ūüĒíTentando parar Paul George

Dez segundos para o final do Jogo 1, Pacers perdendo em Cleveland por apenas um ponto mas com a posse de bola. Quem deve tentar o arremesso decisivo? Certamente Paul George, cestinha da equipe, naquele momento com 29 pontos, 5 rebotes e 7 assist√™ncias na partida. Por que, ent√£o, quem tentou a bola¬†decisiva foi CJ Miles, reserva da equipe, com apenas 5 pontos na partida, num arremesso desequilibrado que deixou Paul George visivelmente frustrado? A resposta simples seria culpabilizar CJ Miles e sua vontade individual de decidir a partida, mas a verdade √© que a √ļltima jogada foi simplesmente um resumo da defesa que Paul George recebeu do Cavs ao longo do jogo inteiro – uma defesa que o for√ßou a passar a bola para CJ Miles sem qualquer chance de receb√™-la de volta. Vamos dar uma olhada nesse arremesso fat√≠dico:

Arremesso final do Jogo 1

Vejam que assim que Paul George recebe a bola pr√≥ximo √† lateral, Tristan Thompson¬†amea√ßa dobrar a marca√ß√£o mas desiste, voltando para o fundo da quadra. Paul George fica marcado ent√£o apenas por JR Smith, seu defensor “oficial” ao longo dessa s√©rie. Agora prestem aten√ß√£o em LeBron James: ele come√ßa a olhar para tr√°s para se certificar de que Richard Jefferson vai pegar o jogador que LeBron deveria marcar, enquanto Richard Jefferson come√ßa a trocar sua marca√ß√£o apontando com os dedos para outro jogador pegar o atacante que era sua responsabilidade. Tristan Thompson come√ßa a pressionar rumo √† zona morta, de modo que Kyrie Irving pega o jogador que Richard Jefferson deixou para tr√°s. Por um ou dois segundos, Tristan Thompson est√° marcando dois jogadores: um na zona morta, com o bra√ßo esquerdo, e um quase no garraf√£o, com o bra√ßo direito e Irving na cobertura.

Toda essa bagunça apenas para LeBron James poder abandonar seu homem SEM NENHUM PUDOR e dobrar em Paul George no meio da quadra, ainda em cima do logo, uma área que facilita para o adversário passar a bola. Mas vejam a situação de Paul George: todos os jogadores que ele pode acionar com um passe estão razoavelmente marcados e, com pouco mais de 5 segundos no relógio, ele se vê forçado a dar o passe mais seguro, que é um passe para o lado rumo a CJ Miles Рaquele que estava sendo marcado por Richard Jefferson. Enquanto isso, LeBron e JR Smith continuam em Paul George por cerca de um segundo, até que JR Smith vai marcar o lado oposto da bola no perímetro e LeBron continua grudado em Paul George, tentando manter o corpo entre ele e CJ Miles. Esse passe nunca poderia fazer o caminho de volta, de modo que Miles dá um arremesso contestado por Richard Jefferson e perde o jogo.

O mais impressionante é que essa jogada é mero repeteco da jogada que aconteceu poucos segundos antes. O Pacers tinha a posse de bola final, também perdendo por apenas um ponto, a 20 segundos do final. Tentou uma jogada quase idêntica que ao invés de terminar num arremesso contestado, terminou numa falta no chão de Richard Jefferson em CJ Miles, de modo que o Pacers cobrou uma lateral que resultou na jogada decisiva. Vale a pena olhar também essa jogada anterior para ver como ela é uma versão espelhada da que veio em seguida:

A jogada imediatamente anterior ao arremesso final de CJ Miles

Com a lateral sendo cobrada¬†do lado oposto da quadra, Paul George recebe novamente sob marca√ß√£o de JR Smith, LeBron abandona seu homem, Richard Jefferson faz a cobertura e aciona Kyrie Irving (que dessa vez se atrapalha um tanto com Tristan Thompson), LeBron chega para dobrar em Paul George e a estrela do Pacers passa para o lado para CJ Miles, que com tempo no cron√īmetro tenta colocar a bola no ch√£o e acaba tomando uma trombada de Richard Jefferson, que chega atrasado.

Vejam que ao contr√°rio da jogada que definiu a partida, nessa o Cavs fez um monte de coisas erradas: Kyrie Irving deixa Jeff Teague livre na zona morta mesmo com Tritan Thompson tentando EMPURR√Ā-LO rumo ao posicionamento certo; LeBron James escorrega na tentativa de marcar Paul George porque chega quando o advers√°rio j√° est√° em movimento; e Richard Jefferson chega atrasado e comete uma falta besta em CJ Miles. O ideal talvez fosse Paul George ter continuado a infiltra√ß√£o e trombado com LeBron, mas √© compreens√≠vel sempre que um jogador prefere acionar outros companheiros numa marca√ß√£o dupla, ainda que o passe mais esperto fosse para Teague no canto da quadra.

Isso mostra que o Cavs continua cometendo erros defensivos, mas o PLANO DE JOGO é impecável. Esse plano não impediu Paul George de fazer 29 pontos no primeiro jogo e 32 pontos no segundo, mas força a estrela do Pacers a passar longos minutos sem participar da partida, sem tocar na bola, e a apressar seus arremessos muito mais do que gostaria.

Vejam no vídeo abaixo como o Cavs usa uma marcação semelhante à que vimos nos vídeos acima para impedir que Paul George sequer receba a bola no ataque:

Paul George tem a bola negada no ataque

No cantinho inferior direito vemos Paul George sem a bola sendo marcado por JR Smith, que est√° ativamente tentando impedir que ele corte rumo √† cesta. Quando Paul George corta rumo √† linha de tr√™s pontos, Jeff Teague faz um corta-luz para impedir JR Smith de continuar sua persegui√ß√£o. Mas vejam que incr√≠vel: Kyrie Irving desencanou de Teague e ficou entre Paul George e a bola, impossibilitando o passe. JR Smith ent√£o se reposiciona, volta a marcar George e nesse ponto Teague j√° est√° isolado do outro lado da quadra com a bola em m√£os. √Č impressionante como ele est√° tendo dificuldade de infiltrar em cima dos seus defensores, ent√£o ele se aproveita da marca√ß√£o de Irving para jogar de costas para a cesta, e da dormida de Tristan Thompson¬†e da indecis√£o de LeBron pra fazer um gancho simples.

√Č uma jogada “vitoriosa”, mas uma inteiramente desenhada para Paul George que terminou sem que a estrela tocasse na bola. Para evitar isso, o Pacers tentou colocar a bola nas m√£os de George j√° na quadra defensiva, preferencialmente a partir de um rebote. Vejam o resultado no v√≠deo abaixo:

Paul George caminha da defesa com a bola e sofre marcação dupla

Nessa posse de bola, quem marca George √© LeBron James. Assim que James toma um corta-luz, Tristan Thompson troca a marca√ß√£o para se posicionar na frente de George at√© que LeBron volte por tr√°s, fazendo um sandu√≠che. Paul George perde a janela de um segundo para passar a bola para Kevin Seraphin, porque JR Smith corre para baixo da cesta para defender o piv√ī com Richard Jefferson vindo cobrir Thaddeous Young. Paul George est√° ent√£o sob forte marca√ß√£o dupla esganado num canto da quadra e faz a coisa certa: passar a bola para seu companheiro livre. O problema √© que ele √© CJ Miles, o cara que Richard Jefferson teve que abandonar, l√° do outro lado da quadra. At√© a bola chegar l√° (num passe longo, dif√≠cil e que n√£o foi bem executado) Richard Jefferson j√° est√° em Miles, Tristan Thompson j√° rodou para defender o garraf√£o e o que sobra √© passar para Jeff Teague, que Irving deixou com mais espa√ßo do que deveria a jogada INTEIRA. Percebam tamb√©m que ao primeiro sinal de que Teague ter√° ajuda de um corta-luz, dois jogadores do Cavs dobram nele e depois se reajustam. Resta ao armador do Pacers for√ßar uma infiltra√ß√£o, que se transforma num toco seguido de enterrada de LeBron no contra-ataque.

Olha essa mesma marcação dupla em Paul George acontecendo no vídeo abaixo DUAS VEZES na mesma jogada:

Marcação dupla em Paul George por duas vezes na mesma posse de bola

Primeiro Paul George finalmente consegue receber um passe (Tristan Thompson se atrasou), mas Thompson e JR Smith dobram a marcação imediatamente. Não há decisão fácil para George na hora de passar a bola: LeBron está marcando dois jogadores (um no garrafão, um na zona morta), mas ele é o MALDITO LEBRON, certamente conseguirá alcançar qualquer um dos dois jogadores e roubar a bola se o passe não for perfeito. A opção então é por Myles Turner, marcado pelo defensor mequetrefe Kevin Love. Turner erra o arremesso, mas George é mais forte e rápido que JR Smith e consegue um rebote de ataque. O que acontece então? Mais uma marcação dupla, dessa vez com JR Smith e Kevin Love (vejam como Love leva uns dois segundos pra perceber o que está acontecendo, mas segue o plano de jogo a tempo). De novo o jogador livre está do outro lado da quadra, na zona morta (dessa vez trata-se de Monta Ellis). George escolhe o passe mais fácil (que é sempre a pessoa marcada por Irving, que dá espaço demais!) mas Teague força uma bola de três que não dá nem aro. Desastre total.

A certeza da marcação dupla não apenas frustra Paul George, que toca pouco na bola, mas também leva a arremessos cada vez mais apressados por parte do jogador. Vejam um exemplo abaixo:

Paul George apressa seu arremesso por receio da marcação dupla

Nessa jogada George está sendo marcado por Iman Shumpert, está em posição pra receber a bola mas Kevin Love, atrasadíssimo e comicamente atrapalhado, começa a se aproximar para dobrar em George. Teague, que tem a bola em mãos, desiste do passe e gira a bola para o outro lado. Stephenson recomeça a jogada e Myles Turner vai fazer um corta-luz para ajudar Paul George a receber a bola. Quando o passe finalmente chega, Thompson leva pelo menos um segundo para perceber que isso aconteceu (ele está ocupado seguindo Turner e não nota o passe rápido). Assim que se toca, começa a correr pra cima de Paul George para seguir o plano da marcação dupla. George tenta então um arremesso ANTES QUE ISSO ACONTEÇA, tendo que apressar a bola mesmo com Shumpert colado nele. Claro que o arremesso não passa nem perto de entrar no aro.

Quando LeBron não está na quadra, no entanto, o Cavs tem bem mais dificuldade de manter o plano. A jogada abaixo é um bom exemplo:

Paul George infiltra e recebe falta de Kevin Love

Paul George recebe a bola marcado por Channing Frye porque JR Smith parou num corta-luz e n√£o conseguiu dobrar a marca√ß√£o j√° que Kevin Love estava longe demais para assumir a marca√ß√£o de Myles Turner. George ent√£o est√° isolado, contra um √ļnico defensor, e n√£o tem nenhuma dificuldade em deix√°-lo pra tr√°s. A dobra de marca√ß√£o (que teria vindo bem r√°pido com LeBron) vem muito atrasada com Love, j√° com George em movimento, de modo que Kevin Love n√£o tem outra op√ß√£o a n√£o ser parar na frente de George para cavar uma falta de ataque. A arbitragem marcou falta de Love, levando George para a linha de lances livres, mesmo que outros √Ęngulos mostrem que na verdade foi Paul George quem cometeu a falta de ataque. Essa jogada se repetiu umas 3 vezes seguidas, com duas faltas cometidas por Love at√© que finalmente marcassem falta de ataque para Paul George, pouco antes de LeBron voltar √† quadra.

Fica evidente que quando os jogadores respondem na velocidade adequada e fazem a marca√ß√£o dupla sem medo, Paul George n√£o tem nada a fazer que n√£o seja for√ßar arremessos ou abrir m√£o da posse de bola. S√£o os erros e as indecis√Ķes do Cavs que acabam abrindo espa√ßo para George, situa√ß√Ķes em que o ala do Pacers √© simplesmente mortal. Abaixo temos uma jogada impec√°vel da estrela, auxiliada por duas m√°s decis√Ķes defensivas da equipe de Cleveland:

Paul George se aproveita da indecis√£o de Irving e JR Smith na defesa

A jogada já começa com uma coisa incrível, que é Paul George fazendo um corta-luz em Irving mesmo que não tenha NADA ACONTECENDO! Como Irving continua insistindo ao invés de contorná-lo, quando a bola chega ao ataque George conseguiu garantir que Irving vai ser o seu marcador. Veja de novo o comecinho do vídeo porque vale a pena, Paul George é esperto demais com essa sacada! Quando ele se posiciona então pra receber a bola, JR Smith vem como um doido dobrar a marcação, está tudo lindo e maravilhoso para acontecer aquilo que vimos à exaustão até aqui, mas por algum motivo bizarro JR Smith DESISTE e volta para a zona morta. Aí Paul George deixa Irving pra trás como se fosse brincadeira de criança, Tristan Thompson chega atrasado na cobertura e a enterrada acontece.

Falta ao Irving jogo de cintura e a jogadores como JR Smith, Kevin Love e Tristan Thompson a capacidade de confiar inteiramente no esquema tático e responder a ele imediatamente, sem parar para pensar. Quando isso não acontece, Paul George é um dos pontuadores mais eficientes e imparáveis do basquete. Mas quando o Cavs consegue encaixar sua defesa e manter o plano tático, o jogo precisa ser decidido por Jeff Teague e CJ Miles, o sonho de qualquer adversário. Veremos se no Jogo 3 o Cavs consegue manter seu plano defensivo e qual será a solução de Paul George e seu Pacers para não serem engolidos vivos pela marcação dupla constante e bem executada.

Torcedor do Rockets e apreciador de basquete videogamístico.

Como funcionam as assinaturas do Bola Presa?

Como s√£o os planos?

São dois tipos de planos MENSAIS para você assinar o Bola Presa:

R$ 14

Acesso ao nosso conte√ļdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

R$ 20

Acesso ao nosso conte√ļdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bol√Ķes + V√≠deo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Acesso ao nosso conte√ļdo exclusivo: Textos, Filtro Bola Presa, Podcast BTPH, Podcast Especial, Podcast Clube do Livro e texto do FilmRoom.

Acesso ao nosso conte√ļdo exclusivo + Grupo no Facebook + Pelada mensal em SP + Sorteios e Bol√Ķes + V√≠deo ao vivo para discutir Clube do Livro e FilmRoom.

Como funciona o pagamento?

As assinaturas podem ser feitas pelo Aplicativo PicPay. Baixe, cadastre-se, busque o Bola Presa e escolha seu plano de assinaturas. Voc√™ pode pagar com cart√£o de cr√©dito ou carregar sua Carteira PicPay com boleto ou dep√≥sito banc√°rio. Depois de assinar, escreva para bolapresa@gmail.com para mais detalhes de como ter acesso ao conte√ļdo exclusivo.

D√öVIDAS SOBRE AS ASSINATURAS? Nos escreva: bolapresa@gmail.com

Assine j√°!