antes fazer Ramon Sessions perder um lance-livre.


Viram o texto que fizemos sobre Rajon Rondo e os seus insultos homofóbicos ao árbitro Bill Kennedy? Alguns comentaristas de Facebook acharam o fim da picada, um sinal que o “politicamente correto” estaria vencendo o trash talk e que tudo valia porque era “só um jogo”. Já explicamos tudo isso e não vamos nos alongar, mas fica aqui o exemplo de Chris Bosh de como fazer trash talk como um cavalheiro das boas maneiras.

“Você não pode me deixar livre assim, cara. Não vou errar muitos assim”. Faltou só servir o chá.


E para os assuntos polêmicos não morrerem, bora colocar mais um na mesa. A NBA tomou uma decisão arriscada e até surpreendente ao se posicionar na questão da regulação das armas de fogo nos EUA. A liga emprestou sua imagem e a de seus jogadores para uma campanha de desarmamento

A questão é delicadíssima nos EUA, divide o país e costuma trazer argumentos sobre liberdade individual sempre que aparece. A liga não tinha nenhuma obrigação de entrar na briga e poderia ficar facilmente sem opinião, a maneira mais fácil de não perder fãs e não se meter em uma polêmica que possa, ao menos na cabeça de alguns, manchar a sua imagem. Decisão corajosa de Adam Silver. O vídeo, que contou com promoção oficial da NBA, foi ao ar em todo o país no intervalo da rodada de Natal.


Sou só eu ou, além de muito engraçado, essa grande cena do jogo de Natal não foi OBSCENAMENTE constrangedora. Ela realmente estava zoando LeBron James? Ou fez aquilo por outra razão mas, quando ele olhou, ela percebeu que ele iria entender assim? Me dói toda vez que assisto, mas não consigo parar.

 

 

Torcedor do Lakers e defensor de 87,4% das estatísticas.

Como funcionam as assinaturas do Bola Presa?

Como são os planos?

São dois tipos de planos MENSAIS para você assinar o Bola Presa:

R$ 14

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

R$ 20

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

Acesso ao nosso conteúdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bolões + Vídeo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Como funciona o pagamento?

As assinaturas podem ser feitas pelo Aplicativo PicPay. Baixe, cadastre-se, busque o Bola Presa e escolha seu plano de assinaturas. Você pode pagar com cartão de crédito ou carregar sua Carteira PicPay com boleto ou depósito bancário. Depois de assinar, escreva para bolapresa@gmail.com para mais detalhes de como ter acesso ao conteúdo exclusivo.

DÚVIDAS SOBRE AS ASSINATURAS? Nos escreva: bolapresa@gmail.com

Assine já!