ūüĒíLeBron James, o arremessador

Quando chegou em Cleveland, o veterano Kyle Korver admitiu estar inteiramente chocado com a¬†aten√ß√£o que LeBron James dedicava √†¬†academia. Com ambos na d√©cima quarta temporada de suas carreiras, seria completamente compreens√≠vel se apenas colhessem os frutos dos anos de trabalho e de suas posi√ß√Ķes j√° estabelecidas na elite da NBA. Ao contr√°rio, Korver disse que LeBron levantava pesos duas vezes por dia mesmo sem nenhuma orienta√ß√£o da comiss√£o t√©cnica a respeito. Mais assustador ainda: segundo relatos de Korver, ap√≥s uma partida de 33 pontos e 10 rebotes em que jogou 38 minutos, LeBron foi o primeiro a estar na academia na manh√£ seguinte, cuidando de seu condicionamento numa m√°quina conhecida como “Versa Climber”.

A obsess√£o de James pelo “Versa Climber” √© famosa. Trata-se de um equipamento que simula uma escalada, usando bra√ßos e pernas, e que est√° entre os mais eficientes aparelhos para exerc√≠cios cardiovasculares. Sob sua influ√™ncia, o aparelho foi colocado na rotina de exerc√≠cios de toda a equipe, para desespero de alguns:

O próprio LeBron já comentou que o aparelho faz parte de sua rigorosa rotina de treinos na offseason, durante suas férias anuais das quadras, e é um dos motivos para que ele esteja sempre no auge de sua forma física.

Essa dedica√ß√£o aos treinos e √† prepara√ß√£o f√≠sica mesmo com tantos anos de NBA nas costas e com an√©is amontoando-se nos dedos nos lembra imediatamente Kobe Bryant, cuja dedica√ß√£o ao trabalho extra-quadra atingia n√≠veis que flertavam com o patol√≥gico. A obsess√£o de Kobe, no entanto, era muito mais famosa e vocal. √Č por isso que Kyle Korver se surpreendeu com a rotina e a dedica√ß√£o de LeBron: nos faltam hist√≥rias sobre seu trabalho, ainda que nos sobrem evid√™ncias de que seu condicionamento e poder f√≠sico s√≥ melhoram mesmo j√° tendo deixado seus 30 anos para tr√°s.

Os n√ļmeros s√£o assustadores: LeBron James jogou 37.8 minutos por jogo nessa temporada, mais do que nas 3 temporadas¬†anteriores. Nesses Playoffs at√© aqui, s√£o 42.3 minutos por jogo, sexta maior marca em suas 12 passagens pela p√≥s-temporada. Mas esses n√£o s√£o os √ļnicos ind√≠cios de que o esfor√ßo de LeBron James est√° valendo a pena. Insatisfeito com seu aproveitamento em lances livres e nas bolas de longa dist√Ęncia, LeBron se aproveitou da presen√ßa de Kyle Korver na equipe – um dos melhores arremessadores de toda a NBA – para trabalhar nesses aspectos e implementar seu jogo.

Segundo Korver, aconteceu normalmente: os jogadores do Cavs analisam v√≠deos juntos, analisam a mec√Ęnica de arremesso uns dos outros e eventualmente LeBron simplesmente pediu dicas de como poderia melhorar. As instru√ß√Ķes foram de abandonar os movimentos desnecess√°rios, que “comiam” energia valiosa e alteravam a const√Ęncia da rota da bola, al√©m de deixar os p√©s paralelos ao inv√©s de arremessar a bola vinda do quadril, o que lhe d√° uma rota√ß√£o involunt√°ria:

Vale lembrar que LeBron James tem uma m√©dia de aproveitamento nos lances livres ao longo de sua carreira de 74%, bastante razo√°vel.¬†Sua mec√Ęnica nunca foi confi√°vel mas tamb√©m nunca causou muita preocupa√ß√£o, com temporadas em que atingiu 78% de aproveitamento. No entanto,¬†nessa temporada LeBron acertou apenas 67% de seus lances livres – se pensarmos que a m√©dia da Liga foi de 77.2%, a MAIOR DE TODOS OS TEMPOS, LeBron est√° regredindo nesse fundamento justamente quando a NBA inteira est√° melhor nele do que nunca.

Ainda assim, estar abaixo da m√©dia da NBA n√£o foi suficiente, por exemplo, para que Shaquille O’Neal aceitasse a ajuda de diversos t√©cnicos de lance livre, que sugeriram desde uma mudan√ßa sutil em sua mec√Ęnica at√© a lendariamente engra√ßada mec√Ęnica da lavadeira. Aceitar a ajuda de Korver diz muito sobre a vontade de LeBron James de evoluir seu jogo, portanto. Durante sua passagem pelo¬†Heat¬†j√° havia ficado evidente que uma melhora na mec√Ęnica dos arremessos de tr√™s pontos, outro de seus pontos fracos, era essencial para que o espa√ßamento da equipe funcionasse e LeBron trabalhou nesse sentido. Seus tr√™s √ļltimos anos em Miami foram os melhores de sua carreira no per√≠metro at√© ent√£o, chegando at√© mesmo a converter 40.6% dos seus arremessos de tr√™s pontos durante a temporada 2012-13. Era evidente que, quando necess√°rio, LeBron sabia melhorar seu jogo. Mas de volta a Cleveland a coisa voltou a desandar.¬†Na temporada 2014-15, LeBron foi eliminado pelo Warriors nas Finais da NBA acertando apenas 27% dos arremessos de fora do garraf√£o contra um advers√°rio decidido a lhe¬†entregar de lambuja qualquer bola de longa dist√Ęncia.

Sob a influ√™ncia de Kyle Korver, somada¬†ao tradicional rigor de LeBron nos treinamentos, a mec√Ęnica de King James nos arremessos come√ßou a mudar. A √ļnica ressalva √© que, para desespero do t√©cnico Tyronn Lue, isso aconteceu pr√≥ximo ao fim da temporada, com os Playoffs prestes a come√ßar. Quem j√° tentou mudar uma mec√Ęnica de arremesso sabe que √© um processo longo e √°rduo, j√° que voc√™ passa a questionar seus pr√≥prios movimentos e ajust√°-los, de modo que¬†cada arremesso acaba saindo de um jeito diferente. Fazer essas altera√ß√Ķes no momento mais importante de uma temporada n√£o parece a coisa mais PRUDENTE a se fazer, mas LeBron estava decidido a usar as duas primeiras rodadas para EXPERIMENTAR.

Arremessando bolas de tr√™s pontos sem tir√°-las do bolso e ajustando melhor os ombros, LeBron passou pelo Pacers na primeira rodada dos Playoffs acertando incr√≠veis 45% dos seus arremessos de tr√™s pontos – muito, muito acima da m√©dia de 35.8% que a NBA teve coletivamente nessa temporada. Mas os lances livres sofreram muito com as mudan√ßas, com LeBron acertando apenas 57% de suas tentativas, pior marca da carreira. Tyronn Lue chegou a questionar seu jogador publicamente sobre a LOUCURA que era estar reformando uma mec√Ęnica durante uma s√©rie importante.

Mas os frutos vieram rapidamente: contra o Raptors, LeBron James terminou a s√©rie acertando incr√≠veis 83.3% dos seus lances livres, al√©m de 48% de suas bolas de tr√™s pontos. S√£o os melhores n√ļmeros que LeBron j√° teve ao longo de uma s√©rie de p√≥s-temporada. Como se n√£o bastasse, o jogador assumiu estar usando as partidas contra o Raptors para treinar arremessos com sua M√ÉO ESQUERDA, parte de um exerc√≠cio de redescoberta de suas pr√≥prias mec√Ęnicas. D√° pra ver ele tentando floaters¬†com a m√£o trocada no v√≠deo abaixo:

Curioso √© que esse exerc√≠cio pessoal de entender seu arremesso passa por compreender o motivo dele pr√≥prio jogar como destro na NBA sendo que na vida normal LeBron √© e sempre foi CANHOTO. Segundo James, a prioridade na m√£o direita talvez tenha vindo como influ√™ncia de seus jogadores favoritos, que eram todos destros, e acabou criando uma mec√Ęnica com a qual ele nunca esteve plenamente confort√°vel. Achar sua m√£o esquerda de volta talvez seja parte de um movimento¬†em que LeBron est√° finalmente se tornando ELE MESMO, aquele momento em que, em plena maturidade, descobrimos quem realmente somos em meio a tantos mecanicismos e repeti√ß√Ķes da vida adulta.

Na primeira partida contra o Celtics nessas Finais de Confer√™ncia, LeBron n√£o entrou num bom ritmo com seus arremessos de longa dist√Ęncia, priorizando bandejas finalizadas com a M√ÉO ESQUERDA, sofrendo muitas faltas e convertendo 82% dos seus lances livres no processo. Apesar do susto inicial com os n√ļmeros da s√©rie contra o Pacers, LeBron James est√° aprendendo e aprendendo r√°pido. Est√° alcan√ßando uma forma cada vez mais pura de arremesso, cada vez mais despida das frivolidades e adere√ßos, e cada vez mais pessoal, cada vez mais ELE PR√ďPRIO.

Com 14 temporadas nas costas e finalmente com um anel de campe√£o em Cleveland, LeBron n√£o est√° mais no momento de decidir qual jogador ele quer ser. Trata-se agora de polir o jogador que ele J√Ā √Č, permitir que suas capacidades j√° estabelecidas se livrem de todas as bobagens, das mec√Ęnicas desnecess√°rias, das imposi√ß√Ķes da m√≠dia – que tanto queriam que ele fosse Michael Jordan – e das influ√™ncias h√° muito esquecidas. √Č o famoso “torna-te aquilo que √©s” e, contra muito daquilo que imagin√°vamos, LeBron James √© tamb√©m canhoto, e tamb√©m um arremessador espetacular. Descobrimos todos os dias novas habilidades e novas facetas que aparentemente sempre estiveram a√≠, ofuscadas por todo o resto. Mas agora, conscientes delas, √© dif√≠cil imaginar o que seria capaz de¬†par√°-lo. LeBron James confort√°vel consigo mesmo √© uma vis√£o que os advers√°rios esperam nunca ter que encontrar pela frente.

 

Torcedor do Rockets e apreciador de basquete videogamístico.

Como funcionam as assinaturas do Bola Presa?

Como s√£o os planos?

São dois tipos de planos MENSAIS para você assinar o Bola Presa:

R$ 14

Acesso ao nosso conte√ļdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

R$ 20

Acesso ao nosso conte√ļdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bol√Ķes + V√≠deo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Acesso ao nosso conte√ļdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

Acesso ao nosso conte√ļdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bol√Ķes + V√≠deo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Como funciona o pagamento?

As assinaturas podem ser feitas pelo Aplicativo PicPay. Baixe, cadastre-se, busque o Bola Presa e escolha seu plano de assinaturas. Voc√™ pode pagar com cart√£o de cr√©dito ou carregar sua Carteira PicPay com boleto ou dep√≥sito banc√°rio. Depois de assinar, escreva para bolapresa@gmail.com para mais detalhes de como ter acesso ao conte√ļdo exclusivo.

D√öVIDAS SOBRE AS ASSINATURAS? Nos escreva: bolapresa@gmail.com

Assine j√°!